1. Spirit Fanfics >
  2. O alfa dos meus sonhos >
  3. Capítulo dezoito

História O alfa dos meus sonhos - Capítulo 18


Escrita por:


Notas do Autor


Eu ia postar ontem, mas fui ver a live do felipe neto de house flipper kkk passei quase 3 horas naquilo e minha sobrinha pegou meu notebook pra ver desenho.

Sorry.

Capítulo 18 - Capítulo dezoito


― Neném ― Chanyeol chamou Baekhyun que estava jogado no sofá com as mãos na cabeça ― Você quer algum remédio?

 

― Não ― resmungou e o ômega sentou ao lado do noivo. 


― Aconteceu alguma coisa para você estar assim? Você quase nunca chega em casa desse jeito ― Chanyeol beijou o ombro do alfa ― Quer me contar?

 

― Eu falei umas coisas para o Kyungsoo e o peso das palavras caiu em mim agora, eu acho que talvez eu tenha sido um pouco rude falando de coisas que não são do meu interesse ― abaixou os braços e agarrou Chanyeol.

 

― É sobre ele e Sehun? ― perguntou ― Sabe que o Kyungsoo nunca vai ficar com raiva de algo que você diz.

 

― É sobre eles ― omitiu a parte de JongIn, não sabia se o amigo iria querer que contasse ― Eu sei que ele não vai ficar com raiva, meu medo maior é que eu tenha feito ele pensar demais e talvez falar ou fazer uma besteira.

 

― Duvido muito, neném ― Chanyeol passou a mão no peito do alfa ― Não se preocupe tanto assim, sei que pensa muito nos outros e quer sempre o melhor, mas tem coisas que não podemos deixar tomar o nosso pensamento ou a nossa vida. Kyungsoo e Sehun sabem como vivem, sabem o que gostam e como gostam, eu sei e você sabe que eles não vão se magoar ou brigar, em todos esses anos que os conheço por você, eles nunca brigaram feio.

 

― Nunca mesmo ― Baekhyun fez carinho no braço do ômega ― Os dois se amam e se completam.

 

― Igual nós.

 

― E você me ama agora? ― O alfa perguntou em tom de brincadeira e Chanyeol se afastou e o encarou ― Negou meu pedido faz cinco anos.

 

― Não conto com os seus pedidos de quando tinha dezoito anos, nunca levei a sério.

 

― Estou profundamente magoado.

 

― Você disse que não ia mais jogar isso na minha cara ― Chanyeol fez um bico e Baekhyun riu segurando o rosto do noivo e beijando seus lábios.

 

― Não estou jogando na sua cara, longe de mim tal burrice e imbecilidade. ― sorriu ― Só estou comentando.

 

― Eu estava pensando, você acha que consegue fazer o JongIn aceitar uma sessão de fotos no meu estúdio? ― perguntou e apertou a coxa do Byun.

 

― Já mudamos de assunto? ― riu ― Eu não sei, posso falar com Soojung, ela pode conseguir.

 

― Ela também seria uma ótima modelo ― Chanyeol começou a pensar e Baekhyun negou beijando o ombro do ômega e seguindo pelo pescoço.

 

― O que acha de tomar um banho comigo, uh? ― perguntou e mordeu a pontinha da orelha do Park ― Eu preciso relaxar, você é ótimo me ajudando.

 

― Só porque você realmente precisa relaxar ― Chanyeol se encolheu sentindo cócegas.

 

[...]

 

― Estou preocupada ― Soojung disse andando pelo apartamento, Ian estava sentado no banquinho da cozinha mexendo em algumas coisas que estavam no balcão. ― JongIn pode ser maior de idade, mas ele faz besteiras.

 

― Não sei por que tanta preocupação, Chéri ― Ian disse e a beta o encarou ― Sei que JongIn é alguém importante para você, mas precisa abrir a mão em relação a ele, essa sua preocupação exacerbada agora me deixa um pouco incomodado, não de uma maneira ciumenta, mas... Poderíamos estar jantando agora, vendo um filme ou até mesmo deitados em sua cama aproveitando uma noite juntos, mas estamos aqui, com você há trinta minutos e sim eu contei, andando pelo apartamento.

 

― Eu só... ― bufou ― Me preocupo com o que aqueles dois podem fazer, entende? JongIn é um lerdo, mas ele não merece sofrer ou passar por coisas ruins.

 

― Dê um voto de confiança, Coeur. ― pediu ― Se os dois fizerem algo que magoe JongIn, eu mesmo tomarei de conta, porque Kyungsoo pode ser conhecido aqui, mas meu nome é conhecido em toda a Europa.

 

― Uau, Ian Lee o conhecido ― ela piscou e o alfa riu ― O que você faz quase casando comigo, uh? Será que meus pés te seduziram tanto assim?

 

― Você nunca vai parar de jogar o fetiche na minha cara, não é? ― suspirou pesadamente e ela gargalhou.

 

― Acredite, eu só não irei pôr nos meus votos de casamento porque seria muito errado ― se encostou no balcão e Ian se esticou selando os lábios da Jung.

 

― Volto a dizer que eu te amo e não foi só pelos seus pés que eu me apaixonei, mas sim por você toda, pela sua personalidade, seu intelecto, sua maneira de ser ― sorriu pequeno e a beta ficou vermelha ― Você é incrível e eu me sinto único em saber que terei você como esposa.

 

― Para, eu ainda não me acostumei a sair da vida de vadia bancada pelo JongIn ―brincou e o francês riu.

 

[...]

 

― Já estamos fechando! ― Taeyong gritou abaixado detrás do balcão quando ouviu o barulho da porta ― Se estiver armado eu juro que se eu morrer volto do inferno para enfiar um pau no seu cu!

 

― Que tipo de lugar é esse que tem funcionários tão... ― O ômega levantou e deu de cara com seu chefe, Yuta ― Oh.

 

― Olá, olha o que temos aqui ― sorriu o ômega se jogando em cima do balcão sorrindo ― Como vai Nakamoto, o que vai querer?

 

― Você é tão pobre assim que tem dois empregos? ― O homem soltou.

 

― Nem todo mundo nasce com o cuzinho pra lua nadando em dinheiro, cara ― rebateu ainda sorrindo ― E, por favor, não chame as pessoas de pobre só porque você tem dinheiro, isso é muito merda da sua parte.

 

― Quero um suco ― pediu e Taeyong riu ― O que?

 

― Isso aqui é uma cafeteria, só vende café e água ― sorriu e piscou ― Algo mais ricão?

 

― Uma água então ― pediu e Taeyong foi buscar e deixou no balcão.

 

― Se você não toma café porque porra me pede para deixar na sua sala?

 

― O respeito é algo bom, sabia? ― colocou as notas de dinheiro no balcão ― E não interessa porque eu peço.

 

― Respeitar também é bom, sabia? ― rebateu e Yuta o encarou sério ― E realmente não me interessa, mas é completamente babaca quando você pede e depois joga na pia, você não sabe o trabalho que dá sair de um lugar com a porra de um café e subir andares, você não sabe o quanto se gasta para fazer a porra de uma xícara de café que o gostosinho do chefe não quis tomar por idiotice, então não, realmente não me interessa. Mas atente-se ao fato de que você não é o único e as coisas não devem ser as únicas para você.

 

― Boa noite. ― Yuta saiu andando.

 

― E se for me demitir, lembre-se de colocar um motivo legal, não seria nada educado colocar que eu fui demitido porque falei a verdade pro mimado! ― Taeyong gritou e Yuta bateu a porta quando saiu ― Pode ser gostoso, pode me deixar com muito tesão, mas é um babaca.

 

[...]

 

JongIn alternava o seu olhar entre Kyungsoo e Sehun na mesa média de jantar no meio da cozinha, os dois alfas estavam muito quietos e apenas comiam sem demonstrar qualquer coisa e pode-se dizer que o ômega não estava nada confortável e muito menos feliz.

 

― Ok ― soltou ― Podem me explicar o que aconteceu? Vocês estão brigados? Porque se for isso eu posso muito bem ir embora, eu já disse que não quero atrapalhá-los.

 

― Se estivéssemos brigados, você iria embora? ― Sehun perguntou.

 

― Claro, não faço parte do casamento de vocês então não tem porque eu ficar aqui no meio de uma briga ― disse e comeu um pouco da salada, bebeu água e encarou o casal de alfas que o olhavam ― Estou ficando assustado com esses olhares.

 

― Você acha que não faz parte da gente? ― Kyungsoo perguntou e Sehun levantou pegando os pratos e levando até a pia ― Temos um relacionamento.

 

― Sim, um relacionamento onde estou entre vocês, mas não com vocês ― disse vendo Sehun levar as coisas para a pia ― Isso aqui é uma DR?

 

― Não ― Kyungsoo murmurou ― É só... Vamos colocar os pontos nos i’s. Acho que não deixamos claro que você faz parte de nós, que faz parte desse relacionamento que eu e Sehun já temos.

 

― É ― murmurou ― Então...

 

― Você quer namorar conosco? ― Sehun perguntou colocando as mãos nos ombros de Kyungsoo e olhando para o ômega ― Temos que ter uma conversa bem a fundo, colocar em pauta coisas que são importantes e deixar claro inúmeras coisas, mas o principal para nós agora é saber se você quer namorar conosco.

 

― Querer eu até que quero ― disse. Kyungsoo e Sehun sorriram ― Mas o meu medo ainda é grande, eu consegui ignorar esses meses e deixei de lado realmente a parte onde estou com vocês dois que são casados, mas... Até que ponto isso pode dar certo? Eu gosto de vocês e me sinto apaixonado por vocês, mas eu não quero ser só o ômega que fode com cada um e depois é levado para casa.

 

― Não queríamos em momento algum que você se se-

 

― Eu sei que não ― JongIn cortou a fala de Kyungsoo ― Eu realmente sei, mas eu não consegui não pensar nisso, eu não consigo não deixar a minha cabeça ter esse tipo de pensamento. Eu nunca estive em um relacionamento sério e duradouro, acho que ninguém me aguentou o bastante, mas não é algo que vem ao ponto ― deu de ombros ― O que eu quero é que me prometam e que deixem claro, que eu vou realmente fazer parte disso, porque por mais que eu diga que não me importo, que não ligo, eu estava dizendo a Soojung esses dias... Eu me importo, eu sinto, eu fico mal porque eu me apaixonei por vocês e não quero ser apenas o JongIn que sai e fode com vocês. Talvez tenha sido errado não comentar antes. Mas vejam bem, eu não me sentia como parte de vocês, só ali sabe? 

 

― Você está me fazendo sentir como se eu fosse um merda ― Sehun resmungou e andou até o ômega ajoelhando perto do corpo dele ― Peço desculpas se te fizemos se sentir assim, estávamos tão envolvidos que não achávamos que deveria ter um nome para o que temos, sabe?

 

― Só relacionamento nos pareceu bom ― Kyungsoo quem disse e levantou e fez o mesmo que Sehun, mas do outro lado da cadeira do Kim ― Queremos que você esteja conosco como parte nossa, que seja o que nos completa.

 

― Você só precisa aceitar namorar conosco ― Sehun sorriu e Kyungsoo tirou a caixinha da pulseira do bolso.

 

― Não é um anel, mas é algo que demonstra a nossa paixão por você também ― O alfa lhe entregou a caixa ― Um presente e um pedido, se aceitar o presente saiba que aceita o pedido junto.

 

― Você sabe que não pode me comprar ― o Kim disse e abriu a caixinha ― A foda-se pode sim me comprar, eu adoro ser bancado ― disse e Sehun começou a rir ― Caralho que bonito.

 

― É uma pulseira de ouro amarelo ― Kyungsoo sorriu vendo o Kim olhando a pulseira ― e tem esse diamante.

 

― Eu acho ele tão simples, não tinha outro modelo com mais envolta? ― Sehun perguntou ao marido e JongIn o encarou incrédulo ― O que foi?

 

― É um diamante, Sehun. Um está mais do que perfeito ― disse e Kyungsoo pegou a pulseira e colocou no pulso do ômega ― Meu Deus, vou ser assaltado assim que entrar no ônibus.

 

― Não diga besteiras ― Kyungsoo riu. ― Se você aceitou o presente...

 

― Eu aceito namorar com vocês, idiotas ― o ômega disse, olhou para Kyungsoo e depois Sehun ― Já que estamos agora oficialmente juntos e temos um nome para esse relacionamento, eu quero que me prometam uma coisinha.

 

― O que quiser, bebê ― Kyungsoo disse.

 

― Iremos providenciar se for algo ― Sehun falou ansioso.

 

― Parem de me levar para sair sempre, se querem minha companhia, o que acham de apenas me chamarem para passar o dia com vocês aqui? Ou andar pelo parque, sei lá. Eu gosto de sair, é legal, mas ir a restaurantes ou lugares tão chiques me deixa enjoado porque eu só vou para isso com vocês, e sabe, às vezes ir no mercado fazer compras é algo legal ― disse e os alfas assentiram ― E mais, faremos sexo a três.

 

― Opa! ― Sehun levantou ― Pode ser agora se quiser.

 

― Não, não estou completamente limpo para aguentar dois paus ― JongIn disse e Kyungsoo negou rindo.

 

― Sehun queria saber se você não quer ir à Califórnia nesse fim de semana, ir a nossa casa na praia ― Kyungsoo comentou.

 

― Não estou de férias ― JongIn disse como se fosse óbvio.

 

― Vamos na sexta e voltamos no domingo a noite ― Sehun explicou ― Ou Baekhyun pode te liberar, Kyungsoo foi lá e ele negou, mas você p-

 

― Espere um pouco ― JongIn encarou o Oh sério ― Vocês contaram ao Baekhyun?

 

― Que temos algo? Sim ― Sehun respondeu ― Kyungsoo, no caso.

 

― E foram pedir para ele me liberar? ― levantou e Kyungsoo que estava atrás do ômega fez uma careta e foi se afastando até se encostar na parede ― Com qual liberdade?

 

― A liberdade de que Baekhyun é amigo do Kyungsoo e que não faria mal ele liberar o nosso namorado por uma semana ― Sehun disse simplesmente.

 

― Ah não, assim, na na ni na não ― JongIn negou sorrindo ― Outra coisinha nesse nosso namoro, não se metam no meu trabalho, antes de qualquer coisa falem comigo, eu não gosto  que se metam ou façam as coisas pelas minhas costas, ainda mais em relação ao meu trabalho. Podem ser amigos do Baekhyun, mas que isso não interfira no meu trabalho.

 

― Só iriamos pedir para você viajar conosco.

 

― Eu sei, Sehun ― o ômega suspirou ― Mas falem comigo antes, eu não iria viajar com vocês nem se Baekhyun tivesse deixado, de raiva eu iria ignorá-los. Coisa muito adulta que eu sei.

 

― Então sem praia? ― o alfa fez um bico, JongIn virou e olhou para Kyungsoo.

 

― Príncipe podemos ir n-

 

― Sem praia, Sehun ― JongIn disse e se aproximou do alfa, segurou o rosto dele e deixou um selinho nos lábios finos do Oh ― Você não disse que tinha feito um doce? Eu adoro seus doces.

 

― Vou buscar pra você ― O alfa disse sorrindo e foi até a geladeira.

 

JongIn foi até Kyungsoo e o abraçou;

 

― Ouvi muitos dizerem que você mima o Sehun, eu não me oponho, cada pessoa deve ser mimada, mas de uma maneira saudável. Aceitar tudo que ele quer é ruim, Soo ― disse baixinho e o alfa assentiu e suspirou alto ― Lembra que você aceitou o casamento aberto por ele? Aprenda a fazer o que você quer também, diga-o não quando você achar que não é necessário algo que ele pediu.

 

― Preciso aprender a fazer isso ― JongIn deixou um beijo no queixo do alfa ― Quer dormir aqui hoje?

 

― Não, tenho que ir para casa e amanhã eu trabalho e duvido que Sehun tenha uma roupa que dê em mim e não seja aberta demais ― riu e Sehun se aproximou com o doce ― Pergunta, Baekhyun sabe com todas as letras que nós três estamos juntos?

 

― Sabe ― Kyungsoo respondeu.

 

― Ih... ― JongIn resmungou e Sehun riu. 



Notas Finais


Chéri/ querida
Coeur/ coração

Momentos dos outros pra encher linguiça, avisei lá no twitter que faria issokk pq no capítulo 19 vai vir momentos do trisal, e deve vir lemon :)

Até mais <3

Twitter: xiubyune
Wattpad: xbearcute vou postar fics novas lá.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...