1. Spirit Fanfics >
  2. O Ataque >
  3. Capítulo 2

História O Ataque - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Capítulo 2


RUBY POV

Estava em minha sala assinando alguns papéis quando sinto meu celular vibrar. Sorrio quando vejo o nome da tela e atendo:

- Nossa, me atendendo na primeira chamada, que orgulho - Mika diz do outro e ri.

- Eu sempre te atendo na primeira chamada morena - disse e reparei que onde ela estava tinha mais pessoas - está tudo bem?

- Sim, está. Preciso de sua ajuda Ruby - ela disse e só pelo fato de ela dizer meu nome, já sei que é sério

- Do que precisa? - perguntei

- Preciso que me encontre. Não posso falar pelo telefone.

- Quando?

- Pode ser agora?

- É que no momento....

- Ótimo, marivilha. Estou aqui no estacionamento. Vem logo - ela disse e desligou. Suspirei e sai da sala. Por questão de segurança coloquei uma arma na cintura. Quando estava prestes a sair da sala Mia entra

- Onde vai? - ela perguntou pegando os papéis da minha mesa

- No estacionamento - respondi indo com ela até o elevador - Mika está lá em baixo.

- Uau, pra ela vir aqui. A coisa é séria.

- Nem me fale - disse e parou no andar dela.

- Diga que mandei lembranças - Mia disse e eu concordei. Quando cheguei no estacionamento, não foi difícil encontrar ela. Ela estava ao lado de outras duas mulheres. Uma alta de cabelo curto preto. Com o corpo coberto por tatuagem. E outra um pouco menor, com rabo de cavalo. Parece ser latina. Todas com um colete do FBI.

- Estou encrencada? - Perguntei abraçando ela

- Ainda não - ela disse - Jane, Zapata. Essa é a agente Rose. Rose, Jane e Zapata. - Mika disse e dei a mão pras duas. A menor pareceu não gostar de mim. - Não se preocupe. A Zapata, também não gosta de mim.

- Podemos ir direto ao ponto? - a tal Zapata disse e Mika deu a volta no carro para pegar algo no porta-malas.

- Ela é sempre assim? - a tal Jane me perguntou e olhei pra ela

- Assim como? Com essa mania de ler a mente das pessoas? - perguntei e ela concordou - é sim. Ela é ótima em leitura corporal.

- Ela é boa em outras coisas também? - a Zapata perguntou

- E como. Você tinha que ter visto ontem a noite. Ela realmente sabe como usar a....

- Rose. Cala a boca - ela disse e me chamou. Assim que cheguei até lá ela me mostrou uma foto - Louis Typer. É um foragido. Ele estava ou está no Marrocos. Fazendo acordo com terroristas, para um possível ataque no país.

- Lembra do ataque do ano passado? - Jane perguntou e eu concordei - foi ele.

- Precisamos que a CIA pegue ele. E nos traga. - Zapata disse

- Por que não deixam a CIA lidar com ele? - perguntei e olhei pra Mika. Ela estava batendo os dedos no revólver. Código Morse "pegamos a Lauren, ela estava colocando fogo nos documentos do Louis. Preciso de ajuda. Por favor"

- Não gosto dos modos de como vocês tratam as pessoas - Mika disse - vocês são meio sanguinários.

- Obrigada pela parte que me toca morena.

- De nada. - ela falou e sorriu - acha que conseguem achar ele?

- Vamos tentar. Vou colocar esse alerta em primeiro lugar - Disse e as outras duas entraram no carro - Zapata parece ser meio ranzinza. Parece que ela gosta de você. - disse e ela sorriu.

- E você ficou com ciúmes?! - ela disse e fechou o porta malas

- Um pouco. - disse e ela me abraçou

- Muito obrigada Ruby - ela disse e reparei que ela estava preocupada.

- Você está bem mesmo?

- Te ligo mais tarde. - ela disse e entrou no carro. Me encostei no vidro e olhei pras três.

- Eu aviso, quando ele estiver aqui.

- Obrigada - elas disseram e saíram. Não poderia mandar a CIA atrás desse cara. Quem eu mando? Já sei. Peguei o telefone e voltei pra minha sala.

JANE POV

- São namoradas? - perguntei pra Mika que ficou vermelha com a pergunta

- mais ou menos - ela disse - não chegou a ser de fato um relacionamento. Ficamos juntas algumas vezes. Nada sério.

- Ela é bonita - disse. E estava falando a verdade.

- Ela é irritante - ela disse e rimos - mas é muito boa no que faz.

- Ela vai nos ajudar. Não vai?

- Vai sim. Mas nos meios dela. - Mika disse estacionou o carro

- Como é os meios dela? - Zapata perguntou

- Brutos. - Mika disse e assim que saímos do elevador Kurt pegou ela pelo braço e levou para a sala da Patterson

- O que é Projeto Royalite? - ele perguntou nervoso.

- É um projeto. Que se chama Royalite. - Mika disse e percebeu que não era hora pra piadas . - Era um projeto da ONU. Junto com os governos dos Estados Unidos, Grã-Bretanha, Brasil, Emirados Árabes, Austrália, Japão, Canadá e Alemanha. Os governos enviavam seus melhores agentes para fazer missões e operações em vários locais do mundo.

- Que tipo de operações? - Nas perguntou

- Todas que você possa imaginar. - Mika disse - desde ajudar com a fome na África até acabar com rebeldes e grupos terroristas do estado Islâmico.

- Você fazia parte? - Kurt perguntou

- É claro que fazia. Ela fazia parte de tudo. - Zapata disse e Kurt bateu a mão na mesa

- Já chega, Zapata. Está julgando a Makeila desde a hora que ela chegou. Da um tempo. Vai respirar. Depois você volta. - Zapata olhou feio para Mika e saiu da sala. Patterson fez que ia e eu a puxei

- Deixa que eu vou. - disse e encontrei ela no vestiário. - está tudo bem?

- Sim. Está. - ela sentada no chão

- Estou vendo. - falei e me sentei ao lado dela. - ela parece ser bem esperta.

- Ela é mesmo. - Zapata disse e olhei pra ela - eu já a conhecia. Não pessoalmente. Mas já ouvi falar nela. E eu sonhava em conhecer umas das melhores agentes que o FBI já teve. Era um sonho, trabalhar em um caso com ela.

- Agora que você tem a oportunidade. Está jogando fora. - falei e ela riu

- Ela mexe comigo. De uma forma que eu não sei. Parece que ela tem uma resposta pra tudo. Como se já soubesse o que iríamos fazer e falar. E isso é estranho.

- Eu também me senti mal. Ela nunca olha pra gente, mas mesmo assim sabe o que estamos pensando. Ela deve ter tido um treinamento muito intenso.

- Pior do que o seu? - ela perguntou e rimos

- Não sei se existe algo pior que o meu. - disse e ouvimos alguém entrar no vestiário.

- Posso falar com você? - ela Mika. E ela estava olhando pra Zapata. Me levantei e antes de sair Mika me chama - Kurt está te chamando na sala dele.

- Obrigada - disse e sai da sala.

MIKA POV

Me sentei ao lado da Zapata no chão e tirei a arma da cintura:

- Me desculpe, não queria causar esse desconforto em vocês.

- Está tudo bem. - ela disse e fez que ia se levantar. Puxei ela de volta e entreguei um pen drive a ela - o que é isso?

- Um pen drive - disse e sorri - encontrei ele na sala da Lauren. Ela não me disse o que tinha aí. Poderia ver o que tem nele?

- Porque não pede pra Patterson? - ela perguntou e eu neguei.

- Eu não sei. - falei a verdade - não sei porque não entreguei a ela.

- Tudo bem - ela disse - eu olho. Mas junto com você. Aparece em casa hoje, as 20h e vemos juntas.

- Confia em mim na sua casa? - perguntei e ela sorriu

- Veremos. - ela disse e saiu. Senti meu telefone vibrar, era a Ruby

- "diga - falei

- Billie encontrou ele. Ele está na Índia. Mumbai, pra ser sincera.

- Como descobriu em tão pouco tempo?

- eu tenho meus contatos. Vou pedir para ela trazer ele na próxima embarcação.

- Isso vai demorar. Pede para ela nos encontrar em Londres.

- Nós duas?

- Não. Eu e minha nova equipe.

- Desculpa então.

- Já te envolvi demais Ruby. Não quero arriscar.

- Tudo bem então. - ela falou e escutei ela suspirar

- Qual é Rose. Não fica assim. Eu não posso arriscar você.

- Eu disse que está tudo bem. - ela falou - só toma cuidado. Billie disse que ele está rodeado de seguranças.

- Billie estava sozinha?

- Não. Ela estava com os meninos. - ela disse e suspirou de novo - Só tá cuidado, está bem?

- Ok. Obrigada. - disse e desliguei. Fui procurar Nas e Kurt para dizer a eles que encontramos Louis. No caminho trombei com Patterson - Viu a Nas ou o Kurt?

- Não vi não. - ela disse e seguiu seu caminho. Encontrei Jane perto da máquina de café

- Viu Nas ou Kurt?

- Kurt teve que sair e Nas eu não sei. Por que?

- Ruby encontrou o Louis. - falei - ele está na Índia. Pedi para levar ele até Londres. E da lá trazemos ele sob custódia.

- Eu vou tentar achar a Nas - Jane disse e fui ao encontro de Zapata

- O que foi? - ela perguntou

- Está afim de ir pra Londres?

- Por que?

- Louis vai estar lá. - disse e ela se levantou da cadeira - Jane está tentando achar a Nas. E eu vou tentar falar com o Kurt.

- Kurt foi ver a irmã dele. - ela me disse e suspirei.

- Precisamos ir pegar ele. Essa é nossa chance - falei

- Tentamos falar com eles no caminho do aeroporto. - Zapata disse e fomos. Assim que chegamos no aeroporto pegamos nossas passagens e fomos para a sala de embarque. Zapata já tinha falado com o Kurt e ele disse que nos encontramos amanhã. Assim que entramos e nos arrumamos fiquei meio sem jeito de pedir pra trocar de lugar com a Zapata. - você tem medo de altura?

- Não - disse ficando mais relaxada - tenho medo do que possa acontecer lá em cima.

- Admite logo. - ela disse e sorriu

- Ok, eu tenho me de altura - falei me rendendo e ela começou a rir - por favor, não fala isso pra ninguém. É meio vergonhoso.

- ok. Mas eu ainda não acredito que você tem medo de altura. Depois de tudo que passou...

- Antes eu não ligava - falei e sorri ao pegar a água da aeromoça - mas uma vez, o avião em que eu estava, se chocou com outro. E meu paraquedas não abria de maneira nenhuma. Caí no meio do mar. Não tive nenhum machucado sério. Mas o trauma ficou.

- Nossa. Quem te vê longe parece que sua vida é perfeita. - ela disse e pegou uma revista.

- Não faço idéia o que é ter uma vida perfeita. E você? Tem medo de alguma coisa?

- Não que eu saiba - ela disse e reparei que ela ficou desconfortável com a pergunta

- Hmm... Então tá. - falei e fechei os olhos. Eu só quero pisar em terra firme logo.

BILLIE POV

- Me tira daqui, sua.... - antes de Louis completar a frase Noah deu um soco nele

- Sua o que? Vai, fala. - disse enfiando uma faca na perna dele

- Mika, quer ele vivo Bil - Any disse sentada em uma cadeira -

- Quando ela chega? - perguntei

- Ela já chegou. Lamar foi buscar ela e uma outra agente no aeroporto. - Bailey disse - Lamar mandou mensagem dizendo que Mika está com....

- Shh - falei e escutei um barulho vindo lá de fora. Ficamos todos com as armas na mão e prontos pra qualquer coisa. Minutos depois Mika entra na sala com uma outra moça, um pouco mais baixa que ela e sorri

- Que fofo, iam me receber com tiros?! - ela disse e guardamos as armas - Zapata, esses são Billie, Noah, Bailey e Any. São grupo de mercenários que nos ajuda de vez em quando.

- De vez em quando? - disse

- Sim. De vez em quando - ela falou e seguiu para onde Louis estava - então você é o Louis?! Pensei que fosse mais velho.

- O que você quer de mim?! - ele perguntou

- Muita coisa. - ela disse e sabia que agora a coisa ia ficar boa. - olha, existe dois jeitos de isso dar certo - ela falou e puxou uma cadeira e se sentou na frente dele - o jeito fácil e o difícil. No jeito fácil, eu te pergunto e você me responde. Do jeito difícil a mesma coisa, só que é mais divertido. Qual você escolhe?

- Nenhum dos dois - ele disse e Mika sorriu. Adoro essa mulher.

- Do jeito difícil então. Noah, você ainda tem aquela maleta?

- Claro que tenho morena - ele disse e entregou pra ela a meleta.

- O que tem naquela maleta? - a tal Zapata perguntou chegando perto de mim

- Você vai ver. - disse e voltamos a olhar a cena.

- Sabe Louis, deixa eu te contar uma história, a mais ou menos um ano, um grande atentado ocorreu no meio da Times Square em Nova York. - ela começou a colocar as agulhas em baixo do dedo dele e sorriu - sabe quantas pessoas morreram?! Mais de 1.000. isso é muita gente sabia?! E a exatos 8 meses atrás esse caso foi encerrado, sem nenhuma pessoa indo presa. Mas a alguns dias atrás, seu nome apareceu. E por algum motivo, estava ligado a tudo isso que aconteceu. Então, depois de 10 minutos, a anestesia vai passar e você vai sentir muita dor. Agora é com você Louis. Tem alguma coisa pra me contar?

- N-nao - ele disse e ela sorriu

- Que pena então. - ela falou e pegou um kit de facas

ZAPATA POV

Está olhando aterrorizada e ao mesmo tempo maravilhada pra Mika. Ela não tinha quase nada, mas ainda estava lá agindo como ela soubesse de tudo. Ficamos 10 minutos em silêncio. Segundos depois Louis começou a berrar de dor:

- Vamos lá Louis, me ajude a te ajudar. Se você contar o que eu perguntar a sua dor passa - ela disse e ele olhou pra ela - que foi? Nunca passou pela sua cabeça que algum dia alguém usaria seus métodos contra você né? Existe uma primeira vez pra tudo.

- O quer saber? - ele perguntou chorando

- Que tal tudo? Desde o começo. Ou mais precisamente, desde quando você começou a adulterar as bombas de gasolina do lado leste do país. - não sei como, mas ele contou tudo. Tudo mesmo. Ficamos mais de uma hora lá dentro com ele falando e chorando de dor. - Muito obrigada Louis - Mika disse e aplicou uma injeção na mão dele. Onde em poucos minutos ele acabou dormindo. - coloquem ele em uma cela.

- Sim senhora - Lamar disse e ele junto com Noah levaram Louis. Mika saiu da sala e eu fui atrás dela.

- Aí, o que foi aquilo? - perguntei vendo ela lavar a mão

- Aquilo, foi o meu trabalho. - ela disse - mas ele não contou tudo.

- Como assim não contou? Ele ficou quase duas horas falando.

- Zapata, você ainda tem muito o que aprender - ela disse e se sentou no chão - que horas o Kurt chega?

- De tarde - disse e me sentei ao lado dela - onde aprendeu essas coisas?

- Com eles - ela falou e apontou pros meninos

- Eles são bons. E bonitos - disse e rimos

- É porque você não viu os outros. - ela disse e suspirou

- Está tudo bem?

- Sim, só estou cansada - ela falou e seguiu para um local onde tinha um monte de quartos

- Onde estamos?

- É um prédio, que é financiado pelo Projeto Royalite. Existem vários igual a esses pelo mundo. É meio que um hotel particular só prós agentes.

- Legal. - disse. E olhei ela se trocar - como ganhou essas cicatrizes nas costas?

- Fazendo birra - ela disse e sorriu - eu era pequena quando eu as ganhei. Cada vacilada que meus irmãos dava, era descontado em mim.

- Como assim?! - perguntei assustada

- Se importa se eu tomar banho antes? Prometo te contar quem sou

- Tudo bem. Fique a vontade - disse - onde é meu quarto?

- Esse - ela falou como se fosse óbvio - vamos ter que dividir o quarto. Tudo bem pra você né?!

- Ok. Tudo bem - falei e me deitei na cama. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...