História O Beijo Da Meia Noite - Capítulo 57


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Família, Lobos, Naruto, Romance, Traição, Vampiros
Visualizações 83
Palavras 1.320
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção Adolescente, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oi amiguxos! Boa noite... o assunto é o seguinte... eu estava com um capítulo muito grande... Então eu o dividi em dois... espero que não me matem... mais se der eu posto o outro ainda hoje ok? Sem promessas! Bjs boa leitura 😘

Capítulo 57 - Para Nossa Memória


"Se o meu destino é desaparecer, então está é mimha última carta."BTS:Let Go

Eric

Acordei sentindo um calor fora do comum sobre meu corpo, estendi o braço para tentar achar um lugar mais fresco, então me dei conta que aquele calor vinha de Eleonora, que estava adormecida agarrada ao meu corpo com uma hera, uma de suas pernas longas e esguias estavam jogadas em cima das minhas, seu braço, abraçando meu peitoral de maneira possessiva e sua cabeça apoiada no meu ombro, sua respiração tranquila lançava sopros quentes no meu pescoço, fazendo um arrepio me tomar por inteiro. Porra eu estava excitado!

Em algum momento durante a noite, acabamos nos desfazendo dos cobertores, ficando apenas com o calor corporal. Virei a cabeça e vi seu rosto suavizado pelo sono, a boca em forma de coração estava entreaberta, e minha vontade foi de beija-la.

Olhei para a cabeceira da cama onde meu relógio digital ficava e vi que era 4:00 da manhã, eu precisava me levantar, mais não queria acorda - lá, então me movimentando com o maior cuidado retirei seu braço de cima de mim e depois, fingindo estar virando para abraça-la coloquei seu corpo de lado, Nora resmungou algo que não identifiquei e abraçou o travesseiro se virando de bruços, com aquele movimento a minha camisa subiu pelo seu corpo, expondo a bunda deliciosa e redonda dela, que estava vestida apenas com uma calcinha de renda pequena na cor azul royal, meus olhos traidores se aventuraram pelo seu corpo, absorvendo tudo que estava a mostra.

Olhei para minha calça e vi minha ereção mal contida dentro daquela calça de pijama. Merda! Me levantei e peguei os cobertores que estavam no chão e me apressei em cobri - lá, aquela menina era uma diaba! Iria me matar se continuasse assim. Cobri seu corpo bonito e fui para o banheiro tentando controlar as reações do meu corpo. Eu estava tentando dar a ela o espaço que ela precisava, mais parte de mim queria apenas me render aos meus desejos e fazê-la minha, mais sabia que não podia. Ainda não.

Liguei o chuveiro no frio, para acalmar meu corpo quente, e me enfiei debaixo, a água fria foi um alívio, e aos poucos fui voltando ao normal.

Eu já sabia há algum tempo que Nora era virgem, e por isso me segurava quando estava com ela. Ela não merecia apenas um transa, ela merecia tudo, flores, corações, e todo romantismo que qualquer garota na idade dela sonha em ter. Isso me assustava pra cacete, eu já fui romântico, mais foi em um tempo em que eu apenas pensava com o coração, que no final de tudo, acabou destruído. Então depois disso, não me via mais um homem romântico, depois de um tempo comecei a tomar gosto por dominação, de estar no controle sempre, e eu não sabia o que Nora pensaria disso. Isto é se eu tivesse coragem de contar algum dia.

Sai em direção ao closet e peguei uma cueca, depois de vesti-la, peguei uma calça jeans preta e uma camisa também preta, apenas mais uma da minha coleção infinita e vesti. Coloquei uma jaqueta de couro por cima e calcei as botas de motoqueiro que eu tanto gostava e me levantei. E ali estava ela.

Parada na entrada do closet, os cabelos desgrenhados e olhar sonolento, e para minha infelicidade as pernas de fora.

-Já vai?- perguntou com a voz rouca. Caminhei em sua direção lentamente, vendo ela varrer meu corpo com os olhos gulosos.

-Vou sim. Eu acordei você? - perguntei ao me aproximar, seu rosto adquiriu um tom lindo de rosa. Merda! Aquilo mexia comigo.

-Senti falta de você na cama.- e puta que pariu! Aquilo soou sexy como um inferno saindo de seus lábios. Dei um sorriso sacana e a peguei pelo queixo, fazendo ela arregalar os olhos.

-Fique você sabendo que também não fiquei contente em sair. Estava adorando ter você agarrada a mim.- aproximei seu rosto do meu e ainda a encarando beijei o canto de sua boca. Nora suspirou.

-Então vou deixar você ir.- se afastou um pouco de mim, passando as mãos nos cabelos bagunçados, e foi em direção ao quarto. A segui de perto, vendo o oscilar de seu quadril. Que maravilha era essa menina!

-Porque não volta a dormir? Ainda está cedo. - franzi as sobrancelhas quando vi que ela não tinha nenhuma intenção de dormir de novo.

-Perdi o sono.- mordeu o lábio me olhando por debaixo dos cílios.

-É mesmo?- meu lado racional me pedia para parar e ir logo encontrar os outros. Mais o meu lado irracional queria ficar aqui e mostrar exatamente a melhor forma de cansar essa garota e fazê-la dormir . O pior de mim venceu.

-Sim.- sussurou com a respiração um pouco ofegante, quando me viu aproximando com passos calculados, como um predador avaliando sua presa. Mordi meus próprios lábios em antecipação, olhei para o relógio e vi 4:30. Ainda tinha meia hora, que mal fazia brincar um pouquinho?

-Acho que tenho uma solução para isso.- ronronei a pegando de surpresa pela cintura. Eleonora soltou um gritinho de surpresa, mais entrelaçou as pernas ao meu redor.

-O que vai fazer?- perguntou enquanto ainda a segurava junto a mim. Suas pupilas estavam dilatadas de desejo.

-Colocar você para dormir.- então a beijei com desejo e fervor.

Eleonora gemeu em minha boca, e se agarrou em mim, passando os braços ao redor do meu pescoço. Caminhei com ela, até a cama e a deitei,ficando por cima dela, em nenhum momento Nora me interrompeu, apenas se esfregou mais em mim, dessa vez eu gemi em sua boca, quando seu sexo, coberto apenas pela pequena calcinha roçou o meu coberto pela calça jeans. Desci as mãos pela lateral de seu corpo agarrando sua coxa, meus lábios abandonaram os seus, apenas para beijar seu pescoço, desci o quadril roçando em seu sexo com a pressão correta para fazê-la estremecer de prazer.

-Eric…- meu nome saiu como um apelo e o som foi como combustível para minha libido.

Roçei de novo e de novo, suas pernas se fecharam em meus quadris, suas mãos subiram nas minhas costas, passando as unhas levemente. Levantei o olhar para o dela e seus olhos se abriram cheios de luxúria.

-Menina travessa.- e tomei seus lábios de novo, enquanto eu ainda roçava bem levemente no seu sexo quente. Minha ereção parecia querer explodi de dentro da calça, mais não parei.

Vi quando suas pernas me agarraram com mais pressão e eu soube que seu orgasmo estava próximo, então voltei a olha-la.

-Olhe para mim baby.- pedi e ela prontamente obedeceu, seus olhos vidrados de prazer, o rosto corado, a respiração descompassada, igual a minha. Então para saber o quanto o corpo aquela garota poderia responder a mim ordenei.

-Vem pra mim querida.- e roçei com um pouco mais de pressão, fazendo Nora arquear o corpo para cima e gemer alto e fechar os olhos.

-Eric!- e quando ela gritou por mim eu a beijei com força.

Nora correspondeu e vi quando seu corpo foi ficando mais mole, e sua respiração normalizada, fui diminuindo a intensidade do beijo até parar, ela abriu os olhos para mim e vi que o seu orgasmo tinha surtido efeito.

-O-o que foi isso?- me perguntou vermelha.

-Isso é você fazendo um homem ficar louco Eleonora.- ela corou ainda mais e acariciei se rosto com gentileza.

Minha ereção ainda estava dura e ansioso, mais me forcei a esquecer. Rolei para o lado, saindo de cima dela e a puxei pra mim, acariciando seu corpo não para estimular e sim para acalmar.

-Isso sim… é um ótimo remédio para fazer alguém dormir.- eu ri.

-Apenas mais uma de nossas brincadeiras de amigos coloridos.- pude sentir seu sorriso também.

-Claro. Sr. Gratteri.- sua voz baixinha evidenciava o sono iminente.

-Vem baby. Dormir.- acariciei seus cabelos e depois de dez minutos tive a certeza que ela havia dormido.

Me levantei devagar, cobrindo seu corpo e beijando sua testa.

-Te vejo mais tarde baby.- e com isso eu sai.

Era hora de encarar o meu pior inimigo:Renier.


Notas Finais


Então então. .. o que acharam? Só pra vocês saberem.. o próximo capítulo é com Eric também... beijos😙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...