1. Spirit Fanfics >
  2. O amor tem sabor >
  3. Em meio a sorvete de morango e beijos sem intenções

História O amor tem sabor - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


design por @lotorius

Capítulo 1 - Em meio a sorvete de morango e beijos sem intenções


Dahyun era apaixonada por Hirai Momo, isso era fato. 

Bem, talvez tal afirmação fosse óbvia diante das demonstrações de afeto constantes entre as duas — quer dizer, a Hirai abraçava-a a cada dois segundos, e Dahyun? Bem, Dahyun surtava todas as vezes que isso acontecia. Sana defendia com unhas e dentes a teoria de que a Kim fora a inventora do famigerado gay panic, e, é, não havia como discordar, realmente. Era quase impossível não perceber a forma como Dahyun afastava-se sorrateiramente da Hirai, evitando-a por alguns minutos até a vergonha amenizar. —, mas, para Dahyun, era algo tão novo, tão assustador e, ao mesmo tempo, tão mágico!

Momo era seu primeiro amor, a primeira pessoa que a havia feito sentir borboletas no estômago e uma sensação maravilhosa de estar com a pessoa certa, de amar a pessoa certa. A Hirai era apaixonante, e não seria Dahyun a resistir a seus encantos. 

Havia apenas um problema: Momo não sabia.

Momo não fazia ideia de que sua melhor amiga possuía uma paixão secreta por si — claro, era secreta! e, se dependesse da Kim, jamais saberia. 

Dahyun era do tipo cautelosa, que pensava cuidadosamente em cada detalhe — eis a razão de suas festas serem todas um sucesso — e não deixava nada para trás. Era bastante firme em suas decisões e sabia exatamente o que estava fazendo. 

No entanto, tudo mudara ao conhecer Hirai Momo. A Kim já não conseguia mais seguir seu cronograma pessoal — pois Momo sempre a chamava para algo legal, como tomar sorvete ou correr pela praia —, tampouco adiantar-se com os trabalhos — pois Hirai a convencia de que era bom sentir a adrenalina de fazer tudo de última hora.

Momo havia bagunçado a vida da Kim de um jeito que nem ela mesma sabia explicar. Era algo espontâneo. Não era a intenção da Hirai. Mas Dahyun também não reclamava. Não sabia o que seria de sua pacata e monótona vida sem a existência de Hirai Momo.

Dahyun não conseguia dizer não para Momo, esse era o problema. 

Sempre que a garota chegava perto de si com um sorriso no rosto, perguntando "quer sair comigo?" timidamente, enquanto entrelaçava seu mindinho esquerdo com o direito e distribuia seu peso de um pé para o outro, Dahyun sabia que estava perdida. Não conseguia dizer não e sempre acabava cedendo.

O que meio que nos leva a entender o porquê das duas estarem em uma sorveteria em plena tarde de primavera, quando a Kim deveria estar terminando seu trabalho de geografia.

— Oh, Dahyun! Não fique assim! Juro a você que, da próxima vez, vamos ao parque de diversões, sim? — dizia Momo, enquanto segurava uma das mãos de Dahyun, praticamente arrastando-a para o balcão.

Céus, as duas fugiam de seus afazeres tantas vezes, que possuíam até ideias de lugares para ir em suas cabeças, apenas esperando o momento certo.

— Mas eu não queria ir ao parque de diversões! Queria terminar meu trabalho! — tentou argumentar Dahyun, com uma voz chorosa.

— Te ajudo a terminar assim que sairmos daqui, sim? — sorriu. Dahyun podia jurar que sua vida havia sido destruída ali, naquele momento. 

Por que diabos Hirai Momo tinha de ser tão perfeita e irresistível? Qualquer um poderia se apaixonar por ela só de olhar!

— Certo — concordou a Kim, admitindo a derrota.

Momo já procurava uma mesa com seu sorvete em mãos, enquanto Dahyun ainda tentava se virar nos trinta para tomar seu sorvete sem soltar da mão da Hirai — o que fora meio impossível, já que as duas tiveram de separar-se ao sentar na mesa.

Dahyun observava disfarçadamente — sintam o sarcasmo — o modo como a Hirai ficava extremamente adorável lambuzando-se com o sorvete, sem nem ao menos perceber. Ela e uma criança de 5 anos certamente agiam da mesma forma.

Fora quando Momo percebera os olhos de Dahyun sobre si e pôs-se a encará-la. A cena seria romântica se não fosse trágica.

— Como você pode ser tão descuidada, Momo? — brincou, limpando as bochechas da Hirai, que sorria descaradamente. Ela não possuía um pingo de vergonha na cara!

— Você não vê? Faço de propósito apenas para que você cuide de mim! — disse a outra, no momento em que Dahyun limpava os cantos de sua boca.

A Kim congelou. Ficou ali, imóvel, sem saber o que fazer. 

Momo observava-a, divertindo-se com a forma como Dahyun havia corado com sua fala.

— Você é tão fofa, Dahyun! — disse, deixando um beijinho em uma das bochechas da Kim, que afastou-se imediatamente.

Dahyun sentia um misto de emoções. Seu coração parecia querer saltar para fora. Ela não sabia se estava prestes a infartar ou se aquilo era mesmo amor.

Oh, amor. Então isso era amor. 

Dahyun sorriu, quase que em um ato automático. Momo a havia dado um beijo em uma de suas bochechas! Era o tipo de coisa que escreveria em seu diário com letras maiúsculas (gigantes) quando chegasse em casa. Sim, tinha muita coisa a escrever naquele dia, e uma delas era que, sim, havia sim ficado com uma bochecha toda suja de sorvete, mas naquele dia, mesmo que indiretamente, pôde sentir o sabor do amor, que consequentemente era de sorvete sabor morango com cobertura de chocolate. Mas não importava, porque era o sabor dos lábios da garota que amava. O sabor de Hirai Momo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...