História O Amante - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Obrigada pelos comentários incríveis. Boa leitura!

Capítulo 4 - Incerteza


Fanfic / Fanfiction O Amante - Capítulo 4 - Incerteza

Uma semana se passou desde o último encontro com Jorge no almoço. E não nos falávamos desde então. Na verdade quase não tive tempo para pensar nele já que Lodovica chegou na cidade e passamos praticamente todos os dias juntas passeando e fofocando por toda Buenos Aires. 


A sessão de fotos estava marcada para amanhã e uma parte de mim ansiava para chegar logo. Agora eu estava saindo de uma importante reunião que felizmente deu certo. Assinamos um acordo de parceria com um dos melhores bancos do mundo e cerca de alguns milhões entrariam na conta da empresa, o que aliviou muito a pequena crise que estava se iniciando no meu negócio. 


Minha secretária me acompanhava ao mesmo passo do meu e após me despedir brevemente dos meus novos parceiros, caminhamos lado a lado até meu escritório, onde Luana fechou a porta após esperar-me adentrar no cômodo junto consigo. 


— Algum recado, Luana?


— Sim senhora. O Sr. Dominguez ligou para avisar que estará voltando para a cidade no próximo domingo. E o novo modelo, Jorge, ligou avisando que está chegando em poucos minutos visando acertar detalhes da nova campanha. 


Escutar o nome de Jorge fez minhas pernas tremeram. Não sei o porquê, mas os poros de meu corpo também se arrepiaram. Por sorte, eu já me encontrava sentada em minha confortável cadeira. 


— Obrigada, Luana. Já pode voltar para a sua mesa.


Ela acatou minha ordem e logo saiu de meu escritório, deixando-me sozinha. 


(...)


Levei um susto ao escutar a porta ser aberta sem minha autorização, no entanto, não me surpreendi ao ver que era Jorge o responsável por tal atitude. Atrás dele estava minha secretária, que resmungava com o modelo atrevido. 


— Não se preocupe Luana, pode voltar para a sua mesa. — A acalmei. A morena assentiu e virou as costas para voltar ao seu lugar. Seus resmungos durante o trajeto fizeram-me rir. — Você é bem educado, hein? 


Jorge sorriu. 


— Bravinha essa sua secretária. — O moreno comentou. — Mas não posso negar que ela é bem gatinha. 


— Você não vale nada. — Rimos juntos. — Enfim, preciso que você chegue cedo amanhã. Quero ensaiar um pouco.


— Tudo bem, acho que você realmente precisa de algumas aulinhas. 


— Idiota! — Inclino-me para deixar um tapa em seu braço, mas o modelo é mais rápido e segura minha mão enquanto aproxima nossos rostos. 


Engulo a seco ao sentir o toque suave dos dedos de Jorge acariciando a pele de minha face. Meu olhar desce para seus lábios, onde o maldito homem de olhos verdes morde os mesmos lentamente só para me provocar. E dá certo. Minha respiração falha no mesmo instante. 


O que eu estava fazendo? Eu sou casada. Jamais iria trair Diego, apesar dele ser um babaca. Querendo ou não, eu tinha meus princípios e iria segui-los. No entanto, Jorge sabia como mexer com minha cabeça. 


Suspirei e afastei-me delicadamente. Ele observou-me com um sorriso nos lábios. 


— Que tal sairmos um pouco? Eu sei que você não tem nada de importante hoje.


— Eu sou dona da empresa, meu bem. Não posso sair toda hora. — Digo. 


— Qual é, Martina? Vai me dizer que não quer sair comigo? 


Ri. 


— Prefiro lamber todo o chão dessa empresa do que sair com você. 


Jorge levou a mão para o coração, fingindo que ficara ofendido por minhas palavras. 


— Que cruel. 


Revirei os olhos enquanto encostei minhas costas na minha confortável cadeira de couro. 


— Porém, não vou insistir. Sei que você ainda vai implorar para sair comigo. 


Não consegui segurar a gargalhada. Céus, como alguém poderia ser tão iludido? 


— Eu duvido muito que isso aconteça. 


— Pois eu não tenho nenhuma dúvida, querida. Eu sou irresistível. — Jorge sorriu. 


— Ponha uma coisa na sua cabeça, eu jamais trairia meu marido. E se caso isso acontecesse, com certeza não seria com você.


— Não foi o que pareceu há alguns minutos.


— Você é tão...


Meu celular toca, o que me impede de rebate-lo. Vejo pelo visor que era Diego e suspiro. Jorge percebe e se levanta. 


— Até amanhã, chefe. Tenta não pensar muito em mim. E boa sorte com seu marido. — O mexicano ri.


Então ele me dá as costas e saí lentamente do meu escritório, deixando-me irritada por suas provocações. Mas se ele pensa que eu iria ser uma das mulheres que ele joga fora e descarta, ele está muito enganado. Ah, se está. 


Respiro fundo e atendo a ligação, mesmo que seja contra minha vontade.


— Já soube da novidade, amor? — Diego pergunta animado.


— Será que dessa vez você vai vir mesmo?


Ele suspira.


— Querida, eu não quero brigar com você de novo. Eu estou com saudades.


Mas eu queria. Queria jogar tudo o que eu estava sentindo na cara dele. Queria machuca-lo tanto quanto ele me machuca. No entanto, eu não conseguia. Porque mesmo não querendo, eu ainda o amava com todo o meu coração. 


— Eu também estou com saudades. — Me rendo e por fim dou um sorriso. 


— Prometo que quando chegar minha atenção será apenas para você. 


Queria tanto acreditar nisso.


— Eu vou cobrar isso. — Ri. 


Conversamos por mais alguns minutos até ele ser chamado para uma reunião. Queria ter um porcento de animação dele pela recente notícia, mas tudo o que eu conseguia pensar é no quanto meu casamento estava fracassando. E eu não sabia mais como recuperá-lo. 




Notas Finais


Voltei rápido hein kk.

Preciso avisar desde então que meus hots são um pouco pesados. Então caso queiram continuar a ler, estejam avisados.

Ah, e não se enganem com o Jorge viu... no futuro vocês vão matar ele kkkk.

É isso. Espero que tenham gostado e até breve.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...