1. Spirit Fanfics >
  2. O Amor faz Crescer >
  3. Come back home.

História O Amor faz Crescer - Capítulo 26


Escrita por:


Notas do Autor


Oi meninas❤️
Mais um capítulo para vocês, já começam a entender nesse capítulo algumas coisas que aconteceram com alguns personagens...
O link da música pro capítulo está nas notas finais..
Comentem bastante o que estão achando 💛
Boa leitura ❤️

Capítulo 26 - Come back home.


Fanfic / Fanfiction O Amor faz Crescer - Capítulo 26 - Come back home.

Fernando

 

Estava na minha casa, algo que morar na Califórnia me trouxe, tinha minha casa e morava sozinho, eram 10 da noite de plena terça feira, já tinha estudado o suficiente aquele dia. Senti uma sensação ruim o dia todo, estava louco para ligar para minha Lety, queria ouvir a voz dela, estava contando os minutos, nós tínhamos horário certo para conversar. Nessa noite o telefone tocou mais cedo.

Ligação:

Alô - Ele disse.

Terezinha: Alô meu filho, sou eu

Fernando: Oi mamãe, sua voz está diferente aconteceu alguma coisa?

Terezinha suspira – Meu filho... Seu pai sofreu quatro infartos...

Fernando: É o que? - disse surpreso.

Terezinha: Ele estava muito estressado nas últimas semanas, hoje de manhã acabou sofrendo dois infartos na Conceptos e depois outros dois quando estava sendo atendido pelos médicos... Meu filho seu pai teve medo de morrer sem te ver, confessou que te manteve longe por muito tempo, Fernando ele pediu para que você volte... Meu filho está me ouvindo... Fernando? - ela o chama.

Fernando estava estático segurando o telefone na altura da orelha, foi um choque de informação, seu pai quase morreu e ele está longe de todos.

Oi mamãe... eu... eu estou aqui – Ele disse um pouco desorientado.

Terezinha: Meu filho nós queremos que você volte para casa, por favor meu filho volte – Pediu quase implorando.

Fernando: Mamãe vou resolver as coisas aqui na Califórnia, voltarei o mais breve possível, vou ficar bem ocupado nesse período, mas eu vou voltar mamãe, não se preocupe.

 

Fernando passou horas conversando com sua mãe, ela estava muito preocupada e ele queria acalma-la, prometeu que faria o possível para voltar o mais rápido para casa. Quando desligou viu que era muito tarde e que não conseguiria falar com Letícia naquele dia, provavelmente no dia seguinte também.

Fernando demorou para dormir nessa noite, estava preocupado, sua família precisava dele, tinha dedido resolver tudo no dia seguinte para poder voltar para casa.

No dia seguinte ele acordou cedo, fez suas higienes matinais, trocou de roupa, tomou café e foi para Universidade, ele conversou com o diretor, que por sorte conhecia o Humberto, ficou resolvido que continuaria prestando a faculdade, mas agora a distância, era uma exceção única apenas para ele. Fernando poderia voltar para casa, estava tudo certo, ele foi no aeroporto conseguiu uma passagem para o começo da tarde, ficou feliz pois teria o restante da manhã para arrumar as malas com calma. E assim ele fez, depois do aeroporto, foi direto para sua casa, fez as malas, arrumou tudo ali e horas depois foi para o aeroporto. Uma hora depois de sair de sua casa na Califórnia, Fernando embarcou no avião com destino ao México, seria um voo cheio de escalas, mas para sorte dele eram apenas 2 horas de voo.

Fernando logo chegou em seu país, estava novamente rodeado pelo seu povo, no seu país, onde sua vida toda está. Ele pega suas malas e espera por um táxi, poucos minutos depois de sair do aeroporto, ali estava ele, em frente à sua casa, a casa dos seus pais, ele virou para olhar o outro lado da rua e viu a mansão dos Padilha, a casa da sua Letícia, que saudade ele estava da sua namorada, com um sorriso nos lábios ele se dirige a porta da mansão dos Mendiola e toca a campainha, não demora muito para uma moça de cabelos castanhos a altura dos ombros, que vestia um macacão preto curto a altura das coxas, com uma grande blusa de lã marrom por baixo, abrir a porta e ficar muito surpresa.

NANDOOOela pula nos braços do irmão.

Oi maninha – ele a abraça forte – Que saudade de você - ele a balança durante o abraço.

Senti tanto sua falta meu irmão - Ela aperto o abraço - Tive medo de perder o papai Nando – ela suspira triste.

Humberto Mendiola é forte Márcia - ele diz segurando o rosto da irmã - Mas como ele está? Onde está a mamãe?

Márcia: A mamãe passou a noite com ele no hospital...

Fernando: E porque você não está no colégio, é seu último ano, aproveite...

Márcia: Não estou com cabeça para o colégio com o papai no hospital – disse triste.

Fernando: Vai ficar tudo bem maninha, eu estou aqui – ele a abraça.

Márcia: Fico feliz que voltou, você fez muita falta viu... a Lety... AÍ MEU DEUS A LETÍCIA VAI TER UM ATAQUE QUANDO TE VER! - Ela grita assustando o irmão.

Fernando: Meu Deus como ficou escandalosa em menina – disse colocando a mão no ouvido.

Márcia: A Letícia sabe que você voltou? Você ligou pra ela?

Fernando: Não consegui avisar ninguém, estava ocupado resolvendo as burocracias da Universidade...

Márcia: Você precisa fazer uma surpresa para ela... Nando você não imagina o quanto ela sofreu quando você foi embora, ela passou meses chorando... Ela vai ficar tão feliz quando te ver – disse abraçando o irmão.

Fernando: Estou morrendo de saudade da minha baixinha – ele sorri bobo.

Márcia: Não tão baixinha – ela disse.

Fernando: Como ela está? faz uns meses que não recebo fotos dela, só nos falamos por telefone.

Márcia: Ela está incrível, se tornou uma mulher linda, você vai ver – ela sorri.

Fernando: Vejo que não é só ela quem cresceu... Está mais alta maninha – ele ri.

Márcia: E mais bonita também, os anos me fizeram bem, eu sei...

Fernando: Quando foi que ficou convencida que eu não vi? - disse olhando para a irmã que ria dele.

Márcia: Estou brincando, mas você também está muito bem maninho, fez academia foi? - ela ri.

Fernando: Que bom que reparou, tive que me distrair de alguma forma...

Márcia: Se distraiu bastante em... bom, eu ia para o hospital ver o papai e tentar fazer a mamãe vir para casa vem comigo?

Fernando: Claro, só vou guardar as malas, meu quarto ainda é mesmo, não é? - disse no pé da escada.

Márcia: Sim, mamãe pediu para Dulce limpa-lo, mas deixa-lo do jeito que você deixou – disse mexendo na bolsa.

Fernando: Obrigado, já volto e nós vamos ao hospital.

 

Fernando sobe as escadas, tudo parecia igual, ele chega em frente ao seu antigo quarto, abre a porta e uma nostalgia o invade, tudo estava da mesma maneira que ele deixou, as almofadas jogadas na cama, seus livros nos nichos, sua mesa de estudos, cheia de livros, os quadro em cima do criado mudo. Ele entra no quarto deixa as malas ao lado da cama e abre as janelas, depois ele sai e fecha a porta, desce as escadas e saí da mansão Mendiola ao lado de sua irmã Márcia.

Eles vão para o hospital, Márcia o conduz até o corredor onde ficava o quarto em que seu pai estava, eles se aproximaram e viram que em frente ao quarto, sentada em uma cadeira de espera, estava uma senhora de cabelos vermelhos.

Assim que Terezinha viu seu filho se aproximar ela se levanta e o abraça forte, finalmente seu menino tinha voltado, estava novamente em casa, no seu país, ela não segurou as lágrimas de emoção.

Terezinha: Meu menino – Ela disse enquanto o abraçava.

Márcia via aquela cena emocionada, o reencontro de mãe e filho.

Fernando: Oi mamãe - disse sentindo o perfume de sua mãe.

Terezinha: Senti tanto sua falta meu filho... O seu pai nos deu um susto tão grande – Disse limpando as lágrimas, mas elas insistiam em cair.

Fernando: Como ele está? - perguntou preocupado.

Terezinha: Em observação, mas está bem, ontem ele conversou comigo, pediu para que você volte – disse acariciando o rosto do filho.

Fernando: Está no horário de visitas?

Terezinha: Daqui 15 minutos começa o horário de visitas – ela sorri de canto.

Fernando: Então vamos no sentar, assim que der o horário eu quero vê-lo, posso mamãe?

Terezinha: Claro meu filho, vem Márcia, se sente conosco – Fez sinal para que a filha se sente - É muito bom estão perto dos meus dois filhos, eu amo muito vocês - Ela beija a bochecha de Fernando e a testa de Márcia.

Eles ficaram ali sentados abraçados, depois de 15 minutos, já estava liberado as visitas. Terezinha entrou no quarto e Humberto estava deitado lendo um livro.

Terezinha: Oi querido – Disse entrando no quarto

SH: Oi querida – ele sorri de leve.

Terezinha: Como está se sentindo hoje? - disse se aproximando da cama.

SH: Estou bem... a Márcia veio com você?

Vim papai – Márcia disse entrando no quarto – E eu não estou sozinha – Disse estendendo a mão.

Fernando segura na mão da irmã e entra no quarto.

Oi pai – Disse ao entrar no quarto.

SH: Meu filho – ele sorri – que bom que voltou – ele estende os braços.

Fernando vai em direção ao seu pai e o abraça com cuidado.

Fernando: Você nos deu um grande susto senhor Mendiola.

SH: Pelo menos isso me trouxe o meu filho de volta para casa, me perdoe por ter lhe proibido de voltar...

Você fez o que? - Terezinha perguntou brava.

Agora ferrou - Márcia coloca a mão na cabeça.

SH: Me perdoe Terezinha, achei que era o melhor para ele...

Terezinha: Só não lhe dou uns belos tapas porque já está em uma cama de hospital, mas você não me escapa Humberto! - Disse brava

Fernando: Mamãe está tudo bem, já passou...

SH: Me perdoem por favor, eu sinto muito meu filho – Disse olhando para o filho.

Fernando: Está tudo bem, eu estou aqui, não estou, agora o senhor precisa se recuperar, está bem?

Fernando passou horas com a família no hospital, ele e a Márcia tentaram convencer sua mãe a ir para casa descansar, mas ela se recusou, mesmo estando brava com Humberto ela ficou ao lado dele no hospital.

Então acompanhado de sua irmã ele foi para o seu antigo colégio, parou o carro em frente a entrada e esperou o sino tocar e os alunos saírem.

Márcia estava ao lado do irmão e logo viu quando que a Carol saiu, sua amiga vestia uma calça preta com cinto, uma blusa branca e um grande casaco jeans e tênis preto, seus cabelos eram a altura do pescoço em um corte desfiado com alguns fios claros deixando o cabelo em tom de mel.

Márcia: Nando não fala nada sobre o Omar, por favor.

Fernando: Por que?

Márcia: Você logo vai saber o porquê... – Ela disse indo em direção a amiga.

Carol: Aquele é o Nando? – perguntou olhando para o Homem encostado no carro.

Márcia: O próprio! – Ela sorri.

Carol: Ele está diferente ... Aí meu Deus a Lety vai ficar muito feliz – ela grita.

Márcia: Agora eu entendi o Nando – ela disse colocando as mãos no ouvido – Cadê a Lety?

Carol: Acho que guardando os livros, a última vez que eu a vi ela saindo da sala com o...

Márcia: Diego? – Perguntou preocupada.

Carol: Aí meu Deus, sim... – Disse com a mesma expressão de Márcia.

Márcia: Tomara que o Nando não fique com ciúmes...

Carol: Tarde demais... – Disse olhando para ele.

Márcia se vira e vê o irmão com uma expressão diferente, sua testa estava franzida.

Letícia saiu do primeiro portão ela estava incrivelmente linda com os cabelos jogados para trás, ela usava uma calça jeans azul, uma blusa de lã manga longa branca e o tênis branco, ela estava acompanhada por Diego, um novo amigo do grupo das meninas, Márcia e Carol sempre avisaram que ele tem um interesse em Letícia, mas a mesma ignora e diz que dá parte dela será somente amizade.

O fato é que os dois saíram da escola juntos rindo, felizes, estavam distraídos conversando entre si.

Eles pararam perto das meninas.

Diego: Oi Márcia, como está o seu pai?

Márcia: Está se recuperando...

Letícia: Amiga vai ficar tudo bem com Tio Humberto – Ela abraça a Márcia.

Assim que Letícia a abraça ela olha para frente e se surpreende. Ele estava ali, encostado no carro preto, o seu Fernando, ela não podia acreditar, seu namorado estava ali a poucos metros de distância, ele estava lindo vestindo uma camiseta azul marinho, calça jeans cinza e uma bota cor de caramelo, ele é forte, seus músculos se evidenciavam com sua camiseta, realmente um homem completo.

A M O R ! – Ela grita se soltando do abraço da amiga e correndo para os braços de seu querido namorado.

Letícia pula no colo de Fernando, que a rodopia dentro do seu abraço.

Fernando toma os lábios em um beijou saudoso, passou três anos sem sentir o gosto dos lábios de sua amada, agora ele passaria todo tempo possível recuperando esse tempo perdido. Ele sugava os lábios dela procurando ar para não cessar o beijo, se recompôs assim, beijar Letícia era a maravilha do mundo, eles se procuravam durante o beijo com amor, sentiam tanta falta desse beijo, de cada toque, Fernando segurava Letícia com uma mão na coxa e outra apoiando as costas de sua amada, que por sua vez estava com os braços em volta do pescoço dele.

A respiração dos dois era ofegante, ambos imaginavam que o reencontro seria assim, mesmo se falando todas noites, sentiam a falta um do outro durante o dia a dia, a rotina dos dois não era a mesma, ambos eram a melhor parte do dia um do outro.

Fernando finamente parou o beijo mordendo o lábio inferior de Letícia que sorriu com tal ato.

Fernando: Senti saudade – disse ao pé do ouvida dela.

Lety: Eu senti mais – ela beija o pescoço dele.

Márcia e Carol viram aquela cena, sabia quanto aquilo era importante para Letícia, as duas ficaram emocionadas.

Quem é aquele cara – Diego pergunta.

Márcia: Ele é o meu irmão...

Carol: É o NAMORADO da Lety – disse dando ênfase a palavra namorado.

Diego: Namorado? Não sabia que ela namorava

Márcia: Ela namora com ele a três anos Diego...

Diego: Três anos? Como eu nunca o vi aqui – disse confuso.

Carol: Ele tinha se mudado para Califórnia, mas agora voltou e como está vendo eles estão muito bem – Disse forçando um sorriso.

Diego: Que bom para eles, bom eu vou indo, até amanhã meninas.

M & C: Tchau Diego – dizem em coro.

As meninas se aproximam do casal.

Márcia: Não queria atrapalhar o casal, mas precisamos ir para casa.

Letícia sorri para amiga.

Fernando: Vamos – Ele abre a porta de trás para as meninas e abre a porta do passageiro para Letícia.

Fernando levas as meninas para casa.

Quando eles chegam em frente à mansão Mendola, veem que a casa está com as luzes acesas, Fernando estranha, mas deve ser a empregada, Dulce, que tinha ficado até mais tarde esperando por eles, ela sempre fazia isso quando ninguém ficava em casa, quando ele era mais jovem.

Os quatro entram na casa e são surpreendidos por um coro de “BIENVENIDO NANDO” Ali estavam todos, o grupo de amigos finalmente estava reunido, ou quase. Tomás e Eduardo deram um forte abraço em Fernando, Tomás vestia uma blusa branca, casaco jeans, calça preta até a canela e tênis branco. Eduardo vestia uma calça verde militar, blusa cinza e tênis branco, tinha algumas pulseiras no pulso.

Alice fez o mesmo que os meninos, logo em seguida, e abraça o Fernando, ela usava uma blusa de alça branca curta, uma calça jeans azul claro e um casaco de lã cinza escuro, seus cabelos loiros estavam penteados para trás.

Estavam finalmente todos reunidos, só faltava uma pessoa...

Desculpa a demora... Aaah perdi a surpresa – Omar disse entrando na sala.

Carol: Não acredito que você o chamou – Ela disse olhando brava para a amiga.

Márcia: Desculpa amiga, mas o quarteto só é completo se ele estiver junto...

Carol: Poderia ser um trio então, não precisava chamar esse daí - Ela olha brava para ele.

Fernando conversava com Tomás enquanto Eduardo servia as bebidas, eles escutaram a reclamação da Carol...

Fernando: Me fala, o que aconteceu com a Carol e o Omar – disse olhando para os dois com estranheza.

Tomás: Ele não te contou a proeza dele?

Fernando nega com a cabeça.

Tomás: Nosso querido amigo Omar, terminou com a Carol... - disse pegando um copo.

Fernando: Ele fez o que? - Disse surpreso.

Eduardo: E essa não é nem a pior parte... O inteligente apareceu com outra no dia seguinte, na frente da Carol, depois de falar que queria ficar sozinho...

Fernando: Ele perdeu o juízo, eu fui embora ele ficou mais burro foi? - disse incrédulo.

Omar se aproxima dos amigos. Ele usava uma blusa preta e calça preta com um tênis branco e um relógio no pulso.

Eae galera, finalmente nosso quarteto reunido – Ele disse – Me dá um abraço Nando.

Fernando o abraça - Me diz aonde estava com a cabeça de terminar com a Carol?

Omar: Iiii os já deram com a língua nos dentes foi – Disse olhando para Eduardo e Tomás.

Fernando: Por que terminou com ela Omar?

Omar: Por que eu tinha que terminar ué

Fernando: Mas continua sendo o mesmo idiota não é - Disse balançando a cabeça negativamente.

Omar: Já que falaram de mim... Nando o Eduardo falou o que ele fez com a sua irmãzinha? - Disse olhando desafiador para Eduardo que quase engasgou tomando a bebida.

Fernando: O que você fez com a Márcia? - Disse se virando para Eduardo, enquanto Omar fazia careta de convencido para eles.

Eduardo: Eu? ... é... eu... É que eu e a Márcia nós... - Tentou falar mas estava sem jeito.

Fernando entendeu o que o Eduardo queria dizer.

VOCÊ TRANZOU COM A MINHA IRMÃ? - Ele gritou assustando todos.

Márcia arregalou os olhos ao escutar o que o irmão tinha gritado, ela corou na mesma hora.

Carol: Garanto que foi o idiota do Omar quem falou – disse bufando brava.

Lety: Eu disse que ele ia ter essa reação quando soubesse...

Eduardo: O bairro todo não precisa saber...

Fernando: Então é verdade – Ele fica com a cara ainda mais surpresa.

Eduardo: Você fará isso com a minha prima, então fica calmo – ele disse.

Tomás: Aaaa mas ele não vai fazer não - Disse alto.

Fernando olhou para Tomás e sorriu sem jeito.

Tomás: COM A LETY NÃO! - Ele grita.

Letícia fica vermelha ao ouvir o irmão gritando...

Alice: Isso tá ficando cada vez melhor – ela ri

Carol: Por que não é com você Alice – Ela olha com deboche.

Alice: Desculpa meninas, mas é que é engraçado - Ela ri e se senta no sofá...

Márcia: Isso era pra ser uma festa de bienvenido... - Disse se aproximando do irmão.

Tomás olhava para Fernando com certa seriedade, que chegava a assustar.

Eduardo: Amor é culpa do Omar... - disse o olhando bravo

Omar: Eu nem fiz nada – Ele ri

Márcia abraça Eduardo e o beija de leve – Sabia que era ele...

Fernando: Não precisa ficar se agarrando gente, separa aí vai – Disse puxando a irmã dos braços do Eduardo.

Lety: Amor deixa eles em paz – Disse puxando o Fernando.

Letícia faz com que Fernando a abrace por trás.

Tomás: Estou de olho em vocês viu – ele fez sinal com as mãos para os dois.

Fernando e Letícia riem.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Todos começam a aproveitar a festa de boas-vindas, conversam sobre vários assuntos, e perguntam para Fernando como foi na Califórnia.


Notas Finais


Espero que tenha gostado💛
Link do música pro capitulo de hoje.
https://youtu.be/EsfSuL-VFBw


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...