História O amor da minha vida. - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Adolescente, Drama, Romance
Visualizações 7
Palavras 700
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oi, espero que gostem do meu segundo capítulo

Capítulo 2 - Aconteceu!!


25 dezembro 1998

chegou o natal, um dia importante para minha família, mas eu não conseguia pensar em nada além dela, aquela voz, aqueles olhos… logo de manhã, minha mãe percebeu que eu estava aéreo e me perguntou se estava tudo bem, eu respondi que sim, mas, ela não achou muito convincente, porém, parou de perguntar, e logo depois me disse que eles voltariam aqui, em pouco tempo, eu estava ansioso, confuso e feliz (mais feliz do que qualquer outro sentimento), e disse que tudo bem, mas, não sabia como esse dia acabaria, uma pessoa sairia daquela casa muito triste… quando eles chegaram, eu não conseguia me concentrar em nada mais do que ficar sozinho com ela para conversar e nos conhecermos melhor, e foi oque aconteceu, tudo estava saindo como eu havia planejado, minha mãe sempre sai para beber água às 13:00, é praticamente uma tradição, só oque eu precisava era mandar o pai dela junto com minha mãe (oque não seria difícil, pois era eu dando uma desculpa para eles transarem) oque foi exatamente oque aconteceu, nos conversamos por um bom tempo, foi uma ótima conversa, descobri que ela era muito organizado, e sentia orgulho disso,descobri que ela gostava das mesmas músicas que eu, (entre outros motivos para fazer oque eu fiz, mas, não quero me precipitar na história), logo depois disso, nós já estávamos nos sentido como se nos conhecêssemos há anos, depois de um bom tempo, minha mãe chegou com o pai dela (com claras evidências do que eu havia previsto que aconteceu como uma marca de chupão no pescoço dela, marcas de batom borrado em todo lugar do corpo dele, entre outros), pouco tempo depois, minha mãe falou algo que eu já sabia, eles estavam namorando, mas como eu disse, eu já sabia, mas, a Lina não, ela ficou comovida e aparentemente feliz, mas, eu consegui ver que o brilho em seus olhos, havia se apagado, mas, sem eu perceber eu acabei me aprofundando demais oque ficou muito óbvio para qualquer um que prestasse um mínimo de atenção (oque não era o caso de minha mãe e seu namorado e a Lina estava concentrada demais em fingir que estava feliz para perceber), pouco tempo depois minha mãe e o pai dela saíram novamente, e mais uma vez, uma oportunidade, eu falei para ela que ela não precisa mentir para mim e comecei a consolá-la, pouco tempo depois, eles voltaram e ela já estava bem melhor (mas lembram que eu disse que alguém iria sair triste? Então, não será a Lina), quando a noite desceu, eu e a Lina saímos e eu fiz algo que até hoje, não me arrependo, estávamos sentados em um balanço quando, à luz da lua, eu a beijei, foi algo mágico (para mim), ela rapidamente me empurrou e perguntou se eu estava louco, eu não à disse, mas, eu estava louco, louco por ela, louco de amor, tudo que eu fiz foi pedi-la para se acalmar, e a beijei novamente, mas dessa vez ela não me empurrou, ela beijou de volta, ficamos um longo tempo assim, esquecemos de todo o mundo, todos os problemas por algum tempo, e continuamos (esse foi o melhor beijo da minha vida), logo depois de pararmos por falta de ar, ela me perguntou se havia algum problema por minha mãe estar namorando o pai dela, então eu respirei fundo, e a disse que amor não devia ser impedido por amor, sem deixar eu acabar meu discurso, ela me beijou de novo, mas, dessa vez, com muito mais amor (e calor), nunca havia sentido algo tão bom em minha vida, logo depois, o pai dela a chamou para ir embora, pois já estava tarde (e estava mesmo, já eram 23:45, eu me lembro do horário exato até hoje), e ela tinha aula de manhã, ela começaria em um colégio novo, oque eu não sabia era que eu a veria muitas vezes ainda, mas a noite ainda não acabou, e eu disse que alguém sairia triste, eu não menti, mas, não estava óbvio, estava nos detalhes, a mesa de centro favorita da minha mãe estava fora do lugar, oque significava que alguém bateu na mesa, ou seja, eles brigaram...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...