1. Spirit Fanfics >
  2. O anjo do passado (Repostando) >
  3. Capítulo 12

História O anjo do passado (Repostando) - Capítulo 13


Escrita por:


Capítulo 13 - Capítulo 12


[Anterior] “Vamos mudar de assunto? – ela relutou um pouco, mas concordou.”

[Letícia Padilla]

__ Vamos mudar de assunto. – concordei com ele, cada um tem o seu tempo de encarar e superar as coisas. - __ então, me conta...

__ Eu juro que não tenho mais segredos. – disse divertido já amenizando o clima

__ Eu espero que não, mas... Quando você estava saindo da lavanderia e notei algo nas suas costas...

__ O que? Que elas são máculas e sexys?

__ Você é muito convencido sabia? – disse sorrindo.

__ Eu somente sei o que as mulheres pensam de mim, e principalmente quando elas vêem o meu corpo. E...

__ Ai meu Deus, ainda tem mais? Juro que não aguento mais você se gabando.

__ Não é isso espertinha. Eu tenho personalidade e nem um pouco de falsa modéstia. Eu sou lindo mesmo pode dizer, eu sei. – me deu um selinho demorado e eu fiquei sem acreditar no rumo que aquela conversa estava tendo.

__ Okay senhor “o mais lindo de todos”, senhor “deus grego”, senhor “eu sou todo maravilhoso” senhor “beijem os meus pés por que sou lindo mesmo”...

__ pode continuar se quiser, eu estou amando isso.

__ eu estou sendo sarcástica e... eu quero muito saber Senhor Fernando Saénz Mendiola, quando você diz “eu sei o que as mulheres pensam quando vêem o meu corpo”, de quantas mulheres estamos falando?

__ eu estou vendo ciúmes? – indagou convencido.

__ Nem pensar. – disse prontamente.

                Ele arqueou as sobrancelhas e olhou-me desconfiado.

__ Só um pouquinho, talvez. – disse baixo, quase inaudível.

__ Vem cá. – ele me fez deitar nos seus braços e beijou o topo da minha cabeça. - __ Não precisa ter ciúmes de mim, eu juro que não tem motivos. Não sou homem de ter muitas mulheres...

__ Tá, mas e a Márcia? – sentei novamente.

__ A Márcia foi... – ele deu um longo suspiro como se quisesse encontrar as palavras corretas. – ela foi um erro que eu cometi.

Arrumei-me mais no sofá e em seus braços mostrando-me interessada em sua história.

__ Com ela não tinha conversa, era um relacionamento apenas carnal. Márcia dizia que nada importava quando estávamos juntos e o passado podia nos atrapalhar, ela nem sabia meu nome completo e não era só isso. Ela ficava dias sem dar noticias e eu ficava extremamente preocupado e quando voltava a manter contato comigo ela inventava uma desculpa boba dizendo que teve uma viagem repentina de trabalho ou então se irritava comigo por que eu ficava questionando e sempre acabávamos brigando... Era... Muito desgastante.

__ E por que você continuava mesmo com ela te tratando assim?

                Ele coçou a cabeça e passou a mão no rosto impaciente, suspirou pesado e eu tive certeza que ou ele não queria continuara falando sobre isso ou eu estava irritando.

__ Por que... Eu... Amava ela.

                Uau! Isso me deixou surpresa e sem fala.

__ Ou pelo menos eu achava que amava.

                 E isso foi como se ele me desse à permissão para eu respirar de novo.

__ era somente um sentimento bobo e costume. Naquele dia que fomos jantar juntos eu passei praticamente o dia todo tentando falar com ela e à noite ela me ligou e então... Ela me pediu um tempo que para mim é o mesmo que terminar... Eu nem sei se eu queria que ela me retornasse mesmo, não para me dar essa noticia. Eu a sufocava, foi isso que ela me disse como desculpa. – ele falava olhando para o nada como se eu não estivesse ali, como se estivesse desabafando sozinho.

                 Um nó se formou no meu cérebro e várias perguntas surgiram; se ele não queria que ela terminasse o relacionamento significa que ele ainda gosta dela e queria continua e se for assim... O que eu estou fazendo aqui? O que eu significo para ele? Ele quer mesmo ficar comigo? Pela primeira vez acho que tomei uma decisão sem pensar muito, acho que aceitar seu pedido de namoro foi totalmente equivocado, não quero ser a segunda opção, nem muito menos a outra e longe de mim está com ele e Fernando  está com a cabeça nela, eu não sou mulher para isso.

__ Você ainda gosta dela? – minha voz saiu como um burburinho e não sei de onde tirei forças e coragem para perguntar isso levando em consideração que a única coisa que eu queria era mandar ele embora e me esconder de tudo e de todos.

                Ele me olhou de uma forma que eu não soube decifrar.

__ O que? Não eu...

                Ótimo! Agora eu não estou entendendo mais nada.

__ Você não entendeu quando eu disse que eu sou homem de uma mulher somente e que ficar com a Márcia foi um erro?!

__ mas, você disse de uma forma como se não quisesse que ela terminasse com você.

__ Eu dediquei dois anos da minha vida para ela, apesar de tudo não é tão fácil passar uma borracha e fingir que nada aconteceu, mas esse tempo juntos foi um tempo perdido e eu não quero está ligado a isso para sempre.

__ Então eu... Eu sou somente sua válvula de escape? – talvez estivesse exagerando nas palavras e talvez ele se sentisse ofendido, mas eu precisava saber de tudo, absolutamente tudo, mesmo que fosse doer. Depois do meu envolvimento amoroso com o Miguel eu fiquei traumatizada e em hipótese alguma eu quero passar pelo que eu passei novamente.

__ Lógico que não Letícia, o que você está pensando que eu sou?

__ Eu não sei... Eu só quero entender tudo o que está acontecendo.

A essas alturas eu já não conseguia ficar sentada, eu comecei a andar de um lado para o outro; mal começamos a namorar e já estávamos tendo essa dificuldade, não que eu seja de desistir fácil, mas o que começa mal termina mal não é mesmo?

__ Letícia... – me chamou. – ei! Vem aqui. – estendeu a mão para eu sentar em seu lado, porém eu recusei. – Senta aqui comigo, vamos conversar e em...

__ Estamos conversando – eu o obstei grosseiramente.

__ Não, nós não estamos conversando – ele se levantou arregaçando as mangas de sua camisa e se aproximou de mim. – olha, eu gosto muito de você e eu quero muito te esclarecer uma coisas, eu usei mal as palavras criando toda essa confusão, então, por favor, será se podemos ordenar essa bagunça?

                Apenas assenti fraco com uma vontade imensa de que o que eu estava pensando era somente coisa da minha imaginação.

__ Escuta, e vamos deixar isso para trás. Eu me entrego fácil ao o que eu acho que me faz bem, talvez isso seja um defeito, mas esse sou eu, e a Márcia por muito tempo foi a minha vida e, eu só quero que entenda que por mais que eu queira, eu não conseguiria esquecê-la tão rápido, só que a cada dia que passa e você está ao meu lado, a significância dela na minha vida fica cada vez menor. Toda vez que me lembro da forma que ela me tratava, sinto-me traído e não desejo isso a ninguém principalmente a você. Então, te peço que entenda o meu lado e não quero que o temos seja afetado por isso, tento vencer o meu passado a cada dia. Um dia após o outro. – ele tocou o meu rosto o levantando e não pude evitar que uma lágrima solitária rolasse. – por favor, não faz isso. Não chora, eu não mereço suas lágrimas. Ei! Você é muito importante para mim, e eu já disse antes não quero te ver chorando. – o que fazer diante disto, como agir diante deste homem? Primeiro ele tira o chão dos meus pés e de um minuto ao outro me leva ao paraíso. Quando eu percebi ele me abraçava forte como se realmente estivesse com medo de me perder e senti seus lábios nos meus com selinhos demorados e estalados da forma que estávamos sentados ele me puxou mais para si me fazendo deitar em seu colo e me agarrando com seus longos braços fortes.

__ Eu só quero entender todos os pontos. Sempre, tudo na minha vida foi muito bem planejado sou uma mulher pragmática e eu acho que eu cometi um erro com você, na verdade alguns. – Me doía dizer cada palavra que eu proferia, entretanto, eu precisava não podia ser irresponsável e torcer para que algo de ruim não acontecesse isso não é e nunca foi do meu feitio, principalmente agora que sou responsável por uma vida.

__ O que quer dizer? Está terminando comigo?

__ Não, eu só... quer... quero voltar atrás.

__ o que significa voltar atrás para você? Que erros você cometeu comigo?

__ Não devia ter deixado você se envolver tanto com Angelo.

__ Por quê? Tem medo de eu sumir e deixar ele, é isso? Eu realmente acho que devemos parar por aqui, se não vamos nos machucar mais.

__ Não! Para Fernando eu acho que já deu de confusão por hoje. Eu não quero brigar mais, eu to cansada e quero que, por favor, você escute o que eu vou dizer tá?

__ Tá, tudo bem.

__ Eu quero voltar a trás. Quero voltar ao dia que eu te conheci por que desde aquele momento você chamou minha atenção com sua beleza, com sua gentileza, sua inteligência, paciência... Tudo. Eu não quero ter que me arrepender da decisão de ter você na minha vida e eu não vou mentir para você eu tenho medo do seu apego com meu filho, ele nunca teve um pai sempre foi somente eu e agora que ele tem você... Não é tão fácil, não que você vá se converter no pai dele, mas você é a única figura masculina que ele tem.

__ É a minha vez?

__ sim.

__ tá! Entende de uma vez, não pretendo me afastar, tudo que vivi com minha ex eu não quero viver de novo e para mim basta uma experiência ruim para eu aprender, preciso ter uma relação diferenciada com você e por tudo que é mais sagrado aconteça o que acontecer não me separa do Angelo.

__ O que eu tenho de mais precioso é o meu filho...

__ Eu sei, eu sei. Eu me afeiçoei com também.

__ Tudo bem... Quer dormir? Quero dizer, dormir aqui... hoje? – perguntei envergonhada mudando de assunto.

__ Cla-claro, quero sim.

Segurei ele pela mãe e fui em direção ao meu quarto, por sorte minha cama era grande, por que o homem era realmente alto.

__ Posso usar o banheiro?

__ Claro, fica ali. – apontei para a porta no canto.

                Depois que ele saiu me pus a arrumar a cama para deitarmos, tirei os lençóis, arrumei os travesseiros e sentei no meu lado da cama.

__ Seu quarto é lindo. – ele disse encostado no umbral da porta. – mas, acho que teremos problemas.

__ Por quê?

__ Esse aí é o meu lado da cama. – apontou para onde eu tava sentada.

__ Isso é fácil de resolver.

__ é?

__ Sim, é só você deitar na cama e eu em cima de você, aí ficamos os dois no mesmo lado.

__ U! Gostei disso. – sorrimos.

__ Como você é besta.

__ Você que disse que quer abusar do meu corpinho. – disse passando a mão pelo seu corpo.

__ Que tal a gente deitar logo? Eu estou com 4 anos de sono atrasado.

__ Tudo bem. – disse caminhando até o outro lado da cama e deitando, como na outra noite apoiei minha cabeça em seu peito e comecei a acariciar seu braço e ele meu cabelo até eu dormir.

[...]

__ Auch! – Gritei alto com a dor que sentia de um joelho contra minha barriga. – Angelooo... Já disse para não fazer isso. – disse tentando recuperar o fôlego.

__ O que? O que tá acontecendo? O que foi? – Fernando sentou na cama atordoado com meu creme de pele na mão como se fosse uma arma para se proteger.

__ Não foi nada, o Angelo pulou em cima de mim. – disse já sentindo a dor mais branda.

__ Desculpa mãe, eu não sabia que o Fernando tava aqui eu queria pular do outro lado da cama, mas eu não consegui por causa da minha perna.

__ Já conversamos sobre isso, não é pra ficar pulando na minha cama assim. Nossa tá doendo.

__ Deixa eu ver. – Fernando pediu. – ele levantou minha blusa, olhou minha barriga e fez uma cara feia. – tá vermelho, é melhor pôr gelo em cima.

__ Ai sim, vamos levantar.

                Fui para o banheiro deixando os meninos no quarto.

__ Acha que ela vai zangar comigo?

__ Não, mas acho melhor não fazer isso de novo.

__ Tá bem. – ouvi eles conversando.

[...]

__ Tenho que ir embora.

__ Já?

__ Sim, tenho umas coisas pra fazer.

__ Se não tem jeito, te acompanho até a porta.

                Levei-o até a porta e ficamos nos encarado.

__ Amei a noite de ontem. – ele disse passando a mão no meu cabelo.

__ Ah, por favor, foi um desastre.

__ Claro que não, gostei de tudo, de verdade. Nos falamos?

__ Sim, claro. – ele se aproximou de mim me beijando apaixonadamente, demoradamente e envolvente.

__ Tchau. – disse baixo com o rosto colado no meu.

__ Tchau.

Voltei para dentro da casa, especificamente para a cozinha e lá encontrei meu filho triste, de cabeça baixa.

__ Mãe?

__ hum. – respondi sentando na mesa a sua frente.

__ Fernando, vai dormir sempre aqui? – estranhei seu jeito.

__ Não. Por quê?

__ Nada. – sabia que ele queria falar algo.

__ Pode me falar Angelo. – segurei sua mão.

__ É que... Ele tem mesmo que beijar você toda hora e ficar tão próximo e dormir aqui sempre?

__ Não tô entendendo, pensei que gostasse ele.

__ E gosto, ele é incrível, mas não precisa ficar perto o tempo todo.

__ Está com ciúmes de mim, é isso? – perguntei divertida.

__ Não. – disse fazendo bico, claramente era ciúmes.

__ Ange, você sempre vai ser meu numero 1, eu não te troco por nada nem ninguém, você é meu filho, e o Fernando... Bem, só estamos saindo, nos conhecendo, ele e só um amigo. Te amo meu bebê. – passei a mão no seu cabelo e beijei sua bochecha, ele ficou todo sem graça.

__ Bom, tudo bem... Eu também te amo. – disse e saiu rapidamente para seu quarto me deixando só na cozinha.


Notas Finais


Obrigada por ler.
:)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...