História O Amor Está Em Campo - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Lauren Jauregui
Tags Camren
Visualizações 184
Palavras 1.643
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Shoujo (Romântico), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 7 - Reencontro


Narrador POV

Jauregui estava extremamente nervosa, ela contou os dias para aquele momento, quando poderia rever a protagonista dos seus pensamentos, imaginou inúmeras cenas em que as duas se encontravam, não é como se ela pudesse evitar, a mesma sabia que nada aconteceria como ela pensava, mas não tinha controle sobre seus pensamentos, afinal quando se está apaixonado você não tem interesse em mais nada, sim ela se apaixonou, apenas não admitia isso.

Sentada na área VIP do estádio de futebol, esperando a camisa dez do time argentino, estava Camila, a garota não estava muito diferente da outra, Cabello se encontrava alheia a qualquer problema ou ameaça que fosse vir no futuro, pelo simples fato de que não queria ver nada de negativo em estar no começo de uma relação com a Jauregui. Ela nunca em toda sua vida pensou que estaria no estádio torcendo pelo time argentino, porém era até engraçado para ela como as coisas mudavam, em um momento você tem tanta certeza de uma coisa, que será sempre assim e do nada, sem aviso prévio, quando você percebe, tudo muda.

...

Camila Cabello POV

- Puta que pariu! - Sentei novamente na cadeira, frustrada.

Ignorei totalmente os olhares tortos que as pessoas me davam, talvez fosse pelo fato de eu ser Camila Cabello, o ícone jovem do time brasileiro, neste momento sentada em uma cadeira, frustrada pelo fato de que Lauren havia acabado de perder uma chance linda de gol, Ah! Eu vestia a camisa do Brasil, talvez fosse isso, mas só talvez.

Sei que parece uma afronta eu ir com essa camisa ver o time da Argentina, acreditem, a briga entre os dois apenas aumentou quando o Brasil foi hexa em cima dos argentinos, tudo piorou quando o esporte feminino começou a ter reconhecimento lá em 2.030, primeira copa do mundo para as mulheres, adivinha quem ganhou? Brasil, em cima de quem? Isso mesmo, Argentina, resumindo tudo, nós temos duas taças e elas também, a outra foi em 2.038 da França. Enfim, a briga é feia, lembro até hoje da última vez que nossos hermanos ganharam, lembro de ter achado Lauren tão linda levantando a taça, porém o ódio e a frustração de ter perdido se sobressaiu, óbvio que eu não joguei, ainda era nova.

Moral da história? Eu era a nova esperança para conseguir a terceira estrela da nossa camisa, então sim, os brasileiros estão todos putos comigo por eu ter feito "amizade" com Lauren, ela é culpada por tirar nossa chance de copa em 2046, levei nome até de iludida, nem vou citar os absurdos que as pessoas estão dizendo na Internet, parece até que Lauren é um monstro faminto por taças.

Nem vou entrar no assunto do futebol masculino, Deus me livre.

...

Depois de longos trinta minutos de prorrogação, foram pra os pênaltis, o placar estava de 0 a 0, Lauren estava notavelmente exausta, toda vermelhinha e com um curativo médio acima da sobrancelha, consequência de uma cotovelada da jogadora oponente, as duas quase saem na porrada, não dispenso um bom jogo nunca e sempre torcia pra dar briga e alguém sair no soco, mas era Lauren ali, não queria que ninguém a machucasse, sem contar que ela poderia ser expulsa.

...

Depois da vitória do time de Lauren eu fiquei esperando nos bancos do corredor que dava no vestiário, a morena tinha mandado seu segurança me levar até lá para que eu a esperasse e então irmos juntas ao hotel que ficaríamos, em quartos separados, claro.

- Hey! - Ouvi uma voz rouca e rapidamente tirei a cara do celular e a olhei.

Ela usava outra blusa do seu time, disso eu sei porque a dela rasgou um pouco no jogo com a quase briga, usava calça jeans e tênis.

- Lolo! - Levantei, guardando o celular no bolso e ela envolveu minha cintura com seu braços, me apertando contra seu corpo. Suspirei.

Antes que ela se afastasse completamente eu agi totalmente por impulso e lhe dei um selinho demorado.

- Desculpa... Eu pre--

Fui interrompida por sua boca que voltou a me beijar, dessa vez um beijo de verdade, senti um frio na barriga quando ela encostou sua língua na minha e me apertou ainda mais em seus braços, levei minhas mãos ao seu rosto e acariciei sua bochecha enquanto dava o melhor beijo da minha vida.

- Eu também precisava. - Se afastou um pouco e encostou nossas testas, sorrindo. - Senti saudades. - Acho que vou ter um infarto.

- Eu também. - Sussurrei.

- Posso confessar algo? - Pediu e eu assenti. - Isso foi melhor do que nos meus pensamentos. - Nossa! Ela sabia como deixar alguém derretido.

Minhas mãos ainda se encontravam em seu rosto, acariciando, ela tocou minha mão com a sua a levando até seus lábios para beijar meu polegar, achei aquilo tão fofo que foi impossível não sorrir.

- Vamos para o hotel. Preciso descansar, minhas pernas estão doendo pra caralho e agora depois que te vi ficaram bambas. - Uau, mas ela tá expondo tudo. Gargalhei. Prefiro omitir o fato de ter achado sexy ela falando um palavrão.

- Você sabe como iludir alguém. - Brinquei. Ela riu.

Saímos de mãos dadas do lugar.

...

- Lauren! - Não reconheci de imediato quem a chamava, porém logo identifiquei a pessoa, era a goleira delas, a que enfiou a chuteira na minha perna.

- Que é? - Perguntou, se virando.

Eu entrei no carro, era com Lauren que ela queria falar, não queria ficar lá, seria um tanto constrangedor, e não, não falaria com ela, minha canela ainda está com quatro feridas feias, talvez eu guarde um pouco de rancor.

Lauren Jauregui POV

- Que é? - Talvez eu tenha sido rude, porém ainda não esqueci que ela junto com o time sugeriram que eu estava usando Camila.

- Onde você vai com ela. - Tentou reprimir uma cara de nojo, aquilo me enfureceu. - Qual é! Nós ganhamos porra! Vamos pra final! Temos que comemorar. - Se animou.

- Eu estou muito acabada pra isso, já está escurecendo e acho que vou pra cama cedo. - Cruzei os braços. Minhas pernas já começaram a latejar.

- Você tá sem graça, só tem hoje, amanhã vamos embora.

- Correção, vocês vão embora. Já acabou? - Estava impaciente, confesso.

- Já vi que não dá pra falar com você. Tchau. Faça bom proveito aí da brasileira. - Fechei minhas mãos em punhos com força e antes que pudesse retrucar, ela já estava longe.

Entrei no carro ainda com raiva e sentei bem perto de Camila que mexia distraída no celular.

- Aconteceu alguma coisa? - Bloqueou a tela e me encarou.

- Elas vão comemorar a vitória. - Fingi estar calma.

- Você não vai? - Perguntou, parecendo perceber meu estado, tocou delicadamente meus cabelos molhados, fazendo uma carícia gostosa, me acalmando completamente.

- Estou muito cansada, também não é como se eu quisesse ir, tava com uma puta saudade de você. - Admiti me rendendo a suas carícias e fechando os olhos.

...

Depois de um jantar maravilhoso no hotel ao lado de Camila, fomos para nossos quartos, queria tanto que ela dormisse aqui comigo, porém não sabia como pedir aquilo sem que soasse com segundas intenções, então decidi reprimir meu desejo afim de não estragar tudo.

Fazia algum bom tempo que eu tentava, sem sucesso, dormir. Minhas coxas, específicamente, latejavam, parece que teria de me aposentar mais cedo. Como eu não aguentava mais um jogo sem que minhas pernas morressem?

Ouvi leves batidas na porta e levantei para abri, era Camz.

- Você disse que não conseguia dormir por causa das suas pernas, então eu decidi ficar com você. - Tinha mandando mensagem para ela a alguns minutos.

Percebi que tomei a decisão errada quando olhei para seu corpo que era coberto apenas por uma blusa fina e uma calça de moletom, que não era suficiente para esconder aquelas curvas que eu tanto aguardava pra botar a mão, a por favor, sou filha de Deus também.

- Gosta do que vê? - Perguntou risonha. - Se não falar nada vou achar que tem algo errado. - Concluiu, rindo nervosa.

- Você é tão linda Camz, eu poderia passar um tempo indeterminado olhando você. - Caminhei em sua direção até que estivéssemos a poucos centímetros de distância. - Eu quero muito beijar você. - Admiti, olhando aquela boca gostosa.

- Vou facilitar pra você e suas pernas doloridas. - Falou sorrindo e eu fiquei um pouco confusa sobre o que ela faria.

Botou as mãos em meus ombros e me empurrou de leve, senti minhas pernas baterem na cama, fazendo com que eu me sentasse na mesma, mas Camila não parou até que eu estivesse completamente deitada. Aquela altura eu já estava excitada, como alguém fica no estado em que me encontro apenas com isso?

Camila ainda com as mãos apoiadas em meus ombros, se deitou por cima de mim e beijou meus lábios, um beijo não muito longo.

- Quer que eu fique? - Perguntou ficando ao meu lado, porém virada pra mim, eu estava de barriga pra cima e sua perna se encontrava dobrada em cima da minha coxa.

- Você quer ficar? - Perguntei receosa. - Eu queria muito que sim. - Admiti com um pouco de vergonha.

- Quero. - Sorriu e eu sorri junto.

- Então vamos tentar dormir. - Ainda não era a hora, até eu com meu fogo sabia daquilo.

Nos arrumamos na cama, de conchinha, meu nariz encostado na sua nuca, seu cheiro seria meu novo vício, dormir daquela forma com ela me deixava tão confortável e a vontade como nunca antes, em meus relacionamentos passados eu odiava dormir abraçada a alguém, mas aquela garota em meus braços estava destruindo todos os meus hábitos, o pior é que eu estou adorando. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...