História O Anjo - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Anjo, Fada, Feitiçeira, Feitiço, Lobisomen, Lobos, Romance, Sangue, Vampiro
Visualizações 19
Palavras 2.232
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção Adolescente, Luta, Magia, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Canibalismo, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


vou tentar posta em um curto período... me desculpem a demora...

Capítulo 6 - VI


Fanfic / Fanfiction O Anjo - Capítulo 6 - VI

Dakota estalou os dedos, e em seu corpo surgiu um sobretudo azul, detalhado com escamas multicoloridas. Ela pegou uns frascos, umas poções e um pequeno livro marrom, e pôs tudo nos bolsos internos do sobretudo.

-- Vamos, temos que falar com Valentina e Alexander -- falou para Alicia.

-- Por que ?

-- Não adiantaria em nada, irmos sozinhas na árvore torta, elas nos matariam e depois só Deus sabe o que fariam conosco -- Ela pegou uma garrafa, tirou a tampa, e cheirou o conteúdo. -- Ainda presta!

-- O que você vai fazer?

-- Vamos, primeiro falar com o  Alexander, ele é mais próximo de mim -- informou Dakota, ela jogou o líquido da garrafa no chão. 

Uma fumaça esverdeada subiu, ela falou umas palavras desconhecidas, e a fumaça se expandiu. 

-- Lar dos lobos! -- disse ela. O centro da fumaça começou a girar, aparecendo em poucos instantes um grande mansão marrom ao fundo, com um pequena parte de grama. -- Vamos! 

Dakota puxou a amiga para dentro da fumaça, e elas surgiram em um lugar de grama verde, trilhas de pedras sobre a grama e ao fundo uma gigantesca mansão de pedra, com várias janelas e varandas. 

-- Não sabia que os lobos eram tão.. tão...

-- Tão ricos, que surpresa né? Alexander sabe como investir seu dinheiro, e a cada ano fica mais rico -- comentou Dakota. 

-- Valentina também é rica, mas diferente do irmão dela, ela não foca em ficar mais rica! -- informou Alicia. -- O conforto de nós é o que ela lutar. 

-- Hum! 

Elas andaram pela trilha de pedras, parando entre a uma porta gigante de madeira, e uma escada de mármore. Dakota bateu na porta, Alicia estava ao seu lado, a porta se abriu e Luan estava do outro lado. 

-- Dakota? -- falou ele, e olhou rapidamente para Alicia, um pouco enjoado. -- O que você, vocês fazem aqui?

-- Vim falar com o seu pai! -- disse ela, o empurrado e entrando, Alicia o seguido. 

Elas entraram em um grande corredor, espaçoso e alto, o piso de mármore brilhante, as paredes cobertas por obras de artes. Mais a frente um gigantesco salão, com uma grande escada, que se dividia no centro. 

-- Vocês não podem entrar aqui!

-- Sou amiga do seu pai, ele me conhece muito melhor que você! -- retrucou Dakota, desviando para a esquerda.

-- Mas, e essa vampira? -- falou ele, sussurrando em seu ouvido.

-- Meu nome é Alicia! -- disse ela de forma firme. -- Não adianta sussurrar, eu escuto muito bem... É um problema que você não entenderia!

-- Não seu burro, chupadora de sangue!

-- É super intrometido, cãozinho molhado -- ela o encarou, erguendo a sobrancelha.

-- Chegar! -- parou Dakota, diante de uma porta dupla gigante, ela deu um chute na porta, que se abriu, batendo nas paredes. -- Coragem!

Era um salão, havia muitas pessoas sentadas em mesas e cadeiras, ao fundo havia um homem de cabelos dourados sentado em um trono, tinha uma expressão firme no rosto, seus olhos dourados estavam em Dakota e em Alicia, que andavam na direção dele.

-- Dakota, a brava -- falou ele, apoiando o braço sobre uma das coxas. -- É uma amiga? Qual seu nome vampira?

-- Alicia Jacksean!

-- Sou Alexander! -- ele olhou para Dakota. -- O que traz  vocês até aqui?

-- Queremos falar da sua irmã!

Ele franziu o cenho. Três lobos gigantes surgiram atrás do trono, de seus dentes pingavam um líquido branco e grosso, os olhos brilhantes na direção delas.

-- Podem falar! -- ele ajeitou-se  no trono. -- O que Valentina quer?

-- Não estamos falando dela, a sua outra irmã! A feiticeira !

Os lobos deram alguns passos para frente, rosnando mais alto.

-- Ela sequestrou uma pessoa... não uma pessoa, mas um anjo!  -- disse Alicia, com a voz apertada.

-- Um anjo! -- indagaram algumas pessoas.

-- É não só isso -- acrescentou Dakota, suas mão brilharam sem várias cores. -- Tenho provas que mostram que Serafine está descumprindo as normas!

-- Eu nunca vi um anjo! Como eu posso acreditar em sua palavra, Alicia! -- disse Alexander, a fitando sério.

-- Ele existe! Seu nome é Cassianel -- interveio Dakota, com muita convicção na voz.

-- Já que vêm de você, eu acredito! -- falou Alexander. -- As normas estão sendo quebradas pela minha irmã, desde quando isso vêm ocorrendo?

-- Do princípio! Do início das normas... será que dá para eles saírem do seu lado, os seus lobos -- retrucou a feiticeira. 

Alexander fez um sinal com o punho, e os lobos rapidamente se transformaram em suas formas humanas, que estavam cobertos de uma espécie de sangue negro. Eles se posicionaram trás do trono, com os olhos fixos em Alicia.

-- Assim é melhor! -- exclamou Dakota. -- Serafine está todos esses anos descumprido as normas, ela está matado os lobos para seus experimentos, assim como os vampiros e até mesmas as fadas...  e não é só isso!

-- É verdade senhor, isso explicaria os desaparecimentos dos nossos em todos esses anos -- disse um homem de terno verde. -- Os como os dela também -- apontou para Alicia -- estão em menor número... Valentina está tentando aumentar os membros do seu clã a cada ano... 

-- Chegar! -- disse o líder dos lobos. -- Eu vou marcar um reunião com as vadias das minhas irmãs, vocês estão convidadas a comparecer! 

-- Será um prazer! -- exclamou Alicia, recebendo olhares mortais. 

-- Obrigada, Alexander! -- disse Dakota. -- Eu vou falar com a sua outra irmã, com licença -- falou ela, vendo Alexander fazer um gesto com a cabeça. Ela puxou o braço da amiga. -- Vamos!

-- Eu vou com vocês! -- disse Luan, às seguido rumo a saída. 

-- Não é uma boa ideia! Os vampiros vão acabar te matado! -- disse Alicia. -- O conselho de amiga!

-- Não somos amigos! 

-- Vão de matar e sem pena, os lobos não podem de maneira alguma entrar no lado os vampiros, é uma das normas! -- disse Alicia, o penetrado com os olhos sem vida que tinha. 

-- Essa é a minha garota! -- berrou Dakota, erguendo as mãos.


Alicia e Dakota estavam em uma trilha no floresta, as árvores escureciam a caminho para a vampira. 

-- O que tem entre você e o Luan? -- perguntou a vampira afinal, sua curiosidade latejava.

-- É... -- suspirou fundo. -- Nós já ficamos! 

-- Só no ficar mesmo, ou?

-- Calar a boca! -- gritou Dakota, rindo. -- Nós já namoramos, ele era um cara legal... ele é legal! 

-- E por que não estão mais juntos... 

-- Sou um feiticeira, Alicia! -- quase gritou ela, seus olhos explodiram em várias cores. -- E ele é muito preso nos ritos dele, não respeita os outros seres... isso me machucar... as coisas que ele pensar, sobre mim e até sobre você! Agh!!!

-- Já falou isso para ele?

-- Eu não sou do tipo que esconde as coisas de ninguém! 

-- Nem de mim? -- 

-- Isso foi mais ou menos, tá?

-- Certo! -- disse a vampira. -- Eu acho que você está certa, se ele não respeita o seu ser, como vocês vão ficar juntos! Como você sempre diz mesmo? 

-- Eu sei das coisas!

O som de galhos sendo partidos, entrou no ouvido de Alicja. Ela desviou o olhar para o som.

-- Têm alguém aqui? 

-- Deixar ele... vai por mim...

Elas entraram no acampamento, os vampiros ali, lançaram olharem penetrantes para a feiticeira, que era tipo uma forte de luz, com seu sobretudo multicolorido, muito diferente das outras cores mortas ao redor, preto e cinza era as cores que reinava ali. 

-- Me soltar!! -- gritava uma voz. 

Elas se viraram e notaram Luan, sendo segurado por dois vampiros, as presas preparadas para atacar, e tinha uma faca com a lâmina de prata em seu pescoço.

-- Não o matem! -- gritou a líder dos vampiros, saindo da grande construção de pedra ao fundo. 

 Dakota e Alicia repetiram a mesma história para Valentina, com os mesmos detalhes....

-- Eu sei que você é uma feiticeira, mesmo assim... é difícil de acreditar! -- disse a líder dos vampiros. 

Ela era como uma adolescente de 16 anos, porém com forma dela de falar, era como uma adulta engarrafada. Seus cabelos  eram de vermelho gritante, que se destacava por completo em seu ser, mais ainda com as roupas escuras que usava. 

-- Alicia! -- ela balançou a cabeça em negativa. -- Você foi muito burra! Elas não deixaram pegar ele de voltar!!

-- Eu não sabia que elas eram nossas inimigas... 

-- Claro que não! -- gritou Valentina, franzido a cenho. -- Você não conhece as normas, muito menos as vadias dessas feiticeiras! 

-- Certo! -- exclamou Dakota, contente.

-- É... será que podem me soltar agora! -- interrompeu Luan, olhando para a faca de prata em seu pescoço.

-- O culpado disso é você! -- disse Alicia. -- Eu te avisei, e você não escutou as minhas palavras. 

-- Eu vou deixar você viver, lobo! Não volte mais aqui! -- disse a líder dos vampiros, que logo em seguida fez um sinal para o soltarem. -- Me encontrem na árvore torta hoje de noite! 

-- Certo! -- exclamaram as amigas.

-- Vou tentar avisar as fadas! -- informou Valentina. -- Mas acho que será uma coisa difícil, pois as fadas sumiram, e ninguém sabe onde elas foram parar!

-- Conte isso para sua irmã -- disparou a feiticeira com ironia. 

Valentina lançou um olhar mortal para a feiticeira, erguendo a sobrancelha. 

-- Vão embora daqui! -- gritou ela afinal. -- Não brinque comigo Dakota Peterson, não sabe do que sou capaz!


Elas chegaram na árvore torta, primeiro que os líderes do dois clã. Luan as seguiu novamente surgindo entre as árvores para a surpresa de Dakota... 

-- Meu filho trabalhar para CIA, ou coisa parecida! -- disse ela sarcástica. 

-- Quero fazer parte dessa aventura! 

-- Isso não é uma aventura -- falou Alicia, o fritando com os olhos. -- Eu só quero salva o Cássio... o anjo!

-- Não será fácil...

O som de galhos sendo rompidos e pisada forte no chão, foram aumentando, e um lobo gigante saltou de entre as árvores, pousando diante dos três. Tinha olhos brilhantes em dourado, sua pelagem era como se fosse feita de ouro. 

Mais sons de galhos sendo quebrados, junto com o vento forte, e Valentina saiu das árvores, parando ao lado de Alicia 

Os irmãos lançaram olhares desdenhosos um para o outro, desviando o olhar para a árvore. Que por fim, Luan deu umas batidinhas em um tronco na árvore, que rapidamente explodiu em luz.

-- Eu vou ficar aqui fora! -- informou Dakota. -- Boa sorte! 

Eles surgiram no centro do salão oval, Luan e Alexander ficaram lado a lado,  assim como Alicia e Valentina, todos com os olhos fixos em Serafine, sentada em seu trono rodeada por suas seguidoras.

-- Valentina e Alexander! -- disse ela com falsidade. -- O que os meus irmãos estão fazendo aqui? 

-- Você já sabe, não ouse se fazer de tola! -- gritou a líder dos vampiros. 

Serafine iria falar algo, mas no caminho curvou os lábios para um sorriso.

-- Ela sempre foi a mais dissimulada entre nós... -- disparou Alexander.

-- Não fale assim de nossa líder...

-- Não ouse gritar comigo feiticeira, eu não tenho pena de você, ou das suas amigas! -- disse o líder dos lobos, ao interromper umas das seguidoras de sua irmã. 

-- Você é tão engraçado, irmão -- disse Serafine, pondo dedo na boca. -- Não podem me acusar sem provas, não podem alegar que eu e minhas amigas estavamos fazendo certas coisas com os seus... 

-- A Dakota pode! -- gritou Luan.

-- Será que pode? Mesmo que sabemos a verdade das coisas, podemos mentir, não? 

-- Não vou cair nos seus jogos! -- disse Valentina, franzindo a testa. -- Não tem como me enganar! 

-- Depois que as pessoas te conhecem a verdadeira pessoa que você é! -- disse o líder dos lobos. -- Nunca mais são pegos em seus jogos.

-- Eu quero o Cássio de voltar, me devolvem ele, não fazem o que estão fazendo com ele... -- suplicou Alicia, como uma vampira não tinha a capacidade de chorar. 

-- Ele está ótimo! Não se preocupe com isso! 

-- Eu  não me importo com isso, eu só quero ele de volta! -- gritou a vampira. -- Eu quero o meu anjo de voltar!!

Serafine sorriu de forma cruel, lançando um olhar para Alicia.

-- Eu não vou fazer isso! Nunca!! -- gritou ela. -- Garota ridícula, ele é um anjo e nunca poderá ficar com um ser imundo como você!

Todos olharam para Alicia, que estava com os olhos travados de ódio para Serafine.

-- Que engraçado -- disse ela afinal, com um sorriso maligno nos lábios. -- Você também é uma ser imundo, ou metade disso, não conhece a sua espécie... 

-- Então e por isso que quer o anjo? -- supôs Alexander.

-- Vão embora daqui! -- gritou uma feiticeira vindo na direção deles, seus pés não tocavam no chão. 

Ela empurrou Alicia, que rapidamente levantou do chão, saltando na feiticeira, se prendendo nas suas costas. A feiticeira gritava como uma louca, enquanto Alicia apertava suas mãos no pescoço da feiticeira. Por fim, ela cortou o pescoço da mesma, com a ponta das unhas, lavando o chão espelhado de sangue. 

Ela soltou a feiticeira, que desmoronou de seus braços, caindo em seu próprio sangue.

-- Acho que isso é um ato de guerra? -- ironiu Serafine, sorrindo.


Notas Finais


Me critiquem!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...