História O Amor Da Minha Vida - Klaroline - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias The Originals, The Vampire Diaries
Personagens Aurora de Martel, Camille O'Connell, Camille O'Connell, Caroline Forbes, Damon Salvatore, Esther Mikaelson, Klaus Mikaelson, Marcellus "Marcel" Gerard, Matt Donovan, Mikael Mikaelson
Tags Caroline Forbes, Hot, Klaroline, Klaus Mikaelson, Mikaelson, Romance
Visualizações 241
Palavras 1.585
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu voltei
Super cansada para postar outro capítulo para vocês.
Boa leitura.
Beijos.

Capítulo 5 - Atração...


Fanfic / Fanfiction O Amor Da Minha Vida - Klaroline - Capítulo 5 - Atração...

Caroline Forbes:

"Não faça com os outros o que você não quer que façam com você".

Eu levo essa frase para mim, por isso quando o Klaus e a Cami começaram a ter algo eu me afastei dele, parei de fazer coisas que fazíamos antes como; dormir na casa dele, nas mesma cama as vezes; assistir filme como se fôssemos namorados; chamar ele de "meu amor" na frente das pessoas e etc. Se eu tivesse um namorado que pelo menos abraçasse outra mulher eu ficaria muito puta com ele, não é uma boa sensação para uma mulher ver seu namorado ter uma relação com outra assim então eu me afastei de certa forma dele e agora ele não está mais com a Camille mas eu estou com o Matt então a nossa relação lá do início da nossa amizade não vai ser a mesma enquanto tivermos comprometidos.

Voltei para casa depois de um longo e frustrante dia de trabalho. Eu esperava ter a ideia para um novo brinquedo que prenda o público. — nem sei porquê não falei para o meu chefe que já inventaram a algema. — Eu perdi minha criatividade nos últimos tempos.

— Boa noite senhor Will. — Falei passando pelo posto de trabalho dele que é o porteiro do prédio.

— Senhorita Forbes? — Ele me chamou e voltei parando na sua frente.

— Alguma coisa para mim?

— Aquele moço a espera à alguns minutos quase uma hora. — Falou apontando para o lugar onde tinham uns bancos e vi o Matt sentado em um dos bancos, ele mexia no celular então não me percebeu. — Eu não o conheço, nunca o vi por aqui, a senhora não estava então não o deixei subir.

— Claro Will. — Percebi que sempre que o Klaus vem aqui o Will deixa ele subir eu estando ou não, e o porteiro do prédio do Klaus também me deixa subir sempre, essa também não deve ser uma boa sensação para namorado ou namorada mas acho que Camille nunca percebeu e talvez o Matt também não perceba. — Obrigada. — Dei um sorriso gentil e me virei para sair mas ele me chamou novamente e voltei a encaralo. 

— O senhor Mikaelson deixou algo na garagem para a senhora. — Arqueei as sobrancelhas. — E ele também foi até seu apartamento mas voltou poucos minutos depois. Tenha uma boa noite senhorita.

— Obrigada, e me chame de Caroline. — Ele sorriu e eu fui em direção ao Matt que me percebeu e se levantou guardando o celular antes que eu chegasse até ele.

— Caroline...eu estou te esperando há um bom tempo. — Ele parou em minha frente me dando um beijo rápido.

— Eu fiquei no trabalho um pouquinho mais hoje mas já estou aqui. — Ele pôs seu braço em volta da minha cintura e fomos para o elevador.

Entramos no meu apartamento conversando sobre o Will não ter deixado ele subir.

— Não vamos discutir por isso Matt. — Falei cortando o assunto, observei rapidamente a caixa pequena preta em cima de uma mesinha perto do telefone, claro que foi o Klaus que deixou. Fui até lá pegando a caixa e abri, tinha apenas uma chave dentro, a chave de um carro, ficou mais que óbvio para mim o que ele tinha deixado na garagem.

— Tudo bem não vamos falar disso. — Ele falou se aproximando, fechei a caixa e pus dentro da gaveta da mesinha antes que ele percebesse.

— Eu estou morrendo de fome. — Falei me virando para ele. 

— Tem um restaurante aqui perto, eu passei em frente e fiquei curioso para conhecer. Podíamos ir lá. — Falou passando a mão em meu cabelo, o Matt é carinhoso e fofo, gosto disso nele, acho que é isso que mais me atrai e além de tudo ele é bonito.

— É uma ótima ideia, eu vou tomar banho e depois a gente vai. — Falei dando um beijo rápido nele e esperando que ele perguntasse se eu queria companhia mas ele falou algo diferente e frustrante.

— Vou te esperar aqui. — Suspirei aceitando sua decisão.

— Tudo bem, não vou demorar.

...

Acordei do lado do Matt, ele ainda dormia então fui para o banheiro sem fazer o mínimo barulho para não acordar ele. Tirei a minha pijama e fui tomar banho, eu preciso relaxar e eu não consigo fazer isso, já faz algumas semanas que eu não durmo direito, acordo milhares de vezes durante a madrugada e levanto da cama de manhã sentindo que não dormi.

Depois que terminei meu banho me arrumei, fui para a sala, peguei a chave do carro dentro da caixinha e depois fui para a garagem, não tive o mínimo trabalho de saber qual era o carro, só tinha um prata estacionado no final da garagem — está lá há anos — e um carro preto, com cara de quem acabou de sair da loja, bonito d perfeito. Fui até ele e abri entrando, esse carro é uma tentação daquelas, não é tão exagerado mas é perfeito e eu queria justamente um carro preto, eu adoraria ficar com ele mas não posso, tenho que devolver ele e assim vou fazer.

Estacionei o carro na garagem do prédio em que o Klaus mora e depois subi. Entrei em seu apartamento e a sala estava vazia, procurei em seu quarto e então o achei na cozinha fazendo panqueca.

— Que ótimo que você está fazendo nosso café meu amado noivo — Brinquei chamando sua atenção e ele sorriu. — eu estou morrendo de fome. — Declarei me sentando em uma das cadeiras da mesa de vidro temperado.

— É claro, como o ótimo noivo que eu sou vou fazer panquecas com chantilly para nós dois já que você adora chantilly.

— Que atencioso. — Ficamos alguns segundos calados e pude observar ele cozinhando, eu adoro homem que domina a arte da culinária e o Klaus faz isso bem.

— Você está com uma cara de quem não dorme a dias...— Comentou pondo uma panqueca em um prato e começou a fazer outra.

— Eu não estou dormindo bem.

— E está com cara de quem não faz sexo a dias também. — Me perguntei se eu falava com ele do pouco interesse do Matt em sexo até que decidi contar.

— Matt e eu estamos juntos faz quase uma semana e fizemos sexo três vezes...— Ele tirou os olhos da panela e me encarou arqueando as sobrancelhas, logo em seguida fez algo que não me surpreendeu, começou a rir como se estivesse vendo a cena mais engraçado de um filme de comédia, fiquei longos segundos o encarando seriamente até que ele parou de gargalhar como um idiota, pude ver seus olhos lacrimejando, ele realmente acha uma graça o meu namoro. Esse é meu segundo namorado desde que conheci o Klaus, e o Klaus não tratava o primeiro diferente do Matt.

— Tudo bem eu vou parar de rir... — Falou passando a mão nos olhos.

— Eu não vou mais falar com você disso seu imbecil. Pensei que você fosse um amigo melhor que isso nessa situação. — Me levantei para sair dali, odeio quando quero falar com o Klaus sobre algum cara e ele fica com brincadeiras idiotas.

— Desculpa Care. — Ele desligou o fogo e veio até mim entrando em minha frente e me fazendo voltar e sentar na cadeira, em seguida se sentou na cadeira ao meu lado. — Eu prometo não fazer brincadeira de mau gosto. — É difícil acreditar nisso. — Pode desabafar... — Fiquei alguns segundos calada pensando e então decidi confiar nele.

— O Matt só...não é tão interessado em sexo, ele gosta mais de...conversar.

— E você não gosta disso...

— Na verdade eu gosto, ele me escuta falando do meu trabalho sem fazer piadinhas e é legal ter uma pessoa para conversar sobre meu trabalho e outros assuntos importantes sem ela brincar o tempo todo...o Matt é legal...

— Mas não sente atração por você.

— Ele é bom na cama mas é um pouco lerdo as vezes. Ontem nós íamos sair, eu falei que ia tomar banho e esperei ele perguntar se eu não queria companhia e ele falou "vou te esperar aqui". — Percebi o Klaus segurar a risada.

— Veja só, você acha ele legal, gosta do fato dele te ouvir falando de pênis de brinquedo sem rir, o que é realmente inacreditável, entre outras coisas mas pelo que eu vejo sexo é mais importante que ele ser fofo, ele sente pouca atração por você então nessa situação é melhor você parar de se iludir e termina. — Revirei os olhos, estou vendo que a maior parte das conversas que eu tiver com o Klaus sobre namorados ele vai acabar dizendo que é melhor eu terminar.

— Klaus eu não vou terminar com o Matt e ele não sente pouca atração por mim.

— Ele dormiu na sua casa ontem?

— Sim.

—Na mesma cama? Colados?

— Sim.

— E vocês fizeram sexo?

— Não.

— Por que ele não quis ou por que você não quis? — Vi l que ele estava fazendo e cheguei por mim mesma a conclusão.

— Porque ele não quis.

— Nessa situação Caroline, ou ele sente pouca atração por você ou ele é gay o que é praticamente o mesmo.

— Lá no início da nossa amizade nós dormimos na mesma cama, de conchinha. Você sentia atração por mim? — Perguntei curiosa e ele pensou por alguns segundos.

— Isso não vem ao caso. E é melhor a gente ir comer panqueca. — Falou se levantando e voltando ao fogão.

— E aquele carro? — Falei quebrando o gelo que ficou ali.


Notas Finais


Até o próximo.
Beijos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...