História O Amigo Do Meu Irmão - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Amizade, Drama, Romance
Visualizações 3
Palavras 1.370
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oláaaaaaaaa leitores!!
Boa leitura!

Capítulo 2 - Capítulo 2


POV JAMES

Justin sai da sala e eu começo a ver o filme. Percebo que ainda tem chantilly na minha cara. Muito chantilly. O Justin é um filho da puta mesmo. Tiro um pouco de chantilly do rosto e como. Sei que ainda tem muito, mas foda-se.

Continuo comendo e assistindo o filme. Caralho, o Johnny Depp é um ator do caralho! Sempre gostei dele. Ouço um barulho lá fora, mas não tiro os olhos da televisão. Ouço alguém falando. Me viro pra porta.

- Mãe? Justin? Alguém abre a porta pra mim? – Alguém fala. Deve ser Caroline. Caralho, que saudade de perturbar essa pirralha! A última vez que a vi, tinha 12 anos.

Vou até a porta, destranco, abro e dou de cara com uma garota irreconhecível. Caralho. Que gostosa! Impossível ela ser a menininha de 12 anos que fazia cara emburrada quando eu sacaneava ela. Essa garota tem cara de uns 16, 17 anos! Mas só se passaram dois anos, então ela tem 14! Uau! Ela está incrível! Linda mesmo! E... Não sei se já disse, mas ela tá MUITO gostosa! Fico parado na frente dela boquiaberto.

- James? – Ela pergunta meio assustada.

Demoro um pouco pra sair do transe e a responder.

- Caroline! Quanto tempo! Já não posso mais te chamar de baixinha, porque... Nossa!

- Você tá bem diferente... Andou malhando – ela ri – Anda, me dá um abraço!

Sorrio e a abraço. Quando soltamos do abraço, nossos rostos ficam de frente um pro outro e ficamos parados por um tempo.

- Hm... Tem chantilly no seu rosto – Ela ri.

- É. – Rio sem graça – Foi o viado do seu irmão. Me sacaneou enquanto eu tava dormindo.

- Entendi – ela ri e sinto seu hálito no meu rosto. Poderia beijá-la agora mesmo.

Ela percebe nossa proximidade, e se afasta lentamente soltando do abraço. Ela morde o lábio.

- Então... – Ela faz um gesto pra porta. Entendo que tenho que sair da frente pra ela passar.

- Ah, foi mal – Digo e saio da frente pra ela poder passar.

Olho cada movimento que ela faz enquanto entra na sala e deixa a mochila em cima da mesa. Caralho. Estou abismado. Como dois anos mudam uma pessoa... Justin aparece de volta na sala.

- Ah, oi Caroline. – Ele beija a testa dela – Chegou tarde.

- Nem começa, Justin. Você não é minha mãe. E nada de falar isso pra ela.

- Afinal, por que você chegou a essa hora? Você saiu do colégio às 12h hoje.

- Eu fui na casa de uma amiga – Ela responde sem olhar pra ele. Fico em pé ao lado do sofá olhando pra eles.

- Não foi se encontrar com aquele garoto de novo, não foi? – Justin pergunta irritado. Garoto? Que garoto?

- É claro que não, Justin! Pare com essas paranoias. Só porque minha mãe não gostou dele não significa que ele não seja um bom rapaz. – Ela reclama. Perai, ela tem um namorado?

- Não sou paranoico. E a nossa mãe pode estar certa. Não gosto das companhias dele.

- Mas eu nem estou saindo com ele! Pare de ser tão chato!

- Eu concordo com ela. – Me meto na conversa – Afinal, se ela não tá saindo com o cara, qual é o problema? E qual seria o problema se ela estivesse saindo?

- Viu, Justin! Pare com isso! – Ela reclama outra vez.

- Vocês dois são... – Ele não acha uma palavra que possa completar a frase e bufa. Ele sempre fez isso.

Me sento no sofá de novo e volto a comer e ver o filme. Justin se senta ao meu lado e volta a comer. Me viro pra ele. E olho pra trás pra ver se Caroline está por perto. Ela já subiu as escadas.

- Cara... Por que não disse que sua irmã tava tão... Gostosa? – Pergunto.

- Qual é, cara? – ele se irrita – Vai começar com a minha irmã também?

- Não, cara! É sério! Com a sua mãe, eu tava de sacanagem. Mas a sua irmã... Caralho!

- Ela só tem 14 anos! Você tem 18! Nem comece – ele olha com raiva pra mim.

- Cara, é impossível que com esse rosto e esse corpo, ela só tenha 14 anos.

- Ela vai fazer 15 daqui a alguns dias, mas isso não faz diferença. Não quero você com as suas gracinhas pra cima dela, entendeu? – Ele me pergunta irritado.

Confirmo meio inseguro com a cabeça, e volto a ver o filme. Nunca vi Caroline tão... Alta, e bonita, e... Gostosa! Pronto, essa é a palavra que a define! Não existe mais nenhuma outra palavra nesse momento que possa a descrever. Gostosa. Gostosa. Gostosa e gostosa! Ainda bem que Justin não pode ler pensamentos, por que se não já teria me dado uma porrada.

Continuo a ver o filme, mas só consigo pensar em uma coisa. Caroline. Às vezes olho de relance pra Justin, pra ver se ele está irritado. Acho que o filme acalmou um pouco ele. Ouço Caroline descendo as escadas, e ela vai pra cozinha. Dou uma olhada pra lá e vejo que ela está usando um shortinho. Ah não. É pra me matar mesmo, não é? Tento não babar e voltar a ver o filme, mas meus olhos não param de olhar pra ela. Que pernas... Que bunda! Caralho, espero não ser um pedófilo.

Justin tira os olhos do filme e olha pra mim. Ele segue meu olhar e percebe que estou olhando para sua irmã. Ele me olha irritado.

- Foi mal, cara. Só que não dá – digo e dou de ombros.

Ele revira os olhos e volta a ver o filme. Caroline sai com um prato da cozinha e vem pra sala. Ela se senta ao meu lado. Sem virar o rosto, olho para o lado e minha visão para justamente em seus peitos. Se eu não fosse ateu, pediria perdão a Deus, pois estou cometendo um pecado. Ela se abaixa para pegar o prato do colo e seus peitos quase pulam pelo decote. Por favor, alguém pare o tempo agora mesmo pra eu poder olhar pra esses peitos! Ela levanta o rosto e volto meus olhos pra televisão.

Sem pensar, me viro pra Caroline e começo a beijá-la. Sinto o sofá ficando mais leve, Justin puxa meu rosto pelo queixo e me dá um soco. Balanço a cabeça e arregalo os olhos. Foi só uma cena horrível da minha imaginação. Volto a comer, e consigo ver o filme tranquilamente até o final. Quando o filme acaba, nos levantamos e levamos os pratos até a cozinha.

- Preciso ir ao banheiro – Justin diz.

- De novo? – Pergunto.

- De novo. Vai querer mandar na minha bexiga? – Ele me olha irritado e como se dissesse “se fizer alguma coisa com ela enquanto eu estiver no banheiro, eu mato você”. Eu levanto os braços espantado, e ele sai da cozinha.

Olho para trás. Caroline está lavando a louça. “Não olhe para baixo, James”, meu subconsciente grita. Fico ao seu lado.

- Quer ajuda? – Pergunto.

- Ah, não obrigada, James. Já estou acabando – ela sorri. Que sorriso lindo...

Balanço a cabeça tentando parar de pensar nisso, e começo a conversar com ela.

- Então... Soube que vai fazer 15 anos – Sorrio.

- Sim, vou! Estou muito ansiosa. E você está convidado. Você vai, né? – ela pergunta esperançosa.

- Claro que vou! – olho pra ela sorrindo. Ela tem um brilho no olhar... Pare com isso, James! – Você vai dançar valsa?

- Vou. Só com o meu pai.

- Não tem príncipe? – pergunto.

- Não... Nenhum dos meus amigos é meu amigo o bastante pra dançar comigo... – ela contorce os lábios.

- Eu posso ser seu príncipe – digo sem pensar.

Ela olha pra mim assustada.

- M-mesmo? – ela gagueja.

- Claro! – Respondo feliz e parecendo um retardado – Ninguém mexe os pés tão bem quanto eu – E outras partes do corpo também. Mas ela não precisa saber disso agora.

- Puxa, James! Isso seria incrível! – Ela sorri e me abraça.

- O que seria incrível? – Justin aparece na cozinha, e ela me solta.

- James vai ser o príncipe da minha festa – Caroline sorri. Olho de relance pro Justin e fecho os olhos, esperando pela surra.


Notas Finais


Ihhhhhhhhhh será que ferrou pro James?
Divulguem a fanfic pros amigos! :)
Até o próximo capítulo!! Xx


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...