1. Spirit Fanfics >
  2. O Amor do Lord das Trevas (Voldemort e Nico) >
  3. Ameaça

História O Amor do Lord das Trevas (Voldemort e Nico) - Capítulo 8


Escrita por:


Capítulo 8 - Ameaça


Severo On

Abro meus olhos, por um momento me assustei ao sentir um corpo contra mim. Eu não levo mulheres para minha casa, na verdade eu não transo com ninguém desde que perdi a Lily. Olho para o lado e sorriu, ao me lembrar quem está do meu lado. Meu amor e minha vida, Lily Evans voltou para mim. Abraço seu corpo nu, fazendo ela se aconchegar em mim. Estamos ambos nus, de certas atividades da última noite. Fecho os olhos, eu à amo tanto que faria tudo por ela. E isso só é possível, graças à Nico Di Ângelo, ele tornou meu sonho realidade. Porque agora posso ser feliz, afinal eu tenho ela junto a mim.

Mas estou preocupado, com Draco. Afinal ele é meu afilhado, eu devia proteger ele. Mas não consegui, agora Dumbledore lhe tirou a inocência. O machucar da pior forma possível, agora ele está traumatizado e depressivo. Com medo de que aconteça novamente, mas não vou deixar isso acontecer. Vou alertar meus Alunos, para que não fiquem sozinhos com o Diretor. Não posso deixar isso se repetir, porque meus alunos não devem passar por isso. Eu quero que Alvo pague, por tudo que fez aos alunos. Me pergunto que outros ele fez isso, quantos sofreram esse destino na mão dele?

Pelo menos eu já fiz a poção, vou garantir que ele não tenha mais nenhum desejo por Alunos. Até mesmo já mandei o Elfo colocar na bebida do Diretor, garantido que ele não possa fazer mais sexo. Não vejo à hora que ele morra, com ele fora do caminho nossos planos podem se encaminhar melhor. Resolvo me levantar, afinal hoje é o dia do Casamento do Nico com Lord das Trevas. Mas estou nervoso, afinal vai ser no Submundo e não faço menor ideia de como vai ser.

Quando saio da cama, Lily ainda não acorda. Vou deixar ela dormir mais um pouco, vou até meu armário e pego minhas típicas roupas pretas. Desço para a cozinha, onde começo a fazer o Café. Depois de tanto tempo sozinho, eu finalmente me sinto feliz. Tudo graças a Lily, quero ter uma Família com ela e eu tenho permissão do Lord das Trevas. É quando ouço passos, toda vestida vem Lily. Usando um vestido longo verde, com espartilho em prata. Quando me vê diz.

- Bom Dia, Sev! - Sorriu, eu venho fazendo muito isso desde que ela voltou. Lily me faz um homem melhor, me torna feliz. Pela primeira vez em muitos anos, eu vejo um futuro brilhante para mim. Um que não inclui eu morrendo, pela mão de Alvo ou de Voldemort.

- Bom Dia, meu amor. Hoje temos um Casamento para ir, que inclui um Baile. Nossas roupas para o Evento, vai ser dadas pelo Submundo. Temos que tomar Café e ir para Riddle Manor - Ela sorriu, e eu me derreto. Lily só se lembra das coisas boas de Hogwarts, quando ainda éramos amigos.

- Ok, estou com fome! O que temos para o Café?

Sirvo à comida e comemos, em silêncio. Simplesmente aproveitando a companhia um do outro. Agora só esperar o casamento.

Tom On

Eu vou admitir, eu estou nervoso! Afinal hoje é o dia do meu casamento, o meu noivo está feliz, parece muito animado para estar comigo. Eu o amo, e quero estar do seu lado. Mas devo admitir que estou com um pouco de medo de Hades, ele pode me matar com um estalar de dedos. E se eu não for o bastante para o filho dele? Não gosto de pensar, no que ele faria comigo. Está quase na hora de ir para o Submundo. Muitos dos meus Comensais já chegaram, só falta Severo, Lily e a Família Malfoy. Espero que Draco esteja melhor, têm certas coisas que não suportam que é abuso de Crianças. 

É quando da Lareira aparece aqueles que faltavam, fico firme não mostrando nenhuma emoção. Mas ainda estou nervoso, não posso impedir dessa emoção se infiltrar em mim. É quando sinto uma mão na minha, vejo que é Nico sorrindo para mim. Então ele se vira para os outros Comensais e fala.

- Primeiro vai ser feito um Almoço, logo depois um Tour pelo Submundo, então vai ter o Casamento e então o Baile. Todos entenderam? - Percebo que a maioria, está um pouco nervoso. Acho que descobrir o que têm após à morte, faz isso com a pessoa. Mas ele concordam mesmo assim - Continuando, eu sei que no Mundo Bruxo vocês são a Elite. Mas no Submundo, vocês não passam de Mortais que são Bichos de Estimação de Hécate - Arregalo os olhos, como quase todos, acho que ninguém esperava por isso. Então Belatrix falou.

- SOMOS BRUXOS! Não somos bichinhos de estimação de ninguém! - À maioria concordou, menos os Malfoys e os Snaps. Eu escolhi ficar em silêncio, ao ver o olhar de Nico. Acho melhor deixar ele resolver isso sozinho, porque ainda não entendo completamente o seu mundo.

- Cala Boca, Belatrix. Você não sabe nada sobre o meu Mundo, a único ser que está abaixo de vocês são os Mortais que não são bruxos - Ele olha para cada Comensal - Todos no Submundo, são Seres Mitológicos. À Maioria são Deuses, que são imortais e podem matar vocês com um simples estalar de dedos, só porque disseram à coisa errada. E acredite se fizerem isso, eu não vou salvar vocês - Eles confirmaram, o tom do Nico era duro e sem espaço para erro - Agora pegue às mãos e fecham os olhos, se abrirem não me responsabilizo pelo que pode acontecer

Todos dão as mãos, mesmo que pareçam desconfortáveis. Fecho os meus olhos e então sinto frio, medo e ouço gritos horrendos. Sou tentado a abrir os olhos, mas me forço a permanecer com eles fechados. É quando tudo para, sinto minha mão ser solta. Abro os olhos e prontamente os Arregalei, estou num castelo e é lindo. Tudo é preto e prata, mas o que me assusta são os fantasmas e os esqueletos. É quando a porta é aberta, quem entra é uma mulher de longos cabelos ruivos e olhos verdes, ao seu lado um homem alto de cabelos cacheados e negros, seus olhos era igualmente negros.

- Pai, Mãe! - Nico correu até eles e o abraçaram, a mulher sorriu e beijou ambas a face do meu noivo. Enquanto que o homem sorriu, colocando uma mão sobre o ombro do Nico. Sou tentado a me aproximar, mas um olhar do homem me petrifica no lugar. Logo meu amor, puxa os dois para nós e homem diz.

- Faz muitos desde da última vez que nos vimos, sou Hades e essa é minha esposa Perséfones - À mulher sorri brilhantemente para mim e me mostra a mão, à pego e à beijo. Nico me ensinou às maneiras de tratar um Deus, ela sorriu para mim e falou. 

- Nico, me apresente todos outros convidados. Deixe seu pai, falar com Tom - Ela leva o Nico para longe, me deixando sobre os olhares de Hades que parecia me julgar com os olhos. Mas vou ser forte, preciso mostrar para esse Rei que mereço o Nico.

- Eu não concordo com a Guerra que você está travando - Por essa eu não esperava, mas mesmo assim aguentou seu olhar - E Nico já passou por Duas Guerras, eu não concordo que ele lute numa Terceira, se algo acontecer com ele. Você que irá pagar, entendeu? - Respiro fundo e digo.

- Eu entendi, Vossa Majestade - E então ele sorriu, como se não tivesse acabado de me ameaçar. Fomos até os outros Comensais, que pareciam observar tudo com cuidado. Perséfones falava com Lily, acho que sobre plantas. Quando Nico me viu, veio até mim e me abraçou.

- Tom, eu tenho que fazer algumas coisas. Porque não fica com Severo e Lucius, enquanto que falo com Draco. Minha mãe vai levar às mulheres para o Jardim, os outras vão receber aulas com meu Pai sobre como se portar com outros Deuses

Faço sim com à cabeça e ele me beija, só para ir com Draco depois.

Draco On

Eu me sentia estranho, estou feliz por estar aqui. Porque esse Nico Di Ângelo, parece ser uma boa pessoa. E parece ser tão feliz, até mesmo o Lord das Trevas parece feliz. Todos menos eu, porque estou com medo de voltar para Hogwarts. Enfrentar novamente Potter e o Diretor, é quando sinto uma mão em meu ombro. Sou levado até uma varanda, pelo consorte do Lord. Ele sorri para mim e diz.

- Eu sei o que aconteceu em Hogwarts - Fico pálido e não encontro seus olhos - Não precisa ficar envergonhado, eu te entendo. - Franzo o cenho, como ele pode me entender. Tudo parece ser perfeito na vida dele.

- Como você me entende? - Por um momento sinto raiva, por ele dizer que me entende. Uma coisa que sei, não ser verdade.

- Eu passei por algo parecido. Eu morava num acampamento, e era apaixonado por um Filho de Apolo, ele me convidou para um Piquenique e então tentou me estuprar - Ele olhou para outro lado - Eu o matei, antes que ele me machucasse. Mas meu castigo, foi ser expulso do lugar que eu chamava de lar e meus amigos me viraram às costas - Pego em sua mão e nos abraçamos, porque nos entendemos em nossa dor.

 


Notas Finais


O QUE ACHARAM?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...