1. Spirit Fanfics >
  2. O amor de um paranormal >
  3. A fúria dos seguidores da Teruhashi

História O amor de um paranormal - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - A fúria dos seguidores da Teruhashi


Fanfic / Fanfiction O amor de um paranormal - Capítulo 4 - A fúria dos seguidores da Teruhashi

•°Saiki Kusuo°•

- Pessoal, hoje teremos queimada mista. - A sala inteira grita (Menos eu), alguns alunos estavam comemorando a vitória e outros fazendo ameaças, sendo que nem o time sabíamos qual era.

Meu plano era: estar distraído e a bola acidentalmente bater em mim e eu sair, pronto!

Parece fácil não? Mas não é.

Se eu simplesmente me deixar ser queimado, o nível de simpatia dos outros comigo irá descer brutalmente, em um nível que nem garotas chegariam perto de mim e que pixariam minha mesa, mas se eu simplesmente me defender de formas exageradas como provavelmente iria acontecer o nível irá aumentar e pessoas que eu nem conheço iriam me comprimentar.

Levanto-me da cadeira e começo a andar para a quadra.

Lá o time foi escolhido, Teruhashi e Hairo estavam no meu time e no adiversário estava Nendou, S/n, Chiyo e  Kaidou.

Olhares de fogo que eu não recomendaria para ninguém eram trocados pelas garotas de times opostos, pareciam dois animais selvagens com fome, eu me perguntava se era a presa.

"Na queimada essa Yeri não pode me acertar! Ninguém nem provavelmente vai querer atirar em uma garota tão delicada como eu! E se ela me acertar, vai ser xingada pelo resto de sua vida!"

É, nisso Teruhashi estava certa, nenhum garoto iria querer acertar ela e quem acertasse ia ser considerado babaca, machista, escroto, sem sentimentos e mais uma par.

Nendou pegou a bola de forma ameaçadora e jogou ela de forma bruta derrubando já quatro pessoas de nosso time.

A azulada se encontrava assustada atrás de mim, a bola passou a centímetros dela.

- Parceiro, Teruhashi, deixarei vocês por último! - Nendou diz.

Kaidou se aproxima lentamente atrás de Nendou se protegendo descretamente.

Eu poderia vingir que meu cadarço desamarrou e quando eu fosse arrumar eu seria queimado. Isso...

Hairo lançou a bola em S/n, mas ela desviou rapidamente parecendo aquele filme lá... Matrix!

Mas depois disso a bola acertou em mais duas pessoas.

Acho que a Yeri foi a primeira pessoa que conseguiu desviar de um ataque do Hairo.

O jogo continuou normal, Chiyo foi atingida e aproveitou o "Impacto forte" para trombar com Kaidou. 

De um lado do time, tinha Nendou, S/n e Kaidou, do nosso lado tinha eu, Hairo e Teruhashi.

Todas as pessoas estavam torcendo pro nosso time, por causa da Teruhashi e Hairo.

 Era de se esperar.

- Deixa eu jogar a bola Nendou! - S/n pede pela milésima vez, o jogo inteiro ela quis jogar a bola, mas estava sendo iguinorada.

- Ah, me desculpe S/n-Chan, estava meio ocupando queimando mais que a metade do time. - Nendou diz entregando a bola pra ela.

- Eu sei, deixa comigo! - Ela sorri e joga a bola, que quase pegou no meu ombro.

Ouvi o grito da azulada e olhei para trás, vendo que ela foi queimada.

O professor apitou indicando que ela estava eliminada.

Com tristeza ela pega a bola do chão e entrega para Hairo, fazendo todos que assistiram ficarem com a consciência pesada, até eu.

Fazer o quê, esse é o poder de Teruhashi sobre os outros.

Mas aí todos os olhares furiosos foram direcionados a morena. Sem prestar atenção ela havia escavado a própria cova.

Hairo lançou a bola e ela estava parada olhando o nada, fazendo assim ela ser queimada.

•°Yeri S/n°•

Sinto a bola se chocar em mim e olho para frente percebendo que fui atingida por Hairo.

Saio do vôlei e vou para o banheiro.

- Teruhashi. - Vejo a azulada lavando as mãos. - Era só um jogo ok? Não leve ao pessoal.

- Eu intendo S/n-Chan, mas como minha rival, agora terá que aguentar a fúria dos garotos sosinha. - Acinto com a cabeça. 

Isso estava se tornando ridículo. Ou... Eu que não estou acustumada ver pessoas se importando tanto com alguém?

Sorrio e entro na cabine.

Me sento na privada e acabo chorando por lá.

Acho que tenho inveja de Teruhashi, ela é linda, carismática e todos se importam com ela...

Qual deve ser a sensação de alguém gostar de você? Por que eu nunca gostei de ninguém. Nunca consegui ter amigos direito, eram todos falsos, ou eram meus amigos por dó.

Aquele dia no parquinho... Eu nunca me esqueci de Saiki.

Ele foi a primeira pessoa que me intendeu. Por mais que fosse ridículo nós termos ainda uns sete a oito anos de idade.

Limpo minhas lágrimas rapidamente. A queimada pode ter durado menos de dez minutos por causa de Nendou e Hairo, mas mesmo assim ainda tinha aula.

Abro a porta do banheiro devagar vendo que não tinha ninguém.

Saio do local e depois de um minuto eu sou cercada por um grupo de aproximadamente 10 garotos.

- Foi você que fez mal a Teruhashi! Yeri S/n, a aluna que não chegou e já está se achando por aí. - Um garoto diz entre os dentes e eu sinto minhas pernas tremerem de medo.

°•Saiki kusuo•°

S/n estava encrencada, sabia que isso podia acontecer de forma rápida.

Não podia me transformar no Hairo e muito menos chamá-lo em sua forma, por que agora ele está treinando com um outro time no vôlei além do mais, uma bola de problemas seria feita já que por exemplo eu apareci lá e o verdadeiro diz que não saiu do local que os outros garotos o encontraram. É confuso.

Eu puxa-los com telecinese só causaria uma distração e eles voltariam a tentar ataca-la.

Não poderia me transformar na azulada por que ela estava por perto.

Olho para cima vendo  um prinkler - Um extintor de incêndio que parece um pequeno chuveirinho no teto da escola, empresa, pode até ter em casa. -

Faço escondido uma linha de fogo com minhas mãos, acionando o mesmo que soou um alarme.

A água começou a cair e os garotos correram para a direção oposta da onde eu estava encondido.

Na hora que eu ia sair eu ouço um barulho de choro, no meio de toda aquela barulheira olho pro lado vendo a Yeri chorar.

Em um movimento sem pensar vou a sua frente, ela olha pra cima e em um pulo me abraça.

Eu acabei ficando paralisado, não sabia o que fazer. 

Nossas vestes já estavam ficando molhadas pelo Prinkler.

De forma incerta e sem sentido eu retribui o abraço. Eu podia sentir sua mágoa por algo.

- Obrigada Kusuo, você é uma pessoa boa que se preucupar comigo. - Te ajudei pra mim não ficar com consciência pesada... - Desculpa se te incomodei, eu acho que você prefere ficar sozinho. - Nesse quesito eu tenho dúvidas.

Ela se afasta de mim e eu também.

- "Existe tanto incômodo na minha vida que eu não me importo mais" - Digo a verdade sendo direto.

Ela sorri e abaixa a cabeça indo embora.

É por isso que eu não falo muito, sinto que fiz merda.

Corro atrás dela e a viro pra mim. 

Apoio minha palma da mão em suas costas e encosto meu queixo no topo de sua cabeça, como ela era um pouco baixa ficava fácil.

- "Você... Não é um incômodo" - Tento ser claro com ela.

Na verdade, acho que era um Hoob meu ser incherido e salvar algumas pessoas quando posso.

- Você não está mentindo não é? - Ela pergunta com a vós chorosa. Realmente estava sensível.

- "Não. É divertido cuidar de você. Você trás bastante problema." - Ela Ri baixo e eu me permiti a dar um pequeno sorriso que ela não viu.

Continua...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...