1. Spirit Fanfics >
  2. O Brilho do Seu Olhar- Imagine Chuuya Nakahara >
  3. Capítulo 1

História O Brilho do Seu Olhar- Imagine Chuuya Nakahara - Capítulo 1


Escrita por: Natsuo_Hatake_Uchiha

Notas do Autor


E aqui estou eu! uma DESOCUPADA que está matando aula por quê teve uma ideia pra escrever :3 Espero que gostem da fic! Ah! Só pra avisar, eu vou fazer uma fic longa, EU prefiro quando um imagine não é One Shot então trouxe uma fic que vai ter no minimo 10 capitulos :) Yoi dokusho! (Boa Leitura!)

Capítulo 1 - Capítulo 1


Fanfic / Fanfiction O Brilho do Seu Olhar- Imagine Chuuya Nakahara - Capítulo 1 - Capítulo 1

S/n On:

  E aqui estamos nós em mais um dia normal na agência: Atsushi está conversando com Kyouka, Dazai está perturbando a paciência de Kunikida, Ranpo está comendo jujubas e se gabando, Yosano está tentando curar/matar alguém, Tanizaki está sofrendo nas mãos de Naomi e suas frases, Kenji está admirando sua planta, o presidente está sabe Deus onde e eu estou tentando ler meu livro favorito (Nome De Um Livro Que Você Goste).

  As coisas andam bem calmas ultimamente, Kyouka ainda não entrou oficialmente na agência, mas tratamos ela como um membro oficial (Seria bem difícil não tratar aquela coisa fofa bem).

  Dazai- S/nnn- ele fala esticando a ultima silaba.

  S/n- Não enrola Dazai- Digo sem tirar os olhos do meu livro- Fala logo o que tu quer que eu não tenho o dia todo não!

  Dazai- Eu só queria saber se você quer me acompanhar em um sui-

  Ele nem consegue terminar de falar pq Kunikida aparece e dá um tapa na nuca de Dazai.

  Kunikida- Eu já falei pra você parar com isso Dazai!- Ele fala irritado- Se eu pegar você pedindo um suicídio a dois pra S/n eu te mato!

  Ah! Esqueci de dizer, Ranpo e Kunikida cuidam de mim como uma irmã mais nova, isso quer dizer em geral que eles odeiam quando o Dazai chega perto de mim hahaha.

  No momento eu sou a dupla do Ranpo, nós dois nos damos super bem, mesmo que meu raciocínio não seja tão bom quanto o dele, já resolvemos muitos casos juntos: Ele descobre as coisas e eu pego o culpado, sempre foi assim!

  Desde que entrei na agência minha vida mudou completamente, eu era uma garota que fazia justiça com as próprias mãos sem nem confirmar se a pessoa era culpada! Acho que esse foi um dos maiores motivos de eu ter ficado com o Ranpo na agência... Um intelectual que se apega aos menores fatos e uma assassina a sangue frio, um completa o outro, a dupla perfeita!

  Falando em passado, vocês devem estar curiosos em saber como eu entrei na agência certo? É bem simples na verdade! Eu entrei na agência quando

  Ranpo- S/nnnnnnnn!

  S/n- Ah? O que foi dessa vez Ranpo?- Digo enquanto abaixo meu livro- Não me diga que irritou alguém de novo!

  Ranpo- Eu esbarrei na planta do Kenji e ela caiu em cima da Yosano deixando ela toda suja, agora ela quer me matar!- Ele fala se escondendo atrás de mim.

  Yosano- Onde será que ele está?- Diz coberta por uma aura negra assustadora.

  S/n- Calma Yosano! Aposto que ele fez sem querer!- Digo colocando minha mão no obro dela- Não é Ranpo?- Digo com um olhar de advertência pra ele.

  Ranpo- É-é Yosano! F-foi sem querer hahaha!- Fala coçando a nuca.

  Yosano- Hm... Acredito em você, mas vai me pagar roupas novas!

  Ranpo- Por que você não lava?

  Olho pra ele com a cara literalmente dizendo: CALA A BOCA CARALHO! TU QUER MORRER???

  Yosano- Por que prefiro fazer você pagar!- Ela fala com um sorriso no rosto.

  Eu dei um suspiro de alivio e voltei a ler meu livro.

  Kunikida- S/n.

  S/n- Sim Kunikida-Kun

  Kunikida- Vocês tem um caso- Ele fala com uma expressão seria no rosto- Chame o Ranpo e vão para o escritório do presidente.

  Eu e minha boca grande! Estávamos sem casos há uma semana, e quando eu falei que estava calmo me mandam um caso!

  Eu estava tão distraída me xingando mentalmente que nem ouvi direito o que o presidente falou.

  Fukuzawa- Entendido?- Sou tirada de meus pensamentos quando ele fala isso.

  Ranpo- Sim.

  S/n- A-ah! C-claro!

  Nós saímos da sala e quando estávamos em frente à agência Ranpo me olha e diz:

  Ranpo- Não escutou uma palavra do que o presidente disse não é?

  S/n- Não- Falo em um tom choroso.

QDT (Quebra De Tempo) No Local Do Serviço:

  Policial- Vocês são os detetives que chamamos?

  Ranpo- Nós mesmos!- Ele diz sorrindo- Pode nós mostrar a cena do crime?

  Policial- Claro, me sigam!

  Nós vamos atrás dele, entramos em um prédio que pelo estado está abandonado, e enquanto seguíamos o oficial conseguíamos sentir um odor forte que para mim é de morte, sem contar com as manchas de sangue que tinham na parede, o local parecia ter sido usado para fazer um massacre! Mas uma coisa me intriga, eu sinto cheiro de rosas misturado com o cheiro do sangue, de alguma forma esse cheiro me lembra algo, é um aroma enjoativo que me deixa tonta a ponto de eu me escorar em uma cadeira velha que estava em um corredor, Ranpo percebeu e pediu pro oficial esperar um pouco e veio até mim.

  Ranpo- O que foi docinho?

  S/n- Esse cheiro está, e deixando enjoada!

  Ranpo- Mas você nunca teve essa reação com o cheiro do sangue dos outros...

  S/n- É que eu sinto um cheiro de rosas misturado com ele, esse cheiro é horrivelmente desagradável!

  Ranpo- Rosas? Mas eu não estou sentindo cheiro de nada...

  S/n- Esqueceu que eu tenho poderes Ranpo?

  Ranpo- Não, mas não sabia que conseguia ativar sem se transformar.

  S/n- Deixei meu poder parcialmente ativado pro caso de ter que entrar em combate com algum inimigo.

  Ranpo- Hm, entendi- Ele pega meu braço e me ajuda a levantar- Pronto, nos mostre o local do crime por favor.

  Policial- Quer que eu ajude a levar a moça?

  Ranpo- Muito obrigada- Ele fala me jogando em cima do policial e dando um sorriso.

  S/n- RANPO!

  Ranpo- O que?- Ele faz cara de desentendido.

  Ranpo- Eu não fiz nada- Ele diz levantando os braços como se estivesse se rendendo- Vamos logo resolver esse caso ou vamos ficar conversando?

  Eu me levanto e vejo que o policial está corado com a nossa proximidade, então me apoio nele e nós voltamos a andar.

  Sabe, o cheiro das rosas de sangue (Nome que eu dei pro cheiro) foi horrível, mas ver como estava à cena do crime, foi mil vezes pior!

  Tinha sangue por todos os lados, e um homem, uma mulher e uma criança no chão mortos, a criança estava com cara de assustada e tinha sangue por todo o corpo, a mulher estava de bruços com a cabeça virada na minha direção, eu queria poder dizer como era a sua expressão, mas acho que nunca vou saber, já que ela estava sem olhos, já o homem é o pior de todos, ele estava sem camisa deitado em direção a parede, nas suas costas eu pude ver marcas de cortes e queimaduras, na parede a frente dele estavam duas correntes, e mais para frente eu consegui ver os instrumentos usados na tortura dessas pessoas.

  Assim que vi aquela cena, flashbacks passaram na minha cabeça naquele momento, aquilo era horrendo! Ranpo veio em minha direção preocupado.

  Ranpo- Docinho! Tudo bem?

  S/n- O que você acha Ranpo- Falo com a voz tremula porem agressiva- É CLARO QUE NÃO ESTOU BEM!

  Ranpo- Me desculpa docinho- Ele fala e me abraça- Eu não queria ter que envolver você nisso... Mas eu não sabia que as coisas iriam estar assim!

  Deve estar se perguntando por que Ranpo estava mais calmo e eu quase surtando certo? Bom vou explicar, o meu passado é muito complicado, eu era uma garota meio fechada e tinha medo de quase tudo, minha família era praticamente a única coisa que não me assustava, um dia enquanto voltava da escola eu presenciei a pior cena da minha vida, assim que abri a porta de casa, vi meus pais mortos no chão, a casa estava totalmente destruída, eu fiquei tão desesperada que de repente umas luzes estranhas começaram a envolver meu corpo, eu me desesperei ainda mais e minha única reação foi gritar e correr pra fora de casa, logo os vizinhos apareceram por causa do meu grito, todos estavam preocupados, mas eu gritei tão alto que não conseguia mais falar, assim que os vizinhos entraram na casa viram a cena, a policia foi chamada e todo mundo estava tentando  e acalmar já que eu só conseguia chorar, eu negava que aquilo tinha acontecido, eu dizia pra mim mesma que eles iriam aparecer e dizer que estava tudo bem, mas não foi isso que aconteceu, a única coisa que eu vi foi os corpos dos meus pais sendo levados embora,  uma policial me levou pro hospital, eu não aparentava estar ferida, mas tudo aquilo foi tão apavorante que eu precisei ser sedada para me acalmar, acordei no dia seguinte e, para a minha má sorte, não tinha sido um pesadelo... Espera, é isso! O cheiro de sangue misturado com rosas! Foi esse cheiro que eu senti no dia que meus pais morreram!

  Ranpo - Se quiser eu posso pedir para o Kunikida vir te buscar!

  S/n- Não! Quem matou essas pessoas foi o responsável pela morte dos meus pais! Esse caso é meu e não vou abrir mão dele- Digo com tanta raiva que acabo ativando meus poderes.

  Ranpo- Acho melhor se acalmar primeiro, suas asas, chifres e cauda estão aparecendo.

  Não entendeu certo? Bem, meu poder se chama Sexta Essência, basicamente eu tenho 6 poderes em 1:

Primeira Essência= Anjo= Alegria

Segunda Essência= Demônio= Raiva

Terceira Essência= Anjo Caído= Tristeza

Quarta Essência= Lobo= Coragem

Quinta Essência= Raposa = Medo

Sexta Essência= Todos Os Poderes Juntos= Proteção

  Como podem ver todos os meus poderes despertaram com uma emoção em especifico.

  No dia que eu perdi meus pais meus poderes despertaram pela primeira vez, mas como meu corpo era frágil eu não consegui me transformar.

  Ranpo- Agora sei o quanto isso afetou você, nem o Dazai consegue fazer você ficar assim.

  S/n- Aturar o Dazai é uma coisa, saber que o cara que fez da minha vida um inferno está vivo e matando, é outra bem diferente não acha?- Falo com sarcasmo.

  Ranpo- Eu vou descobrir quem é, e vamos ajudar você a fazer justiça pelos seus pais, mas nos termos da lei ok?

  S/n- Só ver esse cara de trás de uma cela apodrecendo já esta de bom tamanho pra mim- Digo apertando o punho.

  Ranpo- Ok então- Ele puxa seus óculos e em seguida diz a sua famosa frase- DEDUÇÃO ULTRA!

Ranpo On:

  Eu vi o quanto ia ser doloroso pra ela, por que assim que entramos eu percebi que as coisas eram muito parecidas com o caso dela, isso mesmo, eu acompanhei o caso do inicio ao fim, nunca acharam o culpado, mas eu prometo S/n, vou descobrir quem ele é e vamos botar esse cara atrás das grades!

  Enquanto Isso Na Base Da Máfia Do Porto:

Chuuya On:

  Estava um dia tedioso, eu não tinha nada pra fazer então decidi dar uma volta, mas enquanto estou andando pela cidade me deparo com um prédio cheio de viaturas, decido dar a volta e espiar, não estou com vontade de lutar, mas assim que começo a espiar vejo uma cena realmente estranha, um prédio abandonado que parece ser usado para torturar pessoas, mas somente a Máfia do Porto faria uma coisa dessas, mas se tivesse sido a Máfia teriam me mandado fazer isso.

  Corro meus olhos por um corredor e vejo um policial vindo acompanhado de duas pessoas, um deles é o metido a besta da agência que vive se gabando, mas a garota eu nunca vi, ela tem cabelos (Longos/Curtos) e eles são bem (Claros/Escuros), ela é realmente impressionante, mas de repente ela parece se sentir mal, se apoia em uma cadeira e começa a falar com o metido, eu estava longe demais pra ouvir bem, mas se não me engano ela falou algo sobre sangue com cheiro de rosas? Eu não entendi direito, eles conversaram mais um pouco e depois voltaram a andar, eu continuei seguindo eles até chegar em um grande espaço aberto, eu queria mentir, mas não vou conseguir, aquela cena era repugnante, e parece que a garota também achou pela reação dela, depois de ela gritar com o nariz empinado (Vulgo Ranpo) uma coisa surpreendente aconteceu, de repente duas asas, um chifre e uma calda das cores vermelho e preto apareceram nela, seus cabelos ficaram preto e branco, e seu olhar ficou da cor vermelho sangue, eu me assustei um pouco, mas logo me recompus, aquela garota era da agência com certeza, esta andando com o nariz empinado, tem poderes e não gostou de ver uma cena de crime, é, ela com certeza é da agência, mas não posso deixar de dizer que de tudo o que vi, a falta do brilho nos olhos dela foram um susto pra mim, uma garota que vive na agência sem brilho? Acho que isso pode ser considerado novidade, pelo menos pra mim, já que até Dazai tem brilho nos olhos, e ele é um suicida idiota! Eu fiquei curioso com aquela garota, algo nela me chamou atenção, é como se eu já tivesse visto esses olhos solitários em algum lugar... Não se preocupe garota, vou descobrir quem é você e vamos esclarecer por que acho que lhe conheço...

Autora On:

  Assim que gritou a frase e colocou os óculos, Ranpo arregalou seus olhos, deixando S/n nervosa.

  Ranpo- Eu tenho duas noticias uma boa e uma ruim, qual você vai querer ouvir primeiro?

  S/n-... - Eu fico pensativa, mas logo tomo minha decisão- A boa.

  Ranpo- Bem, a noticia boa é que eu não precisei do meu poder pra achar as provas do crime - Ele dá um sorriso.

  S/n- E a ruim?

  Ranpo- A noticia ruim... É que eu não faço ideia de quem é o assassino... - Ele diz olhando para baixo.

  S/n- O-o que? Isso... Não é p-possível certo?- Ela fala começando a chorar- Você sempre consegue descobrir quem é o culpado, não é Ranpo?  N-não é?

 

 

 

C

O

N

T

I

N

U

A


Notas Finais


Me digam se gostaram nos comentarios por favor TwT


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...