História O amor do Luar - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Inuyasha
Personagens Rin, Sesshoumaru
Visualizações 21
Palavras 1.703
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Hentai, LGBT, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 14 - Chegou a hora! Nasce meu filho!


Quando acordo, estou em uma espécie de cama, eu não sabia o que era e nem o que estava acontecendo.

Pessoas colocavam algo brilhante em meu olho e eu fechava com a dor.

Abri os olhos e me sentei. Vários médicos olhavam pra mim fascinados. Olho para minha barriga quando sinto um incomido na mesma, vejo que ela estava maior.

- Quem são vocês? - Eu pergunto com dificuldade e ponho a mão em minha cabeça.

- Faremos alguns exames em você, já que você está grávida, não podemos deixar qualquer sintoma estranho passar. - A moça diz, ela tinha uma estranha máscara azul em seu rosto.

A palavra grávida rodava em minha cabeça, mas, se eu estou grávida, quem é o pai?

- Quer que eu arrume a sua cama para você? - Ela pergunta gentil e eu assinto. 

A cama se meche sosinha e eu me desespero.

- Calma, isso é normal. - Respiro fundo me controlando. - Você se lembra de algo? - Eu nego com a cabeça.

- Eu... Eu só sei que... Eu me lembro de alguém, alguém com olhos ambares e um cabelo branco  - a moça faz uma cara de desentendida e me entrega algo que reflete a minha imagem.

- Você deveria estar se confundindo consigo mesma - Ela sorri. - Deixarei você descançar, qualquer coisa o controle da TV está aqui. 

"Controle"? "TV"? Pego aquela "Caixinha" e aperto em um botão vermelho vendo algo se acender a minha frente.

Tinha uma mulher com algum tipo de folha em suas mãos.

- "O caso da mulher que foi achada no lago, recebemos recentemente notícias de que ela acordou e de que está grávida de 4 meses, essas informações só foram registradas agora, segundo os médicos ela não se lembra de nada. O que mais nos atrae é a sua beleza peculiar, seus olhos amarelos cor de ambar e seus cabelos platinados, e o mais importante, a marca de Lua em sua testa. Segundo profecias japonesas existiam Youkais e Daí-Youkais a mais de 500 anos, segundo a sua marca, ela pertencia ao clã da Lua, o clã do Deus da Lua. Mas até agora, além de sua aparência, ela não demonstrou nada peculiar, o que temos de sua identidade até agora é só uma teoria." - A mulher da TV continha a dizer algo sobre eu receber altas doações para o tratamento e de que este fato está sendo comentado no mundo inteiro.

A palavra "Daí-Youkai" Me era muito conhecida. Olho o meu reflexo e passo minha mão no "objeto", eu certamente me lembrava de alguém que não era eu.

A porta é aberta e vejo vários flexes saírem de dentro dela e uma garota e um senhor de idade entrar pela mesma, a menina usava mais uma daquelas roupas estranhas, ela era curta, verde e branca, o velhinho já me usava uma roupa azul pouco familiar.

- Quem são vocês? - Pergunto.

- Eu sou Kagome Higurashi e esse é o meu vô. - Ela sorri. Dou um fraco sorriso e o velhinho me olhava com os olhos arregalados.

Ele se ajoelha no chão e eu estranho.

- Kagome! Ela é a Deusa da Lua, a respeite! - O velhinho diz com a voz um pouco fechada por causa que ele estava apoiado sobre o chão.

Solto uma risada.

- Não precisa disso, você pode se machucar desse geito. - Ao tentar sair da cama vejo que algo prendia meu pulso, soltei com facilidade e ajudei ao velho se levantar. Ele me olhava sorrindo e eu dei um outro de volta. - Vocês sabem quem eu sou? Eu não me lembro de nada, nem de como eu consegui esse bebe... - Passo a mão em minha barriga.

Poderia ser estranho, mas eu me sentia extremamente feliz com aquela criança dentro de mim.

- Eu acho que você não é dessa época, está bem claro de que você é uma Youkai, ou melhor, uma Daí-Youkai. E você é do clã do irmão do Inuyasha, o clâ Taicho. - Ao ouvir esse nome minha cabeça gira, coloco a mão na mesma e me sento na cama. - Você está bem!? - Kagome se aproxima de mim.

- Sim, eu estou - Sorrio. - Eu quero ir embora daqui, poderiam me ajudar? - Eu olho para os dois esperançosa.

- Faremos o possível - O velhinho fala alegre e eu sorrio. Eu gostei dele, gente boa!

[...]

Depois de uma semana eu saí do hospital, aparentemente eles mentiram e disseram que meu nome é Naomy Higurashi, assim eu me chamaria daqui para frente.

Durante alguns meses, Kagome ficou fora, pelo o que eu intendi ela passava por um poço, eu fiquei muito curiosa para saber  como era aquilo! 

- Mamãe, vovô, sota, Näömy, cheguei! - Ela entra sorridente no local.

- O irmão cachorro veio? - Sota pergunta animado.

- Uhum. - Vejo kagome concordar e um homem alto de olhos amarelos e cabelos prateados entra. Os olhos não eram ambares quanto o de alguém que eu conhecia...

O cara de roupa vermelha olha pra mim confuso e com a cara assustada, logo olha para minha barriga e pra mim novamente.

- Era sobre isso que você pré usava de minha ajuda Kagome?  - O cachorro pergunta.

- Sim. Exatamente isso.

[...]

Quando sota foi dormir nos reunimos na sala onde o tal de Inuyasha iria contar o que eu sou. Eu estava nervosa e ansiosa.

- Então, Näömy, sugiro que você não seja dessa época, que você seja de uma época maia antiga até do que eu. A marca, a sua marcação que você tem, é de meu irmão, e a energia maligna também é da família Taicho. - "Taicho" De novo esse nome... - Você era uma humana, e por algum motivo você foi trazida à mais de 1000 anos para o futuro. Já que por o que sei Sesshomaru marcou uma fêmea a mil anos atrás  - Ele suspira.

- Sesshomaru... - Eu repito olhando para o nada - Sesshy... - Arregalo os olhos.

Uma imagem de um homem se forma em minha mente, ele usava uma armadura e um tipo de "Cachecol" em volta de si, seus olhos pareciam ouro derretido e seu olhar matava qualquer um que o encarasse, seus cabelos platinados brilhavam quando a luz da Lua batia em seus cabelos. Foi quando eu me Lembro...

"Não! Rin! Acorde, acorde por favor" Ouço uma voz sofrida ecoar por minha cabeça.

"Eu te amo Sesshomaru"

- Eu amava Sesshomaru, Sesshomaru me amava - Passo a mão em meus cabelos, eu estava agoniada.

- Querida não se estresse! Pode fazer mal para o bebê! - Eu me acalmo por meu filho.

- Rin...

- O que? - Kagome pergunta.

- Meu nome é Rin Taicho  - Olho pra ela.

- Devo admitir que combina melhor do que Kagome - O vô de Kagome fala e eu rio junto a todos.

Era um grande avanço, eu já sabia o meu nome, de quem eu amava e de quem era o pai da criança, mas eu não sei dos detalhes...

- Eu quero dormir, boa noite. - Me levanto e saio da sala.

- Inuyasha dormirá aqui hoje, amanhã de manhã partiremos  - Ouço Kagome falar. Ela era uma boa garota, a minha melhor amiga!

°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•

Almoço sentindo algumas dores mas eu deixo aquilo pra lá, aliás de uns dias para cá eu já estava sentindo essa dor, eu sabia que o bebê poderia nascer a qualquer momento mas não seria hoj...

Sou interrompida por uma forte dor e sinto um líquido escorrer por minha apenas.

- Tchau mãe, tchau vovô, sota e... - Kagome olha pra mim e arregala os olhos - Rin! Sua bolsa estourou! - Todos correm até mim e me ajudam a se levantar 

- Não poderemos ir ao hospital, se a notícia ir ao ar novamente você será caçada! - Diz o vô de Kagome.

Com ajuda eles me levam para o meu quarto e forram a cama com panos e pegaram até uma bandeirinha com água morna. Inuyasha foi fazer algumas ervas rapidamente e ele volta ao quarto com elas em mãos.

- Partos de meio-Youkai tendem a sofrer mais por que você não está acustumada, mas, eu não sei a quanto tempo você está "Transformada" e o quanto de tempo você foi humana, mas, se concentre. - Diz Inuyasha.

- Empurre Rin, só empurre!

- Aaahhh  - Faço força e empurrou o que eu posso, respiro fundo e volto a fazer força - Nasce logo meu filho! 

- Estou vendo a cabeça! - Grita a mãe de Kagome entusiasmada.

- Vai Rin, mais um pouco! - Fala Kagome.

O velho e sota estavam do lado de fora do quarto.

Penso em Sesshomaru, eu posso não me lembrar dele mas sei o suficiente que eu o amava. E pensar nele me insentivou ainda mais a fazer o nosso filho nascer!

Ouço um choro agudo e Kagome corta o cordão umbilical logo banhando o pequeno.

Eu choro de emoção e Kagome me entrega o pequeno. Ele estava de olhinho fechados, eu sabia que demoraria uma semana no máximo pra ele abrir os olhos, seus cabelos eram negros e eu via em seus bracinhos e em sua testa as marcas de Youkai.

- É um lindo menino - A mãe de Kagome fala.

Sorrio.

- Meu bebê  - Eu falo emocionada.

- Qual será o nome dele? - Inuyasha pergunta, ele não queria admitir mas estava emocionado sim! - Escolhe um bonito, se não Sesshomaru vai obrigar a escolher outro - Ele ri e limpa rapidamente uma lágrima de seu rosto.

- Vai se chamar Takeshi. - Olho para inuyasha - Sesshomaru irá vê-lo? - Eu pergunto curiosa.

- Seria o certo, quinhentos anos sem nem ter um sinal de sua amada  - Kagome diz sorrindo boba.

- O que vocês ainda estão fazendo ai? Saiam, Saiam! Eu tenho que ajuda-la a ensinar a amamentar. - A mae de Kagome fala e expulsa os dois da sala.

°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•

Com a ajuda da senhora Higurashi eu troco o meu pequeno e lhe dou um outro banho com sua ajuda, o colocamos para dormir e em fim eu pude descançar.


Continua...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...