História O beijo bilionário - Capítulo 29


Escrita por: e NoemyMc

Postado
Categorias Karol Sevilla, Ruggero Pasquarelli
Personagens Karol Sevilla, Ruggero Pasquarelli
Visualizações 278
Palavras 1.036
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ultimo capítulo boa leitura

Capítulo 29 - Capítulo 29


Ela virou a cabeça e olhou-o nos olhos.

— Obrigada, meu amor.

Ele deu a volta para ficar ao seu lado, e os dois compartilharam um sorriso.

— Você conseguiu o bolo? — ela perguntou.

— Bolo? Merda! Sabia que tinha esquecido de algo... mas fico me perguntando... será que isso substituiria?

— O quê?

Ruggero sorriu para ela e se ajoelhou. Karol franziu a testa. Que diabos ele estava fazendo? Ela o viu puxar uma pequena caixa de veludo do bolso. Oh, meu Deus, ele estava prestes a...? Certamente, não! Karol tentou não criar expectativas. Sim, ele faria! Ruggero sorriu e abriu a caixa. Ela abrigava um anel, que parecia ser caro, com um diamante enorme. Ela afastou o olhar da peça e o encarou, atordoada.

Soltou uma risadinha infantil.

— Oh, meu Deus, Ruggero!

Ele pegou sua mão.

— Karol, eu te amo. Sei que estamos juntos há poucos meses, mas nunca estive mais certo de algo em minha vida. Quer se casar comigo?

Karol mordeu o lábio para reprimir as lágrimas.

— Claro! Sim, claro!

Ele passou os braços ao redor de seus ombros e a abraçou com força. Ela riu e se aconchegou em seu peito forte, incapaz de acreditar que aquilo fosse real.

— Ruggero, isso é maravilhoso! Estou tão emocionada!

Sua expressão era grave e cheia de ternura.

— Tenho tanta sorte, Karol Sevilla. Mal posso esperar para passar o resto da minha vida com você.

— Você é tão romântico.

Ele segurou a mão dela e colocou o anel em seu dedo.

— Você traz à tona o melhor de mim.

Karol observou o anel — que brilhava — por um momento e, em seguida, desviou o olhar para a manta de piquenique onde almoçaram algumas horas atrás. Eles estiveram muito cheios para fazer amor antes, mas agora tinham algo para comemorar. Ela o beijou com ternura, depois, mais apaixonadamente.

— Que tal você me lembrar do motivo para eu te amar tanto?

Ele riu.

— Será um prazer!

Ele a pegou nos braços e a levou para a manta macia, onde começaram a se beijar freneticamente. Ruggero acariciou o pescoço de Karol enquanto desabotoava a parte da frente do seu vestido de verão, abaixando-se para chupar seus mamilos, fazendo-a ofegar com prazer.

— Oh, sim, Rugge!

Ele a beijou nos lábios.

— Eu te amo.

— Também te amo.

Eles compartilharam um sorriso. Karol sentiu o prazer envolvê-la quando ele estendeu a mão em direção a sua calcinha — passando os dedos sobre o tecido que cobria sua boceta, que foi ficando mais úmida e mais desesperada para que ele a tomasse. Parecia subversivo, ainda que natural, fazer isso ao ar livre e em plena luz do dia. Ruggero a beijou com firmeza e mergulhou os dedos em sua calcinha, fazendo com que seu corpo tremesse com o desejo. Ele estava muito dominante e ela amava esses momentos maravilhosos, quando sua mente e seu corpo eram completamente dominados por ele. Quando ela era totalmente dele.

— Adoro quando você está em minhas mãos — disse ele. — Preciso te sentir. Prove o quanto você me quer.

Karol sorriu, já perdida no prazer. Rolar sobre a manta junto com seu noivo maravilhoso — oh, meu Deus! —, era perfeito. Ele a beijou nos lábios com firmeza e desceu por seu corpo, chupando lentamente um mamilo, descendo na direção da sua boceta e se preparando para levá-la ao céu. Karol assistiu, com os olhos semicerrados, Ruggero tirar sua calcinha com mãos firmes e tocar seu clitóris latejante com a língua, fazendo com que sua boceta tremesse e seus punhos se fechassem. Ele olhou para ela de forma ardente enquanto penetrava dois dedos dentro dela, estimulando o ponto G e já começando a levá-la ao clímax.

— Tão apertada — ele sussurrou.

Karol suspirou e inclinou os quadris ansiosamente, esfregando-se contra ele, sentindo que chegaria ao auge muito em breve.

— Diz para mim que você quer que eu te faça gozar — Ruggero pediu, sorrindo diabolicamente.

Karol riu e abriu a boca, mas o som de um telefone celular cortou o momento. A atenção de Ruggero focou-se no aparelho.

— Não, Ruggero, não!

Mas Ruggero já estava se sentando para pegá-lo.

— Só um instante, querida. É o toque do Mike. Ele vai surtar quando eu disser a ele que vou me casar! Prometo que vou me livrar dele e continuar transando com você com tanta força que você não será capaz de se concentrar em nada além de mim pelo resto do dia.

Karol riu e abaixou a mão para acariciar, suavemente, seu clitóris, incapaz de resistir ao desejo latejante.

— Tudo bem. Seja rápido.

Ruggero pegou o telefone e colocou seu irmão no viva voz.

— Mike, você é um empata foda. Estava prestes a fazer amor com a minha noiva!

— Desculpe-me, Rugge, mas eu... noiva? Oh, meu Deus, parabéns! Kah, certamente, é uma em um milhão.

Karol riu.

— Obrigada, Mike.

— Oh, oi, Kah... estamos no viva voz. Parabéns!

— Obrigada!

Ruggero se inclinou e beijou-a lentamente.

— Estamos muito animados.

— Deu para perceber.

— Está tudo bem em Londres, Mike? — perguntou Karol.

— Não, nem tudo está tão bem.

Ela se sentou.

— O que houve? É a fusão?

— Não exatamente. Você já ouviu falar de Lionel Ferro?

— Claro — disse Ruggero. — Ele é dono de um clube de futebol. Dizem que é um cara meio sombrio.

— Sim, muito sombrio. Bem, o negócio é que eu dormi com a esposa dele. E agora, ela está dizendo que está apaixonada por mim.

— Ah, Cristo, Michael. Lionel sabe?

— Ainda não. Mas ela está ameaçando contar a ele e aos tabloides britânicos. Acho que minha vida pode estar em perigo... você poderia vir para Londres?

Ela assentiu com a cabeça.

— É claro, nós, os Pasquarelli, apoiamos uns aos outros, não é?

Ruggero sorriu para ela. Em seguida, seu tom de voz ficou grave.

— Tudo bem, Mike, vamos terminar o que estávamos fazendo. Então, iremos até aí...

Descubra o que acontece com Michael em Londres, no livro dois da série Os magnatas — O affair do bilionário. Em breve


Notas Finais


Então e isso nos vemos em breve em uma fic michaetina e isso mesmo MICHAENTINA!

O link tá aqui: https://spiritfanfics.com/historia/o-affair-bilionario-2-michaetina-10928449


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...