1. Spirit Fanfics >
  2. O alfa dos meus sonhos >
  3. Bônus um

História O alfa dos meus sonhos - Capítulo 31


Escrita por:


Notas do Autor


oi voltei com o primeiro bônus.

Capítulo 31 - Bônus um


Bônus – Baekhyun e Chanyeol.



― Eu vi você pegando o relógio do papai ― Baekhyun disse e Sulli soltou um gritinho ― Olha como você é, vou contar pro seu papai Chanyeol que você está pegando meu relógio.

 

― Só não deixa ela colocar na boca, amor ― Chanyeol pediu e riu ― Não balança muito ela, Bae. Se ela vomitar em você, terá que trocar de terno.

 

― Eu tenho reserva ali no armário ― O alfa disse brincando com a filha no colo que segurava o relógio do pai ― Obrigado por trazer ela aqui no horário de almoço, eu preciso começar a tentar sair mais cedo, mas as coisas aqui na empresa parece que estão aumentando, o que não é ruim.

 

― Eu sei, neném, não se preocupe com isso ― Chanyeol se aproximou e pegou a filha que choramingou, ela gostava de ficar com Baekhyun ― Temos que ir, filha. Seu pai precisa trabalhar.

 

― Você não pode ficar mais, querido? ― Baekhyun perguntou ao ômega e ouviu baterem na porta ― Pode entrar.

 

― Senhor Byun. ― JongIn disse entrando e sorriu quando viu Chanyeol e Sulli ― Oi Chanyeol, oi coisa linda do tio ― o ômega disse e Sulli soltou uma risadinha quando viu o Kim ― Vim apenas lembrar que o senhor tem uma reunião em trinta minutos.

 

― Não pode ir no meu lugar? ― pediu e o ômega riu.

 

― Ainda não terminei minha faculdade para chegar nesse nível ― JongIn respondeu.

 

― Como está a faculdade, JongIn? ― Chanyeol perguntou ― Eu irei fazer outra sessão com aquela marca e eles queriam você de novo.

 

― Talvez eu aceite ― O ômega murmurou ― Está indo bem, eu nunca achei que fazer faculdade de computação e sistemas seria legal.

 

― Eu nem sei como ele está tendo tempo ― Baekhyun comentou pegando os papéis que usaria na reunião.

 

― Eu trabalho e estudo em casa, é aquele negocio a distância, é a única coisa que eu posso fazer no momento ― O Kim disse ― O Kyungsoo tem me ajudado, Sehun já até quer comprar um computador e fazer uma sala pra mim como se fosse começar a desmontar computadores e ser o novo gênio da internet.

 

― Quem tem maridos como os seus não precisa de mais ninguém para te pôr para cima ― Chanyeol comentou ― Filha, dá tchau pro papai ― Sulli acenou sorrindo ― A gente se vê mais tarde, amor.

 

― Tchau, Yeol. Tchau minha flor! ― Baekhyun disse vendo o marido e a filha saindo da sala ― Às vezes eu só queria ter mais tempo.

 

― Olha chefe, você bem que poderia, é só deixar as coisas com o chato do Yuta ― JongIn disse balançando o tablet.

 

― Eu concordo ― Soojung disse encostada na porta e Baekhyun suspirou pelo susto ― Falando nele, ele não quer ir para a reunião disse que o senhor vai conseguir resolver, eu estou querendo xingá-lo.

 

― Diz pro Kyungsoo hoje que ele precisa vir puxar as orelhas do Yuta porque ele não me ouve ― O alfa disse e JongIn assentiu rindo.

 

Baekhyun saiu de sua sala e foi até a sala ao lado, Yuta estava sentado com as pernas na mesa, o Byun fechou a porta e o encarou;

 

― Você agora decidiu vir trabalhar e ficar sentado? Seu pai vai ficar orgulhoso de você.

 

― Não fala do meu pai como se fossem amigos, Baekhyun ― suspirou ― Estou apenas me esticando.

 

― O que foi agora? Rápido porque em menos de trinta minutos nós temos uma reunião. ― disse cruzando os braços e Yuta suspirou de novo ― Nakamoto!

 

― Você depois que casou e teve filho ficou um chato, puta merda. Antes você era mais calmo.

 

― Sério isso? ― revirou os olhos ― Eu não estou nos meus melhores dias para te escutar falando merda, se for precisar de alguma coisa, fala logo. Se não, então levante e vamos para a reunião.

 

― Taeyong negou mais um pedido de namoro, eu encontrei com o Johnny e ele meio que deu em cima de mim de novo e talvez... Talvez eu tenha sentido vontade de ficar com ele. ― contou ― Mas eu não fiquei.

 

― Você gosta do Taeyong ou é só um caso de ego ferido? Só porque ele te nega você quer? ― Baekhyun andou até a cadeira e sentou ― Todas as vezes que eu pedi Chanyeol em casamento foi por querê-lo e não porque quanto mais ele me dizia não eu queria.

 

― Eu gosto dele, gosto de conversar com ele, ouvir a risada dele, sentir aquele cheiro de café e ouvir ele falando besteira sobre as coisas ― sorriu ― Mas... Ele me nega tanto que eu já estou me sentindo cansado, sei lá, parece que nada é o suficiente para ele, eu estou tentando mudar, estou sendo mais calmo, até minha psicóloga disse que eu estou trabalhando bem, só que ele... Aí o Johnny apareceu, eu tô sozinho faz o que? Um ano? Ele ficou me tocando e falando do jeito que eu gosto... Foi por pouco.

 

― Yuta, eu não posso te ajudar da maneira que você quer, eu não posso colocar o Taeyong para te dizer sim toda vez que você pedir, ele quem deve sentir vontade e se ele ainda não quer, você precisa esperar caso realmente goste dele, mas também precisa ser sincero, precisa contar como se sente.

 

― Eu vou parecer fraco. ― disse sério ― Eu sou um Nakamoto, não sou fraco.

 

― São coisas assim que não são legais em você ― Baekhyun disse ― Dizer o que você sente não é ser fraco, achar que seu sobrenome significa muito também não é a melhor coisa do mundo, se formos ver por isso, eu sou Byun Baekhyun, sou hoje o dono de uma das empresas de sistemas mais famosas do país, mas eu não posso ter tudo que quero só porque meu nome é conhecido e principalmente, eu não posso achar que o mundo está para mim por causa do meu sobrenome.

 

― Com licença ― Soojung atrapalhou enfiando a cabeça na sala ― Chefinhos, a reunião.

 

―Já iremos, Soojung ― Yuta disse e ela assentiu fechando a porta. ― Preciso levar algum documento para a reunião?

 

― Você me ouviu, Yuta?

 

― Temos uma reunião ― O alfa levantou e Baekhyun negou levantando e saiu da sala.

 

[...]

 

Chanyeol estava sentado no chão da sala com Sulli, a pequena ômega brincava com alguns brinquedos educativos, já estava com seus seis meses, o tempo estava passando tão rápido que às vezes o Park se assustava, nem podia acreditar que havia casado com Baekhyun e tinha uma filha, seu trabalho continuava sendo reconhecido, estava até pensando em começar um curso de fotografia já que havia sempre pedidos das pessoas que viam seus ensaios fotográficos.

 

― Você quer pêssego, meu amor? ― Chanyeol perguntou e Sulli o encarou ― Quer? ― O ômega levantou e foi até a cozinha pegar o potinho com pêssego, voltou e Sulli continuava no mesmo lugar ― Você é muito quietinha, ainda bem.

 

― Cheguei. ― Baekhyun disse entrando em casa, tirou seus sapatos e largou a pasta no chão antes de correr até Sulli se jogando no chão perto da filha fazendo-a rir. ― Oi florzinha.

 

― Você ainda vai se machucar, neném ― Chanyeol disse ao marido, se sentou no chão e o Byun foi até si para beijá-lo ― Como foi o resto do seu dia?

 

― Yuta é um caso que... ― suspirou afrouxando a gravata ― Ele não se abre com o Taeyong, o ômega não diz sim, e eles ficam nessa coisa toda.

 

― Por que ele não fala o que sente?

 

― Yuta é ruim com sentimentos, eu até entendo, mas tem horas que ele me estressa ― disse tirando a gravata e jogando em cima do sofá, tirou o paletó e abriu os primeiros botões da camisa ― Já vou ligar para o Kyungsoo ter uma conversa com ele também, falei com JongIn, mas acho que ele vai esquecer.

 

― Amor, acho que você nem deveria meter o Kyungsoo nisso, na realidade nem você deveria se meter mais ― Chanyeol disse abrindo potinho e dando um pedaço de pêssego a filha, Sulli apertou e levou a boca começando a se sujar toda ― Vocês sempre falam e falam, mas no fim ele se finge de surdo, eu gosto do Yuta mesmo ele tendo esse jeito dele, mas... Chega uma hora que cansa falar e a pessoa ignorar.

 

― Eu penso do mesmo modo, amor, mas é meu amigo, eu tenho pra mim que preciso continuar dando conselhos mesmo que ele finja que não me escute ― disse e olhou para Sulli que comia com gosto o pedaço de pêssego ― Olha como você é perfeita.

 

― Eu acho que ela não vai demorar a começar a balbuciar as coisas, sabia? ― Chanyeol deitou a cabeça no ombro do marido olhando para a filha ― Se eu tivesse aceitado seu primeiro pedido, será que ela teria vindo naquela época?

 

― Acho que não ― O Byun riu ― Cada coisa tem seu tempo.

 

― Eu amo você.

 

― Também te amo ― sorriu ― O que acha de começarmos a pensar no próximo?

 

― Ah não Baekhyun, Sulli só tem seis meses, não está na hora de ter irmãos não.

 

― Ah porque não? ― fez um bico.

 

― Por que n- O que foi isso? ― Chanyeol arregalou quando ouviu um grito e levantou indo até a porta de casa, Baekhyun pegou Sulli no colo e seguiu o marido ― Eu não creio nisso.

 

― O que foi? ― Baekhyun ficou ao lado do marido e riu.

 

― O que a Soojung faz correndo na rua? ― Chanyeol perguntou rindo ― A cada dia que passa eu não sei porque ainda me surpreendo com ela.

 

― O JongIn tá atrás dela? ― Baekhyun franziu o cenho ― O que tá acontecendo?

 

― Chanyeol segura essa vadia, ela tirou uma foto do Sehun pelado! ― JongIn gritou correndo atrás da amiga pela rua do condomínio.

 

― Mais um dia normal nesse condomínio ― Baekhyun disse rindo e olhou para a filha que soltou um grito vendo JongIn correr atrás de Soojung ― A nossa gostou.

 

― Só não seja como a Soojung, uma já é suficiente, florzinha ― Chanyeol disse apertando a bochecha da filha. 




Notas Finais


o próximo sai amanhã que é do Ian e da Soojung e por último o do Yuta e Taeyong.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...