História O amor é um jogo - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Visualizações 41
Palavras 565
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oie galerinha... Olha quem chegou... euzinha. Estou feliz por estar aqui postando pra vocês.

Mas vamos ao capitulo que sei que é isso que vcs querem.

Obs: Desculpe qualquer erro.

Capítulo 12 - Não perderia essa chance


Fanfic / Fanfiction O amor é um jogo - Capítulo 12 - Não perderia essa chance

Para fazer um bom trabalho eu necessito de muitos livros~ as leis, codigos e legislações do que faço tem muitos detalhes e são alterados frequentemente. 

Por sorte, a minha empresa tem a maior coleção da cidade de bons materias de referência. Claro, com exceção talvez da biblioteca da cidade.

Então na tarde de terça-feira estou em minha sala trabalhando com as referências citadas a cima, quando quem resolve dar o ar da graça?

Exatamente~ a adorável Rose Price ela esta ainda mais deliciosa hoje.

A sua voz esta hesitante.

- Oi, Hoseok, estou preocurando pela Analise técnica dos mercadores financeiros, mas não esta na biblioteca. Esta com você? ~ela morde os lábios do jeito adorável que faz quando esta nervosa.

O livro em questão, na verdade, esta em minha mesa. Já estou quase terminando de usá-lo. Poderia ser um homem melhor~ uma boa pessoa~ e da-lo a ela. 

Mas você acha mesmo que vou fazer isso? Não aprendeu nada em nossas ultimas conversas? 

- Sim, na verdade, esta comigo.

Ela sorri. 

- Ah otimo. Quando você acha que vai terminar de usá-lo?

Olho para o teto como se estivesse pensando. 

- Não tenho certeza. Daqui a quatro... talvez cinco... semanas.

- Semanas? ~ ela pergunta me encarando.

Consegue perceber que ela está irritada?

Eu sei o que esta pensando. Se um dia eu quiser~ apos o negocio com Baek terminar por completo~ fazer a Rose ver estrelas, por que eu não tento ser um pouco mais legal com ela? Você tem razão. Isso faz sentido.

Mas o negocio com Baek ainda não passou. E como já disse antes~ meus amigos, isso é uma guerra. Estou falando de uma guerra sem regras, mortal, mesmo que seja contra uma garota.

Você daria uma bala para um atirador que tem a arma apontada para a sua cabeça? 

E alem disso, Rose fica ainda mais gostosa quando esta nervosa, por isso eu não perderia essa chance de vela furiosa mais una vez só pro meu prazer. Aprecio ela de cima a baixo, enquanto falo, antes de lhe mostrar o meu sorriso infantil registrado, ao qual quase todas as mulheres não consegue resistir.

A Rose, é claro, não é uma dessas mulheres. Vai entender.

- Bom, caso você me peça com carinho... e aperte os meus ombros enquanto faz isso... posso ser convencido a te entregar o livro agora.

A verdade é que eu nunca pediria algo parecido com um favor sexual em troca de algo relacionado a trabalho. Sou muitas coisas mas um cafajeste irresponsável não é uma delas. 

No entanto aquele ultimo comentario poderia ser considerado um caso tipico de assédio sexual. Se Rose contar ao meu pai o que disse a ela? Puta merda, ele me demitiria na hora, eu estaria ferrado. E depois era capaz de ele me dar uns tapas na bunda pra mim aprender.

Estou em uma situação complicada. Mas mesmo que essa possibilidade exista, tenho quase certeza de que Rose não ira me dedurar. Ela é muito parecida comigo. Quer ganhar. Quer me derrotar. E ela quer fazer isso tudo sozinha.

Ela põe as suas mãos no quadril e abre a boca pra me atacar~ provavelmente ira me falar aonde eu devia enfiar meu livro. Dou um passo para trás com um sorriso divertido, esperando ansioso pela explosão... que não acontece. 

Ela vira a cabeça, abre a boca e diz:

- Sabe de um coisa? Esquece.

E então sai pela porta.

Hein?

Ficou sem graça, não é? Foi o que achei. 

Espera pra ver.


Notas Finais


Então meus amores... provavelmente mais tarde saia mais um capitulo pra vocês ok?

Beijinhos 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...