1. Spirit Fanfics >
  2. O Amor Mora Ao Lado. >
  3. Prólogo - O Amor Mora Ao Lado

História O Amor Mora Ao Lado. - Capítulo 1


Escrita por: e gguktiti


Notas do Autor


Olá.
Então estamos aqui pra mais um imagine JJK, porque eu não aguento ficar sem escrever com ele sendo o personagem. Mas eu juro que a próxima eu faço se outro membro.

Mas dessa vez nós temos uma participação especial de uma das minha escritoras favoritas que a gguktiti . Eu vou deixar o perfil dela nas notas finar pra vocês irem lá ver o trabalho dela.

Então é isso e espero que gostem.

Capítulo 1 - Prólogo - O Amor Mora Ao Lado


Fanfic / Fanfiction O Amor Mora Ao Lado. - Capítulo 1 - Prólogo - O Amor Mora Ao Lado

Eu senti que era amor quando depois do “boa noite” havia uma vontade incontrolável de dizer: “Eu te amo

Eu sempre fui estudiosa, as minhas notas sempre eram as mais altas da classe e eu me orgulhava disso, mesmo que consequentemente fosse chamada de nerd por meus colegas, eu realmente não me importava.

Estava prestes a começar o período de provas e eu estava me matando de estudar na frente dos livros, mas tudo sempre acabava em uma verdadeira e ridícula frustração quando eu não conseguia me concentrar. Alguém estava se mudando para o apartamento vizinho, poucas portas distantes do meu.

Agora mesmo uma voz fina e irritante gritava para que tomassem cuidado com o sofá.

As provas eram importantíssimas para a finalização do primeiro período de aprendizado de biologia e era necessário ao extremo uma concentração fortíssima, qual comprometia não só ao meu futuro como também as minhas notas.

Talvez soasse rude da minha parte, mas foda-se, ela devia entender o meu lado e eu não pensei tanto quando saí do meu apartamento e caminhei poucos metros logo chegando ao vizinho. Havia uma movimentação perturbadora na escadaria, alguns homens carregando diversas caixas de diversos tamanhos.

— Tomem cuidado, isso custou caro! — A voz da ruiva soou aguda quando ela gritou com o rapaz que carregava um simples vaso. Quanto exagero! Não era difícil encontrar outro igualzinho aquele de porcelana antiga.

Ela era alta, aposturada e não posso negar que também é bonita. Um vestido azul cai bem no corpo padrão e uma sandália brilhante são chamativas nos seus pés. Então, aparentemente ela seria a nova moradora do apartamento que ficou vazio por um longo período desde que Chante, o idoso faleceu.

— Com licença, a senhorita podia, por gentileza falar um pouquinho mais baixo? — Me senti um pouco sem jeito ao receber o seu olhar me percorrendo dos pés a cabeça, e para completar todo aquele constrangimento, ela fez questão de soltar uma risada.

— Sua mãe mandou-a vir até aqui? — Ela colocou as mãos em cada lado da cintura com uma perfeita curva e arqueou uma das sobrancelhas.

— Eu moro sozinha! — Retruquei, agora permanecendo na mesma posição que a garota, com as mãos na cintura, mas ao contrário de arquear as sobrancelhas, eu franzi elas em um sinão de frustração.

— Ah…- — Sua fala foi cortada quando um rapaz apareceu ao seu lado. Não posso evitar de observar o rapaz, assim como fiz com a ruiva. Ele é alto, tem os cabelos castanhos e compridos e os olhos são puxados, mas suas orbes são grandes e chamativas. Ele usa uma calça de moletom de cor preta e uma camisa grande cinza. Aparentemente ele estava ajudando na mudança, seu rosto transmite cansaço.

— Mal chegamos e você já está se metendo em encrenca, Jihye? — O moreno se pronunciou olhando contrariado para a garota e ela simplesmente revirou os olhos, em seguida adentrou ao apartamento cheio de caixas lacradas. — Me desculpe, Jihye é temperamental, eu realmente sinto muito por incomodar você.

— Tudo bem, é que eu estou em semana de provas e preciso estudar, saca? Qualquer barulhinho é perturbador. — Mordi os lábios em uma tentativa falha de parecer normal perto daquele moreno, entretanto, eu estava quase chegando ao ponto de querer fundir meu corpo ao chão por vergonha.

— Eu entendo, peço desculpas mais uma vez. — Ele sorriu simpático e eu observo os dentes bem-alinhados do mesmo, têm um encontro ótimo com a mandíbula perfeitamente desenhada. — Eu tentarei acalmar a minha irmã, ela está inquieta por causa da mudança, acabamos de chegar do exterior e é tudo novo para mim e para ela.

— Obrigada. Até logo…?

— Jungkook. Jeon Jungkook! E você é…?

— Kang ______!

— Belo nome, ______.

— Eu digo o mesmo, Jungkook.

O acastanhado sorri antes de sair de perto de mim e eu permaneço ali, como se algo travasse as minhas pernas e eu não conseguia me mover de maneira alguma. Se esse cara não fosse o próprio sinônimo da perfeição ela realmente não existia. Um suspiro idiota pende dos meus lábios e eu acabo saindo do meu transe momentâneo por um altíssimo grito da tal Jihye para que os rapazes trocassem o estofado de veludo de lugar, então, eu saio dali e bato a porta do meu apartamento com um pouco de força. Encaro os livros jogados na pequena mesinha de centro da sala e uma sensação entediada me invade inteiramente.

Mas antes mesmo de me sentar para voltar aos estudos, ouço três leves batidas na porta e volto para a madeira recém fechada, abrindo-a novamente.

— Jungkook? Precisa de algo?

— Não… — Leva a destra até a nuca. — Na verdade, sim. Sei que já incomodamos bastante, mas será que você poderia me emprestar uma xícara de açúcar?

E foi assim que eu me apaixonei infinitamente, intensamente por Jeon Jungkook. Ele se tornou o meu novo vizinho e me deixou tão incrivelmente encantada e eu não tive muita dúvida em pensar que O Amor Mora Ao Lado.


Notas Finais


É isso espero que gostem. Comentem o que acharam, e é isto.

Dêem uma passadinha no perfil dela: @gguktiti

Não esqueçam de se hidratar, e ficar em casa, viu!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...