História O amor é imprevisível (taekook) - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Kooktae, Kookv, Namjin
Visualizações 83
Palavras 7.546
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Slash, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Cheguei antecipadamente sim! Postando Cap hoje pois amanhã não poderei amores. Espero que gostem.
Boa leitura.

Capítulo 5 - Amizade


Fanfic / Fanfiction O amor é imprevisível (taekook) - Capítulo 5 - Amizade

[…]

(Taehyung)

O último sinal havia tocado, com calma guardo o meu material e organizo minhas coisas para ir embora. Jungkook saiu da sala a alguns minutos e ainda não voltou. Me levantei e fui até sua mesa, guardei seus livros e cadernos e guardei tudo em sua mochila. Peguei sua mochila e sai da sala junto aos outros alunos que também saíam, olhei para os lados na intenção de encontra-lo mas não achei. Kihyun vinha em minha direção ao lado de jae bum e Daeun, sorri grandemente ao ver daeun, ela é sempre gentil e simpática.

Daeun: oi tae, você está melhor ? Perguntou após se afastar de um abraço prévio, franzi o cenho confuso pois até onde eu me lembro, eu pedi pro kihyun não contar nada pra ninguém.

Taehyung: eu estou bem, obrigado por perguntar. Respondi calmo ainda procurando por jungkook que saia de uma sala junto com o irmão jimin, estavam aparentemente irritados com algo ou alguém. Caminharam em minha direção com calma, ao se aproximarem entreguei a mochila do jungkook e recebi um beijo em minha bochecha como agradecimento. 

Arregalei os olhos e corei ao receber aquele beijo, o loirinho ao lado sorriu rasteiro quase saltitante. Kihyun fez uma cara azeda e só aí eu pude assimilar que jungkook fez isso para provoca-lo e deu bem certinho.

Olhei bem nos olhos do jungkook ainda sem entender nada e vi seus dentinhos avantajados novamente. Que menino bandido, mas eu gostei.

jimin: você vai pra casa taehyung ? O loiro perguntou sorridente e eu fiquei novamente sem intender.

Taehyung: eu acho que sim. Respondi por impulso e sem saber o que tava rolando. Jungkook balançou a cabeça negativamente para o irmão que apenas sorriu rasteiro e acenou se despedindo. Jungkook tem muita coisa pra me falar.

Kihyun: quer que eu te acompanhe até em casa ? Segurou em minha mão e sorriu tão meigo que meu coração derreteu, olhei pro jungkook e vi o acastanhado fazer uma cara séria e cruzar os braços.

Taehyung: obrigado yoo, mas eu vou com o jungkook, temos algumas coisas para resolver juntos. Tirei minhas mãos das suas e peguei na mão de Jungkook, kihyun ficou pasma ao ouvir minhas palavras e imóvel ao mesmo tempo. Continuei a segurar na mão de Jungkook até sairmos da escola, continuamos andando e eu nem percebi que ainda estava segurando em sua mão. Olhei para ele e vi um sorriso enorme em seus lábios.

Jungkook: eu deixo você segurar minha mão. Sorriu fofo e apertou de leve a minha mas soltei sua mão logo em seguida, estou tão envergonhado.

Que raiva !

Taehyung: você não precisa me acompanhar até minha casa, eu falei aquilo para tirar o kihyun de vista. Argumentei seco enquanto jungkook entrava em uma gargalhada sem fim, o olhei confuso e ele fez um bico.

Jungkook: acha mesmo que eu não gosto de ficar o maior tempo possível ao seu lado ? Chutou pedrinhas invisíveis a sua frente enquanto caminhávamos sobre os paralelepípedos da calçada.

Taehyung: eu agradeço por isso. Sorri meigo e totalmente bobo por esse menino. Vimos um cachorro meio brabo vindo em nossa direção e já ficamos com medo.

Jungkook: por que esse cachorro está vindo com tanta raiva para cá ? Perguntou com medo antes de correr pra trás de mim, dei de ombros e abri a nova maratona antecipada.

Taehyung: AHHHHHH corre jungkook. Gritei enquanto berrava que nem uma gazela no meio da rua. Jungkook passou de mim que eu nem vi, até o cachorro cansou mas eu não. Continue a correr até atravessar a rua e ver jungkook apoiado nos joelhos recuperando o fôlego.

Jungkook: por que você não brigou com ele ? Perguntou meio baixo por conta da falta de ar. Olhei pra trás e lá estava o cachorro indo embora como se nada estivesse acontecendo. Olhei para os lados e vi algumas pessoas a sorriram de nós, fitei jungkook e comecei a gargalhar descontroladamente.

Eu nunca na minha vida tinha corrido de algum cachorro raivoso mas pra tudo tem sua primeira vez, não é mesmo ? Respirei um pouco antes de voltar a caminhar, jungkook me esperava paciente e calmo. Olhei para ele e voltamos a andar, eu fiquei desconfiado e com medo do cachorro então fiquie bem próximo ao jungkook.

Jungkook: podemos tomar um sorvete ? O que acha ? Sugeriu sorridente enquanto me olhava esperando pela resposta. Hoje eu preciso ir ao meu trabalho mas jungkook está sendo tão educado e gentil seria ruim da minha parte negar seu convite.

Taehyung: vamos ser rápidos ok ? Argumentei e vi o mesmo fazer uma cara confusa sem intender. - eu preciso ir para o meu trabalho hoje Jungkook, nem que seja pra mostrar minha cara para o senhor Mioon, ele me compreendeu e eu acho que deveria considerar seu esforço. Falei manhoso e fazendo caras e bocas para o acastanhado que sorriu fofamente e pegou em meu braço.

Jungkook: então vamos, podemos pedir nosso sorvete e ir comendo no caminho para sua casa assim você não se atrasa, tudo bem ? Argumentou novamente sorrindo meigo para mim, concordei enquanto andávamos as pressas até a pequena sorveteria na esquina.

Atravessamos a avenida juntos e com rapidez pois não queremos ser atropelados. Entramos no pequeno estabelecimento onde haviam poucas pessoas que nos olhavam um tanto curiosos mas logo voltaram aos seus afazeres.

- Boa noite senhores, qual sabores ir ao pedir ? Um homem de uniforme se aproximou sorridente. Jungkook fez um bico pensativo enquanto olhava todos os sabores sobre o balcão.

Jungkook: eu quero chocolate e flocos por favor. Sorriu gentilmente para o homem que anotou seu pedido em um caderninho.

Taehyung: eu quero de morango e chiclete. Respondi empolgado pois amo a combinação de ambos, pois os dois sabores são uma delícia. 

- um momento. Se afastou em direção às colheres frizzers que ali haviam. Vi jungkook me olhar com uma cara de deboche que deu vontade de socar aquela cara linda.

Jungkook: um tanto infantil, não acha ? Perguntou tirando graça da minha cara, fiz um bico e fingi que nem liguei. Ouvi novamente ele sorrir e pegar meu queixo com leveza e calma.

Jungkook: você é fofo sabia ?! Ergueu as sobrancelhas permanecendo a me olhar com tanto carinho e ternura. Já ouvi que eu sou fofo muitas vezes estou começando a acreditar.

Taehyung: eu sei, minha mãe vive a me dizer isso. Gargalhei envergonhado junto a ele mas logo paramos ao ver o mesmo homem voltar com dois sorvetes na mão. Jungkook pegou a carteira e eu peguei a minha óbvio mas fui interrompido por uma mão coberta de veias e quente.

Jungkook: eu te chamei, eu pago, uh ? Sorriu convencido e eu apenas deixei de mão, já que ele faz questão quem sou eu para querer discutir com esse lindo. Ele pagou e logo saímos da pequena sorveteria, voltamos a caminhar pela calçada passamos o resto do percurso sem dizer um "a" já que nossos sorvetes estão tão atraentes e deliciosos.

Faltava poucos metros para chegar em minha casa, estava tão gelado que comi um pedaço grande e senti uma grande pontada em minha cabeça e vi jungkook rindo de mim.

Jungkook: acontece, mas é horrível. Falou sarcástico voltando a comer seu sorvete, concordei e voltei a andar piscando com força.

Estou pensando no que vou fazer quando tiver aquele rosado a minha frente, eu vou fingir que não sei de nada pois não posso chegar nele dizendo coisas que eu não sei se são verídicas. Talvez, só talvez jungkook tenha dito estas coisas para também me afastar dele, mas eu preciso averiguar os dois lado da moeda não só a parte que me agrada e da pessoa que me agrada. Chegamos a frente de minha casa e basicamente a metade de todo o sorvete já havia ido embora, olhei pro jungkook que sorria fraco meio corado.

Jungkook: podemos resolver amanhã essa questão das matérias perdidas. Respondeu baixo enquanto comia seu sorvete.

Taehyung: aí ainda tem isso pra resolver. Coloquei a mão em minha testa em preocupação. - você está livre no sábado a tarde ? Perguntei torcendo pra que ele falasse sim, vi ele fazer um biquinho fofo enquanto pensava.Jungkook: sim, geralmente eu saio com meus irmãos para o shopping mas eu posso ficar em casa. Sorriu fofo e fez uma carinha super fofa que deu vontade de apertar aquelas bochechas.

Taehyung: então tá, na sua casa ou na minha ? Perguntei confuso terminando meu sorvete igualmente o jungkook. Ele sorriu meigo e deu de ombros. - tudo bem, depois eu mando mando mensagem a você pois vou perguntar se minha mãe vai trazer alguém aqui em casa no sábado ok ? Concordou com a cabeça enquanto limpava a boca e os dedos com o guardanapo que ganhamos.

Jungkook: bem… você está entregue com segurança, espero que tenha um bom trabalho senhor Kim. Permaneceu a me olhar porém voltou a dar risinhos sem que eu pudesse saber o motivo.

Taehyung: obrigado, mas porque está rindo ? Ergui os ombros e franzi o cenho confuso, vi ele dar dois passos a frente e ficar bem coladinho em mim senti um calafrio percorrer dos meus pés até a cabeça enquanto minhas mãos começavam a suar frio do nada.

Ele está tão perto, por que ele está tão perto ? Eu estou sentindo seu coração acelerado igual ao meu, vou ter um ataque cardíaco de tanta beleza. Sentia sua respiração tocar em minha boca estávamos praticamente respirando o mesmo ar ali em nosso meio. Vi sua mão esquerda se levantar e seu dedo indicador tocar meu nariz com leveza.

Jungkook: você sempre se suja inteiro quando come. Falou em cima da minha boca, eu não movi um dedo sequer, queria tanto beijar aquela boquinha sempre rosada e ver se realmente a boca dele tem gosto de hortelã mas apenas fiquei sentindo o hálito, agora de chocolate, se chocar contra minhas narinas.

Que delícia de homem ! Se controla tae, melhor afastar um pouquinho.

Taehyung: eu sou meio desastrado às vezes. Respondi totalmente corado e eu acho que ele percebeu pois tocou meu queixo e ficou acariciando, virou o rosto e beijou minha bochecha novamente mas agora bem no cantinho da minha boca e me abraçou.

Eu espero me acostumar logo com todo esse carinho e amor.

Retribui o abraço juntando mais nossos e colando o seu peito ao meu, acabei de descobrir que eu estava precisando desse abraço, desses momentos de carinho que não sejam da minha mãe. Eu descobri e estou descobrindo aos poucos que mais e mais eu preciso do jeon ao meu lado. Lentamente fui apoiando minha cabeça em seu ombro sem desfazer o contado, queria sentir seu cheiro, quero ter esse cheirinho de aroma doce em minhas narinas o resto da noite. Quero me deitar e imaginar esse abraço e a mesma sensação de agora.

Conforto me define nesse momento.

Senti os braços do jungkook se afrocharem da minha cintura e aos poucos seu corpo se distanciou do meu, um sorriso verdadeiro e lindo se estampou em seus lábios. Que boca mais audaciosa, se controla tae.

Jungkook: você precisa ir, não quero que se atrase. Permaneceu com uma mão em minha cintura mas aos poucos foi tirando e enfiando-as nos bolsos.

Eu só sabia sorrir e ficar com o rosto cada vez mais vermelho e ardendo. A vontade de abraça-lo novamente se fez presente mais ele tem razão e eu preciso me controlar e ir para o meu trabalho. Acenou aos poucos se afastando de mim em direção a sua casa, acenei para ele após ter mais uma vez suas órbitas escuras vidradas em mim, eu vi o sorrisinho bobo estampado em seus lábios, é o mesmo que eu deixo escapar quando estou ao seu lado. Dobrou a esquina e desapareceu de vista. Alarguei o sorriso e corri para dentro da minha casa, ainda estava cedo falta exatamente uma hora e dez minutos para dar meu horário do trabalho. Tranquei a porta e corri para meu quarto, estava louco para contar ao taeMin mesmo que ele esteja longe, eu preciso contar a ele que estou apaixonado e preciso dos seus conselhos mesmo sabendo que não são os melhores.

Guardei minha mochila, tirei os sapatos e corri para pegar meu notebook sobre o armário, me joguei em minha cama e liguei o computador com o mesmo sorriso enorme no rosto. Sinceramente, eu sinto que estou parecendo aquelas meninas que tudo que fazem dividem com a melhor amiga e depois ficam remoendo até uma das duas fazer outra coisa. Bem a minha cara e do taeMin gostamos de compartilhar coisas e segredos mas ele não é o único pois eu também falo tudo a minha mãe.

Ela merece saber assim como ele.

Abri o aplicativo que me permite ver aquela cara de cú que eu amo. Cliquei no perfil do "viado do bonde" que certamente é do taeMin, ele nunca descobriu que eu salvei assim. Enquanto estava chamando aproveitei para ir no banheiro pois eu estava muito apertado, corri e fiz minha necessidade com calma, lavei as mãos e voltei pra frente do computador. Quando me deitei vi o mim me olhar e sorrir grandemente antes de começar a berrar. 

- AHHHHHHHHH OI MEU AMOR, QUE SAUDADE ! VOLTA PRA CÁ TAETAE EU TE AMO SEU VIADO DO CARALHO NÃO AGUENTO MAIS VIVER SEM SUA CARINHA FOFA.

Gritou desesperadamente ao me ver e eu não aguentei e alarguei mais o sorriso ao ver meu amigo que tanto amo.

— TAEMIN SEU CARA DE CÚ VOCÊ NÃO ME LIGOU, TÁ ME TROCANDO POR ALGUMA BARANGA ?

Retruquei para irrita-lo o que deu bem certo pois ele fez uma cara de poucos amigos e me deu língua. Criança como sempre.

— aaa tae, claro que não. Aliás eu liguei pra você sim merda, eu te liguei dez vezes e você não me atendeu. Com quem tá transando hein ? Que não dá nem pra atender mais as ligações do amigo.

Sorriu rasteiro e ergueu as sobrancelhas ao me ver corar e sorrir sem graça.

— vai te lascar mísera tu sabe que eu não tenho ninguém e sou virgem, o contrário de você.

Retruquei novamente fazendo ele revirar os olhos e me mostrar o dedo do meio, o que me arrancou uma gargalhada debochada. Nossa amizade sempre foi assim, puro amor e carinho. 

— vamos mudar de assunto meu amor ? Todo o mundo sabe que eu não sou virgem e você não precisa jogar na minha cara.

Sorriu e logo lembrei do Jungkook, eu vou falar pra essa peste e ele vai ficar me enchendo o saco mais vamos lá.

— eu tenho uma coisa pra te contar.

Soltei e vi seus olhos arregalarem e logo se aproximar mais da câmera do seu notebook.

— fala fala, o que foi ? Você tá namorando ? Vai vim pra cá? Fala carniça.

Falou rapidamente enquanto eu apenas discordava com a cabeça lhe deixando mais irritado e impaciente. Bem normal do taeMin.

— sabe taeMin, até que não foi uma má ideia vim pra cá.

Falei calmo e baixo para o ruivo que cruzou os braços e fez um bico, pois obviamente ficou com raiva.

— já deve ter encontrado um novo amiguinho por aí e não me quer mais. Tudo bem tae, eu já sabia que você iria me trocar seu falso.

Fingiu um choro enquanto fazia seus gloriosos dramas só pra me atazanar. Gargalhei de sua cara e vi ele voltar a fazer um bico fofo nos lábios avermelhados por conta do frio que faz em Seoul.

— claro que não seu idiota, se fosse assim eu nem estaria fazendo essa vídeo chamada.

Revirei os olhos e ele ficou a me olhar com o mesmo biquinho manhoso que sempre faz quando está triste.

— então fala logo seu cú doce.

Retrucou ainda com os braços cruzados e um bico ainda maior nos lábios.

— eu estou apaixonado.

Falei baixo e vi seu queixo praticamente cair e seus olhos arregalarem. De imediato cobriu a boca, passou a mão nos cabelos e não conseguiu dizer um "a", estava extremamente feliz por mim pois eu nunca havia ficado apaixonado por alguém como estou pelo jeon.

— QUEM É? QUEM É A SURTUDA OU O SORTUDO QUE GANHOU ESSE CORAÇÃOZINHO LINDO SEU. FALA PORRA, EU VOU ATRAVESSAR RSS TELA E TE BATER.

seu sorriso permaneceu em meio as ameaças que estava fazendo, pensei que ele iria rir de mim como sempre fazia mas depois sempre me apoia e me dá bons conselhos.

— jeon jungkook.

Respondi e sorri soprado lembrar do momento único e inesquecível que tive a minutos trás com ele.

— caramba que nome autêntico e bem único, vou stalkear ele mais tarde por aí nessa redes sociais. Mas me conta mais sobre ele, como se conheceram ? Ele é bonito ? Tem quantos anos ? Tem irmãos?

Tantas perguntas e todas tem resposta mas eu preciso de calma para responder todas, taeMin está realmente empolgado para saber sobre ele.

— calma criatura, não vai ficar mandando coisa pro menino nas redes sociais dele por favor Min, não me faça esse mico.

Pedi calmo e vi ele cruzar os dedos e colocar a mão no peito fazendo o nosso juramento.

— eu prometo, agora me conta eu quero saber mais sobre indivíduo que roubou seu coração de mim.

Respondeu em um tom brincalhão me fazendo sorrir bobo, suspirei e olhei bem em seus olhos através da câmera claro.

— nós conhecemos na escola, de primeira quando eu cheguei já fui levando surra de um idiota que banca de Durão por lá e tipo do nada o jungkook aparece lá e bate nele porém apanha comigo.

Respondi olhando para o lado lembrando daquele momento que tivemos, chega a ser engraçado.

— nossa, já gostei dele. Me conte mais estou curioso.

Sorriu debochado enquanto se arrumava em seu sofá sei lá, eu conheço essa poltrona ele está no quarto dele.

— ele é um dos seres mais bonitos que eu já vi, o sorriso dele derrete o meu coração inteirinho, aqueles olhos, aquela boca, o menino é uma perdição Min só você olhando pra saber do que eu estou falando.

Respondi sem nenhum pingo de vergonha na cara, taeMin gargalhou e me olhou curioso novamente.

— estou anciando por ver esse garoto, você vai ter que me mostrar ele tae, eu quero vê-lo.

Fez uma carinha de pidão que me fez gargalhar.

— vou pensar no seu caso, ele tem a mesma idade que eu vinte anos e tem dois irmãos gatos também. O mais velho se chama Kim Seokjin eu acho, o loirinho fofo se chama Park Jimin. São lindos igualmente ao irmão.

Argumentei e vi ele ficar todo alegrinho do outro lado, soltou um sorriso malicioso e ergueu as sobrancelhas.

— já beijou ele tae ? Vocês já transaram ?

Perguntou empolgado mas toda a sua empolgação foi por água quando fiz uma cara de poucos amigos e revierei os olhos.

— claro que não taeMin, mas agorinha ele veio me deixar em casa e beijou o canto da minha boca, me abraçou e sorriu lindamente pra mim.

Respondi sorrindo igualmente o ruivo do outro lado.

— ele tá afim de você, pode investir. Eu sei o que estou dizendo, se ele te trás em casa, beija o canto da sua boca e ainda te da um abraço. Ou ele quer ficar com você ou ele está te iludindo meu amor, mas até eu queria ser iludido dessa forma.

Fez um bico tristinho pois não deve estar namorando como sempre está.

— será que é uma boa ideia min ? Eu não sei se é o certo.

Perguntei receoso e perdido sobre qual decisão tomar.

— tae se você gosta dele fala enquanto você ainda pode ou depois pode ser tarde demais, se não for recíproco beleza bola pra frente e segue o culto que nós é de Deus e não curte baile.

Gargalhou da própria piada idiota de sempre.

— você tem razão, sábado acho que eu vou na casa dele ele disse que me ajudaria com as matérias que eu perdi por não estar indo para a escola.

Falei ao me lembrar do meu rosto que aquele idiota do meu padrasto fez comigo. TaeMin ficou confuso e franziu o cenho.

— por que não estava indo a escola ?

Perguntou em um tom preocupado e bem curioso como sempre. Suspirei pois taeMin irá se irritar.

— meu padrasto chegou bêbedo aqui em casa e eu dei alguns socos nele mas depois ele me bateu até que eu desmaiei e fiquei com o rosto horrível, hoje que eu fui a escola novamente. 

Falei e vi um semblante sério e preocupado se formar em seu rosto. Esbravejou ao soltar uma série de palavrões aos resmungos.

— tae esse cara precisa ser preso amor, ele vai continuar batendo em você e na tia mina, aí que raiva tae. Você tá bem ? Está precisando de alguma coisa ?

Perguntou totalmente preocupado creio que estivesse aqui estaria me abraçando e me dando mimos.

— eu já estou bem melhor min, ele não apareceu mais aqui porém ele disse que voltaria e deixaria um presente pra mim mas só que eu estou com medo que ele faça algum mal a minha mãe sabe.

Falei triste enquanto ele apenas balançava cabeça concordando, taeMin sempre me entende e me ajuda a procurar solução para os meus problemas.

— taetae eu queria tanto está aí com você ao seu lado mas agora eu não poderei, mas eu te prometo de dedinho que nas minhas férias eu vou te abraçar, te beijar, encher seu saco, te perturbar e vamos sair por aí mas por enquanto tenta ficar bem e cuidar das coisas por aí, eu não sei o que farei se algo acontecer com você ou com a tia mina. Eu te amo meu amor, você é meu amorzinho meu irmão de outra mãe então se cuida tá.

Falou com tanta calma e paciência que eu me assustei nunca tinha presenciado essa natureza do taeMin. Concordei com suas palavras. Olhei o relógio no canto da tela e estava na hora de me vestir para o trabalho.

— obrigado min, eu vou ficar bem caso aconteça algo eu ligo pra você. Também te amo e estou morrendo de saudades, vou esperar essa sua visita viu mocinho. Eu preciso desligar agora pois eu tenho um trabalho e não sou desocupado igual a você. Beijos.

Me despedi lhe mandando beijinhos e acenos. Ele sorriu grandemente mandando beijos também.

— meu amor eu estava estudando antes de você me ligar então me poupe você né. Bom trabalho cara de bunda azeda, toma cuidado. Beijo no cú.

Respondeu e logo caiu na gargalhada junto comigo pois eu não aguento essas coisas que ele diz, as vezes acho que ele é doido. Acenei mais uma vez antes de desligar e mandei um beijo, fechei o computador e senti um alívio tão grande por ter finalmente conversado com ele.

[…]

Ao chegar em meu trabalho avistei poucas pessoas apenas daeun, Hyerin, jooheon e Owen, os outros devem estar a caminho. Cumprimentei todos enquanto andava pelo estabelecimento. Fui até a sala do senhor Mioon pois preciso conversar e me acertar com ele já que fiquei esse dois dias fora. Dei duas batidas na porta e logo tive a permissão para entrar, entrei calmamente e vi o senhor Mioon a mexer em alguns papéis preocupado mas logo olhou pra mim e sorriu.

Sr. Mioon: olá taehyung, que bom ver você novamente. Levantou vindo em minha direção e me abraçando, sorri em agradecimento e logo me sentei a seu pedido.

Taehyung: obrigado senhor Mioon, eu também estou muito feliz em ter voltado. Argumentei sorridente enquanto o mais velho sentava em sua cadeira voltando a me olhar atentamente.

Sr. Mioon: então meu filho, o que te trouxe aqui ? Perguntou sorridente e logo suspirei voltando a olhar as lentes do seu óculos de grau.

Taehyung: vim aqui para me responsabilizar pelas minhas faltas que tive durante esses dias e se o senhor descontar do meu salário estará tudo bem. Sorri forçadamente e logo vi ele sorrir singelo e se arrumar em sua cadeira.

Sr. Mioon: fique tranquilo Taehyung, sua mãe conversou comigo por telefone e também o kihyun veio aqui e me explicou tudo. Eu entendo você e não tenho necessidade de mexer em algo que é seu por direito, então pode ficar tranquilo pois eu não irei mexer no seu salário e muito menos demitir você. Eu gosto do seu jeito tae, combina com a áurea jovem que temos por aqui. Sorriu simpático e logo o acompanhei, me levantei e lhe cumprimentei rapidamente.

Taehyung: obrigado senhor Mioon, muito obrigado mesmo. Agradeci me curvando e sorrindo para o mais velho que me olhava atento sem esconder o sorriso no canto dos lábios.

Sr. Mioon: admiro a sua dignidade de ter vindo aqui comigo. Sorriu e piscou pra mim, me curvei mais uma vez fazendo mais agradecimentos.

Taehyung: obrigado senhor, agora vou voltar ao meu trabalho tenha uma boa noite. Com licença. Me curvei mais uma vez antes de sair e dar alguns pulinhos de alegria, o sorriso não pode ser contido dos meus lábios.

Daeun: nossa ! O que foi? Perguntou dando pulinhos de alegria igualmente a mim, olhei e cai na gargalhada.

Taehyung: eu tive uma conversa com o senhor Mioon e ele não vai diminuir meu salário. Entrelacei meus dedos aos dela enquanto ficávamos dando pulinhos de alegria, avistei kihyun chegar junto com jae bum e o resto do pessoal.

Kihyun: boa noite a todos. Tirou o casaco indo até seu armário e guardando, aliás eu nem tirei meu sobretudo de tão ancioso que eu estava de falar com o senhor Mioon.

Hyerin: boa noite senhores. Sorriu gentilmente para todos que se aproximavam, jae bum me abraçou e deu um breve "oi". As meninas passaram por mim e me deram beijinhos e os outros me abraçaram, são ótimas pessoas. Fui até meu armário para guardar meu sobretudo junto com a carteira e meu celular. Abri meu armário com a pequena chave e vi kihyun me olhar triste, virou-se e saiu pra cabine de ingressos.

Partiu meu coração ver ele assim, eu não posso me afastar dele por alguém que eu gosto, eu posso ter os dois por perto. Tranquei meu armário novamente e andei até a minha cabine.

Taehyung: tenham um ótimo trabalho gente, nos vemos no final da noite. Desejei a todos antes de entrar em minha cabine e ver kihyun a mexer no computador sem dizer um "a" estava apenas evitando contato visual comigo, me aproximei me sentando em minha cadeira. Liguei o computador e olhei pro kihyun esperando ele dizer alguma coisa mas permaneceu calado.

Taehyung: tudo bem kihyun, posso saber o que está acontecendo ? Eu disse que queria conversar com você, mas em nenhum momento eu falei que não queria ouvir sua voz. Ao dizer isso vi ele com um biquinho, virou o rosto e continuou a mexer no computador apenas para me ignorar. Sorri da atitude dele, me levantei e fui até ele lhe dando um abraço.

Kihyun: é melhor não fazer isso, seu namorado não vai gostar. Argumetou seco e eu vi um bico ainda maior se formar e a carinha fofa permanecer intacta.

Taehyung: sério que você está com ciúmes ? Olhei em seus olhos sem me separar do abraço, ele me olhou e virou o rosto igual uma criancinha birrenta. Gargalhei e dei um beijo em seus cabelos rosados.

Kihyun: por que eu teria ciúmes de algo que não é meu ? Argumentou choroso antes de cruzar os braços e ficar mais fofo, gargalhei mais uma vez pois até agora não tinha visto esse lado dele.

Taehyung: primeiro que ele não é meu namorado é meu amigo como você e segundo, por que você falou coisas equivocadas a ele ? Poxa kihyun você me magoou ao contar aquele tipo de coisa a ele, você não iria gastar se ele falasse coisas de você para mim e eu me afastasse. Conforme eu ia soltando as palavras ele se escolhia mais e mais em sua própria cadeira, sinal de que jungkook não mentiu ao me dizer tais coisas. Cruzei os braços e ergui as sobrancelhas esperando ele argumentar alguma coisa.

Kihyun: tá tá, eu falei sim pra ele que você se sentia incomodado quando ele estava presente, mas eu falei isso apenas para ficar mais tempo com você mas eu já percebi que você gosta dele assim como ele gosta de você. Eu não vou mais atrapalhar vocês dois pode ficar tranquilo. Falou tristinho e juro que fiquei com raiva mas entendo os seus motivos e ele está basicamente se arrependendo.

Taehyung: por que você não falou comigo sobre isso ? Não sei o que vocês viram um no outro que já se odeiam não faz sentido kihyun. Argumentei sem entender o motivo que os dois não se gostam, vi ele sorrir debochado e balançar a cabeça negativamente.

Kihyun: eu gosto de você tae, será que não percebe ? Mas tudo bem, eu já entendi que ele venceu e pretendo ser apenas seu amigo caso permita. Argumentou tristonho, falou baixo e calmo antes de abaixar a cabeça e começar a brincar com os dedos.

Fiquei sem reação ao ouvir tais palavras saírem de seus lábios avermelhados, como assim ? Como ? Não falei nada apenas me virei para meu computador tentando amenizar a bagunça em minha cabeça. Agora eu entendo por que eles não se gostam, taehyung como você é ingênuo. Dou um tapa em minha própria testa e nem percebi que os olhos tristonhos do outro estavam focados em mim.

Kihyun: não faça isso, você não tem culpa de nada. Espero que dê tudo certo com o jungkook e que vocês sejam felizes juntos. Vi sua voz embargar e falhar com a própria saliva, abaixou a cabeça sobre a mesa a frente do computador fazendo o meu coração despedaçar e se espalhar por toda essa cabine.

O olhei enquanto ele permanecia de cabeça baixa, me levantei da minha cadeira e me abaixei bem próximo a seus joelhos. Acariciei seus joelhos e logo tive os olhos marejados do rosado vidrados a mim, o que está acontecendo com ele é basicamente o que vai acontecer comigo caso o jungkook não seja recíproco com meus sentimentos. Me levantei e lhe dei um abraço, me doeu ver ele tão triste dessa forma, eu acabei de matar todos os sentimentos do meu amigo por uma pessoa que eu nem sei se sente o meu mesmo por mim.

Eu espero nunca me arremper dessa decisão.

Taehyung: você não precisa ficar triste kihyun, olha eu sei que você vai encontrar alguém muito mais legal do que eu e vai se apaixonar por ele ou ela, e eu vou estar torcendo por você. Não se machuque por mim, me dói te ver assim. Argumentei lhe dando outro abraço ao ver que a cada palavra que eu falava seus olhos brilhavam mais.

Eu sou um mostro por acabar com o coração dele dessa forma. Eu irei precisar de tempo para assimilar toda essa situação e tentar me perdoar por ter magoado meu amigo que tanto me ajudou aqui dentro, o único que foi paciente e calmo comigo. Me afastei do abraço e toquei seu rosto com calma, voltei a sentar em minha cadeira e não olhei mais para ele, não quero me sentir pior.

Kihyun: mas você ainda vai ser meu amigo ? Perguntou choroso e eu rapidamente concordei com a cabeça pois eu não quero lhe ver chorar.

Voltei a fitar a tela do computador e tentar me concentrar já que o cinema irá receber muitas pessoas hoje. Kihyun ficou calado sem dizer nada e também não olhou mas para mim o que me aliviou de certa forma.

O que eu fiz pra merecer isso ?

[…]

Como descrever o meu belo dia de hoje ?

Simples, tive um dia maravilhoso pena que a minha noite eu não fechei com chave de ouro. Sabe, kihyun é uma ótima pessoa, um ótimo amigo, sabe conversar, educado e muito gentil e meigo porém, eu nunca o vi como apenas meu amigo. Ama-lo de outra forma não foi possível pois jungkook ganhou meu coração primeiro, kihyun tem todos os motivos e requisitos para traçarmos uma história juntos mas aí que está o problema, ele é previsível demais. O contrário de Jungkook, eu nunca sei o que ele vai dizer, o que vai fazer mesmo me dando todas as pistas necessárias, ele sabe como me deixar totalmente bobo por ele, sabe me fazer querer mais e mais descobrir todos os seus segredos, todos os seus defeitos e qualidades. Ele desperta toda a minha curiosidade sobre todos os aspectos que o envolvem, ele me faz virar de cabeça para baixo com todos os seus joguinhos e enigmas. Talvez eu seja louco por dizer que me apaixonei por um garato em uma semana basicamente, talvez eu seja pois o amor deixa as pessoas assim, totalmente transtornadas, iludida e completamente entregues a algo considerado

Estranho.

Se pararmos para pensar o amor é um bicho de sete cabeças, um quebra cabeça impossível de ser montado e um labirinto sem saída. Quando estamos apaixonados não sabemos mais dividir o que é real ou não, não temos a mínima ideia do que está acontecendo ao nosso redor mas o pior de tudo é a insegurança que toda essa atmosfera gera em nosso meio. É simplesmente horrível criar coisas e ter percepções que não sabemos se são verídicas ou antagônicas, o amor tem dessas coisas de deixar uma dorzinha de cabeça por não saber o que passa na cabeça do outro, por não saber o que vai acontecer ao decorrer do tempo e a pior de todas as alucinações

Não saber no que vai dar

Pode dar certo ou não, pode ser um amor recíproco e totalmente desejoso para ambos e também não pode ser. Podemos dizer que o cérebro vive a confrontar o amor. O cérebro alega que o coração não sabe pensar antes de agir e acaba se machucando depois; em sua defesa o coração sempre alega que o cérebro não possui sentimentos e não tem o direito de agir como quiser. Acaba que os dois sempre tem proforma é maiores depois, o coração pode se alegrar e encher de felicidade com o que vier como também pode se machucar e viver amargurado. Meu pequeno cérebro pode ter e desavenças e dores de cabeça com toda a tempestade.

São simplesmente o oposto um do outro, nunca poderão e nem conseguirão trabalhar em equipe.

Mesmo que seja necessário.

Já vestido e pronto para dormir, me joguei em minha cama. O dia foi cansativo demais para delongas, antes do meu banho mandei mensagem ao kookie dizendo que minha mãe traria uma de suas amigas pra cá para resolverem um caso do escritório de advocacia que trabalham, perguntou se eu queria ficar mas neguei, elas falam tanta besteira que me dá náuseas. Então disse ao jungkook que poderíamos pegar as matérias no parque ou na biblioteca do centro mas ele negou e fez questão que fosse em sua casa já que tínhamos combinado antes. Então ficou combinado de ser em sua casa no período da tarde, eu não sei onde ele mora e por esse motivo ele disse que passaria na goo's chocolat para comprar chocolates e que lá poderia ser o nosso ponto de partida. Concordei pois eu realmente não faço a mínima ideia de onde seja a casa dele ou como seja a sua casa. Tento não criar expectativas sobre nada mas é simplesmente impossível quando ele está envolvido e próximo a mim.

Em momento algum comentei a ele sobre a festa do jooheon talvez ela não vá se eu o chamar, mas não quero ficar sozinho lá apesar de que eu conheço todos, kihyun provavelmente está de coração partido comigo e bem triste, então melhor dar um tempo a ele. Vou tentar convencer o jungkook a ir comigo e me fazer companhia na festa para nos distrair um pouco, espero que ele e kihyun não se desentendam. Eles precisam se acertar, eu gosto dos dois e amo a presença de ambos e decidir com quem vou ficar na é uma opção. Vou tentar tocar no assunto do kihyun ao jungkook quem sabe ele não seja paciente e tente conversar com o rosado sem desavenças ou troca de farpas como sempre.

Me arrumei em minha cama pronto para dormir já estava sentindo aquela sensação boa que o sono nos proporciona mas para infernizar minha vida e me deixar puto alguém fez o favor de me ligar a essa hora. Quem liga pra alguém em plena meia noite ? Com muita raiva e indignação pego meu telefone e e fico mais irritado em não saber quem é pois o engracadinho ou engraçadinha ligou em número privado.

Não vou atender.

Melhor atender vai que é algo importante, aos resmungos atendi o telefone sem saber e nem ter a mínima ideia de quem fosse.

- alô ? Posso saber quem teve a audácia de me ligar a essa hora ?

Perguntei um pouco chateado e com sono mais vai que é alguém importante.

- você já pode desligar, eu só queria ouvir sua voz antes de dormir.

Um sussurro pode ser ouvido e eu me arrepiei pois era o jungkook me ligando a essa hora.

- jungkook ?

Murmurei assustado pois eu pensei que essa criatura já estivesse dormindo.

- me desculpe ligar a essa hora, sei o quanto está cansado e com sono mas eu precisava ouvir a sua voz para dormir. Tenha uma boa noite tae.

Falou calmante e com a mesma voz doce de sempre, nao tive como sorrir ao ouvir seus sussurros e saber de que ele não estava conseguindo dormir.

- não está conseguindo dormir ?

Perguntei um pouco preocupado, sua respiração era perfeitamente ouvida.

- Não, mas agora eu vou conseguir ao ouvir sua voz eu sei que você está bem, está em casa e prestes a dormir e isso me conforta pois eu estava preocupado em saber se chegou bem em casa.

Aí que amor, vou dormir que nem um anjinho hoje. Jungkook merece um troféu de cara mais atencioso e afetivo que eu já conheci. Meu sorriso só aumentava a cada palavra que eu ouvia sair de seus lábios.

- tudo bem kook, desejo uma boa noite a você também. Até amanhã.

Me despedi e ouvi apenas um barulho de riso que com certeza ele deu ao saber que eu não estava mais bravo por ter recebido essa ligação. Desliguei e coloquei o telefone sobre o criado mudo, me apaixonei de novo.

Que voz doce, quando eu estiver passando por alguma tempestade espero ter o jungkook do lado, eu poderei abraça-lo e ouvir sua voz dizendo que ficará tudo bem mesmo que nada fique bem, mas eu terei ele como recompensa e ninguém poderá desfazer nossa amizade. Perdi até o sono, perdi a lucidez perdi tudo, meu mundinho tá todo colorido agora. Cheio de nuvens brancas e plantas coloridas, um arco-íris e um unicórnio.

Que gay.

Sorri soprado dos meus próprios pensamentos. Puxei novamente minha coberta e me embrulhei com meus vários usrinhos de pelúcia. Quem dera que por um deslize o jungkook viesse para na minha cama e ser o meu ursinho de pelúcia pra dormir agarradinho e bem coladinho em mim, eu poderia lhe abraçar bem forte e ter aqueles braços fortes para puxar a noite e domir de conchinha, sentir aquele peitoral quente transmitindo todo o calor humano para mim e me aquecendo do frio. Ouvir sua voz me desejar boa noite bem próximo ao meu ouvido, ter seus afagos e carinhos só pra mim.

Um sonho.

Espero que esse sonho se realize um dia, nem que seja uma única vez. Queria saber qual é a sensação de dormir de conchinha com alguém; saber como é ouvir uma voz bem pertinho da orelha; ter o lóbulo da orelha mordido bem devagarinho e tudo isso seria maravilhoso se viesse do jungkook.

Virei meu corpo de costas para a janela encarando um porta retrato meu, uma foto tirada a 4 anos anos trás pelo Min. Lembro-me que era um teatro na qual eu era o bobo da corte, o Min era o rei mal que odiava o xiumin que era o rei da península inimiga. Recordo-me de como foi bom ter essa experiência como ator, lembro-me bem dos momentos que tivemos a cada ensaio, das risadas idiotas e das brincadeiras sem graça. Era um mundo completamente diferente do hoje, nos éramos mais jovens e imaturos, possuímos apenas 16 anos. Mal sabíamos que o mundo era tão real e cruel, mal sabíamos que um dia não teríamos mais um ao outro para percorrer quando o medo se fazer presente. Apesar do tempo eu ainda sinto saudades do xiumin, ele era um bom amigo e ótimo conselheiro. Muitas vezes, taeMin e eu o ajudamos com seus avós.

Xiumin era doce e simpático, sabíamos que seus avós eram doentes, a idade também não ajudava em nada. Seus avós passaram um tempo no apartamento que morava sozinho pois os pais estavam a trabalhar, me senti extremamente honrado em conhecer uma doce velhinha que gostava de conversar e bater papos. Seis avós eram um doce, sabíamos que xiumin tinha puxado o mesmo carisma dos avós. Foram apenas dois meses ajudando a cuidar deles até que xiumin teria que viajar e morar com seus avós, pois o mesmo se voluntáriou abandonando tudo apenas para ir cuidar dos avós. Ficamos surpresos pela decisão repentina mas deixamos que ele fosse cuidar dos seus bens preciosos, era assim que xiumin via os avós que passaram a maior parte da vida a cuidar e lhe educar já que os pais nunca tiveram tempo para o filho.

Hoje eu não tenho mais notícias dele, não sei como estão seus avós e como ele está, só sinto uma grande tristeza em meu coração por não estar lá para lhe ajudar e lhe dar um simples abraço para comforta-lo seja pelo que for. Xiumin merece o mundo e sei que conseguiria pois sua meiguice e educação lhe dão suporte para isso. TaeMin e eu tivemos a sorte de conhece-lo e nos tornar tão íntimos a ele, tão próximos.

Éramos irmãos inseparáveis.

Lembro das noites do pijama na casa do Min quando seus pais iam para viagens e ele ficava sozinho. Recordo-me das facas loucas, das brincadeiras mais íntimas e momentos que daria tudo por uma segunda vez. Sempre dormíamos na mesma cama, tínhamos medo de coisas da noite já que estávamos sozinhos. TaeMin costumava contar histórias de terror antes que pudéssemos dormir, mas ele só fazia isso para que eu e xiumin o abraçasse com mais força. Éramos bons amigos e sabíamos bem disso, sempre tivemos uma amizade aberta e sem segredos.

Diria que taeMin é xiumin me conhecem melhor do que eu mesmo.

Já tive quedas por taeMin no começo da nossa amizade mas graças foi apenas um sentimento passageiro. TaeMin e xiumin se pagaram algumas vezes mas nada sério. Uma das noites que fomos a festa do pijama na casa do Min, obviamente só era nós três — minha mãe não deixava se fosse com pessoas que ela não conhece. Xiumin inventou uma brincadeira de um negócio de salada mista, eu não entendi a brincadeira direito então fiquei meio sem saber o que fazer, foi aí que eu vi meus dois melhores amigos se beijarem na minha frente. No começo aqui me soou muito escroto e nojento mas depois eles trocavam selinhos e carinhos, da mesa forma comigo só tirando a parte dos selinhos eu não era maduro o suficiente pra fazer aquilo. Eu os admiro muito pois passamos muito tempo juntos e eles dois nunca deixaram que a amizade acabasse por conta dessas coisas que eles faziam, era como uma saudação a eles.

Toda vez que se viam davam um selinho no outro.

Lembranças minhas que espero nunca, nunca mesmo esquecer. Me faria muito triste olhar para o taeMin como um desconhecido, me faria me odiar se não me lembrasse da forma como nos conhecemos.

Um belo dia como os outros, em plena manhã eu sempre estressado por acordar cedo demais esbarrei sem intenção alguma no até então moreno que apenas me olhou e sorriu. TaeMin não brigou comigo ou me xingou por ter esbarrando nele e ter derramado seu cappuccino ou café—nunca me interessei em saber o que ele estava bebendo. Um sorriso simples foi exposto em seu rosto enquanto me olhava. Eu fiquei totalmente envergonhado sem reação alguma, como se nada estivesse acontecido ele me estendeu a mão se apresentando a mim. Eu bobo e extremamente corado apenas retribui o gesto logo após pedir mil desculpas, fiquei pasma ao ouvi-lo dizer: " não se desculpe, esse tipo de coisas acontecem. Quer ir tomar um chocolate quente ali na frente ?". Eu não neguei sei pedido e fomos até a pequena lanchonete, conversamos por horas e realmente foi bem divertido.

Desde então, somos carne e unha um do outro.

Já falei várias vezes a ele que não me arrependo de ter esbarrado com ele e termos nos tornado tão próximos. Tivemos vários amigos passageiros como Chen, suho, jennie entre uma séries de pessoas que só vieram para nos infernizar diga-se de passagem. Pessoas tentaram separar nossa amizade por mentiras, tentaram nos fazer ficar contra o outro mais nada deu certo. Confiamos um no outro. E no meio desse povo sem vergonha na cara saiu xiumin, simples e meigo. Xiumin veio tão repentinamente e nos cativou com seu sorriso fofo e seu jeito meigo. Passamos a conversar mais e andarmos juntos, fomos apelidados por alguns professores de "trio parada dura". Nós conversávamos muito e não éramos quietos. Todos na escola nos conheciam pelas brincadeiras e por sermos sempre falatórios e extrovertidos, muitos se incomodavam e tentavam nos separar mais nada era mais forte que nossa confiança um no outro. Sabíamos exatamente o que se passava na vida do outro, éramos o psicólogo um do outro, o conselheiro, professor, ombro amigo, parceiro de tudo.

Éramos nos três contra o mundo.

Mas…

Tempos bons se vão assim como a areia do deserto se move com o vento.

[…]


Notas Finais


Brigadin por ler !
Caso queira deixar seu elogio ou crítica estarei aqui.
Beijos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...