História O amor sempre vence - Bughead - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Riverdale
Personagens Alice Cooper, Archibald "Archie" Andrews, Elizabeth "Betty" Cooper, Forsythe Pendleton "FP" Jones II, Forsythe Pendleton "Jughead" Jones III, Veronica "Ronnie" Lodge
Tags Betty, Bughead, Jughead, Riverdale
Visualizações 36
Palavras 821
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Esse capitulo terá a parte narrada por Jughead, para vermos o lado dele também.

Capítulo 4 - O pedido


 

( JUGHEAD )

 

Assim que Betty partiu para casa de sua avó eu me senti péssimo por não está acompanho ela nesse momento tão difícil e foi complicado de lidar contudo, a cada dia me sentia pior por está longe dela, conversamos sempre que possível por mensagens ou ligação e todo dia ela me contava o qual mal estava e aquilo estava me matando por dentro.

 

Foi quando decidi que iria até ela, precisava estar do lado dela, nos melhores e piores momentos, ela precisava de mim e eu precisava estar do lada dela, somos um casal e eu a amo mais que tudo nessa vida, vê-la da maneira que estava e eu ali parado a quilômetros de distância fazia eu me sentir a pior pessoa do mundo.

 

Quando cheguei lá queria lhe fazer uma surpresa para ver se a animava mais, sua mãe me buscou pois não sabia direito onde ficava a casa e me surpreendi quando ela disse que passaríamos no hospital primeiro que sua mãe (avó de Betty) queria me conhecer, fiquei um pouco nervoso mas feliz por ter o prazer de conhece-lá mesmo que tivesse que ser nessas circunstâncias.

 

Chegamos lá um pouco antes da hora de visita e esperamos um pouco, assim que deu a hora entramos e lá estava ela. Me aproximei devagar até que estava ali bem do lado dela.

 

Alice: - Mãe, Jughead está aqui.

 

Ela abriu os olhos bem lentamente e então me encarou por alguns minutos sem dizer qualquer palavra, e então pediu para que Alice nos deixasse sozinhos pois tinha algo importante para me falar mais que era particular, Alice sem questionar apenas se afastou nos deixando à sós.

 

- Então você é o menino por quem minha neta está apaixonada?

- É sou eu sim.

 

Rimos enquanto ela ainda me olhava fixamente, acho que estava me analisando.

 

-Sabe filho, nunca vi minha neta tão feliz quanto ela está agora e acho que isso é graças a você.

-Faço minha parte e quero sempre vê-la feliz.

-Te chamei aqui pois queria conhecê-lo e te dar uma coisa.

-É um prazer conhecê-la. - a olhei com um olhar de curiosidade.

 

Então ela me entregou uma caixinha pequena embrulhada com um um papel azul e disse para que eu abrisse apenas quando estivesse em casa, e que então saberia o que fazer com aquilo, disse que isso era importante para ela e para a neta dela e que confiava em mim para dar um destino para aquilo. Fiquei bem curioso mas me contive.

 

Quando cheguei até a casa lembro de ver Betty sentada na cama muito triste, corri logo até ela e a abracei por trás, senti o quanto minha presença importava para ela naquele momento e o quanto eu era especial em sua vida, confirmando também o quanto ela era especial na minha vida.

 

(...)

 

Após a morte de sua avó precisava voltar para casa e para minha surpresa e felicidade ela voltaria comigo pois tínhamos a escola ainda. Fiz o máximo para deixá-la para cima e não entrar em um estado depressivo.

 

Chegando em casa enquanto ela tomava banho resolvi abrir a caixa e saber o que de tão especial tinha ali pois sabia que tinha. Quando abri de cara tinha uma cartinha que estava escrito

 

“ Querido Jughead, quero pedir apenas um favor, quero que me prometa sempre

cuidar de Betty por mim, sei que não estarei aqui para viver esse momento

mas espero que use-o na hora que achar mas adequado,

era minha e quero que seja da minha neta, desejo felicidades.

Com carinho Vovó Rosa. “

 

Senti me arrepiar assim que terminei de ler e sabia que aquele presente era mais que especial quando terminei de ler peguei a caixinha de veludo que estava lá dentro, me emocionei quando percebi que ela uma caixinha de aliança, ao abrir confirmei, era um anel de noivado lindo, logo pensei tenho que usar isso da maneira mais especial possível, escondi a caixa antes que Betty saísse do banho, para que ela não perdesse a surpresa. Passei dias pensando o momento exato para fazer aquilo acontecer, éramos jovens eu sabia, mas ela era a mulher da minha vida.

 

Semanas antes do seu aniversário de 18 anos encontrei a forma perfeita de fazer o pedido, queria muito aquilo, não queria algo clichê, queria sair fora de tudo que fazíamos, foi aí que tive a ideia perfeita, tinha um local da cidade que eu sempre ia quando era criança pois de lá é possível se ver toda a cidade, como é pequena você avista todos os pontos. Comprei balões em formato de coração e várias comidas que eu sabia que ela gostava montei um local bem confortável, busquei ela em casa e a vendei, quando chegamos eu me ajoelhei e pedi para que ela tirasse a venda, ela quase caiu para trás, eu realmente a surpreendi e foi assim que nos tornamos noivos.  

 


Notas Finais


até amanhã beijos.
Espero que gostem


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...