História O babá (Au!Taeseok Vhope) - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags 4jung, Família, Menção!jungyeom, Menção!namjin, Mençao!yoonmin, Taeseok, Vhope Got7
Visualizações 89
Palavras 3.529
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 7 - A verdade dói né, Hoseok?


Fanfic / Fanfiction O babá (Au!Taeseok Vhope) - Capítulo 7 - A verdade dói né, Hoseok?

Eram quase cinco horas da manhã quando Taehyung teve a leve impressão de alguém abrindo a porta e logo em seguida do colchão se afundando.

— Hyung...

Tete sente as mãozinhas fofas em seu rosto e com muito custo abre os olhos devagar.

— O que vocês dois estão aprontando?

Taehyung encontra os dois mais novos lhe encarando e rapidamente senta na cama, coçando os olhos.

— Tem bicho lá no quarto, Hyung

bicho

Taehyung solta um risinho e se afasta mais para o lado para dar espaço ás crianças

— Podemos dormir aqui?

 — Não seria melhor eu espantar o bicho?

Non

— Okay então, deitem aqui meus bebês.

Tete ajeita os travesseiros e Jeongin deita no meio, entre ele e Seungmin.

Depois de todos ficarem em posições confortáveis é que Tae desliga o abajur.

noite Tete

— Boa noite pequenos Jung.

(...)

A semana de Taehyung na mansão com as crianças tinha sido melhor do que ele esperava. Enquanto Jimin ia trabalhar e os três mais velhos estavam na escola pela parte da manhã, Taehyung tinha ensinado Jeongin á não ficar mais dependente da mamadeira; claro que o bebê ainda sentia falta, mas pelo menos ele só pedia por ela uma vez ao dia.

Taehyung também estava ensinando o bebê a ter um vocabulário um pouco melhor. Pela manhã eles pintavam, Taehyung ensinava Jeongin a escrever seu nome e depois iam ao parque.

Pela tarde, eles almoçavam todos juntos e logo em seguida iam para a academia de artes deixar os pequenos na aula. Taehyung e Jeongin ficavam na aula de Jimin, com Tete tentando escrever seu novo livro e Jeon correndo pela sala de dança.

À noite, já mortos de cansados, Taehyung dava banho nos dois mais novos, fazia o jantar e quando todos estavam acomodadinhos, embaixo de cobertores, ou eles assistiam filmes, ou Tete contava histórias. Algumas noites eles também jogavam banco imobiliário e Just Dance.

Tinha sido uma semana boa, mas Taehyung estava preocupado, e não era com as crianças, não, pelo contrário, estava preocupado com Jimin.

O ruivo estava estranho.

Taehyung notava suas péssimas noites sem dormir, a falta de fome e as horas a mais ensaiando duro para uma apresentação.

Os professores da academia estavam em uma competição com outras escolas de Seul, Jimin era o responsável por apresentar sua dança contemporânea. Taehyung achava que isso estava deixando-o estressado e ansioso.

Não era um bom sinal. Taehyung sabia o que acontecia com Jimin dias antes de alguma competição.

Ele tinha recaídas.

Taehyung sorria lindamente, enquanto capturava fotos dos Jung. Os cinco estavam no Parque que havia próximo da mansão brincando. Changbin e Hyunjin jogavam bola, enquanto que Jeongin estava no escorregador. Seungmin estava sendo empurrado por um adolescente no balanço,  enquanto conversava com uma garota, parece que ele havia feito uma amiguinha.

Taehyung estava feliz e mantinha seus olhos nos quatro.

Era sábado e o Jung-barra-imbecil-barra-idiota-Hoseok não tinha ligado uma vez sequer na semana para falar com os filhotes. Sério, Taehyung tentava entender como que Hoseok podia ser daquele jeito. Os quatro Jung na concepção de Tete eram crianças maravilhosas que amavam o pai apesar de tudo. De vez em quando aprontavam, mas eram gentis.

Se Taehyung tivesse filhotes como eles, já tinha zerado a vida.

— Tae, você pode comprar algodão?

Hyunjin chama a atenção do moreno.

— Claro, reúna seus irmãos. Está ficando tarde e vocês estão todos suados ewww.

Taehyung finge uma carinha de nojo e Hyunjin ri assentindo.

— Pegue o bebê quarto no escorregador

Tete grita antes de ir até uma barraquinha para comprar quatro algodões, dois rosas e dois azuis. Já que eram as duas cores que haviam sobrado.

Quando Tete volta para o local de antes, os irmãos Jung estão deitados na grama conversando e rindo sobre algo.

— Aqui meus anjinhos. Peguem um, não se importem com as cores.

— Hyung...

Taehyung estava distraído ao lado dos garotos vendo as fotos que havia tirado deles com a sua câmera.

— O que foi, Minnie? Não gostou do algodão?

Tete nota a inquietação do pequeno

— Não é isso, acho que tem alguém tirando fotos da gente

O mais velho entra em estado de alerta, mas sorri fingindo que está tudo bem e não havia notado nada.

— Onde está? Fiquem calmos, não esbocem reação alguma. Finjam que eu contei uma piada.

Os três [menos Jeongin] gargalham alto.

— Atrás da arvore, Hyung.

Taehyung inclina a cabeça para o lado vagarosamente e nota um homem com uma câmera em mãos, ele olhava para baixo, provavelmente conferindo as fotos, foi a deixa que Taehyung teve para pegar Jeongin no colo e segurar na mão de Hyunjin.

— Binnie, não solte a mão do seu irmão por nada. Vamos andar disfarçadamente, mas rápido, okay?

— Droga, eu odeio isso, Hyung!

— Calma, Binnie, nós já estamos chegando em casa.

Taehyung abre a boca quando Jeongin insiste em lhe dá um pouco de algodão doce, alheio a tudo o que estava acontecendo.

— O problema não é eu, Tae, o problema é o Minnie. Ele tem meio que um trauma de paparazzi.

Taehyung rapidamente dá um jeito de abrir o portão enorme e pede para as crianças já irem entrando.

— Daichi, tem gente com câmera rondando por aqui.

Tete avisa ao segurança

— Iremos verificar rapidamente, Senhor.

Taehyung assente e entra na casa.

— Tirem os sapatos antes de subirem no sofá, bebês.

Taehyung troca o tênis por chinelos fofos e confortáveis e logo aparece na sala dando de cara com uma figura desconhecida paparicando suas crianças,

— Hm, Olá?

— Hyung, Hyung. Vem conhecer o tio Jin

Hyunjin puxa Taehyung pela mão até o belo homem.

— Sou SeokJin, ou pode me chamar de Jin mesmo. Modelo e padrinho das crianças.

— Eu sou Taehyung, escritor e babá dos pequenos.

Os dois apertam as mãos em uma breve mesura e se encaram por um momento.

— Eu sei que o Hobi não está em casa, mas mesmo assim queria ver um pouco as crianças. Fiz o lanche da tarde, o que vocês acham de comer um pouco?

As crianças gritam animadas e Taehyung sorri.

— Não se esqueçam de lavar as mãos.

— Sim, Tae hyung.

Jin pega Jeongin no colo e caminha com o pequeno até a cozinha. Taehyung aproveita esse momento para guardar sua câmera na mochila.

— Hyung?

— Sim, Jinnie?

— Posso ir chamar o Jimin Hyung pra comer com a gente?

— claro amor, não suba a escada correndo, Hyunjin.

Taehyung escuta a risada sapeca do garoto e balança a cabeça negativamente.

Tete até insistiu para que Jimin fosse passear no parque junto com eles, mas segundo o seu amigo, estava muito cansado para sair da cama e só pensava em hibernar para sempre. Taehyung não podia negar estar muito preocupado com o comportamento de Jimin.

— Tae

Taehyung se assusta com Hyunjin descendo as escadas correndo e chorando.

— o que houve, Jinnie?

Hyunjin agarra a cintura do mais velho e chora, logo seus irmãos entram alarmados na sala.

— Meu anjinho, calma, tudo bem? Respira fundo e conta para mim o motivo de você estar chorando.

Hyunjin assente freneticamente e Taehyung sente seu coração começar a acelerar.

— Hyung, salva ele, por favor, salva o Jimin.

Taehyung pisca variadas vezes até entender a fala de Hyunjin e subir desesperadamente escadas acima.

Ele sentia que era algo com Jimin.

— Chimmy! Chimmy acorda, por favor.

Taehyung encontra seu melhor amigo desacordado perto da porta do banheiro e corre até ele, colocando a cabeça do ruivo em seu colo e beijando seu rosto.

Não era a primeira vez que encontrava Jimin daquele jeito, mas seu coração doía como se fosse a primeira vez.

Taehyung checa os pulsos fracos do garoto enquanto fala com o atendente a espera dos paramédicos. Quando ele tem a confirmação da ambulância chegando é que ele desliga o celular.

— O que houve com ele?

Jin adentra no quarto. Tinha deixado as crianças na cozinha e subirá para checar a demora de Taehyung.

— Eu não sei, O encontrei desacordado. Me ajuda a levar ele lá para baixo, por favor.

Jin pega Jimin sem problema algum no colo e deixa-o deitado no sofá a espera da ambulância.

Tete deixa as crianças sob os cuidados de Seokjin e acompanha Jimin na ambulância.

— Fica bem, por favor, Chimmy. 

Taehyung pede enquanto junta as duas mãos, orando aos céus para que ficasse tudo bem e seu melhor amigo, sua alma gêmea acordasse logo.

Quando Taehyung é barrado em determinada área pelos médicos, ele é obrigado pelos mesmos a voltar e fazer a ficha de Jimin. E enquanto ele preenche tudo com os dados do amigo, Tete ainda tenta novamente ligar para Yoongi, mas nem sinal do garoto atender seu celular.

— Aish, pra que serve o celular nessas horas hein?

Taehyung resmunga fungando e guardando o celular no bolso.

Ele termina rapidamente de assinar seu nome e entrega a ficha para a recepcionista antes de se jogar nos bancos do corredor solitário e frio.

Meia hora depois, um dos médicos sai do quarto em que Jimin está e caminha até Taehyung com uma prancheta em mãos.

— Park Jimin?

— Eu, eu, eu. Que demora hein, Doutor.

Taehyung se levanta resmungando.

— Como ele está?

— Estável. Os primeiros exames indicaram uma anemia, mas ainda teremos que fazer vários outros. Também vamos encaminhar Park Jimin ao psicólogo, por causa das suspeitas de bulimia.

— Eu já imaginava. Jimin está acordado?

— Sim, posso deixar vê-lo por alguns instantes. Mas ele permanecerá no soro e em observação.

Taehyung assente e agradece ao doutor antes de entrar no quarto e encontrar seu amigo sentado na cama, observando o jardim do hospital através da janela.

Taehyung agradece também aos céus por ouvir suas súplicas.

— Chimmy...

Tete senta na cama e tem a atenção de Jimin juntamente com um sorriso fraco.

Jimin estava pálido e abatido, em seu braço havia um acesso com um esparadrapo por cima e um pequeno aparelho de medidor de frequência cardíaca no dedo indicador.

— Desculpe-me.

— Eu deveria te socar, sério, idiota. Mas tudo o que eu quero agora é que você se recupere o mais rápido possível.

Taehyung segura as duas mãos do amigo e as beija, antes de abraça-lo e deixar vários beijinhos no rosto dele. Jimin ri e Tete estranha quando as bochechas fofinhas ficam úmidas.

— Eu te amo, Jimin. Não chora meu anjo, eu estou aqui, eu estou aqui. Eu te amo muito, amor.

— Desculpe-me Tae, Desculpe-me.

— Shh, Shh, Vai ficar tudo bem meu neném. Nós vamos cuidar de você.

Taehyung passa a mão carinhosamente pela costa do ruivo até que ele se acalmasse.

Taehyung canta para Jimin até ele pegar no sono.

Nesse meio tempo uma enfermeira entrou no quarto para medica-lo e assim que ela saiu, Yoongi entrou desesperado.

Taehyung o barrou antes de chegar até Jimin.

— O que você está fazendo? Deixe-me ir até ele.

— Primeiro você vai se acalmar e higienizar as mãos. E fale baixo, acabei de fazê-lo dormir.

Yoongi suspira cansado antes de fazer tudo àquilo que Taehyung havia pedido.

— O que aconteceu com ele, afinal?

— A mesma coisa das outras vezes, Hyung. Chimmy tem uma apresentação da academia e você sabe como ele fica ansioso e come menos. Mas ao que parece agora é um pouco mais grave, Jimin praticou a bulimia.

Taehyung diz tudo baixinho e Yoongi suspira enquanto limpa as pequenas lágrimas do rosto.

— Você tem noção do quão preocupado eu fiquei quando Jin me ligou falando que Jimin tinha sido encontrado desacordado e que estava no hospital?

— Eu sei, Hyung, eu sei. Vamos cuidar dele juntos, okay?

O mais velho assente sentando ao lado do amado.

— Eu devia ter ficado com você, Yaegiya. Desculpe-me por ser um péssimo namorado.

— Não foi sua culpa, Hyung.

Yoongi sorri fraco e se vira para Taehyung.

— Você pode ir pra casa, Tete. Hoseok foi pra lá, mas as crianças estão preocupadas. Cuide deles,  cuide do Jinnie, qualquer coisa eu te aviso.

— Mas Hyung...

— Vá, Taehyung. Obedeça o Hyung, eu te aviso quando ele acordar.

— Tudo bem.

(...)

Quando Taehyung chegou de volta a mansão havia uma certa muvuca de gente na frente da casa. Foi um custo passar por todos eles, mas felizmente conseguiu entrar rapidamente.

Como de costume ele trocou os sapatos pelos chinelos fofinhos e passou pelo Hall, encontrando Hoseok falando ao telefone, Jungkook — o agente sentado no sofá esperando algo e Seokjin ao seu lado.

— Hyung, Hyung, e Jimin?

Hoseok estranha quando vê Changbin abraçado á Taehyung.

— Jimin está melhor. Ele estava acordado até meia hora atrás, Yoon está cuidando dele agora.

— Graças a Deus! Jimin nos deu um susto muito grande, espero que ele se recupere logo.

Seokjin diz sorrindo e Taehyung assente passando as mãos pelas costas de Changbin.

— Hm, Taehyung?

Hoseok chama

— Sim?

— Você pode conversar com Hyunjin? Ele ficou abalado com tudo o que aconteceu e não quis falar comigo.

— Na verdade ele não queria conversar com ninguém, apenas com você.

Seokjin completa e Taehyung assente, subindo as escadas logo em seguida.

O garoto entra no quarto dos mais velhos e encontra Hyunjin todo encolhido na cama.

— Eu não quero conversar com você, pai!

Taehyung se assusta com o tom de voz do pequeno e rapidamente senta no espacinho que havia na cama.

— Sou eu, Jinnie.

Hyunjin se levanta num pulo e senta de frente para Taehyung. Seus olhinhos estavam inchados e ele ainda fungava um pouco.

— Jimin hyung, cadê?

— Não precisa se preocupar minha criança. Chimmy está bem, na medida do possível. Ele está no hospital, mas vai voltar logo e ai nós vamos poder cuidar dele.

— Foi horrível, hyung, foi horrível encontrar ele desacordado no chão.

— Eu sei, eu sei.

Taehyung puxa o garoto para um abraço e acaricia seus cabelos, acalmando-o.

— Por que você não quis conversar com seu pai e nem com o seu padrinho?

— Não sei... Eu só não quis... Eles não iriam entender.

— Okay, não precisa ficar mais triste, uh? Logo você vai ter seu professor e amigo de volta, então, vamos levantar e aproveitar que seu pai está em casa.

Taehyung faz cócegas no mais velho e os dois descem as escadas em meio as risadas, encontrando Seokjin tentando dançar algo junto com Seungmin no Just Dance. 

Changbin e Jungkook riam dos dois e Jeongin estava deitado no tapete pintando algo. E Hoseok como sempre não estava ali.

Taehyung bufa ao ver o pai ausente mais uma vez.

— Hyung você já conhece o tio Jeon? Ele é muito legal

Hyunjin diz afobado e Jungkook ri

— Sou o agente/empresário do Seokie hyung, Jeon Jungkook a sua disposição, gatinho

— Kim Taehyung

Jungkook sorri galanteador e beija as costas da mão de Tae. Os dois mais velhos sorriem cúmplices.

— Acho que o tio Yug não vai curtir muito isso.

Changbin diz em meio a um pigarro e Jungkook se afasta com as bochechas coradas.

— Essas crianças de hoje em dia...

Taehyung escancara a boca só de pensar no seu segundo ator favorito com o empresário de Jung Hoseok.

Hm, até que eles eram shippaveis.

Mas ele preferia Yugyeom com Jinyoung. Hehehehe

— Hyung, você é horrível nisso.

Jungkook diz rindo ao que Jin termina de dançar.

— Vamos, Tae?

Changbin convida Taehyung para competir junto com ele.

— Não sei se isso é uma boa Idea.

— Vai logo, Kim Taehyung.

Jin o encoraja divertido e o moreno se dá por vencido.

Taehyung jogou três partidas com cada um dos irmãos Jung e ganhou apenas uma.

O clima tinha ficado menos deprimido e Taehyung preferia assim, apesar de estar preocupado por que Yoongi não havia falado mais nada sobre Jimin e ele não atendia o celular. Mas as crianças não precisavam de um Taehyung triste e preocupado com sua alma gêmea. Tete não queria que isso afetasse mais ainda Hyunjin.

Os pequenos já estavam cheirosos e banhados. Na sala, Seungmin e Changbin jogavam vídeo game. Hyunjin assistia à partida dos irmãos, pensativo e Jeongin corria pela casa sob os protestos falhos do pai.

Taehyung tinha ido tomar banho e como Jin preparou todo o jantar, Hoseok enfim saiu do estúdio que havia em casa e ajudou o amigo junto com Jungkook a arrumar a mesa.

— Eu juro que não sei mais o que fazer com esta criança. Eu sou invisível ou alguma coisa assim?

Seokie reclama pondo os talheres na mesa e Seokjin apenas ri provando o molho.

— Você é chato, hyung.

— Deixe-o correr, ele é criança, precisa disso.

Jung Hoseok até pensaria em concordar com o hyung mais velho, mas ao ouvir o choro alto do bebê quarto ele desistiu.

Hoseok correu até a sala para verificar o que havia acontecido e encontrou seu filhote mais novo sentado ao pé da escada, chorando com a mão no joelho.

Hoseok sentiu seu coração bater rápido a medida que se aproximava do garoto.

— Jeongin-ah vem aqui, deixe o Appa ver onde você machucou, sim?

O rostinho do bebê mais novo estava tomado pelas lágrimas gordas que insistiam em cair e o coração de Hoseok se apertou.

Os lábios do bebê estavam tremendo.

— Jeongin-ah venha aqui agora para que eu possa ver seu machucado!

Jeongin se encolhe com o tom de voz que o pai usou e abre o berreiro novamente.

Eu quelo Tete, Appa non, Appa non. Non quelo o Appa quelo o Tete

A sala fica em silencio [exceto pelo choro do Jeon] por alguns segundos e logo Taehyung desce as escadas assustado com toda a cena.

— O quê...?

— ‘Tá doeno Tete

Hoseok estava inconformado, ou melhor, seu coração estava despedaçado. Como assim seu filhote mais novo preferia o babá do que o próprio pai?

— Calma meu anjinho, deixe o Tae ver isso direitinho, okay?

Jeongin assente coçando os olhinhos, pedindo colo pra Taehyung e Hoseok se afasta.

Jungkook trouxe uma pequena maletinha de primeiros socorros para Taehyung. E Seokjin estava rindo alto.

Aquela risada soando como se alguém estivesse passando uma esponja no vidro estava irritando Hoseok.

— É amigo, acho que as coisas com os seus filhotes não estão boas para o seu lado.

Jin diz ainda em meio as risadas.

Hoseok sentiu uma coisa diferente ao ver Taehyung distrair o filhote mais novo com conversas bobas, enquanto fazia um curativo no joelho ralado, Jeongin tinha os olhos brilhantes e sorria para o homem a sua frente. Hoseok entendeu aquilo que tanto afetava os filhos nos últimos anos, ele realmente não sabia o que era ser pai, não fazia parte da vida dos filhotes e não sabia nada sobre eles.

Não sabia que Hyunjin ficava sempre horas a mais na aula de dança apenas para impressioná-lo

Não sabia que Changbin tinha um vocal incrível e escrevia letras maravilhosas.

Não sabia que Seungmin tinha dificuldades em conversar e fazer amigos.

Jung Hoseok não sabia de nada que acontecia com seus filhotes nos últimos anos desde a morte de sua esposa,

Ele era um péssimo pai.

— Não fica assim, Hyung

Jungkook e Jin haviam seguido Hoseok até o escritório e agora o músico estava encostado na mesa olhando para o nada.

— Assim como? Eu não ‘to chateado, okay?

— Ah você está sim.

Hoseok sorri fraco

— eu fico feliz que em menos de um mês as crianças tenham criado um laço com Taehyung a esse ponto, eu não estou bravo por que eles confiam mais no babá do que no pai.

— Sabemos que você ficou realmente chocado pelo fato de seus quatro filhotes confiarem mais no Taehyung do que em você

— Mas é claro que eles deveriam confiar mais em mim! Eu sou a droga da figura paterna deles!

Hoseok se exalta um pouco

— O que você espera deles, sendo que você não se comporta como um pai? Só tem o título, Hyung.

— Você mal tem tempo com seus filhotes, Hobi. E quando tem, briga mais do que qualquer outra coisa. Você não conversa, não brinca, não ajuda eles a fazerem o dever de casa e não dá atenção devida ao Jeongin. E ele só tem três anos.

— Mas também né! São quatro crianças com personalidades difíceis

— E daí, Hobi? Você teve duas rejeições hoje por que eles confiam mais no Taehyung. Pra eles o garoto é o que se encaixa mais na figura paterna, não fazendo jus só ao título como você. Você ‘tá perdendo a melhor fase deles, Hobi. Eles já perderam a mãe e pelo visto perderam o pai também.

— Se você não mudar isso hyung... Eles sempre vão correr para aquelas pessoas que lhes dão atenção e carinho como o Taehyung.  Agora que você terminou com os preparativos do novo álbum e tem alguns dias de descanso, Se aproxime deles, não deixe que essa situação saia do controle.

Hoseok queria muito que seus dois amigos estivessem errado, mas ele sabia que estavam certos e a verdade doía,

Ah, como doía.

Hoseok passa a mão pelo rosto num modo de tentar afastar as lágrimas que queriam vir e ele suspira cansado.

— Vocês acham que tudo isso de voltar a me incluir na vida deles, trabalhar sem perder nenhum detalhe do que eles fazem ainda dá tempo?

Jungkook e Jin se entre olham sorrindo, orgulhosos do amigo.

— Mas é claro que sim!

— Agora vem, vamos jantar que o meu namorado maravilhoso provavelmente deve estar enlouquecendo em casa sem mim.

Hoseok revira os olhos para o comentário de Seokjin.

Mas agora Hoseok sentia que as coisas com seus filhotes poderiam dar certo.


Notas Finais


Meus anjinhos a att vai demorar pra vir por motivos de: semana de provas 😑 mas calma calma que agora entramos em uma nova fase, chega de Vhope brigando AGORA VAI. Xx


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...