História O Amor Da Minha Vida - Klaroline - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias The Originals, The Vampire Diaries
Personagens Aurora de Martel, Camille O'Connell, Camille O'Connell, Caroline Forbes, Damon Salvatore, Esther Mikaelson, Klaus Mikaelson, Marcellus "Marcel" Gerard, Matt Donovan, Mikael Mikaelson
Tags Caroline Forbes, Hot, Klaroline, Klaus Mikaelson, Mikaelson, Romance
Visualizações 128
Palavras 1.616
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Voltei
Para as minhas leitoras das minhas outras fanfics eu não desisti delas, a Juntos Pelo Acaso eu estou pensando cuidadosamente no próximo capítulo, a Love Me Like You Do eu já sei o que vai acontecer no próximo capítulo só não sei como escrever e a O Amante Da Rainha eu preciso revisar e estou morrendo de preguiça.
Tenham paciência.
Boa leitura.
Beijos.

Capítulo 4 - Subconsciente...


Fanfic / Fanfiction O Amor Da Minha Vida - Klaroline - Capítulo 4 - Subconsciente...

Klaus Mikaelson:

Arranquei minha camisa e meus sapatos jogando no chão e subindo por cima da Caroline rapidamente, eu estava louco para ter ela de vez para mim, confesso que desde que começamos a nossa amizade eu fico excitado perto dela, tudo nela me enlouquece. Tirei a sua blusa dando um sorriso malicioso para ela quando vi que ela não usava sutiã, fui rápido em atacar seus seios, sugando um enquanto apertava o outro, ela arfou quando, chupei e mordi seus seios por mais alguns segundos até que ela puxou meus cabelos me fazendo beija-la intensamente.

Desci os beijos por sua pele macia deixando algumas marquinhas roxas por ali, minhas mãos estavam em baixo da sua saia apertando sua coxa e sua bunda.  Tirei sua saia, por último sua calcinha e então fiquei alguns segundos distante do seu corpo a apreciando deitada na minha cama, completamente nua com aqueles olhos famintos, essa mulher é só minha. 

— Klaus...— Ouvi ela gemer meu nome em meu ouvido me causando arrepios. — Klaus? — Dessa segunda vez não parecia mais ser sua voz, era uma voz diferente. — Klaus! — Ouvi um grito que me fez levantar rapidamente da cama dando de cara com a Davina então percebi que era só um sonho, um maravilhoso sonho e agora eu estou na triste realidade que minha vida se encontra e pior com meu membro parecendo uma pedra, eu vou fazer uma macumba para parar de sonhar com a Caroline, eu tinha esse tipo de sonho há pouco mais de um ano atrás e pararam mas pelo que eu vejo está começando tudo de novo.

— O que foi Davina? — Perguntei a encarando, Davina é estagiária lá na empresa, ela é bem simpática posso dizer.

— Você estava sonhando? — Perguntou confusa.

— Não. — Neguei rapidamente.

— Claro que sim, você estava sorrindo enquanto dormia e babando.

— Davina para de conversa fiada e fala logo o que você veio fazer aqui.

— Você precisa assinar uns papéis e são para hoje, eu te liguei várias vezes, você não atendeu, achei que você não iria para a empresa hoje então tive que vir aqui. E antes que você pergunte, a porta estava só encostada então eu entrei. Aqui estão os papéis. — Falou estendendo uma pasta branca.

— Tudo bem, eu vou tomar um banho, depois vou falar com a Caroline e então vou para a empresa, lá eu assino os papéis. — Me levantei da cama me sentindo descansado.

— Eu aposto que você estava tendo sonhos eróticos com a Caroline.

— Davina eu sou seu chefe, eu posso te demitir sabia?

— Tecnicamente você ainda não é meu chefe, eu sou estagiária.

— Eu posso tirar seu estágio.

— E eu posso contar para a Care que você tem sonhos eróticos com ela. — Peguei o travesseiro na cama e joguei nela que o pegou. — Eu vou para a empresa, vê se não fica babando a Care e esquece que os papéis são para hoje. — Ela jogou o travesseiro em mim e saiu correndo.

Fui para o banheiro e tomei um bom banho, depois que sai tirei meu celular do carregador olhando a hora, a Caroline deve estar no trabalho a essa hora o que é ótimo, eu adoro ir no trabalho dela. A cara dos meus pais foi ótima quando ela falou que inventa brinquedos sexuais. O jeito que a Caroline é diferente das outras mulheres me atrai, nunca conheci uma com um trabalho como o dela ou parecido. Me arrumei rápido peguei a pasta branca que Davina me entregou e sai.

Sai do elevador olhando as várias pessoas se movimentando para um lado e para o outro, fui direto para a sala da Caroline. Entrei e lá estava ela, sozinha. Ela estava distraida olhando para o nada, nem me percebeu me aproximar. Parei perto da cadeira na frente de sua mesa que estava uma bagunça, pude observá-la de perto, é uma maldição, justo hoje que meus sonhos com ela voltaram eu a encontro sexy dessa forma. Ela usava uma blusa branca de manga longa e com os três primeiro botões abertos que destacavam seus seios grandes, seu cabelo estava preso com uma caneta deixando uma mexa solta, ela usava um óculos da armação preta e estava segurando um lápis preto com a ponta entre seus dentes.

A observei por longos e adoráveis segundos enquanto mordia meu lábio inferior, ela estava olhando para o canto da sala sem motivos já que não havia nada lá. Então seus belos olhos correram parando em mim.

— O que foi? — Falou tirando o lápis da boca e me encarando, puxei a cadeira em sua frente me sentando.

— Nada. — Falei e continuei a observando, ela pegou um papel em sua frente e o encarou por alguns segundos até que voltou a me encarar.

— Para. — Falou autoritária.

— Parar o quê? — Falei sem conseguir conter o sorriso.

— Para de me olhar dessa forma.

— Que forma?

— Como se eu estivesse nua, você está ultrapassando os limites da amizade.

— Você está ficando louca, isso sim.

— Para de me olhar dessa forma. — Disse em tom disconfiado.

— Sabia que você parece uma atriz porno usando óculos?

— Você parece um ator porno usando óculos.

— Vamos fazer um filme? — Ela me fuzilou com os olhos e comecei a rir.

— Seu safado, cachorro, tarado. — Até ela estava sorrindo. — Agora vamos falar sério...— Falou tentando parar de sorrir. — O que você quer?

— Eu só vim te ver, que tal se a gente assistir um filme hoje?

— Eu vou sair com o Matt.

— Quem é Matt?

— Meu namorado. — Revirei os olhos, claro que esse namoro da Caroline não vai durar uma semana.

— Quando eu vou conhecer esse cara.

— O combinado é que você não conheça ele, a propósito, quando você pretende contar a verdade para seus pais?

— Calma Caroline, deixa eu respirar um pouco.

— Você tem é que criar coragem e contar a verdade.

— Eu vou contar Caroline, relaxa. — Falei pegando alguns desenhos que haviam na mesa, desenhos de brinquedos sexuais. — Agora você desenha pênis para passar o tempo?

— Me dá isso. — Falou puxando da minha mão. — Eu tenho que inventar um brinquedo novo e não sei o que fazer.

— Se você relaxar vai conseguir mas você não relaxa.

— Quem disse que eu não relaxo?

—  Essas olheiras na sua cara. — Ela suspirou.

— Você está vindo da empresa?

— Não de casa, eu acordei há pouco tempo.

— Você dorme muito.

— Eu tive um sonho ótimo.

— Sonhou com o quê?

— Com uma deusa.

— Há um tempo atrás você falou que não parava de sonhar com uma mulher. Essa sua deusa é a mulher dos sonhos anteriores.

— Com certeza, os sonhos tinham parado e agora voltaram.

— Eu também tenho sonhado com alguém.

— Quem?

— Ele é lindo, maravilhoso, gostoso...— Observei ela fechar os olhos e morder os lábios. — Eu estou morrendo de vontade de agarrar ele agora...

— Fala logo quem é? — Falei impaciente.

— Bolo de chocolate branco com leite ninho, aquele bolo vulcão que quando você corta escorre o leite ninho com chocolate branco. — Encarei ela, Caroline só pensa em comida, achei que ela iria falar de uma pessoa e ela pensando em bolo.

— Caroline eu vou para a empresa trabalhar que eu ganho mais. — Falei levantando.

— E eu vou maracar o encontra com meu namorado que eu ganho mais. — Revirei os olhos e sai.

É mais fácil engolir essa história que a Caroline é minha "noiva" que engolir essa de namorado que conheceu na faculdade.

Fui para a empresa tentando não pensar na Caroline e quando eu finalmente estava dentro da minha grande sala, que tem uma ótima vista para Chicago, minha mãe estava sentada na cadeira em frete a minha mesa.

— Mãe...— Falei andando até minha cadeira e sentei. — A senhora por aqui! — É incrível como a cabeça da Davina voa e ela esquece de avisar quando tem alguém na minha sala.

— Eu queria conversar com você sobre algo.

— O quê?

— A Caroline claro. — Arqueei uma sobrancelha. — Eu gostei dela, é um pouco tímida e tem um trabalho...diferente mas é me parece ser uma boa mulher.

— Ela é...— Falei lembrando que ela aceitou me ajudar nessa mentira mesmo sabendo que pode perder o namorado caso ele descubra.

— Eu vi um sorriso. — Falou tirando a imagem dela mais cedo da minha cabeça. — Você sorriu quando falou dela.

— Nem percebi. — Falei a verdade e a encarei, dá de ver que ela está realmente feliz com esse noivado.

— Você está apaixonado por ela, nuca imaginei te ver assim. — Me perguntei aonde ela estava vendo eu apaixonado pela Caroline, já que é um falso noivado.

— Mãe para com isso. — Falei cortando o assunto antes que ela continuasse.

— Eu não me conformo com essa decisão que você e a Caroline tomaram de não ter jantar.

— Mãe é melhor assim...— Nem sei por que eu achei que ela tinha aceitado tão fácil.

— Não, não é. Klaus eu nunca esperei que um dia eu fosse te ver casar — Nem vai. — mas eu vou então eu quero que seja tudo perfeito.

— Mãe pode ser perfeito sem ter jantar com metade do país, "basicamente". — Fiz sinal de aspas com os dedos.

— Eu quero com tudo que você tem direito e eu tenho certeza que a Caroline só não imaginou o jantar maravilhoso ainda mas quando ela imaginar vai querer também.

— Mãe esquece isso.

— Klaus por favor, eu sou sua mãe e estou te pedindo, meu sonho é ver você se casar com tudo que tem direito. — Suspirei, ela não vai desistir.

— Tá bom, eu vou tentar convencer a Caroline. Tentar. — Deixei claro.


Notas Finais


Klaus e seus sonhos.
Até o próximo.
Beijos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...