1. Spirit Fanfics >
  2. O amor - Limantha >
  3. Perda

História O amor - Limantha - Capítulo 43


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 43 - Perda


Fanfic / Fanfiction O amor - Limantha - Capítulo 43 - Perda

 

Lica conversou com Berna e Orlando. ficou acertado que Heloisa não afastasse o neto deles. Era uma forma de amenizá a saudade da filha. A Gutierrez acatou o pedido dos ex-sogros , Valentim ia passar feriados  de fim de ano, esses o garotinho loiro ia passar com Lica. Os avós ficaram com os feriados dos meses que iam ocorrer durante os anos,  as férias iam ser divididas por igual a de janeiro ia ser com Berna e Orlando, de Julho ia ser com Lica. Os aniversário do garoto iam se com a mãe. 

A de cabelos negros deixou de trabalhar no hospital onde trabalhava no RJ. Sua voltar a São Paulo ia  fazer a se exato duas semanas a Becker passou a morar na casa dos Lambertini , parecia que morava a bastante tempo. 

A Becker  sempre conversava com Marta. E Lica  sempre respondia: " Que se sentia melhor de uma maneira que não sabia explicar. " 

Aquela tranquilidade tinha nome e sobrenome era a mulher que amava Samantha Lambertini . Essa que sempre acordava mais cedo porque Luna despertava para tomar  mingau o quando sujava a fralda. 

Era numa madrugada dessas que Lica se espantou tateando a cama pra ver se sentia samantha,  mas a mesma não teve resposta.

- Samantha! Samantha!- Heloisa a chamou.

- Oi, to aqui! - Samantha respondeu terminando de da a mamadeira a filha.

Foi que Lica percebeu que Samantha estava com Luna e sorrio.

- Ela te acordou?- Lica perguntou se levantando. 

- Sim! 

- Ela comeu?

- Acabei de dar. 

- Era só fome ?

- Dessa vez sim...

- Deixar pegar ela um pouco? 

- Segura ela? E quanto vou no banheiro. 

- Pode ir...

Samantha deixou Luna nos braços de Lica,  ela segurava a criança com carinho. 

- Você é muito Linda sabia! - Lica disse pra criança.

Luna apenas olhava Lica, a filha de Samantha não era muito de chorar, isso era bom.

- Mamãe ! Foi no banheiro e já volta.

Luna dessa vez pegou o dedo de Heloísa e apertou. Samantha saiu do banheiro , viu Luna no colo da  companheira dormindo. 

- Ela dormiu né? 

- Sim! Falei bem pouco, ela  tava meio que cochilando.

- Colocar ela no berço,  novamente? - A mais nova pediu. 

Lica colocou Luna no berço bem devagar ajeitando a mesma com cuidado. Beijou o topo da cabeça da criança.

- Era você que cuidava do Valentim?

 - Sim... Ele me ensinou muitas  coisas que não sabia como mãe. 

 - Deu pra perceber. 

 - A Laura não se importava muito com ele. - Lica disse voltando pra perto da menor.

 - Deu pra perceber que ele é apegado a você.

- Também sou apegada  a ele.

- Teu filho é uma criança doce. 

- Se puxar igual a mim. - A mais velha se auto elogiou. 

- Não sabia que você tinha açúcar!

- Tenho! não foi atoa que te adocei.

- Me achava a marga? - você não se acha neh...?!

- Não! Agora vem cá? Que tô com saudade de beijar esses lábios. 

- Só beijos? 

- Não! Que tal continuar de onde paramos por causa das crianças. - A de cabelos negros foi dando beijo no pescoço na de cabelos cacheados.

Heloisa falava de horas atrás quando Samantha tinha chego do trabalho um pouco mais cedo, ela queria aproveitar a companhia da Lambertini. Quando estavam se pegando pra Valer os filhos atrapalham chamando pelas mães. Como naquele momento os dois dormiam , as duas garotas podiam se curtir uma a outra. Parecia que os filhos não queriam que Heloísa e Samantha aproveitasse uma  a outra, pois Valentim se espanta entre gritos. 

-Não…. Não!  Não quero tomar banho! - O garotinho falava.

Lica ao ouvir o filho gritar se separou de samantha às pressas, essa que já tirava sua camisa .

A Lambertini percebeu que Heloísa tinha  ido pegar o filho quando a Gutierrez volta com o garoto loiro no colo. 

- O que foi meu amor? -Lica perguntou se sentando na cama com o filho. 

- Sonho mamãe!  - O garoto de vez em quando tinha pesadelo. 

- O que era dessa vez? 

- Banho mamãe! 

Lica sabia o do porque do pesadelo e que sempre Valentim tinha, ela presenciou quando o mesmo ia passar a quinzena do mês com ela.

- por que ele tem pesadelo amor? - A Belink perguntou se sentando ao lado de Lica. 

- É ...- Que a Beatriz dava banho nele na água quente. -Lica respondeu.

- Nesse caso ele ficou com trauma? 

- Infelizmente sim! ele chorava pra mim não dá banho nele. 

- Você dava?

- Não! Passava uma fralda de pano meio úmida e lenço umedecido. Depois deixava ele com cheiro de bebê.

- Ela só fez isso? 

- Não! Cheguei a encontrar marcas na perna dele e na costa. 

- Nunca desconfiava? 

- Sempre pensei que fosse Laura. 

- Nesse caso só descobriu naquele episódio que ocorreu no Pará. 

- foi. - E.... olha que era sempre Biatriz a me dá o Valentim. 

- E a Laura? 

- ficava mais no trabalho. 

- Que mãe foi essa? 

- Infelizmente não tive sorte.- Pensei  uma coisa, mas foi totalmente diferente. 

- Querendo quer não eu te fiz passar por isso? 

- Não se culpa? -Não podíamos prevê o futuro. 

- Deixar ser mãe desse garoto? - Eu não posso por seu nome, mas quero que seja assim. -como quero ser de Luna? 

- Vou ajudar a cuidar dele como cuido da minha pequena, com amor.

- Ouvir isso me deixa feliz. 

- Não importa se ele não tem meu sangue, nem que a Luna não tem o seu,  o que quero que sejamos o que não fomos lá no passado. 

- O que não fomos no passado?  

- Uma família completa. 

- Nesse caso se ja queria uma família?-  a de cabelos longos questionou. 

- Cheguei a pensar quando corria risco de ter um filho do crápula do Alessandro.

Lica ficou digerindo aquela informação da menor  em ter um filho de Alessandro, ela foi e perguntou a mais nova.

- Você ficou grávida daquele cara?

- Não! 

- Você abortou? 

- Lica, eu não fiquei grávida do Alessandro. tive sorte de não ficar. quando se não acreditou em mim. passei ir pra balada fins de semanas consecutivos , num desses bebemos e fomos para o hotel onde ele ficava, querendo o não fiquei com vontade de transar com ele , acabamos transando sem camisinha, no outro dia ele me falou toda a verdade.

- A que você me contou em Belém?

- foi!

- E seu pai? 

- Ainda continua na mesma. 

- Você não falou nada a ele? 

- Não!  - Quando vou falar algo,  as palavras não saem.

- Não tem medo Heloisa? 

- Talvez pode ser medo. E que tudo volta ao olhar ele. 

-  O que você tem vontade de dizer a ele? 

- Que o amo, por mais que ele nos fez  mal, ele estando naquela cama o não ! ele ia pagar pelo que fez a nós e sua irmãs. 

- será ? - Que isso que ele esperar ouvir? 

-É, pode ser. 

- Lica, praticamente ele tá sobrevivendo por causa dos aparelhos. 

- É você tem razão. 

Valentin às surpreendeu com uma pequena perguntar. 

- Mamãe! - Você e essa moça são o  que? 

Sam e Lica se olharam uma pra outra quase que sem reação.

- Somos que nem eu e sua outra mãe , que virou estrelinha. - Lica respondeu ao filho. 

Valentin querendo quer não ele sabia que era filho de duas mulheres, pois Lica falava para o mesmo ele tinha que saber no caso alguém lhe perguntassem. 

Os anos podiam ser outros mais  ainda existia homofóbico e preconceituoso a comunidade LGBT, ainda sofria. 

o garoto loiro podia ser uma criança com quase seus cinco anos de idade. O garoto entendia algumas coisas da vida.

- Ah, vovô com vovô me falaram que a mãe Laura, virou uma estrelinha bem bonita. - O garoto disse.

- Sim… - meu amor. -Lica disse beijando o filho. 

A história da pessoa quando morre , vira uma estrela sempre funciona para uma criança. Os avós, contaram ao neto  como se fosse uma história infantil. A mãe sabia daquele fato , era uma maneira de preservar a memória da outra mãe, sendo que Valentim não foi ao sepultamento.

- Quero leite? - O garoto pediu a Heloisa.

- Não tá com sono? 

- Quero dormir com a senhora. 

- Ele pode Sam? - A mais velha indagou a menor.

- Claro! - É bom que ele não vai demorar dormir estando ao seu lado. 

- E a Luna? 

- Ela vai dormir até umas 08:00 h. 

-  Vou pegar o leite para ele. Filho ficar aqui com a sammy ta?

- Ta. - o pequeno assentiu com a cabeça.

Lica deixou o filho com Sammy e foi pegar o leite. 

- Por que Sammy? - O garotinho indagou a Lambertini. 

- Foi sua mãe que após esse apelido.

- Gosta dela? 

- Sim. 

- A mãe Laura traiu ela.

- Como sabe? 

- A babá ma me falou. - O loiro respondeu.

- Quando? 

- Quando a babá cuidava de mim. o vovô Luís não vai sobreviver. 

Samantha ficou surpresa com a falar do enteado.

- Quem te disse isso? 

- Vovó Marta falou com um homem. 

Valentin falava do Alberto , ele passou rápido onde a avó do garoto tava. 

-A sua vó deve ter se enganado. 

- Mas….? - Ouvir ela dizer. 

- E você gosta do seu avô? 

- Gosto. 

- E, de mim? 

A Lambertini sabia que não podia questionar o pequeno com aquela pergunta; até porque a criança vinha passando por um momento nada agradável , era mesmo que tá forçando o garoto a gostar dela.O loiro mandou a real a Samantha.

- Se você gosta da minha mãe, também você gosta de mim. - Se a mãe Lica gosta de você , também gosto.

A menor ficou processando o que o enteado falou. Chegou a conclusão : “Que se ela não gostasse de Heloísa , ela não gostava do loiro. Se Heloísa gostava dela. o filho também gosta de Samantha, era mesmo que colocar Luna Lambertini Barcellos naquela equação.”

- Gosto de sua filha! - o garotinho diz indo pro colo da madrasta.

- Eu sei ! - ela como se fosse sua irmãzinha!

- Ela é filha da mãe Heloísa?

- Não! - Sua mãe a considera como filha. E tu considera como irmã?

- Sim! - Por que não tem outro bebê? Assim teríamos mais um irmãozinho. o garoto falou quase meio a súplica.

A de cabelos ondulados ia falar , mas a Gutierrez disse assim que entra no quarto.

- Toma valentin seu leite? - A mãe deu ao filho.

o garoto pegou a caneca de plastico do homem de ferro , e começou a beber o líquido , ainda sentado no colo de Samantha.

- O que ele te perguntava? - A de cabelos negros indagou Samantha.

- Quer mesmo saber?

- Claro.Sua conversa com ele me interessa muito.

- Ele tava me pedindo um irmão.

- É o que?

- Isso mesmo. Ele quer ter outro irmão.

Lica ia responder, mas o filho atrapalhou.

- Acabei mamãe! - o loiro diz entregando objeto que continha o líquido.

- Agora vai lá no banheiro mijar e escova os dentinhos? - Lica pediu.

- Tá bom!- O filho diz; saindo do colo da menor e vai ao banheiro.

Continuaram o assunto sobre outro irmão para Valentin. Samantha concordou em da outro irmão ao filho de Lica. Também pensou em Luna, em ter outro irmão.O garoto voltou do banheiro , e se deitou na cama , não demorou dormiu. As duas garotas apenas observavam dormir, o sono não demorou a vim, que elas se aconchegaram uma perto da outra. 

Lica se espantou com o celular tocando e a ligação parecia de urgência. e realmente era: Mal Lica pegou o celular e colocou ao pé do ouvido que ouviu malmente a sua irmã Tina dizer: 

- O papai…. papai- Não resistiu.

Heloisa quis gritar mais nada saia. pegou as chaves do carro de Samantha de cima do criado mudo e saiu às pressas sem dizer nada a Lambertini. Os pais da mesma nem viram Heloisa sair da casa deles. Os pensamentos de Heloisa estavam a mil. 

“A vida só pode ta brincando comigo, só pode! - Era isso que Lica falava pra si.contou em pensamentos as perdas que teve em sua vida. Ao todo deu duas, não incluiu o felipe Lacerda, porque o mesmo não era digno de sua contagem. Rafael e Luis podiam ser contados. O becker não podia ser aqueles pais , presentes com ela. mas pra suas irmãs sempre foi. Ele foi o pai dela mesmo sendo o que foi pra mesma. apreendeu o amar, mesmo Luís não tendo aquele sentimento por ela.  Agora recebe a notícia que ele tinha morrido. A mesma tinha ido visitá- lo quando voltou de São Paulo. Tentou falar as palavras ao mesmo mas não conseguiu. Mesmo que Samantha estivesse ali dando força. Lica estava embaixo de uma árvore olhando pro céu , vendo as nuvens escurecer, queria que aquele dia não existisse pra ela. voltou para o carro entrou no mesmo , deu partida assim que saiu a chuva começou a cair, fazendo que Lica dirigisse sem rumo.

 

off 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...