1. Spirit Fanfics >
  2. O assassino de aluguel >
  3. Mudança?

História O assassino de aluguel - Capítulo 70


Escrita por:


Capítulo 70 - Mudança?


Assim que Mikasa ia presionar no êmbolo da seringa para injetar o líquido no saquinho de soro, Mikasa escuta um dos bebês chorar atraindo sua atenção de imediato, apenas retirou sua mão do objeto ainda o deixado fixado no soro fisiológico, ela levou a mão até a testa, numa tentativa falha de não surtar e aplicar a injeção no bebê que pertubava seu plano.

Mikasa- Ai criança maldita pare de chorar vai atraí atenção, e alguém entrará aqui.- disse exasperada sem nem ao menos olhar para o bebê ao lado.- eu quero matar esse infeliz, será que é pedir muito?- voltando sua atenção para a seringa ela sorri de instantaneamente com a idéia de acabar logo com tudo aquilo, e mandar aquele anão maldito direto para o inferno, e se não fosse a criança que chorava persistentemente ela ja teria finalizado seu serviço ali.

E com revirando os olhos ela decide se voltar para o berço e tentar calar a boca da peste recém nascida que era perturbante como o pai que o trouxe ao mundo, de modo que isso a lembrou muito Levi, que atrapalhou seu "futuro" com o Eren,  o filho era igual, a atrapalhando nos seus planos, de se livrar logo da criatura deitada na cama.

Mikasa- Bebê maldito cala a boc- seus olhos se arregalam quando olha aquele miniatura de Eren chorando desesperado, como se precisassem ter a atenção daquela mulher voltada a si, para dar tempo, para que seu pai não morresse, assim como seus olhos se abriu sua fala foi embora, aquela mulher má, e determinada a tirar a vida do pai daquela pequena criaturinha frágil e indefesa, foi pro ralo, quando um sorriso imperceptível  surgiu no seu rosto, seus batimentos cardíacos aumentaram com a simples idéia de pegar aquela criança, e a acalentar.- n-não chora bebê, t-ta tudo bem.- disse um pouco desajeitada ja que nunca pensou na possibilidade de ter uma criança nos braços.

E ali estava ela com pensametos de acalmar o bebê do cara que ela foi para matar, que hilário sua desejo de continuar com isso foi embora, no exato momento que pegou o bebê nos braços, e o aconchegou em seu peito.

Mikasa- calma .... ssshh calma coisa linda, não chore!- mesmo com várias tentativas de acalmar o bebê ela falhava miseravelmente, quando o bebê chorava cada vez mais, como se houvesse perigo. 

.

.

.

Eren que ainda assistia em silêncio a interação das mulheres a sua frente, teve seu sorriso idiota desaparecer quando sentiu um leve aparto em seu peito, como se algo maior necessitasse de si, consequentemente lbrdo Levi e seus filhos, logo um sorriso infantil decorou seu rosto, resultando em um ser dirigindo rapidamente até a porta sem ser notado por ambas mulheres, andando com passos largos pelo corredor, desejando profundamente chegar logo no quarto, com uma ponta de esperança que Levi ja estivesse acordado. 

Ele sorri com o pensamento de ver seu ômega acalentado seus filhotes, que foi um estímulo para andar ainda mais apressado pelo longo corredor naquele hospital.

Assim que Eren chega na porta do quarto a abrindo com calma, ele se surpreende ao ver uma enfermeira com um dos seus meninos nos braços, tentando o acalmar em vão, ja que ele parava de chorar.

Eren- Deixe que cuido dele.- mesmo com medo de pegar o menino nos braços Eren sabia, ou melhor sentia que o filho não pararia fácil de chorar com uma desconhecida, e ela a encarou incrédulo quando  a mulher virou -se para si.- M-Mikasa o que faz aqui? E por que está vestida assim?-ainda incrédulo da figura conhecida em sua frente Eren se aproximou dela, pegando o bebê nos braços, e deu a ela um olhar questionador quando viu algumas lágrimas rolarem por suas bochechas.- Está tudo bem? Por que está chorando?

Mikasa- E-Eren.- murmurou quase inaudível, quando deixou um pequeno sorriso.- E-eu est- me desculpe.- agora abafando o choro com as mãos ela permitiu que mais lágrimas rolassem por suas bochechas, a amargura o arrependimento tomando conta de si, seu peito estava sendo apertado pelo culpa, ela iria matar um inocente, que julgava ser culpado pelo seu fracasso amoroso, que culpa Levi tinha se Eren não a amava, ele nunca se interessou por ela, nem mesmo antes de conhecer o menor, não se interessaria agora também.

E não importa o que acontecesse Eren nunca a amaria e isso era fato, com ou sem Levi, Ela nunca deixaria de ser vista como a prima chata, tomada pela culpa e arrependimento ela pediu incansávelmente desculpas, abruptamente foi até o soro fisiológico e retirou a seringa, a guardando no bolso do jaleco, deixando Eren tão curioso com o objeto nas mãos dela, sem entender qual era o motivo do choro e dos pedidos de desculpas dela, o que por que de ter uma seringa no soro, o que era aquilo? O que significava? Sua incredulidade só aumentou quando observou Mikasa sair correndo do quarto antes mesmo que ele pudesse saciar suas dúvidas!

Eren- Espera Mikasa! O que é is- o menino em seus braços que não parava de chorar fez Eren retonar sua total atenção para ele, ainda cheio de dúvidas relacionado ao comportamento da prima, ele ainda focou cem porcento no filho, que no momento e para todo o sempre seria sua principal prioridade.- Calma meu amor sshh não chora meu pequeno.- deu beijo suave na testinha do bebê, ele balançou levemente o nenê para o acalmar.- você está com fome né? Seu papai logo vai acordar, para te alimentar, não chore meu amorzinho.

O bebê aos poucos foi parando de chorar e começou a olhar atentamente para o pai, deixando Eren ver com clareza seus olhinhos.

Eren- É filho você puxou muito pra mim! Até a cor dos olhos é igual!- sorri acariciando carinhosamente a bochecha gordinha do filho, desejando que seu Levi pudesse ter luz nos lindos olhos, para ver os filhos, será que ele voltaria a enxergar algum dia, segundo Mikasa sua cegueira era momentânea e que a qualquer momento, mas quando? Até quando isso permaneceria assim? E se mantendo perdido em seus pensamentos ele percebeu que havia conseguido acalmar a pessoinha nos seus braços, ao ponto de dormir!

Deitando o bebê cuidadosamente no berço ao lado do clone dele, Eren deu beijo suave na testa de ambos, e com o seu melhor sorriso bobo ele os observou, Repetindo a si repetitivas vezes, que por aqueles dois seres a sua frente, e o cara deitado ao lado, ele daria tudo para ver os três sorrirem, daria todo seu amor, compreensão, dedicaria sua vida para fazê-los felizes, por que sem sombra de dúvidas aqueles eram seus amores, sua família! 

Eren- Meus amores, vocês não fazem idéia do quão feliz estou! Se eu morresse hoje, morreria satisfeito pois tenho a maior felicidade da vida, que são vocês!- sorri bobamente e uma lágrima solitária de felicida acompanha o seu sorriso, sentindo seu coração saltitando de alegria, que mal pode conter seu entusiasmo com perspectiva para o futuro.

Tão perdido em seu pensamentos no futuro que Eren deixou um murmuro de Levi passar despercebido, só voltando a realidade quando poude ouvir evidente outro murmuro do mesmo, virando-se Eren abruptamente se aproxima do mesmo sem nem mesmo tendo notado o quão rápido ele havia se posicionado ao lado cama com a mão do menor na sua. 

Eren- Amor está me ouvindo?- Perguntou analisando o rosto do mesmo, em busca de alguma expressão que o desse uma conclusão, ou até mesmo uma resposta para sua pergunta. 

Levi- Hmm.- a resposta veio em outro murmúrio, ainda com os olhos fechados o menor se moveu lentamente algumas vezes, apertando generosamente a mão que segurava a sua, Levi apertou os olhos com forças.

Eren- Amor está sentindo alguma dor?- pela expressão do menor Eren imaginou que algo o incomodava, mas o que era? Talvez alguma dor, ja que ele havia apenas algumas horas que ele havia ganhando gêmeos, ele concluiu que o seu amado estivesse sentindo algum incômodo nos quadris, e ele precisava tirar uma onda disso, se era o momento ou não, isso não importava ele tiraria igual.- não me diga que ganhar os bebês fez mais estrago, do que a primeira vez que meu pau entrou ai?- disso num tom brincalhão, mas deixando claro sua provocação! 

Levi- Ah E-Eren me poupe de seus gracinhas agora.- diz e ao se preparar para abrir olhos para encara-ló com um olhar irritado, mas assim que o fez, ao invés de irritado Levi ficou surpresso, arregalando os olhos de maneira assustado, e encarando Eren com um olhar incrédulo, como se não acreditasse em algo, ele percorreu os olhos por todo o corpo do maior, e logo em seguida Fechando os olhos com força, demonatrando que algo lhe incomodava muito.

Eren- Amor o que foi? O que está te incomodado vida?- diz ao se aproximar um pouco mais do menor, tocando em seu ombro, e dando um beijo rápido no topo da cabeça dele, Eren perguntou novamente vendo como o menor continuava apertando seus olhos com força.

Levi- A cla-claridade...- abriu os olhos com certa dificuldade, apenas para ver borrões na sua frente, quando virou seu rosto para o maior Levi colocou uma mão sob a boca tentando abafar o seu choro.- E-Eren vida e-eu-

Eren- .....?? Levi você disse que a claridade esta te incomodado, m-mas voc- agora a ficha caiu, Levi estava incomodado com a luz, e derrepente começou a chorar? Isso só podia ser o que ele estava pensando, Levi estava vendo novamente, os seus belos olhos tinham luz, ele só precisava da confirmação o medo de ser afoito em seus pensamentos, e não fossem verdade lhe causaria uma enorme frustração.- Meu amor v-você esta e-enxergando??- mesmo ao gaguejar ele foi determinado, no objetivo de causar mais segurança para Levi.

Levi- ... S-sim vida estou vendo.- sorrindo em meio ao choro, mas com enorme felicidade ambos se abraçam com carinho, Eren sentindo as lágrimas quentes do menor molhar sua blusa, e não podendo se conter Eren também se permite chorar, pronto sua felicidade não podia ser maior, Primeiro sua sogra não iria morrer, tanto sua mãe quanto seu baixinho ficariam felizes, seus filhos nasceram saudáveis e agora seu amado estava enxergando de novo, sem dúvidas essa noite era a mais feliz da sua vida!

Eren- Meu amor, graças a Deus você não imagina o quanto estou feliz minha vida.- e dando varias beijos no rosto de Levi foi a maneira de domonstrar a tamanha alegria e satisfação que se formou em seu peito.- ah antes que me esqueça sua mãe não vai morrer.- diz em com um sorriso tão fofo que fez o menor sorrir também.

Levi- Como?- muito curioso perguntou, mas sem conseguir esconder sua felicidade em ouvir aquilo, sua mãe estaria com ele.- ela está bem?- perguntou ainda curioso, ela estava com o câncer? Então como?

Eren- Ela não tem câncer, os médicos se enganaram, sua mãe está grávida.- dito isso Eren encarou o menor com afinco, buscando suas reações e expressões, em saber da notícia.

Levi sorri animadamente sentindo seu coração saltitar de emoção com a idéia de ter um irmão ou irmã, ele sempre se sentiu sozinho por ser filho único, mas agora em saber que terá outro irmão era muito contagiante, claro ele se lembrava claramente de seu outro irmão ou irmã, que era filho do seu pai com a Dina, mas essa criança Levi não tinha muita esperança que comheceria algum dia, ja que era filho de uma mulher ruim, que provávelmente nunca permitiria que esse bebê tivesse contato com ele.

Levi foi tirado da sua linha de pensamento quando Eren lhe deu um selinho repentino o pegando de surpresa, e após essa ação ambos sorriem.

Levi- eu fiquei muito feliz em saber disso meu amor, e queria muito ver a minha ma- logo presta atenção no chorinho fino qie ecoou no quarto, com olhos rápidos Levi buscou os filhos com o olhar assim que escutou outro chorinho também.- cadê eles Eren? Pega os meus bebês por favor.- pede suplicando, para ver logo suas crias, as quais desde que nasceram ele não teve tempo nem ouvi-lós direto.

Eren com um sorriso gentil logo foi até o bercinho pegando um de cada vez, como os bebês tinham penas algumas horas de vida, eram tão frágeis que Eren tinha medo até de acariciar eles, mas logo tratou de levá-los para Levi, o qual recebeu os dois bebês e os segurou  nos braços ao mesmo tempo, com um sorriso tão doce acalentou os seus bebês com afinco, cheio de carinho, e foi impercetível suas lágrimas rolarem, só foi perceber as mesmas quando Eren segurou gentilmente em seu rosto, e as secou antes de lhe dar um longo beijo.

Levi- Eles iguais a você, até os olhos.- fez beicinho, ele amou ter duas cópias do seu namorado, só tinha medo deles ter a mesma personalidade.- só espero que não tenham a personalidade do seu pai, ele é merda quando quer.- diz ao sorrir quando percebeu toda a atenção que os filhos lhe dava.

Eren- Ah Levi não precisa ficar triste, eu sei que você queria uma cópia sua, mas a gente vai praticando que logo vem um clonezinho seu!- sorri maliciosamente, enquanto deixava clara o afinco da sua provocação.

Levi- claro que vamos meu amor!- entra na provocação do maior para o desespero do mesmo.- amor vamos mudar o nome deles?

Eren- O que aconteceu? Que não quer aqueles mais?- pergunta curioso ja que eles haviam escolhido os nomes a muito tempo ja!

Levi- Quero outros nomes.- diz ainda olhando no rostinho dos filhos que observava tudo atentamente.

Eren- E por que isso agora?- perguntou distraído também observando as criaturinhas no colo do menor.

Levi- Por que eu quero caralho, é pedir muito? Aff.- diz lutando para não ficar exasperado, mas Eren literalmente estava o estressando.- Vamos escolher outros nomes, sim ou não?

Eren- Vamos fazer tudo o que você querer minha vida!- diz fazendo um brevê carinho em seu rosto antes de beija-ló, e ser respondido na mesma intensidade.- te amo.

Levi- Também te amo.


Notas Finais


Agora eu preciso de ajuda com os nomes! Pelo amor de Deus me ajudem! Dois nomes caralho.... please!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...