História O Brilho De Seus Olhos - imagine Kim Taehyung - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Jay Park
Personagens Jay Park, Personagens Originais
Tags Drama, Kim Taehyung, Romance, Tae
Visualizações 78
Palavras 885
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oie. Estou repostantado os capítulos, para terem uma estrutura melhor.

Coloquei o nome dela de Katharina, por que não curto S/n, mais o intuito dessa fic é se imaginar na história.

*Só imaginem a história.

Vamos começar...

Capítulo 1 - U m


Fanfic / Fanfiction O Brilho De Seus Olhos - imagine Kim Taehyung - Capítulo 1 - U m

 

O Brilho de seus olhos, capítulo Um

 

Seul, Coréia do Sul. 

19:30 PM 

—  O que aconteceu pra você estar assim? — me levantei. Ele parecia estar muito bravo. — Nem comecei a falar ainda e já está bravo??

 

— Não interessa, o que aconteceu. — gritou. 

 

— Então por que está assim? — aproximei-me, preocupada. 

 

— Não importa, cassete. — gritou mais uma vez. 

 

— Não grita comigo. Eu não estou gritando com você. — falei calma.

 

— Eu falo como eu bem entender. — aproximou mais. — Sua vadia. 

 

— Você não disse isso. — sorri ironicamente. — Eu devo estar escutando coisas só pode ser. — coloco a mão na cabeça. — Primeiro; eu te chamei aqui, pra conversar numa boa com você, sobre sua suposta "traição." — aumentei minha voz. — Segundo; Vadia é sua mãe. Não vou deixar que um homem, me xingue como bem entender. 

 

Ele segurou meu pulso com força. 

 

— Então quer dizer que você descobriu? 

 

Abriu um sorriso malicioso. 

 

— Por que fez isso, Jaebeom? — Foi soltando meu pulso devagar. — Pensei que me amava.

 

— Você quer mesmo saber? — Levantou uma das sobrancelhas. —  Eu sou um homem. Tenho minhas necessidades. Você não quis liberar, então eu fiz isso.

 

Essas palavras fez meu coração destroçar mais eu não queria demonstrar isso. Meus olhos marejaram, respirei fundo, e comecei a falar:

 

— Eu estava esperando chegar nosso aniversário de namoro. Eu ia me entregar pra você. Mas acho que isso não vai acontecer mais. Quer dizer tenho certeza de que isso não vai acontecer. — limpei uma lágrima que havia caído. — Você não vale uma lágrima minha. Seu idiota. 

 

Andei até a porta, e bati ela com força. Jaebeom me seguia. 

 

— Katarina, onde você vai? — Berrou ele. — Volta aqui agora. 

 

Mostrei o dedo do meio, sem olhar pra traz. Sai do hotel que eu estava hospedada, e comecei a andar apressada, pra que Jaebeom não me alcance. Sem querer, eu esbarrei em um homem, por falta de descuido.

 

— Me desculpe. — me curvei. 

 

— Não tem problema. — Se curvou também. Quando senti meu pulso ser agarrado de novo. 

 

— Jaebeom, me larga. Não quero saber mais de você. — desta vez ele colocou bastante força.

 

— Me perdoa. Por favor. Eu perdi a cabeça. — eu tentava desencaixar meu braço de sua mão, mais ele colocou muita força não dava para eu sair. — E é mentira que eu te trai. — Eu não sei como ele não chamava a atenção das pessoas, gritando daquele jeito. 

 

— Jay Park?? — Ouço a voz do homem que eu esbarrei. 

 

— Taehyung? O que está fazendo aqui?? — assustou-se, e colocou mais força em meu pulso. 

 

— Por que está segurando, o braço desta mulher, contra a vontade dela?? — Jaebeom ficou sem graça. 

 

— Eu não estou segurando o braço dela a força. — continuou segurando. 

 

— Está sim, seu cafajeste. — falei. 

 

— Fica quieta. — mandou ele. 

 

— Jaebeom, quem você pensa que é pra falar assim comigo? Tá pensando que você é quem? — retruquei. Ele me puxou pra perto dele. 

 

— Você vai se arrepender disso garota. - falou, parecendo estar fazendo uma ameaça.

 

— Jay, pare com isso. Está machucando ela. — O tal de Taehyung disse. — Solta o braço dela. Não está vendo que ela não quer ficar com você? — pressionou a mão dele que estava segurando meu pulso, para que Minho soltasse. — Jay, as pessoas estão vendo, e vão colocar na mídia sobre isso. 

 

— Você está certo, não vou deixar que minha carreira acabe por causa dela. — Antes que soltasse, virou meu pulso fazendo com que desse uma torção nele.  

 

Soltou bruscamente irritado, que acabei caindo no chão com o tal de Taehyung. Olhei para o rosto do acizentado que está completamente vermelho, afinal ele estava por cima de mim. Nossos olhares se cruzam brevemente. Eu conseguia sentir sua respiração. Envergonhados com a situação, ele saiu de cima de mim e passou a mão no cabelo se levantando.

 

— Não pensei que ele fosse tão forte. — comentou Taehyung. 

 

— Isso não me surpreende. — respondi seu comentário. 

 

—  Você está bem? — perguntou estendendo sua mão, para me ajudar a me levantar. 

 

— Estou. Agradeço pelo o que fez. — agradeci segurando sua mão, fazendo me levantar. 

 

— Nossa! Sua mão está roxa. — assustou-se olhando ela. — Tipo... muito roxa. 

 

Apesar da minha pele ser morena dava pra ver o quão roxo estava. Acariciei o hematoma que doía muito.  

 

— Aí droga. — parei e pensei um instante. — Ele torceu meu pulso. — encarei o hematoma que formou. — Caraca, ele torceu minha mão. — sorri de lado. 

 

— Como pode estar sorrindo? — indignou-se. — Ele torceu sua mão. Não é algo que sorria sobre isso. 

 

— Eu tô sorrindo, de quanto ele é um covarde. O que ele fez, só prova isso. Ele é um babaca. — comentei. 

 

— Sente ali. — apontou para um banco que havia em nossa frente. — Vou comprar gelo. Não saia daí. 

 

Assenti e fui me sentar ao banco. Olhei o céu que estava uma noite estrelada, e comecei a chorar. Não desesperadamente. Apenas caia lágrimas devagar. Respirei fundo e fiquei calma. Ouvi a voz do Taehyung que se aproximava, e limpei depressa as lágrimas pra que ele não visse. 

 

— O gelo vai ser só pra quebrar o galho. Depois vai tem que ir a um hospital. — entregou o gelo. 

 

— Agradeço. Agradeço de verdade. — sorri. 

 

— Não foi nada. — sentou-se no banco. — Você realmente não me reconhece de nenhum lugar? 

 

— Não, por que? — olho o rosto dele. 

 

— De nenhum lugar? Tipo; Tv, banda musical... nada? — insiste.

 

— Não?

 

— Ahhh. Prazer V do BTS. 

 

— Prazer Katharina do Brasil. — Ele riu.

 

 

 


Notas Finais


Gente eu gosto muito do Jay Park. Coloquei ele 'assim' porque foi o único ídol que me venho a cabeça.

Comentem o que acharam. Leio todos.

Um beijão 😘

Fui ✌🏽


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...