1. Spirit Fanfics >
  2. O amor de um paranormal >
  3. Festa de Halloween - Uma Yeri bêbada

História O amor de um paranormal - Capítulo 9


Escrita por:


Capítulo 9 - Festa de Halloween - Uma Yeri bêbada


Fanfic / Fanfiction O amor de um paranormal - Capítulo 9 - Festa de Halloween - Uma Yeri bêbada

•°Yeri S/n°•

- Certo, então eu irei liderar o departamento de figurinos. Hoje a escola ficará aberta para podermos nos organizar. Preciso de uma equipe que pegue as medidas, que compre os tecidos e que desenhem os modelos. - Falo anotando tudo na agenda.

Eram apenas sete pessoas contando comigo para fazer uns 37 figurinos.

O sinal bate anunciando o intervalo.

Recolho os papéis em cima da minha mesa e colo em uma pasta.

Já que eu quem estou comandando a equipe que o trabalho seja bem feito.

Passo o intervalo na sala ainda resolvendo algumas coisas. Ainda teria que trabalhar hoje, não conseguirei ir comprar os tecidos com o pessoal. Como era dobradinha quebrada de artes eu terminei de resolver e eles intenderam que eu tinha trabalho.

Eu entro na escola as 8 da manhã e saio às 4:30, fico na cafeteria até às 22:30 da noite mas minha mãe me busca pra minha segurança.

Tanto trabalho pra fazer, o pior é a matéria de física, o trabalho de português...

Hoje eu não durmo...

Depois de trabalhar minha mãe me busca reclamando do trabalho como sempre.

"Eu tive que viajar lá pro centro e blablabla onde tinha um monte de gente que queria ficar mandando em mim blablabla"

Minha mãe sendo chefe de seu departamento não gosta de receber ordens, isso era uma semelhança entre a gente.

Estava estudando bastante e quando percebi eram 4:50 da manhã.

Pra acordar tive que tomar um banho gelado que só!

Nem  ouso a me lembrar...

Sinto um arrepio por minhas costas e visto uma roupa quente.

Coloco minha toca preta e saio de casa já com minha mochila.

Fui para um de meus cafés preferidos que tinham uma vista linda e estudei pra prova de matemática comendo gelatina de café. O que me acordaria para o resto do dia.

Ouço o sininho da porta indicando que mais um cliente entrou, mas quando ouvi as vozes conhecidas misturadas eu olhei pra porta vendo a cambada inteira!

Meus olhos foram diretamente ao rosado que também me encarava.

Levanto a mão chamando eles e eu aproveitei e mudei de mesa pra ficar mais perto deles.

- Nendou fez uma garotinha chorar. - Kaido diz negando com a cabeça.

- Hei! Não foi de propósito. Não é parceiro? - Saiki acente.

- Fomos te chamar na sua casa e sua mãe disse que você estava aqui, então viemos aqui pra aproveitar e comer também. - Kokomi explica.

- Estou bastante ocupada com essa escola PK, são muitas lições por que é fim de bimestre. - Fecho meu caderninho de anotações.

- Eu tava fazendo uma prova e a maioria das minhas questões foram D de Deus! - Mera diz enquanto encarava o cardápio.

- E você já sabe o resultado? - Yumehara pergunta e ela acente.

- Errei metade, a primeira coisa que veio na minha mente foi que minha última resposta era A.

- Mas o que isso tem haver? - Hairo pergunta.

- A de "Adeus nota boa" e "Agora aguente a cinta". 

- Kuboyasu você está bem? - Pergunto percebendo que ele estava calado.

- É que meu pai e minha mãe brigaram, meu pai descobriu os chifres e perdoou ela, mas disse que se ela fisésse isso novamente ele iria colocar fogo nela. - Arregalo levemente os olhos.

- E o que aconteceu? - Reita pergunta.

- Tropecei hoje em um dos vários estintores de incêndio que minha mãe espalhou pela casa.

•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•

- S-S/n-San.  - Olho pro lado vendo um garoto de cabelos e olhos negros.

- Sim? - Pergunto.

- Eu gosto muito de você - ele me estende um buquê de flores - Queria que você fosse minha namorada. - Meu rosto fica corado, não tanto quanto o garoto do primeiro grau.

- Desculpe, mas eu não te conheço. E você também não precisa perder tempo com alguém como eu. Mas obrigada pelas flores. - Dou um beijo na testa do garoto e pego as flores.

Ele sai de lá todo encabulado e corado.

- Olha ela. - Tomo um susto e olho pro lado vendo o rosado.

- hum "Olha ela" o quê? Só rejeitei o menino. - Olho pro buquê de rosas brancas, ele tinha bom gosto. - Utimamente você vem ganhando muita fama Kusuo. - Bato meu cotovelo no seu braço enquanto andávamos pelos corredores.

- Você também. Os garotos não param de falar sobre você. - Faço uma careta e ele ri.

- Credo. É melhor que depois desse projeto não tenha mais nada, não gosto de ser o centro das atençoes.

- Nem eu. - Disso eu já sabia. 

Um dia antes do Halloween

A campainha toca e eu abro a porta vendo três garotas animadas e com suas mochilas.

- Acho que vocês podem avisar quando forem fazer uma festa do pijama surpresa. Existe celular. - Abro a porta deixando elas entrarem.

- A gente combinou isso hoje e vc concordou. - Fecho a porta e faço uma cara de "Lembrei". Mas não, eu não havia me lembrado. 

- Filhote você convidou suas amigas pra passar a noite aqui? - Minha mãe aparece sorridente na sala.

- Sim mamãe. amanhã vai ter a festa de Halloween lembra? - Ela acente.

- Eu adorava as festas de Halloween, eu era a sempre mais arrumada. - Ela diz começando a contar suas histórias loucas de quando adolescente que chegava até a parte de conhecer o meu pai e aí todo mundo já sabe. Por que ela fazia o favor de sempre contar essas histórias.

Resumindo, minha mãe virou amiga de minhas amigas.

- Eu acho que o Xbox ainda tá funcionando... Tinhas uns jogos de danças...

Tivemos uma noite das garotas incríveis, minha mãe com certeza sentia falta de ter minha idade.

[...]

- Bruxinha de novo não né filha! Aí fica chato né. Vem cá vou te dar uma fantasia boa de verdade! - Minha diz e ela me puxa pro seu quarto onde abriu seu guarda roupa enorme.

[...]

Saímos do carro chamando atenção de todos. Kokomi já estava de princesa para a peça, mera estava de maga, Yumehara estava de empregada da casa dos Capuletos e eu estava de...Vampira.

Bota com salto, calça de couro agarrada que marcava minhas coxas fartas, uma blusa ombro a ombro, lentes de contado vermelha, dentes afiados de vampiros e um óculos escuros. Pra ter aquele charme.

- Vamos logo estão me olhando de mais. - Falo pras três.

- É impossível não te olhar também, está parecendo uma adulta mafiosa. - Chiyou diz e eu sorrio de lado mostrando minhas presas. Falsas é claro, mas eu queria que fossem verdadeiras.

Fomos para os bastidores e eu fiz o cabelo da Senhora montéquio, que era uma trança embutida.

- S/n!? Nem percebi que era você... - Hairo aparece e eu sorrio - Vai participar da disputa de fantasias? 

- Não está nos meus planos, mas talvez. - Tiro o óculos de meus rosto.

Nos despedimos e voltamos para a plateia.

Encontrei um certo rosado e me sentei do seu lado.

- Você também está de vampiro. - Digo surpresa. - Mas você está tão fofo... - Acabo rindo.

- Não era pra mim ser fofo, eu não sou fofo. Eu sou mal. - Paro de rir quando as cortinas se abrem iniciando a peça.

[...]

Todos estavam gritando e aplaudindo, Kokomi tinha seu futuro como atriz.

O que uma garota bonita não faz não é mesmo?

- Vamos pro corredor do Terror? - Nendou pergunta ao lado de Saiki.

- Sim! Por mais que eu tenha medo adoro o corredor do Terror. - Coloco meu óculos escuros pendurado em minha blusa e nós passamos pelo corredor sombrio que daria ao do Terror.

O local estava vazio...

- Então eu acho que eu ouvi minha mãe me chama... - Kaido começa falando mas o Interrompo puxando-o novamente para onde estávamos.

Entramos no local em que eu não enchergava quase nada.

- AAAHH! - Solto um grito quando sinto algo passar por meu pé. Era só um brinquedo.

Um cara fantasiado de fantasma foi assustar Nendou, mas Nendou que assustou o cara.

Rio internamente. Mas Saiki não levava nenhum susto, talvez por que ele já saiba pelo o que vai vir.

Um Jason aparece a sua frente e ele fica parado com cara de Tacho, o que me fez revirar os olhos, tão debochado...

Kaidou discretamente vai para trás de Nendou, se protegendo de qualquer coisa.

Meu corpo congela ao ver dois palhaços no final do tunel, eles estavam com tacos de basebol e machados ensanguentados, sangue falso claro... ESPERO!?

me escondo atrás de Saiki e pucho sua capa chamando a sua atenção. Ele intendeu exatamente quando me viu trêmula.

- Feche os olhos, eu te guio até a Saída. - Ele segura em minha mão e eu fecho os olhos. - Pronto.

Abro os olhos percebendo que estávamos do lado de fora.

Sorrio aliviada e sinto minha barriga falar.

- Estou com fome. - Kaidou cerra os olhos.

- E quando não está? - O azulado cruza os braços como se nem tivésse morrido do coração ou se escondido atrás de alguém (Vulgo Nendou).

Caminhamos até às barraquinhas de comida e eu comprei um cachorro quente dos bons!

- Logo logo a festa de verdade irá começar. Eu já vou indo pra ver os últimos preparos, tchau! - Hairo se despede.

- Ia ter festa? - Kaido pergunta e eu também fico na dúvida.

- Sim, ela acontecerá das 6:00 até às 11:00. - Saiki confirma.

- Uooou.

[...]

- Céus! - Chiyou diz enquanto entramos no lugar.

- Que lugar enorme! - Kobuyasu diz.

- Aí sim. - Digo alegre vendo algumas bebidas que tinham fumaça. Viro o líquido na minha garganta sentindo a mesma arder. - Acho que tinha álcool.

- Você acha? Só é um líquido colorido nada suspeito que tem gelo seco. - Kusuo diz ao meu lado de forma ciníca.

- Mas é bom experimenta.

- Não.

- Ah vai! Só um não vai fazer mal!

Ele bebe um líquido azul e faz uma pequena careta.

- O azul eu já não sei, eu bebi do vermelho. - Começo a rir com medo.

- Yeri S/n, suba aqui em cima para se apresentar. - Tão me chamando? Fico confusa...

- S/n-Chan, te inscrevi no concurso de fantasias, você tem que ir lá e fazer uma apresentação. Esqueci de te avisar antes... - Hairo coça a cabeça e eu corro rapidamente pro palco.

Digo a música para o DJ e pego o microfone.

É improviso, mas não posso deixar isso na cara!

A primeira música começa a tocar chamando a atenção de todos para o palco onde estava eu, com minha calça de couro!

Mamãe sentiria orgulho!

- "No dia que eu, te conheci você me disse que nunca se apaixonaria. Agora eu intendo que medo era o que realmente era. "- Minha vós ecoou por todo o local de forma firme e forte. - " Agora aqui estamos nós tão perto, mas tão longe, eu não passei no teste? Quando você perceberá amor, que eu não sou como  o resto?" - Meus olhos não intensivamente acabaram caindo no rosado que estava sentado na cadeira, ainda do lado das bebidas. - " Quando seus lábios estão nos meus lábios, então nossos corações batem como um só" - Meu coração realmente acelerou quando eu olhei pro Kusuo novamente, ele estava focado em mim -  Mas você só escapa da ponta de meus dedos toda vez que você foge!" - Solto um agudo estendido como a música pedia fazendo as pessoas gritarem e eu fechar os olhos enquanto sentia a intensidade da música correr por minhas veias e um arrepio por meus ombros.

Quando a música acabou todos aplaudiram e eu faço uma reverência entregando o microfone pro professor que estava como apresentador.

- Arrasou! - Mera diz e eu bato minhas mãos com a dela.

- Foi improviso de dois segundos. - Digo começando a rir e ela fica surpresa.

- Me conta direito...

[...]

- Acho que era melhor você não ter bebido. - Saiki diz me segurando.

- Mas eu quero mais coloridinho! - Falo de forma chorosa enquanto ele me puxava pra longe da mesa. - Eu preciso de um lugar pra descançar. E você também.

Empurro ele pro sofá e sem pensar sento no colo dele me reconfortado.

- Eu estou com tanto sono... - Escondo meu rosto em seu ombro e caio no sono.

°•Saiki kusuo•°

Ela estava completamente bêbada...

Olho para os lados tentando descobrir se alguém "Presenciou a cena" e eu respiro aliviado.

- Parceiro? - Olho pra direita vendo Nendou. Fudeu...

- Ela está bêbada. - Digo rapidamente e ele apenas sorri.

- Relacha, eu não vou contar pra ninguém. - Ele sorri. - Fico feliz que você está perto de quem gosta. - Eu não esperava por essa reação.

Ajeito a Yeri no sofá mas mesmo assim, ela não desgrudava de mim e sempre resmungava. Ainda eram 9:00.

Céus, ela parecia uma criança bêbada.

Coloco-a nas minhas costas e saio de penetra do lugar.

Me teletransportei para minha casa, na sua ainda havia gente e o pai dela não teria uma boa reação comigo aparecendo lá derrepente com sua filha dormindo.

Coloco ela em minha cama de forma confortável e só agora ela se meche abrindo os olhos.

- Saiki... - Ela diz sonolenta e me puxa pra deitar ao seu lado. - Fique comigo, eu gosto de sua companhia. Você me trás paz. - Ela esconde seu rosto em meu peitoral me fazendo ficar um pouco perdido com suas ações.

Tirando o fato que estávamos com calçados e eu também estava um pouco bêbado, estava confortável estar do lado dela.

Me sento na cama e tiro meu tênis e depois sua bota.

Puxo meu cobertor e cubro nos dois enquanto eu olhava para seu rosto sereno enquanto dormia. Dessa forma ela não parecia a garota agitada que era.

Passo de forma confortável meus braços por suas costas a trazendo mais para mim.

O sono já estava vindo com tudo e com certeza eu teria dor de cabeça.

Continua...


Notas Finais


Música que a S/n cantou é da Demi Lovato - Given your heart a break
https://youtu.be/rlJsL6MDo4o

Até a próxima 'Garela!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...