1. Spirit Fanfics >
  2. O Baile ( imagine com jimin, Sehun, Kai, Taehyung, Hoseok) >
  3. O Jeito É Dar Uma Fugidinha Com Você!!

História O Baile ( imagine com jimin, Sehun, Kai, Taehyung, Hoseok) - Capítulo 31


Escrita por:


Notas do Autor


Oieew meus queridos, tudo na paz?
Eu estou atrasada, mas o capítulo está bem legal, e os próximos vão estar ainda mais 😉
Eu tenho uma coisa que fico pensando, o que vocês acham se eu colocasse um nome na garota ? Ou vocês preferem ela assim mesmo ______? Eu realmente preciso saber a opinião de vocês sobre isso, então é importante que me digam.

Boa leitura 😊

Capítulo 31 - O Jeito É Dar Uma Fugidinha Com Você!!


     Quando Sehun me beijou, definitivamente não esperava por isso. Não é do feitio dele fazer esse tipo de coisa. Eu estava tão surpresa que me afastei bruscamente.


- Desculpa. – Disse ele.

- Eu acho que você se empolgou de mais. – Falei.

- É, eu acho que sim. -Sorriu tímido- Você sabe que tenho sentimentos por você. – Disse ele pegando em minha mão. – Eu fiquei muito preocupado. Vê se agora você se alimenta direito e não pula mais as refeições.

- Pode deixar. – Falei sorrindo. – Já podemos voltar para sala?

- Não acha melhor ir para casa? – Disse ele.

- Eu estou bem agora.

- Tem certeza? – Perguntou Sehun desconfiado.

- Vamos sair daqui logo! – Falei irritada. Me levantei. O Sehun perguntou para enfermeira se eu podia sair, ela disse que era melhor eu ir para casa, mas se eu estava me sentindo melhor , então eu poderia ficar se quisesse, mesmo assim ela me deu um papel com a dispensa das aulas de hoje. Andamos até a nossa sala e entramos.

- Onde vocês estavam? – Perguntou a professora.

- Ela desmaiou, eu a levei na enfermaria. E a enfermeira mandou ela para casa. – Disse Sehun de repente.

- Sehun! – Falei irritada e indignada. – Eu não quero ir para casa, eu estou bem!

- Professora, a senhora não acha que seria melhor ela repousar? – Disse ele. – Aqui está a autorização. – Ele entregou o papel para a professora. – E ela falou para mim acompanhá- la até em casa por segurança.

- Ela disse isso mesmo? – Perguntou ela desconfiada. Ela olhou para o papel e depois para mim. Eu não sabia o que o Sehun estava aprontando, mas fui na onda dele. Então fiz a maior cara de doente que eu poderia fazer na vida.

- Sim, pode confirmar com ela depois. – Disse Sehun confiante. Ela o olhou ainda desconfiada, mas sua expressão foi suavizando.

- Você é um excelente aluno, então vou acreditar em você. Podem ir. – Disse ela. Nós saimos da sala.

- O que você está pensando? – Falei brava em um sussurro. Eu dei um soco no braço dele.

- Eu quero te animar um pouco. Na minha opinião, não é nada legal desmaiar e voltar a estudar logo em seguida. Então eu contei essa leve mentirinha para poder ir com você.

- E o que você pretende? – Falei sem escolha.

- Vamos aproveitar a manhã. – Sorriu. – Vamos em um lugar especial.

- Falando assim até parece um encontro. – Falei descrente.

- Quem sabe pode ser. – Disse ele sorrindo com a possibilidade.

- Sehun... – Falei balançando a cabeça negativamente. – Eu tenho que falar com a Yoongina primeiro.

-Tudo bem, vamos lá. – falou ele. Nós seguimos até a sala da Yoongina. Eu bati na porta e o professor abriu.

- Desculpa a interrupção, mas eu preciso falar com a aluna Min Yoongina. É muito importante. – Falei. – Vai ser muito rápido.

- Está bem. Yoongina venha até aqui por favor. – Disse o professor. – Essa garota quer falar com você. Não demorem. – Falou se afastando.

- ______? O que aconteceu? – Disse ela saindo da sala e fechando a porta.

- Na verdade não é tão importante assim, mas eu precisava te avisar. – Falei sem graça. Ela me olhou com uma cara de tédio.

- Serio? – Falou ela revirando os olhos. – E o que ele está fazendo aqui também? Veio escoltar a princesa?

- Sehun pode nos dar licença um minutinho? O assunto é particular. – Falei.

- Claro. – Disse ele se afastando.

- É uma longa história, tenho muita coisa para te contar, então serei breve. Preciso que você avise a Hayan que fui para casa e que ajudo ela com o Jimin depois, e que avise o Jimin que ele pode ir na minha casa depois para a gente terminar o trabalho. Por favor, pode fazer isso para mim? – Falei manhosa. Fiz até beiçinho.

- Você vai para casa porque? – Falou Yoongina curiosa.

- Eu desmaiei hoje mais cedo. Eu recebi autorização para ir embora, mas eu não queria ir, então o Sehun inventou de falar para professora que eu tinha que ir embora, e que era para ele me acompanhar, mas essa parte foi mentira. Resumindo a gente vai sair. – Falei rápido. Quando terminei fiquei quase sem fôlego.

- Que bonito, nós pobres mortais vamos nos matar de estudar enquanto a deusa ______ vai sair para namorar. – Disse ela irônica.

- Não é um encontro! – Falei um pouco alto. Sehun olhou rápido para mim, ele estava distraído. Eu sorri para ele e voltei a falar com Yoongina. – Não é um encontro, só vamos dar uma volta já que podemos.

- Tá, eu vou ser o seu pombo correio.– Disse ela concordando. – Aproveite seu passeio, não é todo dia que um bonitão desses está dando sopa por ai. – Disse ela maliciosa.

- Não vou nem me dar o trabalho de discutir com você. – Falei segurando minha raiva.

- Até mais. – Disse ela mandando beijo para mim. Ela entrou na sala.

- Aonde a gente vai agora? – Perguntei.

- Vamos dar uma volta no centro da cidade. – Disse Sehun alegre. – E depois vamos comer alguma coisa.

- Mas eu não trouxe dinheiro comigo. – Disse triste.

- E quem falou que você vai ter que pagar alguma coisa? Não fui eu quem te convidou? – Sorriu.

- Sim, foi, mas me sinto um pouco... – Fui dizendo quando Sehun me interrompeu.

- Não diga nada, só aceite. – Disse ele. Eu assenti.

Nós saimos do colégio umas 8:30 e andamos até a entrada da vila Hanok (Centro). Eu amo esse lugar, é tão bonito. Andamos por todo canto olhando a paisagem, era estranho na verdade. Faz algum tempo desde que Sehun e eu saimos como bons amigos, porque na realidade, eramos sempre um grupo, e pensar nisso agora me deixa um pouco melancólica.

- Você está bem? – Perguntou ele preocupado.

- Sim, estou. Estava só pensando um pouco. – Falei distante.

- E para onde foram levados os seus pensamentos?. – Perguntou.

- Em um monte de lugares na verdade. Sabe, eu estou com fome. – Falei desconversando do assunto. Minha barriga roncou. – Viu só?

- Eu também. – Riu. Nós andamos até um café que ficava perto da vila e entramos.

- O que você quer comer?

- Escolha o meu pedido. Me surpreenda! – Ri.

- Sim senhora. – Riu. – Então a madame podeia escolher uma mesa para a gente?

- Claro. – Falei. Eu escolhi uma mesa perto de uma janela e me sentei. Alguns minutos depois Sehun voltou.

- Como eu sei que você gosta de morango... – Falou ele deixando um prato com torta de morango na minha frente. Meus olhos brilharam.

- Você se lembrou! – Falei animada. Quando nós éramos menores, lá no começo quando conheci os meninos, eu não era tão próxima do Sehun. Nós conversamos só quando estavamos em grupo, nunca sozinhos, mas um dia, alguns meninos estavam perturbando ele e o coitado não sabia se defender porque ele era baixinho, e eu como não aguento injustiça me intrometi, eu discuti com o líder deles e dei um soco bem dado no nariz dele , então eles ficaram com medo e deixaram ele em paz. Desde aquele dia Sehun e eu nos aproximamos e ficamos muito amigos.

- E para beber, chá, sei que não gosta de café. – Disse ele cuidadoso.

- Obrigada. -Sorri. – Você é sempre tão atencioso.

- Com você sempre. – Disse ele sorrindo tomando um gole do seu chá. Eu fiquei com o rosto quente. – São 10:30 agora. Você quer ir em mais algum lugar?

- Não tenho nada em mente. Nossa, essa torta é maravilhosa. – Falei saboreando cada pedacinho da torta.

- Falando assim me deu até vontade de provar. – Disse ele me olhando. Eu quase me engasguei. Não sabia como agir depois do que ele disse, não tinha certeza se isso foi de propósito ou não, a única coisa que pensei foi pegar um pedaço da torta com o garfo e levar até ele. Foi o que fiz. Então ele mordeu. – Hmm... Verdade, eu devia ter pedido um desses para mim também.

- Não é? – Ri, mas por dentro eu estava pertubada. – Você não vai se encrencar?

- Por que? – Disse ele.

- Pelo que eu entendi, era pra você só me acompanhar até em casa, e depois voltar para a escola. – Falei.

- Isso? Não, fica tranquila. E além do mais eu não te acompanhei até sua casa ainda. – Disse ele com um olhar de malandro.

- Espertinho. Ri.

- Você sente saudades do Brazil? – Perguntou ele mudando de assunto.

- As vezes sim. Os dois países são o oposto um do outro. Eu tenho saudades do lugar onde eu morava. É tão bonito e calmo, é parecido com aqui na verdade, acho que foi por isso que me adaptei tão rápido. – Falei nostálgica.

- É, deve ser lindo então. – Falou ele interessado.

- Sim. – Falei.

Ficamos conversando sobre vários outros assuntos que até esquecemos da hora. Quando percebemos já era 11:50. Não estavamos atrasados nem nada, mas era melhor não ficar o dia inteito na rua.

- Vamos indo? – Perguntou ele.

- Sim, eu tenho um trabalho para terminar. Falando nisso, como anda o seu trabalho? – Perguntei. Nós nos levantamos e saimos.

- Estamos a mil, a minha dupla e eu não sabemos desenhar, mas nós estamos fazendo nosso melhor. – Riu. – E você com o Jimin?

- Nós não precisamos de muita coisa, fizemos um cenário e eu vou ser a Monalisa, vamos tirar uma foto. – Falei empolgada.

- Nossa que criativo! De quem foi a ideia? – Disse ele impressionado.

- Foi de nós dois, mais do Jimin, mas trabalhamos juntos. – Falei.

- Que interessante, estou ansioso para ver o resultado final. – Falou.

- Eu também. Sorri. – Olha o céu! – Falei.

- Ah não. – Falou Sehun desapontado. – Será que conseguimos chegar na sua casa antes da chuva?

- Não sei, nós estamos longe ainda. – Falei. – Vamos apressar o passo.

Não andamos nem metade do caminho e já começou a pingar. Nós decidimos correr, mas a chuva nos pegou, então nos escondemos de baixo de uma cobertura de uma casa.

- O que faremos agora? – Falei perdida.

- Esperamos a chuva passar aqui, ou corremos sem parar até sua casa. Não temos muitas opções. – Falou ele. Quando ele terminou de falar a chuva ficou nais forte e para melhorar começou a ventar e nos molhamos.

- Acho que temos nossa resposta . – Falei. Eu tirei meu casaco e enrolei na mochila para não molhar tanto. Sehun também tirou o seu casaco, mas diferente de mim ele cobriu minha cabeça com ele e pegou o enroladinho de mochila.

- Se proteja com isso, deixa que eu levo pra você. Vai ser melhor para você correr. – Disse Sehun sério. Até em uma hora dessas ele é um cavalheiro.

- Mas e você? – Falei preocupada.

- Eu vou ficar bem, é você que não pode ficar doente. – Disse ele olhando para o horizonte. Ele parecia tão legal que até fiquei um pouco apreensiva. – Vou contar até três e então a gente corre. Um. Dois. Três!

Nós corremos como se o chão atrás de nós estivesse caindo. A chuva gelada sobre nossos rostos era como se alguém estivesse nos cortando, corremos o mais rápido possível até que chegamos na porta da minha casa.

- Con...se...guimos...- Falei quase sem fôlego. O Sehun só conseguia balançar a cabeça. – Tire os sapatos, as meias e a blusa. – Falei. Quando falei para ele tirar a blusa ele me olhou em choque. – Você está encharcado! Não vamos molhar minha casa inteira. Deixe as suas coisas aqui nesse cantinho por enquanto. Ele não estava muito de acordo, mas fez o que eu disse. Ele tirou a camisa e eu quase cai para trás. Não imaginava que ele tinha um físico tão bom. Fiquei impressionada.

- O que foi? – Perguntou ele percebendo meu olhar.

- Nada, está tudo certo. – Falei me virando. Meu rosto deveria estar mais vermelho que o vestido da Mônica. – Vamos subir para a gente se secar. Ele me seguiu até o meu quarto. Nós entramos e eu fui direto no armário pegar duas toalhas. É melhor você tomar banho se não pode acabar pegando um gripe. – Falei jogando a toalha para ele.

- Tudo bem para você? – Perguntou ele receoso.

- Sim, pode usar o meu banheiro naquela porta ali. – Falei apontando o local. – Eu tenho uma calça de moletom que acho que serve em você. – Eu fui procurar no guarda roupa e achei. A calça era bem larga e era amarrada por um fio na cintura. – Aqui está. – Falei entregando a calça.

- Tem certeza que vai me servir? – Disse Sehun.

- Claro, talvez fique curta, mas vai servir, eu não tenho roupa de cima para você, mas não se preocupe vou dar um jeito.

- Tudo bem, eu estou indo. – Falou ele entrando no banheiro.

Depois que ele entrou no banho eu comecei a ficar nervosa, a minha ficha caiu, tem um garoto tomando banho no meu banheiro, isso nunca aconteceu antes, se minha mãe visse isso ela iria me matar. Eu tentei me acalmar, então fui trocar de roupa no outro banheiro, coloquei uma calça jeans, uma blusa azul claro de manga comprida e um moletom cinza de zíper. Depois desci, peguei as roupas e coloquei na máquina de lavar, mas não liguei porque ainda faltava a calça do Sehun. Voltei no meu quarto no momento em que o Sehun saiu do banheiro.

- Desculpa a demora. – Disse ele parecendo um deus grego secando seus cabelos com a toalha.

- Vejo que serviu a calça. – Falei tentando mudar meu foco.

- Sim, você tinha razão, ficou curto nas canelas. – Riu.

- Cadê a sua calça do colégio? – Perguntei.

- Ah é verdade, eu deixei jogada lá no chão, onde estão meus modos? – Falou Sehun correndo buscar.

- Me dê. – Pedi.

- Por que? – Disse ele sem entender.

- Para eu colocar na maquina de lavar. Ou você pretende levar suas roupas pingando? – Falei como se fosse óbvio. Ele me entregou a calça. Eu levei a até a maquina e liguei, agora era só esperar. Voltei novamente para meu quarto e peguei uma manta no guarda roupa. Eu coloquei sobre os ombros do Sehun. – Isso é para você se esquentar, ninguém merece ficar sem camisa com um frio desses. – Vamos tomar alguma coisa quente na cozinha.

- Você é muito gentil. – Disse ele sorrindo tímido. – Era para eu cuidar de você, mas acabei te dando mais trabalho, você está sempre cuidando de mim.

- Assim eu fico sem jeito. – Falei sem graça. Meu rosto corou. Ele se aproximou e de repente me envolveu em seus braços. Eu fiquei paralizada por um instante pelo susto, mas aos poucos eu retribui o abraço, minhas mãos encontraram sua pele nua, pude sentir o quanto era macia. O abraço foi muito aconchegante.

- Eu gosto muito de você. – Falou ele apertando o abraço por alguns instantes. Logo em seguida ele foi me afastando e me deu um beijo na bochecha. – Você tem chocolate em pó? – Perguntou como se não tivesse feito nada anteriormente.

- Eu... É... Tenho. – Falei meio desnorteada.

- Eu vou fazer chocolate quente então. – Falou ele animado.

Nós saímos do quarto e fomos para a cozinha. eu peguei os ingredientes que ele me pediu e coloquei em cima da mesa. Enquanto isso ele foi na sala deixar a manta depois voltou para cozinha, e então um chocolate quente estava a caminho, enquanto isso eu sugeri que a gente assistisse um filme já que estamos esperando a roupa ser lavada. Preparei tudo na sala depois voltei para a cozinha.

- Que cheiro delicioso. – Falei sentindo o doce aroma do chocolate. – Posso?

- Espero que goste. Falou ele ansioso.

     - Uau! Está perfeito. – Falei depois de tomar um gole. Nós fomos até a sala e nos sentamos. Coloquei um filme qualquer só para passar o tempo e começamos a assistir. Sehun pegou a manta jogada no sofá e se cobriu, mas, ele me envolveu nela junto com ele. Não conseguia me concentrar no filme, só ficava pensando que estava muito perto do Sehun e que eu não queria me afastar, isso foi o que mais me chocou. Depois, na metade do filme ele colocou o braço ao redor dos meus ombros fazendo com que eu chegasse ainda mais perto dele. Foi ai então que eu virei pedra.


Notas Finais


Obrigada a todo que leram até aqui e meu Deus, 300 favs? To muito feliz 🎉🎉
E não esquecam de colaborarem com a opinião de vocês sobre colocar ou não um nome na garota, eu preciso saber o que vcs preferem.
Beijos seus lindxs♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...