História O blogueirinha. - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink
Personagens Jennie, J-hope, Jimin, Jungkook, Lisa, Suga, V
Tags Gravidez, Jenlisa, Jikook, Kookmin, Mpreg, Sope, Stalker, Yoonseok
Visualizações 79
Palavras 2.229
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Lemon, Mistério, Romance e Novela, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Notas finais~...

Capítulo 9 - Sem graça. - Descontrair.


Fanfic / Fanfiction O blogueirinha. - Capítulo 9 - Sem graça. - Descontrair.

Era de noite, as horas? Não sei.     

Hoseok, onde você está?

E se ele estiver perdido por aí? Ou pior, depois disso tudo ele acabar por virar um Jungkook 2.0? Não poderia deixar isso acontecer com ele, sempre feliz e com aquele sorriso de coração, só Yoongi pra deixar ele no chinelo e depois ser chamado por todos de viado, não que seja uma ofensa mas na boca daquelas pessoas era uma das piores.

Ah caralho que música alta...aquela altura era apenas para não ouvir o barulho de quando alguém estiver gritando? Seria isso? Já estava se passando o tempo e eu já conseguia ouvir uma música do Lil Pump, elas se espalham muito rápido, não lançou faz nem um mês direito, deve ser porque ele é um bilionário, é deve ser por isso.

Sentia minha mãos suarem, estava nervoso, não queria achar um Hoseok fazendo um bola gato pra alguém que nem conhece.

Yes, I'll be your woman, yes, I'll be your baby

Yes, I'll be whatever that you tell me when you're ready

Yes, I'll be your girl, forever your lady

You ain't never gotta worry, I'm down for you baby

A música era alguma do David Guetta...eu realmente não me lembrava de nada...

Disquei e disquei o seu número inúmeras vezes, estava me contentando apenas com uma batido que Jeon tinha trazido pra mim, o mesmo estava dançando na pista de dança e eu no Open Bar tentando ligar pra um bêbado que não sabe nem onde está direito, e se sabe é tudo por culpa de Min Yoongi!

Best believe that, when you need that

I'll provide that, you will always have it

I'll be on deck, keep it in check

When you need that, I'mma let you have it

Beating my drum like, dum di di day

I like the dirty rhythm you play

I wanna hear you calling my name

Like, hey mama, mama, hey mama, ma

Banging the drum like, dum di di day

I know you want it in the worst way

I wanna hear you calling my name

Like, hey mama, mama, hey mama, ma

Na quarta ligação ele atendeu e eu dei graças a Deus por isso, aquele idiota só se mete em problemas!

– HOBI?! Onde você está?! – disse tomando em um grande gole a bebida meio rosada e com certeza tinha álcool por ser tão forte. O atendente já veio trazendo outra sem eu mesmo pedir, será que queriam que eu me embebedasse? Seria muita besteira pensar assim.

– Ah! Anh~ Jiminnie oque você quer? – oi?

Tirei o celular por um momento do ouvido tentando recapitular oque eu tinha acabado de ouvir. Os gemidos de Hoseok são roucos e estridentes, ótimas informações que eu realmente não prescisava e com certeza me deixou mais puto ainda, que porra ele tava fazendo?

– Oque tu ta' fazendo?

Ganhando um boquete de um docinho, e você? Ahn, eu ligo de- – ouvi o barulho do impacto do celular ao chão, ele deve ter quebrado porém a ligação permanecia. – Ah, você faz isso tão bem...quero ver quando eu estiver dentro de você, ainda continuará com aquela pose de machão?

Ahn Hobi~ – desliguei.

Acho que meu rosto devia estar que nem o meu cabelo, por que queridos, se seu amigo estiver em um momento íntimo e você estiver ouvindo, desligue, é muito feio ouvir as conversas dos outros e principalmente quando eles estão nas preliminares e logo depois que iram tranzar.

Bem, pelo menos uma coisa eu sei, quem seria o ativo seria o Hobi~, não é mesmo, então porque eu tô me esforçando e mim preocupando com essa bichinha que vai comer o cu do modelo mais ativo da Coréia? Ele se vira.

Já tô meio puto que minha cabeça ta doendo e que ela não para de girar, seria o estresse? Eu nunca fui estressado, deve ter sido outra coisa.

Vi que eu também estava sozinho em um Open Bar de um lugar onde eu nem deveria colocar os pés, poderia perde-lós. Minha cabeça estava muito confusa, porém com oque? Eu não conseguia pensar em nada sem ser algo que estava acontecendo agora, aquelas luzes coloridas, tudo escuro se não fosse por ela, as pessoas dançando e eu em um Open Bar recebendo secadas, Jungkook deve estar em algum lugar comendo alguma puta, e eu aqui tendo tudo para uma boa noite e desperdiçando. Bebi mais um drink daquela batida de frutas? Não, aquilo era outra coisa, era como se fosse uma explosão de sabores dentro da minhas boca, me lembrava de umas balinhas estranhas. Era até gostoso porém não parecia saudável, era doce porém aquilo tinha álcool? Eu não sabia se cuspia ou engolia mas sem antes perceber o líquido já tinha dissolvido dentro da minha boca, ela estava como chiclete, grudento, gosmento, que porra era aquela? Vai que era porra mesmo.

Me levantei de uma das cadeiras giratórias do Open Bar e senti que meus sapatos viraram felpudos, na verdade não, eu nem tô de sapato, cadê o meu sapato? Ele não estava aqui nesse instante? Ele fugiu? O chão da Mermaid era como se fosse um daqueles tapetes felpudos que se colocamos em salas ou até em quartos, a minha vontade era de deitar nele e adormecer.

Eu não sabia bem oque eu ouvia, era a batida da música que agora era eletrônica, os gemidos que eram vindos por todos os lugares e cantos dali, ou as palmas que as pessoas davam pra mim, quer dizer, para mim? Tinha alguém me segurando e parecia ser para dançar e eu só conseguia ouvir batidas de palmas sicronizadas para mim e outro alguém, na verdade parecia muito sincronizado, eu acho que era da música, eu devia estar delirando. Levantei a cabeça e me dei de cara com aquele narigão e sorriso de coelho mas com uma cara dolorida, era o Jeon, agora explicava as batidas. Que porra era que tava acontecendo?

Eu estava com a boca grudenta, meus pés estavam tocando algo felpudo, eu vi Jeon com uma e expressão de dor? Palmas...não eram palmas, era uma música. Oh, minha boca estava tão grudenta e salgada. Aquilo era...

Coloquei um dedo dentro da boca e o chupei também o deixando melecado, quando tirei ele esta grudento e sujo com minha saliva que estava de forma pastosa e branca. Oh porra! Literalmente!

Quando eu vim parar aqui? Retomando meus sentidos, eu pudia me ver dentro de um carro, o carro de Jeon, era apertado e ofegante, ele gemia e me olhava profundamente, e desde quando o chão daquele carro era felpudo? Pois agora parecia, mas para a surpresa, aquilo não era algo felpudo, eu estava com o pé encostado e roçando no teto do carro que era de um material felpudo, como um tecido caro e quentinho. As palmas eram apenas a cabeça e as mãos de Jeon batendo na porta, e as vezes os cotovelos, talvez pelo material de couro aquilo poderia parecer palmas, e aquilo líquido viscoso e expressão de dor era apenas uma porra dentro da minha boca que escorria pelos cantos, não conseguia fechar minha boca, parecia difícil.

– Jiminnie...acordou do seu tranze? – era Jeon que falava comigo, ele devia ter percebido o meu susto.

Minha cabeça parava de girar ao sentido no qual eu ia me lembrando de tudo, tínhamos saído da Mermaid, isso é um fato, outro fato é que estamos dentro do carro de Jeon e o mesmo está sem calças com o pau enorme pra fora e completamente ereto, como foi que eu consegui colocar isso na boca? Como eu não consigo parar de olhar? Como eu não tinha me lembrado que estamos falando da Mermaid e de que eu não tenho costume de beber?! Sentia pontadas na cabeça e eu não tinha sanidade agora. Eu tinha um Jeon com cheiro de bebida, ofegante e excitado me chamando de Jiminnie.

– O-Oque...– foi a única coisa que eu sabia dizer, eu estava apenas em choque, não era pra eu ter vindo na Mermaid, e por que minha boca está tão salgada, tá brincando que aquilo tudo era só pré-gozo?!

– Você bebeu muito no Open Bar, eu queria te levar pra casa mas foi você que insistiu...– senti aqueles dedos longos passarem pela minha nuca e a sua boca se aproximar na minha pra partir pro ataque.

Ele parecia querer me devorar e só de sentir aquele pau grande passar pelas minhas coxas eu já gemia, além de que eu estava completamente duro, mas que inferno! Como eu pude me meter nessa? Na verdade vão meter em mim se eu não fazer nada!

– Je-Jeon! – tentei empurra-ló porém ele nem se mexeu, ei! Isso era um abuso!

Senti as suas mãos apertarem nas minhas coxas como se fosse uma massa homogênea, ele massageava e as vezes arranhava, em um movimento rápido e tirou a minha calça, já estava sem sapatos mesmo então foi bem fácil para ele. Das coxas foi para a minha bunda, massageando e apertando todos os lugares possíveis, me deixando constrangido e quente, não estava acreditando no que estava acontecendo. Senti o seu membro molhado pelo gozo roçar na minha entrada cobrida e contida apenas por um tecido de uma cueca azul.

Deixe de ser um pervetido! Era isso que minha expressão deveria representar, incrédulo, espantado, surpreso, porém como um bom tempo sem sexo, excitado, quente e ofegante. Eu deveria reformular mais, não era isso que eu queria no começo? Era exatamente isso, então porque estou dando uma de menino bonzinho? Quer saber? Que se foda! Tirei aquela cueca azul e deixei o meu membro pra fora acarretando um grande suspiro, eu já estava sem blusa que pelo visto devia estar rebolada por algum lugar daquele quarto, oque não era nada ruim, já estava facilitando as coisas.

Vi Jeon arregalar os olhos porém ele estava com um sorriso estampado no rosto, quer dizer, quem não estaria? Era divertido de se ver se não fosse pelo fato de que eu ia ser arrombado.

Ele se inclinou para mim e deslizou a sua língua entre meus labios sem nem pedir uma autorização, ele parecia querer melar com a sua saliva todos os lugares da minha boca, e o fato de que estávamos nus e o seu pau se roçava contra minha coxas deixava aquele carro cada vez mais quente, eu necessitava de seus toques. Acho que minha expressão falava isso pois ele segurou minhas nadegas e me virouxde quatro, passando a língua da minha nuca ate minhas nádega fartas colondo sua língua na minha entrada me fazendo gemer o seu nome roucamente. A sua língua era muito excitante mas não era ela que eu queria.

Abri as pernas em sua direção e empinei a minha bunda, minha entrada apitava pela a sua atenção, e eu queria tantos sentir as minhas paredes externas contraindo aquel pau enorme e grosso, estava disposto, tudo que ele prescisava fazer era só ir pra frente e poderíamos ter um boa noite pra quando for no dia seguinte nos esquecer. Fácil e prático além de que ia ser muito bom. E foi isso que aconteceu, bingo! Uma noite de sexo!

°

.

Acordei já com roupas e um Jeon dirigindo do meu lado, ah que fofinho, eu já estava com cinto e tudo. Agora eu tava um puta confuso mas vamos esquecer disso tudo não é?

– Você acordou...hm. Bom dia!?

– Bom dia...

Sabe aquele clima bem horrível? Triste? E de que você poderia sair do carro mesmo com 50 quilômetros por hora apenas pra sair daquele clima? Era oque eu estava sentindo agora. Eu estava meio triste, quer dizer, foi só sexo mas foi tão sem graça e fácil, não quero dizer que foi ruim, a potência dele foi incrível, mas eu tenho uma dúvida de que será que foi o suficiente? Quer dizer, eu realmente gosto dele...sempre gostei. Nunca mais volto na Mermaid.

– Me embebedou? – prescisava saber, e nós já estávamos muito íntimos então porque não perguntar?

– Eram as bebidas do Mermaid, os caras te dão uma dose da droga de lá e você já fica excitado e feliz, ou melhor, drogado. Ai eu te vi no Open Bar se esfregando com outros caras, então apenas te levei pro carro pra levá-lo pra casa, eu não aguentei, você é tão bonito...– sentia minha bochechas queimarem assim como a dele e dei um grande suspiro. – E-eu...sempre gostei de você...

– Ãn? – aquela última frase tinha me pegado de surpresa mais do que as outras últimas. Isso sim me deixou envergonhado.

– Hyung, você sempre foi muito calado na faculdade, nunca tinha coragem pra falar com você...quando vi aquele ruivo eu achei que era alguém normal, mas era você, eu me derreti todo, tinha que conseguir aquele cara. Você era loiro porém agora você mudou tanto. Eu sempre gostei de você...

– A-h...eu também gosto de você...– falei meio envergonhado e ouvi um "yes" vindo dele. Começamos a rir e a conversar.

O clima chato não se intensificava mais e agora era um bom momento.

Bem, eu tinha sido comido por um modelo famoso e bonito. Mas, foi tão sem graça, quer dizer, se eu realmente gostasse dele eu deveria estar alegre ou empolgado, envergonhado? Não sei. Eu estou apenas satisfeito. Estava começando a duvidar.

Será que foi certo falar aquilo? Nas suas fotos eu realmente parecia apaixonado? Parecia? Ou eu queria apenas me sastisfazer? Sei lá, apenas um acompanhate pra uma noite quente? Estava sendo impocrita? O pior era que eu não me sentia ruim, como se não se importasse, por mais que eu quisesse.

Ou tudo era apenas para me divertir?


Notas Finais


PE PE PERAAAAA, se vc acha que esse capítulo foi besta, é pq querida, ele tinha que ser, pq foi algo sem emoção, não estamos falando de amor verdadeiro :) próximo capítulo vai falar disso melhor e talvez alguns tenham ficado meio putos por ter sido meio sem graça, essa foi a intenção! ❤❤❤

~ falta só três capítulos pra acabar essa bagaça


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...