História O amor da vida deles - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias Mystic Messenger
Personagens 707, Jaehee Kang, Jumin Han, MC, Yoosung, Zen
Visualizações 12
Palavras 1.189
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Volteeeeei, sentiram saudades?

Capítulo 16 - Apenas dessa vez.


Fanfic / Fanfiction O amor da vida deles - Capítulo 16 - Apenas dessa vez.

Tenho certeza que amo você

Mais do que você pensa

Isso parece certo

Querido, você é tão legal

(I Love You - Exid)

Catarina levanta da cama e vai ao quarto de Seven procurando saciar seu desejo, quando ela abre a porta vê o ruivo mexendo no computador e comendo batata frita com refrigerante. Quando os olhos dele encontram a garota, sua cara fecha imediatamente. 

- Esse não é seu quarto, quero você fora daqui agora. - Seven fala tornando a olhar para o computador.

- Poxa, Seven, não precisa falar assim comigo. Sou sua amiga, lembra? - Catarina fala fazendo cara de cachorro caído do caminhão mudança. 

- Não lembro de ser amigo de vadias. - Seven responde sem nem olhar para ela. 

- Ah é? Quero ver se vai me ignorar depois dessa. - Catarina puxa a cadeira de Seven e vira ele de frente para ela, sem dar tempo para ele pensar, senta nele e o beija. 

Seven sente seu coração acelerar e empurra Catarina, fazendo com que ela caísse no chão. 

- Ai, poxa, como você fica chateado fácil! - Catarina fala se levantando e deitando na cama de Seven

- Deve ter sido por isso que aquele tal de Nathan terminou com você. - Seven diz, mas ele mesmo sabia que estava errado, pois lembrava das mensagens de Catarina para o ex namorado, inclusive pensava que Catarina tinha ficado assim por causa de seu antigo relacionamento. - Sua problemática. 

- Talvez tenha sido mesmo, ele nunca ficava feliz com nada que eu fazia e também me chamava de vadia. - Seven trincou os dentes ao ouvir isso, queria matar Nathan, mas não sabia o porquê. - Mas eu nem ligava, a gente fica cega quando se apaixona. - ela fala e dá um sorriso para Seven que agora a olhava, ele percebia que os olhos dela estavam marejados então apenas envolveu a morena em seu abraço. 

- Ele era um idiota, eu li as mensagens. - Seven falou tentando consolá-la - Mas eu ainda estou chateado com você, que fique claro que esse é um abraço de dó e pena.

Catarina dá uma risada e envolve o ruivo com seus braços e aperta ele bem forte, deixando lágrimas cair de seu rosto, odiava amá-lo, não queria de jeito nenhum sentir isso, estar ali tão perto dele e não poder dizer como sempre se sentiu fez seu coração apertar ao ponto de fazer lágrimas saírem de seus olhos. 

Seven tentou se desvencilhar, mas Catarina não deixou, não queria que ele a visse daquele jeito 

De novo.

- Espera só mais um pouco. - ela pediu e Seven entendeu e a puxou para seu peito, desligou o computador e logo em seguida se deitou, cobriu ela com seu lençol, deixaria ela dormir ali só naquela noite. 

Catarina se aconchegou no peito do ruivo e relaxou, deixando o sono vir.

×××

Os ensaios tinham acabado tarde dessa vez, já era tarde da noite e Bruno tinha ido embora mais cedo porque ia beber com os amigos e dentro do carro dele estava o guarda-chuva de Emely.

Estava lebrinando e Emely ligava diversas vezes para Bruno, ele não atendia de jeito nenhum, tudo bem que eles tinham terminado, mas ela ia gripar daquele jeito e poderia passar a doença para a produção e atores, prejudicando a filmagem. 

A chuva se intensificou e ela respirou fundo derrotada, ficando de cócoras com o queixo apoiado no braço que estava sobre sua perna, tremendo de frio.

- É isso que dar ficar solteira! Você fica abandonada e sem importância! Malditos sejam os homens! - Emely grita revoltada, sabia que estava ali sozinha, tinha ficado até mais tarde ajeitando o cenário.

- Solteira? Então você mentiu para mim Senhorita Emely? - diz Zen cobrindo a ruiva com sua jaqueta de couro preta.

- Z-Ze-Zen? - ela se assusta e acaba sentando no chão molhado, o que fez ela amarrar a jaqueta na cintura e se levantar, mantendo uma distância segura do prateado.

- Você tá com medo de mim, minha senhorita? - Zen brinca mordendo os lábios. 

- Não, mas fique parado bem aí! - ela diz se afastando mais e sem encarar ele

- Senhorita Emely, poderia eu lhe dar uma carona para casa? - ele pergunta pegando na mão dela, a qual ela puxa rapidamente.

- Só se você prometer não me tocar, nem chegar tão perto. - ela fala corada e Zen solta uma gargalhada.

- Você é a primeira garota que me pede isso, mas eu prometo sim. - ele fala abrindo a porta do carro para ela, notoriamente divertindo-se com a situação. 

Emely entra no carro um pouco hesitante e ensina o caminho de sua casa para Zen, que ficou feliz em saber que ficava perto da Mansão RFA.

- Eu até poderia te buscar todos os dias para irmos juntos para as gravações. - Zen fala animado com a ideia.

- Por que não ouvimos uma música? - ela pergunta mudando de assunto e ligando o rádio, estava tocando uma das músicas preferidas dela, Only One da Carlie Hanson, mas o que a surpreendeu foi o trecho que estava tocando.


"Eu não quero estar separado

Eu terei cuidado com seu coração

Porque eu visto o meu na minha manga

Eu não quero estar separado

Então vamos voltar ao começo"


-Viu? Até a música concorda comigo. - Zen fala ao ouvir o trecho e ver a reação da ruiva.

- Você é um abusado. Vou pensar, depois lhe dou uma resposta. - ela fala fazendo bico

- Certo, senhorita Emely. - Zen se rende.

- Pode me chamar apenas de Emi, Zen.- ela fala desconfortável com o jeito que ele estava chamando seu nome.

- Só se você me chamar de Zenny - ele fala encarando ela que ficou vermelha como um tomate.

- Para de brincadeira, Zen. - ela fala dando um soco em seu ombro.

- Estou falando sério, senhori- ele foi interrompido.

- Zenny! - ela gritou - satisfeito? - ele sorriu de lado. 

- Chegamos, Emi. - ele fala estacionando em frente ao apartamento da ruiva.

- Obrigada - ela fala se preparando para sair, mas a chuva ainda estava forte, então Zen a puxou pelo braço levemente, mas ela acabou desequilibrando ficando com o rosto muito próximo ao dele, mas para a surpresa da garota, ele rapidamente se afastou e a soltou.

- Não saia nessa chuva, senão minha carona não vai ter adiantado nada. - ele fala pondo o guarda-chuva na mão dela e depois beijando sua testa. - se cuida.

Emely saiu do carro rapidamente após isso, seu coração estava para sair pela boca, entrou no apartamento correndo, nem sequer abriu o guarda-chuva que Zen tinha lhe entregado.

Zen dirigiu em direção a mansão, que ficava uns 15 minutos da casa da ruiva, o barulho da chuva batendo contra o carro predominava, mas não só ele, o rádio ainda estava ligado, tocando Undone de FFH, era como numa cena de filme, ele apenas acelerou e deixou a música acalmar seu coração, pois estava em sua parte favorita.

I don't think I can drive it home tonight

I don't think I wanna be alone tonight





Notas Finais


Eu demorei porque tô pensando mais no que escrever, para não sair qualquer coisa.
Valeu a pena a demora né?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...