História O Alfa - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, EXO
Personagens Chanyeol, Jennie, Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Lisa, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Alfa, Blackpink, Bruxo, Bts, Chan Yeol, Drama, Exo, Jennie, Jhope, Jimin, Jin, Jungkook, Lisa, Lobo, Lobos, Nanjoon, Suga, Vampiro, Você
Visualizações 590
Palavras 1.457
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Canibalismo, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Obrigada pelos 100 favoritos!! <3
Boa leitura!!

Capítulo 12 - O Alfa - 12.


Fanfic / Fanfiction O Alfa - Capítulo 12 - O Alfa - 12.

                              Jeon Jungkook

Assim que escuto aquela voz aguda e irritante meu bom humor vai embora totalmente.

Minha pequena, que estava a minha frente, ficou paralisada.  Com certeza se assustou com o grito.

Eu reviro os olhos e me virei olhando para a ruiva que vinha em minha direção.

JK – Lalisa. – Rosno.

Essa garota realmente já me deu muita dor de cabeça. 

Ela é minha prima e era uma amiga de Mish, se é que se poda considerar uma pessoa seu amigo quando ela fala mal de você pelas costas, Lalisa sempre falava mal da minha amiga pelas suas costas.  E por ser muito ingênua a mesma não acreditava na falsidade da ruiva.

Mas eu realmente comecei a sentir uma enorme repugnância dessa criatura foi quando a vi sorrindo no enterro de Mish.  E quando eu achei que essa menina não conseguiria me fazer adiá-la mais, ela conseguiu!

Lisa – Oi kook.

A o ouvir essa voz irritante, eu me viro em direção a porta e vejo Lalisa entrando pela porta da sala vindo até mim, que estou sentado no sofá.

JK – O que queres Lalisa? – Pergunto irritado, para a menina que me olhava sorrindo e trajava um vestido rosa claro com branco.

Lisa – Eu quero saber se você não quer sair pra brincar comigo?  Só eu e você.  Já sei, vamos brincar lá no seu quarto!  Mas antes eu queria te contar que minha prima, por parte de pai, vai ter que se casar com seu primo, que era seu melhor amigo, é um casamento arranjado, imagina se acontecesse com a gente?  Ou melhor!  E se eu fosse a sua companheira?  Seria...

JK – Será que você pode calar a boca?! – Grito – Eu não sou seu melhor amigo e você não é a minha!  A minha melhor amiga é aquela menina que foi enterrada hoje e que você sorriu vendo o corpo dela em um caixão!  Eu te odeio Lalisa!  Te odeio!  Ela confiava em você e falavas dela pelas constas!  Era pra ter sido você morta dentro daquele caixão e eu sorrindo!

Sra. Jeon – Jungkook!  Respeite a sua prima! – Minha mãe fala entrando na sala.

Lisa – Tia.  Porque ele não gosta de mim? – Pergunta se fazendo de vítima.  Assim como fazia com Mish.

JK – Eu não gosto de você porque és falsa – Olho para a menina em minha frente que chorava, porem eu sabia que aquilo era um choro de raiva. – Minha amiga morreu e a minha ´´prima`` - debocho – Rio do corpo dela no caixão!  E eu odeio a Lalisa! – Falo e olho para a minha mãe com raiva e me dirijo para o meu quarto.

Depois desse dia, por mais que minha mãe brigasse comigo, eu nunca mais tratei a sua sobrinha com respeito.

Mas mesmo com isso ela nunca desistiu de tentar se aproximar de mim.  E por mais que eu a odeie, infelizmente, ela faz parte da minha alcateia, por isso não posso fazer nada com ela.  A menos que a mesma fase alguma coisa.

Mas isso não lhe da o direito de vir a minha casa!

JK – O que fazes aqui? – Pergunto irritado.

Lisa – Calma primo. – Como eu odeio que essa vadia me chame assim. – Eu fiz uma viajem para a Alcateia vizinha a um mês atrás e quando cheguei ontem me falam que você tinha se casado.  Claro que sei que isso é mentira, mas quis vir conferir.

Sorrio com a confiança dela, sempre achando que um dia meu lobo vai falar do nada que ela é minha companheira.  Só que ela esquece que ele a odeia, assim como eu.

JK – O que você acha que essa linda menina aqui é Lalisa? – Pergunto debochado, pegando a cintura de minha companheira e fazendo com que a mesma, que olhava para a ruiva, ficasse a o meu lado.

Lisa – Uma vadia que você vai comer e depois matar? 

Ao ouvir isso eu rosno de raiva.

Quem essa puta acha que é?

Não nego que antes eu só trazia para essa casa garotas, que eu iria comer e depois matar, mas mesmo que (S/n) fosse uma dessas garotas, que não é o caso, Lalisa não tem o direito de falar uma coisa dessas.

Sinto minha pequena tentar se afastar de mim.  Então boto mais preção em sua cintura, mostrando que quero que ela fique onde está.

JK – A única vadia aqui é você!  Essa garota aqui é a MINHA esposa e companheira.  E exijo respeito.

A ruiva me olha surpresa.  Mas se recompõe, e lança um olhar de ódio para (S/n).

Lisa – Eu tenho pena de você garota.  Não sabe quem Jeon é.

Sem conseguir ouvir mais nada agarro Lalisa pelo pescoço e aperto.

JK – Qual a parte do ´´exijo respeito`` você não entendeu? – Grito, jogando a garota no chão com força. – Agora saia daqui!!

Ela se levanta segurando o pescoço, onde apertei, e sai da minha casa correndo.

Me viro para (S/n) que me olhava com os olhos arregalados e cheios de água.

Isso é tudo culpa daquela vadia!

JK – Minha flor... – Dou um passo em sua direção, mas ela recua. – Eu não vou lhe machucar querida.

(S/n) – Você me dá medo.

E essas quatro palavras, que eu já ouvi muitas e muitas vezes, pela primeira vez fazem com que eu me sinta mal.

Ela não deve sentir medo de mim.

(S/n) – Se fostes capaz de fazer isso com sua prima, o que farias comigo que sou apenas sua esposa.

JK – (S/n), para nós, lobos, nossa companheira vem em primeiro lugar.  Por isso eu não seria capaz de lhe machucar. – Explico – Não quero que tenhas medo de mim.

A morena, mesmo receosa, assente.

JK – Já devem ter arrumado o nosso quarto, vamos subir.

Nós dois subimos juntos para o segundo andar da casa e entramos no meu quarto.  Que a o ver (S/n) fica boquiaberta.

JK – O que imaginava?  Lençóis de cetim vermelho? – Brinco, tentando fazer com que ela esquecesse o que havia acontecido.

E acho que consegui, pois ela olha bem para o cobertor de pele de animal, dobrado, sobre a cama e sorri.

(S/n) – Para ser sincera, sim.  Você não é tão sombrio como aparenta. – Ri.

Pela primeira vez eu escuto a sua risada.  E realmente é um som que me encanta.

(S/n) – Posse lhe fazer uma pergunta sobre seu lobo?

JK – Claro querida. – Falo, me sentando na cama.

(S/n) – Ele me vê de que modo?

JK – Do mesmo modo que eu.  Ele vê você como sua companheira.  Você é nossa vida meu amor. – Ela engole seco e me olha.

(S/n) – Não acho que ele me veja assim. – Murmura.

JK – Por que não?

(S/n) – Não sei, você parece gostar mais de mim.

JK – (S/n) eu não gosto de você, eu a amo.  Mas você deveria conversar com Hui.  Veria como nós dois a amamos do mesmo modo.

(S/n) – Como?  Ele não me deu a chance de falar, como você deu, quando o conheci.

JK – Bom, isso é uma diferença que nós dois temos.  Na lua de sangue Hui não consegue se controlar.  E por isso ele não queria ouvir suas perguntas, naquele momento.  – Explico – Já eu, mesmo com uma certa dificuldade consigo me controlar.  Na última lua de sangue foi a mais fácil, porque pela primeira vez meu lobo estava inconsciente.

(S/n) – Entendi.  Mas como eu vou poder falar com ele fora da lua de sangue?

JK – Eu poderia deixar que ele tomasse conta do meu corpo, já que hoje é dia de lua cheia, mas se eu fizer isso eu só voltarei a o controle do meu corpo quando ele permitir.  E como sei que você não se sente segura para isso, posso fazer com que você caia em um tipo de sono profundo e converse com ele.  Será como se Hui estivesse na sua frente, você pode ouvi-lo e toca-lo, assim como ele pode ouvi-la e toca-la.  Mas eu estarei vendo tudo, já que es minha companheira e ele meu lobo.  Tudo bem se fizermos assim?

 (S/n) – Tudo bem.  Mas porque Hui só pode tomar o controle do seu corpo nas luas cheias.

JK – Na verdade, não é só nas luas cheias.  Mas fora da lua é muito desgastante para mim quando ele faz isso.  Por isso evito. – (S/n) assente com a cabeça.

JK – Agora se deite aqui princesa.  E não se preocupe que eu vou lhe trazer de volta quando quiser.

A morena me olha e depois vem até mim se deitando na cama.

Assim que ela se deita na cama, mando que feche os olhos, e toco sua testa.  Fazendo com que minha garota caísse em um sono profundo, através da nossa ligação de companheiros, para que conversasse com meu lobo.

                               (S/n)

Assim que abro meus olhos percebo que estou em uma densa floresta.

- Olá minha pequena.


Notas Finais


Sinto que teremos muitos problemas pela frente!! kkkkkkkk
Bom, eu queria que vocês me falassem o que acham da ideia de daqui pra frente alguns caps serem narrados pelos personagens.
Tmbm queria dizer que eu gosto muito da Lisa, só achei legal a ideia de ela ser uma das vilãs da fic.
Me digam o q acharam!!!
Até a próxima!! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...