História O Amor Nos Tempos do Blog - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Sou Luna
Tags Romance
Visualizações 16
Palavras 752
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oii tudo bem com vocês?
B
O
A
L
E
I
T
U
R
A

Capítulo 4 - Capítulo 4


25/03.                                                                          TUDO DUPLO

A vida pode mudar muito em apenas alguns minutos. A minha mudou completamente depois da conversa com meus pais. Desde que fui informado da separação deles, fiquei estranho. Acho que um tanto melancólico. É esquisito morar longe do meu pai e ver minha mãe tão triste. Além do mais, a casa ficou vazia sem a presença dele e nossa rotina mudou. Chego da escola, almoço com minha mãe; à tarde ela assiste TV e, como sempre, eu estudo um pouco, mas quando o relógio marca seis horas, já não escutamos as chaves do meu pai na fechadura. À noite é quando o tempo mais demora a passar. Minha mãe já não cozinha e sempre jantamos sanduíches.

Meu pai criou uma conta no Messenger, e por mais estranho que pareça comecei a bater papo com ele pela internet. Conto da escola, ele me conta do trabalho, mas nunca falamos da minha mae. Não contei a ela sobre essas conversas, por que me sentiria mal, como se a tivesse traindo, fazendo amizade com "o inimigo". Nas conversas que tenho com ela também não falamos do meu pai, ela não o menciona, e às vezes penso que estar aqui morando com ela também faz meu pai sofrer. Sentimento duplo, vida dupla.

Desde que meus pais se separaram, não fico mais na biblioteca esperando a garota de sorriso especial, por que não achei que era justo deixar minha mãe sozinha em casa. Então me esforcei ao máximo para passar mais tempo com ela. Também por isso ando escrevendo menos no blog. Ou melhor, já não escrevo porque não tenho muito para dizer. 

A primeira semana de nova vida foi assim: dias com minha mãe, bate-papo com meu pai é a sensação de estar dividido. Sábado chegou e, as nove em ponto, a campainha tocou. Meu pai não entrou com suas chaves, nem sei se ele ainda tem as chaves. Tinha chegado o momento de passar meu primeiro fim de semana a sós com ele. Foi chato ter que deixar minha mãe, mas ela não parecia especialmente triste.

O FIM DE SEMANA

Nos primeiros minutos, o passeio com meu pai foi estranho, mas depois de alguns quarteirões ele já parecia outra pessoa. Estava feliz e com vontade de se divertir, e foi exatamente o que fizemos. Nos divertimos muito, fomos a lugares legais, procuramos um apartamento para ele, jantamos comida japonesa no sábado à noite, ele me acompanhou à partida de futebol no domingo e, depois de muito tempo, pudemos novamente dividir momentos legais.

No domingo, quando ele estacionou o carro na porta de casa, foi difícil dizer tchau, e foi chato ter que me despedir dele na porta, sem que ele pudesse entrar. Mas o bom é que sabíamos que no próximo fim de semana nos veríamos outra vez e nos divertiriamos do mesmo jeito de novo. Entrei em casa. A TV estava desligada e a sala, vazia. Achei estranho, procurei minha mãe no quarto dela, mas não tinha ninguém. Fiquei surpreso porque esperava encontrá-la triste e desanimada, mas não foi assim. Ela chegou mais ou menos uma hora depois. Estava linda, toda arrumada, com um grande sorriso nos lábios. Perguntei onde ela tinha estado e me disse que foi se encontrar com umas amigas, que tinha ido ao cinema e também feito algumas compras. Ela parecia realmente feliz e fiquei contente por vê-la bem.

No final das contas, acho que a separação não foi tão ruim como eu imaginava: os dois parecem bem e já não têm tristeza no olhar como antes. E agora eu tenho um pai e uma mãe. Antes eu os via como "pais", mas agora posso reconhecer a personalidade de cada um e não gosto mais de um do que do outro, gosto dos dois, só que separadamente, como duas pessoas diferentes.

Comentários (1)

25/03– Cinderela Virtual.                                            Que bom que voltou a escrever. Entro no seu blog todos os dias. Fico mais tranquila sabendo que você está bem e que está se acostumando com a separação dos seus pais. Penso parecido: se soubesse que os meus pais seriam mais felizes separados, não me importaria que isso acontecesse. Bom, tenho uma lição de casa, só entrei para ter notícias suas.

   Kisses.

25/05– Valeu, Cinderela.                      

Muito obrigado por se preocupar. É muito bom saber que você lê meu blog, e tem mais, acho que só continuo escrevendo meu blog porque sei que tem alguém lendo. De certa maneira, sinto que tenho uma amiga do outro lado.

Comentários (1) 

25/03– Cinderela Virtual.                                          Não tenha dúvidas de que aqui você têm uma amiga.

Kisses.


Notas Finais


Espero que tenham gostado 😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...