1. Spirit Fanfics >
  2. O Amor Da Minha Vida é um Robô >
  3. Seven

História O Amor Da Minha Vida é um Robô - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


WOOOAH!!!!
UM MÊS SEM ATUALIZAÇÃO MEU DEUS!
*desviando das pedras da staff*
Mil perdões meus amores, tenho andado cheia de problemas na minha vida pessoal e estou deixando as fanfics um pouco de lado. 😔

Boa leitura

Capítulo 7 - Seven


  Duas semanas havia se passado.

  E nesse período Johnny já sabia o que fazer para pegar sua mercadoria de volta. Um dos donos do hotel onde estava hospedado com Mark era um velho conhecido seu e ele iria usar isso a seu favor.

  Pela manhã se acordou mais uma vez ao lado de Mark, o canadense dormia tranquilo então não quis acordá-lo. Levantou-se disposto, seria um longo dia.

[...]


   E lá estava ele, tomando um café enquanto conversava com a recepcionista do hotel. Lee Jeno era um velho conhecido de Johnny e digamos que ele fazia alguns pedidos do americano. Jeno era o dono do hotel e de uma rede de casas noturnas bem famosas em Seoul e fora por causa dessas casaa noturnas que os dois se conheceram e criaram um laço de amizade.


  — Bom dia. — Saudou Johnny se aproximando da recepção atraindo os olhares dos dois presentes ali.


  — John! — Jeno o olhou indo na direção dele para lhe dar um abraço. — Quanto tempo não?


  — Tem razão. — O americano sorriu fechado. — Podemos conversar a sós?


   Jeno franziu o cenho e concordou em seguida, conhecia muito bem Johnny, sabia quem ele era e o que fazia. Se conheciam há algum tempo e o Lee poderia dizer que tinha certa afinidade com o americano.


    Saíram dali e foram para o escritório de Jeno, lá após os dois estarem sentados, Johnny começou:


   — Quero que faça um serviço pra mim, o pagamento valerá a pena.


_


  Doyoung tinha reparado muito em Taeil naquele período. O rapaz era prestativo e sempre estava disposto a tudo, só ao perceber que Taeil era de fato útil, o Kim resolveu deixá-lo trabalhar na empresa em troca ele ficaria no quarto que eram para os seguranças que faziam turno pela noite.


           Apesar de ainda ter suas paranoias sobre o Moon ser um ladrão, Jaehyun tentava tirar aquilo da cabeça de Doyoung, o Jung já tinha se aproximado de Taeil assim como Taeyong e DongHyuck, poderiam dizer que eram amigos do rapaz mais novo.

  Era meio dia, horário do almoço na Kim's Company. Jaehyun, Taeyong, DongHyuck e JungWoo foram almoçar juntos num restaurante ao lado da empresa, o Lee mais novo chamou Taeil para ir com eles mas o Moon disse que comeria depois pois estava ocupado organizando uns papéis — ordem de Doyoung, claro.

  Sem questionar mais nada o quarteto saiu e Taeil continuou seu trabalho, acabando em poucos minutos. Pegou os papéis e foi até a sala de Doyoung, entrou bem na hora que o Kim estava se levantando para ir almoçar.

  — Senhor Kim, trouxe os relatórios que o DongHyuck fez sobre as vendas desse mês.— Disse com a expressão neutra colocando a pilha de papéis sobre a mesa do Kim.

  Doyoung o analisou de cima a baixo. Hmm até que o mendigo leva jeito.

  — Okay. Irei almoçar, você não vai?

  — Não, irei mais tarde. — Taeil era esperto, não poderia simplesmente dizer que não comia.

  O Kim apenas assentiu e saiu da sua sala em passos apressados. Taeil agora sozinho passou a analisar o escritório de Doyoung, era grande e aconchegante por mais que fosse um pouco revirado na maioria das vezes que entrava ali.

  Taeil tinha uma missão e ele iria cumprí-la. Seu padrão de funcionamento era ajudar e proteger a pessoa que o acordasse, Doyoung era essa pessoa.

_


   —Okay, chega por hoje.


  DongHyuck tirou os óculos dos olhos se espreguiçando na cadeira, eram pouco mais das seis e meia da noite, hora em que o expediente de todos acabava. Mais a frente viu o irmão arrumar as coisas na maleta preta enquanto comentava algo com Jaehyun que estava encostado na mesa do Lee mais velho.


  O pessoal que trabalhava no andar presidencial foi começando a sair aos poucos, por fim só restavam os dois irmãos e Jaehyun ali. Não esperaram Doyoung, desceram para o térreo onde JungWoo prontamente os esperava.


  — Haechan, posso falar com você um minuto? — Perguntou o Kim assim que viu o amigo aparecer junto ao casal.


  — Claro. — Hyuck sorriu se afastando do irmão e cunhado junto ao recepcionista, andaram para perto do elevador onde poderiam conversar a sós. — Me fala, o que 'tá pegando?


  — Estou preocupado na verdade.


  — Com o que? Sabe que pode desabafar comigo não é?


  JungWoo assentiu sorrindo ameno, passou a mão no rosto soltando um breve suspiro.


  — Sabe o Taeil? Ele não comeu nada o dia todo.


  — Ele comeu sim, ele disse que iria comer algo de manhã, na hora do almoço e a tarde. — Disse o Lee com total certeza.


  — Você o viu comendo?


  — Não.


  — Então pronto.


        JungWoo revirou os olhos e saiu dali, DongHyuck fizera o mesmo. Jaehyun e Taeyong já os esperavam no carro, iriam para casa.

  Porém Doyoung havia ouvido a conversa, estava descendo as escadas quando flagrou os dois conversando sobre a possível falta de alimentação de Taeil. Por mais que metade de si renegasse que se preocupava com o Moon, uma pequena parte tinha dó dele, era um garoto sem teto, sem família, nem nada.

  Respirou fundo pegando um caminho que muito usava em seu dia a dia, iria pro estacionamento. Desceu as escadas e foi até seu carro, destravou jogando sua mala dentro e fechou a porta. Então decidido do que iria fazer, virou-se para a direção dos quartos dos seguranças e em passos firmes caminhou até lá apressado.

  Com a ajuda de um dos seguranças, soube onde Taeil estava dormindo e foi direto ao quarto abrindo a porta abruptamente. Era um quarto simples, pequeno mas era aconchegante até.

  Taeil estava sentando na cama, já de pijama com um livro nas mãos, o Moon se assustou com a entrada repentina do seu chefe e num salto se levantou, curvou-se diante dele sorrindo em seguida.

  — Senhor Kim, o que deseja? — Perguntou o mais novo de forma educada.

  Doyoung nada disse, apenas avançou em Taeil o segurando pelo colarinho do pijama e o prendendo a parede.

  — Eu não me importo nem um pouco com você mas trate de comer! Não quero funcionário meu passando fome!

  Taeil o olhou assustado, porém sorriu, pousando gentilmente sua mão no ombro de Doyoung, ele o afastou com calma.

  — Se não se importa. Por que está aqui?

  


Notas Finais


Até a próxima anjinhos👉👈❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...