1. Spirit Fanfics >
  2. O amor em meio a guerra. >
  3. Capítulo II

História O amor em meio a guerra. - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Muito obrigada pelos quase 10 favoritos. Espero que gostem do capítulo de hoje
Uma boa leitura.

Capítulo 3 - Capítulo II


 ~ Capítulo II ~

 

 

 

 

No hospital da região , todas as enfermeiras cuidavam dos seus pacientes, como sempre, também a enfermeira – chefe , a senhora Angelique , estavam passando nos corredores imaculados do hospital , verificando a sua equipe , mas uma certa enfermeira não tinha vindo ainda , enquanto passava pelos corredores , a senhora viu um relógio marcando dez para dez da manhã daquele mesmo dia , respirou fundo , aproximando-se do relógio, em passos rápidos , chegando lá , avistou uma das enfermeiras de sua equipe caminhando com um balde de água suja de sangue , com algumas bandagens já usadas , caminhando calmamente pelo corredor que a enfermeira- chefe estava no momento .

 

 

 

[ … ]

 

 

 

Angelique : ___ Senhorita Flowers , pode me ceder um minuto , por favor ? - chegando perto da enfermeira com o balde de sangue nas mãos, pedindo para que a enfermeira a ajude .

 

 

 

Flowers : ___ Sim, madame Angelique, do que precisa de mim ? - vendo a chegada da enfermeira -chefe , fez uma reverência , segurando o balde de água que tinha em mãos , olhando para ela com dignidade.

 

 

 

Angelique : ___ Poderia me informar , se a sua colega , a senhorita Dupain Cheng , já chegou aqui ? - vendo a enfermeira fazendo a sua reverência , olhando para ela com cautela , fazendo a sua pergunta.

 

 

 

 

Flowers : ___ Por enquanto, não, madame Angelique , mas quer eu passe algum recado á ela ? - respondendo a pergunta da enfermeira – chefe , perguntando se podia passar um recado para a colega, olhando respeitosamente para ela.

 

 

 

Angelique : ___ Sim, é que chegou um soldado ferido dos campos em Verona , então, eu achei ótimo que a sua colega cuide dele , ele é filho dos maiores estilistas de moda , Hawkmoth, então, eu quero que seja bem cuidado por ela ! - respondendo a curiosidade de sua enfermeira , pedindo para que passe o recado a ela.

 

 

 

 

Isadora : ___ Ah , aposto que este soldado é muito bonito, eu estou precisando de um bom par , desde que seja muito rico, eu poderei sair deste hospital cheio de contaminações , eu sou rica demais para ficar em um lugar sem classe como este ! - chegando no meio da conversa entre a chefe e a colega que revirou os seus olhos com descrença para a colega, criticando o seu local de trabalho.

 

 

 

 

Angelique : ___ Com licença , senhorita Delacorte , eu já indiquei um paciente , pare de ficar roubando os pacientes de sua colega , também , você foi muito mau- educada , entrando em nossa conversa sem pedir uma permissão ! - vendo que a enfermeira entrou na conversa delas sem pedir licença, dando uma boa lição de moral á ela.

 

 

 

 

Isadora : ___ Ah você é muito séria , madame Angelique , deveria ser mais flexível comigo,porque eu sempre chego cedo , faço bem as minhas tarefas, por que não passa o novo paciente a mim, deixe o meu com aquela atrasada da senhorita Dupain Cheng ! - comentando o que acha da chefe delas , falando que era melhor do que a azulada , sugerindo por uma troca de paciente.

 

 

 

 

 

Flowers : ___ Você sempre pede por troca de paciente, Isadora , não é assim que se trata um paciente , eles são vidas que devemos cuidar , eles não são como vestidos que podemos trocar em uma loja ! - olhando para a colega ,criticando a conduta da colega , segurando ainda o seu balde com muito saúde.

 

 

 

 

 

Isadora : ___ Com licença , ninguém aqui te convidou para a nossa conversa , porque não voltar a cuidar do seu paciente ?! - ficando irritada com a sua colega , dizendo que ela não deveria entrar na conversa entre ela e a enfermeira -chefe , sugerindo para que volte a cuidar do seu paciente .

 

 

 

Flowers : ___ Como ousa , me trata assim, você não passa de uma … ! ? - olhando com rancor para a sua colega , sacudindo um pouco do seu balde de água com sangue , sendo interrompida pela enfermeira- chefe que fez um gesto para que ela se cale .

 

 

 

 

Angelique : ___ Já deu ,senhorita Flowers, por favor, cuide do que precisa , deixe que eu converso com a senhorita Delacorte ! - fazendo o gesto para que a enfermeira séria , pedindo para que a enfermeira volte ao serviço , falando que cuidaria da enfermeira que sorria satisfeita para a colega ao ver que a mesma estava prestes a partir.

 

 

 

 

Flowers : ___ Ah , mas , senhora , ela está abusando muito , a nossa profissão é cuidar das pessoas , não trocar elas como se fossem uns objetos sem valor algum ! - olhando pasma para a enfermeira chefe que continuava muito séria com ele, argumentando contra a sua ordem ,olhando incrédula para a Isadora que ainda sorria para ela.

 

 

 

 

 

Angelique : ___ Ah sim, eu sei que tem razão mesmo , mas , a sua colega precisa ser tratada a minha maneira, quero que vá cuidar do seu paciente ! - concordando com o argumento da enfermeira , dizendo que ia cuidar da enfermeira Delacorte , pedindo novamente para ela sobre os cuidados com o seu paciente.

 

 

 

 

 

Flowers : ___ Sim, madame Angelique , espero que me perdoe pelos meus argumentos sem sentido ! - aceitando o pedido da enfermeira chefe, fazendo uma nova reverência , pedindo desculpas para a enfermeira – chefe , olhando com calma para a senhora.

 

 

 

 

Angelique : ___ Não precisa se desculpar não fez nada de errado , obrigada pela informação sobre a sua colega ! - falando que a enfermeira não tinha feito nada de errado , agradecendo ela por tudo.

 

 

 

Flowers : ___ Está bem, até mais , senhora ! - aceitando tudo o que a enfermeira – chefe , fazendo uma nova reverência para a senhora , terminado com ela , começando a levar o seu balde consigo para trocar a água e os bandagens .

 

 

 

 

 

Isadora : ___ Até que enfim, que essa chata foi embora, agora ,quando eu vou conhecer o meu novo paciente !? - vendo a colega indo embora pelo corredor, dando um sorriso de satisfação para a senhora , perguntando para a chefe quando ia conhecer o seu novo paciente.

 

 

 

Angelique : __ Não vai conhecer mesmo , eu já tenho uma enfermeira para cuidar dele , pare de ficar trocando os pacientes , somente por causa da aparência deles, aqui estamos cuidando de vida , dando uma boa lição de moral para a sua enfermeira que ficou frustrada , olhando para tentar passar pena a enfermeira – chefe.

 

 

 

Isadora : ___ Mas , o meu paciente é senhor de idade, quase a beira da morte, por que não posso trocar , por um homem alto, forte , como o novo paciente que chegou hoje ! ? - começando a fazer uma birra que nem criança , choramingando para a chefe que revirou os seus olhos descrente , ficando magoada em que a sua troca não foi realizada.

 

 

 

 

 

Angelique : __ Pare de agir , feito uma criança , tente agir com uma enfermeira digna deste hospital, nem o seu choro falso vai me fazer mudar de ideia , agora, com licença , eu preciso supervisionar as suas colegas ! - pedindo para que a enfermeira aja que nem uma adulta , dizendo que ia supervisionar as outras , começando a se afastar da enfermeira chorona.

 

Isadora : Odeio este trabalho. Tenho nojo de sangue . Por que está sendo tão rude comigo ? - continuando a chorar muito para a enfermeira- chefe.


 

Angelique : _ Lamento, sou a sua chefe, não sou a sua mãe, ou sua irmã, ou a sua melhor amiga. Aqui é um ambiente de trabalho. Enxergue essas lágrimas. Aja como uma enfermeira de verdade, ou pelos menos , tente . Vou indo embora . Tenha um bom dia - falou em um tom sóbrio, saindo de cena.


 

Isadora : Te odeio . - falou cheia de raiva, bateu o seu pé esquerdo com força no chão , deu de costas e foi para outra direção.


Notas Finais


me desculpe por algum erro.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...