1. Spirit Fanfics >
  2. O Amor Da Minha Vida - Klaroline >
  3. Manhã seguinte...

História O Amor Da Minha Vida - Klaroline - Capítulo 17


Escrita por:


Notas do Autor


Voltei, amadas.
Como está a quarena de vocês?
A minha não mudou muito desde antes, eu já não saia de casa mesmo.
Bom, trouxe três capítulos para vocês.
Espero que gostem.
Beijos...

Capítulo 17 - Manhã seguinte...


Fanfic / Fanfiction O Amor Da Minha Vida - Klaroline - Capítulo 17 - Manhã seguinte...

Klaus Mikaelson:

Agora lembro porque parei de fazer festas na minha casa, destroem tudo, igual dessa vez. Quebraram a janela, mancharam o sofá e ainda estou me perguntando porque diabos arrancaram uma das portas do armário, isso não é nem metade do que fizeram. Têm garrafas, copos e vômito para todo lado. Parece que botaram crianças aqui. E quem é o trouxa que vai arrumar tudo sozinho? Isso mesmo, eu. Mas até que mereço, depois de estragar o relacionamento da Caroline, é o mínimo do que mereço.

Após toda a confusão com Matt, decidi acabar com a festa, já havia passado das três da manhã quando consegui tirar todo mundo do apartamento, Camille optou por ir também e por fim ficamos só eu e Caroline, que chorou e vomitou até o dia amanhecer. Foi uma luta para conseguir fazê-la banhar e dormir, mas consegui e agora estou aqui, limpando o caos do meu apartamento e remoendo tudo que tem acontecido na minha vida nos últimos dias, nem banho tomei ainda e olha que Caroline não teve pena em nenhuma das três vezes que vomitou em mim.

O bom é que as chances dela lembrar do que houve são mínimas, é sempre assim, Caroline fica bêbada, me dá o maior trabalho e no dia seguinte não lembra de nada que aconteceu. Isso ocorre com a maior facilidade, já a vi se embebedar com quatro taças de vinho e quase incendiar meu apartamento no final.

Ela vai acordar igual uma velha de 80 anos com Alzheimer, reclamando de dor no corpo e sem memória.

Antes de sair, Camille sugeriu que eu falasse com Caroline novamente, não sei se quero tentar, tudo que ela disse é verdade, estando bêbada ou não, talvez seja melhor eu seguir em frente fingindo que nada aconteceu do que tentar outra vez e estragar nossa amizade. Prefiro tê-la por perto como amiga que perdê-la de vez.

Quando terminei de limpar tudo subi para tomar banho, precisei de mais de meia hora embaixo do chuveiro para me livrar do cheiro horrível que tinha impregnado em mim, nunca mais faço uma festa, isso é uma promessa.

Assim que saí do banheiro já arrumado e pronto para dormir — apesar de já ter passado de uma hora da tarde — me deparei com Caroline sentada na cama, com olheiras enormes, cabelo desgrenhado e uma cara amassada e confusa, até assim ela consegue ser uma das mulheres mais bonitas que já vi, eu sou um babaca apaixonado por alguém que não sou digno de ter.

— Bom dia, raio de sol. — Falei me aproximando e sentei do seu lado. — Como está sentindo?

— Cansada... — Falou com a voz rouca. — meu corpo inteiro dói, minha boca está seca e meu estômago vazio. — Segurei em seu braço a puxando para que aconchegasse a cabeça em meu peito e afagando seu cabelo bagunçado e com fios ainda úmidos do banho que dei há horas.

— Você se lembra de algo que aconteceu essa madrugada? — Questionei. Ela balançou a cabeça em sinal negativo me dando a certeza que precisava. — Você ia para um jantar com a mãe do Matt... — Comecei e rapidamente ela se levantou me encarando com os olhos arregalados.

— Eu perdi o jantar... — Falou com certa confusão no olhar, segurei em sua mão para que não levantasse da cama e continuei.

— Você ficou bêbada e pelo que entendi mandou uma mensagem para ele durante a madrugada falando que estava aqui. Matt chegou e te viu completamente bêbada beijando a Camille então terminou o noivado com você no meio do corredor. — Completei sem arrodeio, é melhor passar por todo o drama logo. Seus olhos começaram a lacrimejar enquanto me encarava, dava de ver em sua face que estava em negação quanto ao término. — Eu sinto muito. — Não demora muito até que venha uma onda de lágrimas e soluços, a segurei contra meu peito a abraçando e comecei a consolar ela  com frases de conforto que todo bom amigo fala: Talvez tenha sido melhor assim; Vai passar; Você vai superar; Talvez ele não fosse o cara certo...

Acho que essa última foi porque tenho esperança de ser esse cara.

— Eu preciso ir atrás dele! — Ouço ela falar e em seguida se levanta enxugando as lágrimas.

— É melhor não... — Me levantei também enquanto ela começava a pegar suas coisas.

— Tenho que consertar as coisas, a gente ia casar e agora nem lembro o que aconteceu, tenho que tentar me justificar. — Falou com firmeza, odeio quando fala assim, ela fica irredutível.

— Caroline, não tem justificativa.

— Tenho que pelo menos tentar, Klaus. É o Matt, eu amo ele.

— Vocês estão juntos há menos de um ano e a faculdade nem conta, não é como se fosse algo tão difícil de superar.

Tudo bem, àquelas não foram palavras que um bom amigo diria, mas, pelo amor de Deus, ela que ir se rastejar para aquele merda.

— Você não pode ficar insistindo, Caroline, é a segunda vez que terminam, terceira contando com a faculdade. Foi isso que Camille e eu fizemos e você quer o mesmo? — Falei na tentativa de convencê-la.

— Já falei que nós não somos como você e Camille. — Falou enquanto procurava algo no meio das roupas que estavam na poltrona, provavelmente o celular que deixei carregando na cozinha. — Mas você fala de mim e já até voltou com ela.

— O que? Eu não voltei com a Camille. — Me defendi.

— Não importa, Klaus! — Ela gritou e de certa forma isso me feriu, eu morro de ciúmes dela até com aquele chefe babaca e ela não está nem aí para mim, me tornei o que sempre critiquei, a pessoa que corre atrás de quem não nota ela, agora entendo perfeitamente. — Eu vou atrás do Matt e consertar tudo...

— Ele te chamou de vadia! — Vi quando ela parou subitamente de mexer nas roupas e ficou apenas escutando. — Matt viu você bêbada beijando a Camille e se achou no direito de falar isso, claro que o que você fez deve ter deixado ele com raiva, mas ele simplesmente te julgou de uma forma absurda e ainda disse que a mãe não merece conhecer uma "mulherzinha", ele estar magoado e com raiva não justifica esse julgamento, se você quer ir atrás daquele cara sabendo disso vai em frente, mas saiba que além de estar me decepcionando você também está  dando a ele o direito de achar que pode falar e fazer o que quiser com você.


Notas Finais


Gente, não vou focar tanto em mostrar o sofrimento da Caroline com o término, não por ela não sofrer, mas sim para não perder tempo na fanfic, não pensem que ela superou rápido demais nos próximos capítulos, a gente só não vai parar para focar no assunto.
Beijos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...