História O amor entre uma mentira - Capítulo 47


Escrita por:

Postado
Categorias Thor
Personagens Frigga, Heimdall, Hela, Lady Sif, Loki, Thor
Tags Marvel, Romance, Thorki, Vingadores
Visualizações 17
Palavras 809
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção, Lemon, LGBT, Magia, Romance e Novela, Suspense, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 47 - A carta


A carta

 

Querido, Loki, ou deusa da trapaça, e engraçado falar assim, sei que fiz algumas coisas erradas, mas saiba que Sif, acabou tomando um veneno, depois de me contar o que fez com os bebês, acabei vindo a Midgard novamente. Eu queria lhe matar, mas estava muito ocupado tentando acabar com Hela. Você matou nosso pai, pelas costas, e ainda se vingou se transformando em nossa mãe, quando soube de sua morte, o culpei, e culpei pela morte de meu pai, eu quero lhe odiar, muito, muito, mas não consigo. Sei o quanto Sif, acabou enlouquecendo por todo que aconteceu, e também estou irritado por suas atitudes. Lembro-me quando ela contou, eu bati em seu rosto. Ela sabia o quanto aquilo me feria, e isso a feriu mais ainda. Agora, tenho Thanos, que acabou com nosso mundo, eu tentei de qualquer forma, acabar com ele, mas não consegui, por milagre me mantenho vivo, e me pergunto, se tivesse você do meu lado, poderia estar melhor. Essa carta, vai ser entregue para Natasha, ou alguém, que poderá lhe entregar, acho que Steve Rogers, e o melhor garoto de recados, mas espero que me perdoe, por tudo, lhe conto quando vir me ver. Eu sei o quanto posso ter te machucado, mas tudo que vivemos não pode ser apagado, eu terminei com a Jane Foster, acho que ela acabou comigo ( Risos ) Mas saiba que você não é uma opção, só quero que nos sejamos sinceros um com o outro, precisamos ficar juntos. Sei que aquele dia, Sif veio comigo, somente para ver se os bebês foram trocados, e eu lhe coloquei dentro de um hospício, mas não lhe matei? Sabe por quê? Porque eu lhe amo, e mais machucaria a mãe dos meus filhos, eu só quero nossa família, e você e minha família e sempre foi.

 

Ele apenas pegou a carta, colocou no envelope, e entregou para Natasha.

O acidente

Hugo, parecia estar magoado e entristecido, mas algo, o deixava mais nervoso, o motorista viu um clarão tão forte, e logo deu um grito, era um caminhão vindo cheio de toras de madeira, quando deslizou pelo asfalto, o motorista não conseguiu contornar, e rapidamente viu as madeiras vindo em velocidade e chocando-se contra o carro, que caiu por um barranco. O caminhão perdia o controle, muitos carros chocavam-se entre ele, O carro rolava entre o barranco até cair de cabeça para baixo. Loki, então sentia sua perna presa entre as ferragens, e Hugo, parecia estar pior que ela, ele gemia de dor.

Hugo, olhou novamente para ela, quanto rapidamente apareceu o homem de ferro, olhando para ela, e preocupado – Você está bem? – O que faz no Havaí? – Vou ter que voltar para Nova York, salvar o dia, mas agora apouco, estava com minha filha, e minha esposa. – Disse Tony Stark - Tony, tentava tirar de qualquer jeito Beatrice, e logo disse - Vou te tirar dai - Ele arrancou a porta, tirou o cinto dela - A mesma olhava para Hugo, que estava sem vida. - Apenas segurando com força as alianças, Lady Loki, era a última sobrevivente dentro daquele carro, e Tony sabia disso. Ele conseguiu tirar ela dentro do carro. Então, a segurou com firmeza e voou até ir para Nova York. 

 Lady Loki, tinha umas escoriações pelo corpo, e sua perna estava sangrando muito, e estava bem aberta, Tony, fez de tudo para salva-la, cortou peças do carro, e até, conseguiu usar sua armadura, para tentar abrir mais o carro, alarga-lo. Mas não importava até eles chegarem no hospital.

Flashback

O nascimento 

Ela sentia as contrações a cada momento ela tentava sentir, sentir-se mais ele não permitiam, a dor era imensa as contrações eram frequentes, ela tentava parar de reclamar, gemer, e gritar, ela queria, queria os braços fortes dele envolta dela, mas ela não estava preparando para fazer isso sozinha, ela gritaria mais alto possível, enquanto a medica, tentava fazer ela ver que eles precisavam da sua força. Os gritos entre o dela, e da médica se misturavam, entre o suor de sua testa e seus cabelos. Ela sentia cada contração matando-a, ela queria gritar, e empurrar com mais força a cada minuto, até conseguir, e ouvir o chorinho, depois em seguida, outro chorinho. Ela apenas se lembrou de quem realmente amou por toda vida, e quanto tentou apagar, e ignorar isso. Ela então pode segurar seus bebês. Ela pode ver o quão eram lindos e grandes. Eles eram fortes.  Mas algo tomou sua alegria, quando rapidamente ela foi para o quarto, e seus bebês para o berçário.

Mas ela lembrava bem, qual nome ela disse, qual nome que ela disse antes de gritar, era o nome dele, sempre vinha em sua mente, e as lágrimas e o desespero de sentir que poderia dar a vida a algo que ligaria eles para sempre.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...