História O caçador número um - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Visualizações 1
Palavras 4.403
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção, Luta, Magia

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Primeira história de minha autoria por aqui.

Capítulo 1 - O renascimento de um caçador


Fanfic / Fanfiction O caçador número um - Capítulo 1 - O renascimento de um caçador

Jogador número 1

Essa e história de como eu me tornei o caçador número um em um mundo de tecnologia e magia. Levi, o caçador número 1.

No ano de 2005 apareceu em nosso mundo torres, de tamanhos e formas variados, sim torres. Elas apareceram num toque de Mágica.

Ninguém soube explicar o que era esse fenômeno até alguém adentrar a uma dessas torres, a primeira pessoa a entrar em uma torrre foi Ryuzaki Nakamoto na Coreia do Sul, ele ficou desaparecido por 2 dias mas um dia retornou, ele estava diferente ao falar com a mídia ele falou coisas incríveis e a mais incrível delas foi revelar que ao entrar nessas torres era possível adquirir poderes, ninguém acreditou nessa fala até criar uma bola de fogo em suas mãos diante das câmeras.

Então a corrida pelas torres comecou, várias pessoas em várias partes do mundo começaram a sair de suas casas e entrar nessas torres sem nem pensar duas vezes mas devido a problemas com as recompensas e remunerações foi criada várias associações.

Todas as torres contém um nível de perigo e dentro delas contem recompensas inimagináveis como poderes mágicos, para adquirir seu poder era necessário entrar em uma torre e passar pela última porta que normalmente era protegida por um rei, antes de chegar ao rei é necessário derrotar seus lacaios ou passar por eles até o próximo salão. Reis são como chefes finais dos jogos, eles protegem os tesouros finais.

Ao derrotar o chefe ou passar pelo portão final o baú de recompensa fica diante de você, ao abrir e dado a você sua recompensa.

No seu primeiro baú vira seu primeiro poder, ele definirá qual será sua habilidade, magia, força, agilidade ou suporte. As associações são divididas em três, magos, guerreiros, corredores e suporte.

Sobre os níveis de perigo, são divididos em 1,2,3, 4 e 5, o nível 5 nunca foi aberto em nosso mundo, são apenas especulações de que monstros desconhecidos uma vez sairam de uma torre que desapareceu em seguida, foi necessário 4 guerreiros, 2 magos e 3 corredores para matá-lo, desde então o nível 5 nunca mais foi mencionado. Sendo o nível 1 mais fraco e por aí vai.

Desde então, pessoas que arriscam suas vidas nessas torres começaram a ser conhecidas como caçadores, pegando seus prêmios nos finais e caçando monstros lá dentro, quanto mais monstros e chefes você derrota mais poder e itens valiosos são dados a você, e por último, armas do nosso mundo não atingem os monstros das torres, é necessário matéria prima das próprias torres para fabricar armas e ser utilizada contra os próprios ministros.
Já é o ano de 2022, hoje eu irei me juntar a um grupo para adquirir meu primeiro poder, grupo era eu Marcos e Matheus. É normal em toda torre de nível baixo haver grupos que são formados para facilitar, estamos confiantes na nossa primeira torre, tínhamos uma adaga feita de dente de lobo de sangue e uma espada feita a partir de rocha luminosa além de luz tínhamos força ou quase isso o pai de Marcos que nos emprestou essas coisas, ele era um caçador de torres nível 2. Eu estava tão ansioso pra entrar na torre que o dia anterior eu não dormi fiquei pensando em qual poder iria vir para mim às 7 da manhã eu já estava de pé e de mochila pronta.

Minha mãe é contra eu me tornar um caçador após meu pai nunca mais ter voltado de uma torre mas isso dá dinheiro em níveis mais altos e também precisamos de dinheiro. Ela entende que eu quero algo melhor pra nós, mas também entende que isso é perigoso e eu também entendo mas a situação fala mais alto. Tomei meu café e me despedi da minha mãe, antes de ir ela me abraçou forte como se não fosse me ver mais rm seguida respirou fundo e me entregou um pingente e uma adaga com sua lâmina vermelha ela disse que o pingente ia me ajudar caso algo desse errado, o pingente tinha uma pedra de cor esverdeada com vermelho eu não sabia o que aquilo fazia porque  para ver a tributos de uma item adquirido em torre e necessário ter um poder então eu apenas coloquei no pescoço e guardei a faca e depois, dei um abraço nela e com um sorriso eu saí de casa. Eu, Marcos e Matheus nós encontramos próximos a torre. Torres são dividas em andares ou níveis, cada andar ou sala sendo um inimigo mais difícil ou apenas mudando o tipo de inimigo. A torre que íamos era de nível 1, padrão para novatos, havia muitas pessoas ali, mas cada portão de torre leva pra lugares diferente se você e seu grupo entrar na porta e ela for fechada, uma nova torre surgirá em seguida na próxima porta que abrir, ao terminar toda a torre um portal próxima dela vai abrir para você sair. Estávamos preparados, com comida, água e armas, éramos três para uma torre nível 1, normalmente são 5 ou 6 pessoas sem armas específicas para torres mas tínhamos armas então fica mais fácil. Antes de entrar vimos que uma garota corria em direção ao portão que havia sido aberto por um grupo eles não à esperaram e muito menos olharam pra trás, apenas entraram sem olhar pra trás, se fechou, ela se sentou em frente ao portão e começou a chorar eu e meu grupo fomos até ela pela também estava ali para adquirir o seu primeiro poder, já entendi, o grupo dela era de família nobre e tinha até pessoas de níveis mais alto, então ela seria só mais um peso morto, eles estavam com ela apenas para dar poções.
Ela realmente estava abalada por não ter mais um grupo então convidamos ela pra fazer parte, vimos suas lágrimas se transformarem em felicidade, todos nós nos apresentamos, inclusive ela, seu nome era Isabelle com ela tinha só uma espada quebrada e algumas poções, foi isso que ela nos disse afinal, ia ajudar.

Entramos na fila pra entrar na torre, mesmo sendo uma torre de nível baixo varias novatos por dia estavam ali saindo e entrando ficamos maravilhados pelas pessoas que saiam de lá com seus poderes, ficávamos cada vez mais animados a cada portal de saída que aparecia, chegou nossa vez, respiramos fundo e entramos, o portão atrás de nós se fechou, estávamos dentro o local era grande, muito grande, dizem que apenas torres de nível acima de 3 são grandes assim mas não deve ser nada. Todos pegaram as armas e já deixaram em mãos os primeiros inimigos eram larvas pequenas e verdes, elas eram lentas mas tinham ácido em suas bocas não atiravam longe mas ainda podia machucar e até matar, com a minha faca matei duas e o resto mataram os outros
a Isabelle não tinha empunhando sua arma ela estava carregando uns potes, acredito que ela vá se tornar uma suporte. Continuamos andando para o próximo salão, nele havia alguns esqueletos que utilizavam uma espada enferrujada e quebrada, olhamos uns para os outros e seguimos em direção aos inimigos, eu desviei de um mas não vi que havia outra espada vindo na minha direção não tinha como voltar e defender

-D-de onde você veio?!

Mas ele morreu logo em seguida pela espada de Marcos escolhi bem meu grupo, no final havíamos limpado aquele salão e seguimos para o próximo, ao abrir o portão ficamos com um pé atrás, não tinha ninguém lá, olhamos todos os cantos da sala mas adentramos da mesma forma, a porta atrás da gente se fechou, começamos a ficar um pouco nervosos mas espera, sem monstros e com uma leve brisa em um local fechado?

-Que droga, esse é o salão do chefe

Todos olharam para mim rapidamente. Gritei para Isabelle jogar potes de vida para todos, ela meio desajeitada tira três potes e joga pra cada, após cada pegar o pote um redemoinho começa a se formar no meio da sala, tochas são acesas do redemoinho aparece uma luz azui que soltavam uma fumaça era chefe, sem dúvidas mas ele era diferente a aura dele parecia ser mais forte que qualquer coisa, isso deve ser normal, afinal é o chefe do local e também é nossa primeira torre, respiramos fundo e seguramos a nossa arma bem forte.
O chefe era uma mistura de mago com cavaleiro, vestia uma armadura e segurava um cajado com uma pedra vermelha cravada no mesmo ele levantou o cajado na nossa direção e soltou uma magia, eu consegui sentir apenas o vento passar do meu lado, não tive tempo nenhum para uma reação. A magia fez um corte no meu rosto mas não me acertou

-O quê?

Matheus: -O que aconteceu?

Uma explosão mágica emergiu atrás de nós e todos foram jogados longe

Marcos: -Que droga foi essa?
Matheus:-Esse é o poder de um chefe de nível 1?
Isabelle:-Estão todos bem?

Essa velocidade de ataque não era normal, sei que era o chefe mas tinha algo errado, está diferente das histórias dos novatos que eu escutei.

-tsc

Isabelle: -Os potes, usem!

Seu voz ecoou pelo local e todos utilizaram o poção.

O mago se virou em direção a Isabelle, ele estava marcando a suporte, ou o que representava um suporte no grupo. Ela havia sido jogada um pouco mais longe que nós, e não sei se a arma que ela tinha seria capaz de pelo menos defender algum golpe. Peguei minha adaga e não consegui em pensar em mais nada a não ser correr em direção a ela, mas afinal, o que eu faria mesmo se chegasse até ela? Ele se preparou pra mais uma magia e lançou, pulei em direção a ela utilizando a minha arma para tentar refletir o ataque com um mínimo de sucesso nós fomos jogados para longe mas a adaga não deixou que fossemos mortos de imediato, quando olhei pra lâmina da minha arma ela estava negra, isso era magia de nível alto, nada pra uma torre de nível um!

Isabelle: -Magia de corrupção? Isso... Isso é possível aqui?

Levi: -Como assim?

Isabelle:-Esse tipo de magia só é de chefes de torres nível 3 ou mais

Um frio correu minha espinha até minha cabeça

Matheus: -Não baixem a guarda aqui!

Gritou Matheus do outro lado da sala.

Marcos: -A gente ainda pode sair daqui se chegarmos a sala do tesouro, só precisamos cruzar esse desgraçado.

Isabelle estava em meus braços, havia arranhões no seus braços e em seu rosto, seus olhos estavam com medo, eu estava com medo, eu estava com medo de morrer ali.

Me levantei e ajudei Isabelle a se levantar, o mago se preparou para uma nova magia batendo o cajado no chão, era magia de invocação, do chão começaram a surgir mortos-vivos.

Levi: -Podemos chegar na sala do tesouro ainda.

Isabelle: -Certo

Antes de tentar nos corremos em direção aos outros ela segurou meu braço

Isabelle: -Talvez com isso tenhamos alguma chance

Ela tirou da sua bolsa um frasco e uma pedra com runas estranhas.

Isabelle: -A runa cria guerreiros de sombra para distração e a poção é utilizada pra invisibilidade

De onde essa garota veio? Mas isso talvez salvaria nossas vidas, um morto vivo surgiu do nosso lado, foi o ponta pé pra cruzarmos a sala.

Corremos em direção aos outros, foi difícil por conta de ter muitos e eu estava desarmado, a única coisa que fiz foi empurrar os inimigos, eu sabia que eles estavam em um patamar diferente e que talvez um arranhão seria suficiente pra me matar.
Conseguimos, Marcos e Matheus estavam do outro lado da sala desviando dos íngua, eles estavam cansados, todos nós recuamos.

Matheus: -Precisamos de uma distração pra sair daqui!

Levi: -Tivemos uma idéia, mas temos que ser rápidos

Mostrei a pedra e o frasco, expliquei sem detalhes o que cada um fazia e fomos rápidos, cada um deu um gole na bebida, eu fiquei por último mas não bebi

Isabelle: -O que você tá fazendo?
Levi: -Não se preocupe comigo, eu sei o que tô fazendo, vocês vão saber o que fazer
Matheus: -Ei cara, não morra tá legal?
Marcos: -Vamis estar preparados

Me afastei de todos e corri para o outro lado gritando e empurrando outros mortos, o mago ainda continuava parada sem ação, acredito que ele já sabe que não temos muitas chances de sobrevivência.
Juntei uma grande quantidade de inimigos em mim a ponto de ficar cercado, então rapidamente toemi um gole da poção e joguei a pedra próxima, sombras de caçadores surgiram, algo em torno de quatro ou cinco mas eram apenas sombras, tudo o que faziam eram apenas atrair a atenção de inimigos. Como a poção foi dívida seus efeitos foram reduzidos então não demoraria para passar a invisibilidade.

Quando percebi todos já estavam. Pretendo para a porta, se você faz parte de um grupo e os mesmos utilizarem algum efeito e notável por membros do grupo.

Comecei a correr em direção a porta, realmente tínhamos uma chance, enquanto corria eu cruzei meu olhar com o do mago, seu olhar era de sede de sangue e carregava a morte em seus olhos, um medo correu em mim mas não parei de correr.

Os outros estavam próximos da porta, eu estava a alguns segundos. Matheus se jogou na porta e ela foi aberta, as sombras de distração sumiram, os inimigos ainda estavam desorientados até se voltarem para a porta que foi aberta, todos já estavam dentro da sala apenas estavam me aguardando, quando cheguei na porta olhei pra trás para uma última observada e então vi uma flecha negra voando em minha direção, foi em fração de segundos mas ela cruzou a Greta da porta e pegou no meu ombro e em seguida desapareceu, isso deve ser magia para cortar os efeitos da invisibilidade, todos olharam para mim assustados mas tínhamos pouco tempo para qualquer coisa

Os efeitos passaram e o baú estava no meio da sala, ela estava em um pedestal, não tivemos tempo para olhar mais a local, corremos para o baú, eu estava ficando cansado bem mais rápido mas consegui chegar até lá.

Todos colocaram a mão no baú e abrimos juntos, de dentro pularam vários orbes voadores brilhantes, era eles, as habilidades que tanto lutamos pra conseguir. Cada habilidade veio pra um de nós, tudo o que deveríamos fazer e absorver com as mãos, todos conseguiram exceto eu.

Levi: -O quê?

Quando olharam pra mim ficaram em choque, eu não estava entendendo até ficar sem forças pra ficar em pé e me apoiar no baú para não cair.

Marcos: -Cara... O seu braço.... O que aconteceu?

Quando olhei para meu braço havia marcas negras que estavam crescendo cada vez mais, Isabella colocou as duas mãos na boca segurando as lágrimas e assustada, Matheus olhou pra mim sem reação.

Levi: -Por que estão olhando assim pra mim? Eu.... Eu tô bem tá legal, é só uma magia idiota

Após terminar de falar eu caí no chão, já não havia forças pra continuar em pé, todos me ajudaram a sentar no chão.

Levi: -Lá atrás você disse algo sobre... Sobre magia de corrupção não é?

Isabelle: -Sim mas, mas, não era pra estar aqui, isso tá errado, não era pra ser assim!

Aquela droga de flecha, minha vitalidade estava indo embora e minha voz já estava ficando cansada de mais.

Levi: -O que... O que essa magia faz?

Isabelle: -Ela mata lentamente o usuário caso não seja purificada por um suporte de nível alto...

Levi: *Risada cansada*, que droga, e pensar que era minha primeira torre... eu não tenho mais chance nenhuma né?

Isabelle: -A-alguma poção que tenho d-deve resolver, só preciso procurar

Ela começou a mexer na mochila desesperada, no fundo ela sabia que não tinha nada que ela poderia fazer, os outros estavam se segurando pra não chorar. Eu já sabia o final disso, levei minha mão até seu braço que procurava algo desesperadamente, ela olhou pra mim rápido.

Levi: -Saiam daqui, vocês já tem o que queriam, o que busc... Buscavam

Todos ainda estavam sem reação e as lágrimas não foram contidas, ela segurou minha mão forte, pensar que ela me conheceu hoje e está agindo como se me conhecesse a anos, acho que ela seria uma ótima amiga.

Levi: -Eu cuido desse lugar sozinho, eu só preciso descansar um pouco tá legal

Ninguém respondeu, ficamos em silêncio por alguns segundos. O portal já estava pronto para ser utilizado.

Levi: -O portal tá logo ali, não sejam idiotas de jogar essa oportunidade fora

Marcos: -Calado seu idiota, a gente ainda pode te tirar daqui!

Levi: -Mesmo que me tirassem, não há suportes de níveis alto lá fora, eu apenas morreria em outro lugar, não se preocupem comigo

Matheus: -Que droga cara... Não era pra ser assim

Matheus apertou o punhal de sua arma e se virou, sei que ele não queria me ver nesse estado, as marcas já estavam tomando parte do meu pescoço chegando ao meu rosto.

Levi: -Eu já disse pra saírem daqui

Marcos apertou a mão e tocou no ombro de Isabelle, ela olhou para ele com lágrimas nós olhos e sabia o que isso queria dizer.

Marcos: -Vamos embora...

Isso apertou meu coração mas esse era o final da história, ela me abraçou forte e se levantou, Marcos se abaixou próximo a mim e olhou em meus olhos

Marcos: -Foi mal cara, sabe que eu não queria que terminasse assim

Ele me abraçou também e se levantou, Matheus não queria aceitar, quando se virou dava pra ver que ainda chorava um pouco, mas veio até mim.

Matheus: -Não era pra ser assim, éramos o grupo dos melhores caçadores não?

Levi: -Não me faça chorar aqui tá legal

Matheus: -Ainda vamos realizar o sonho de ter nosso próprio clã, ele será o maior desse país e faremos questão de colocar uma estátua sua dizendo o quão maneiro você é

Ele realmente não quer aceitar

Levi: -Isso seria bem legal *risadas cansadas*

Matheus: -Tsc, desculpa mano, mas sei que você é forte até nessas horas, não vai ser de muita utilidade pra mim depois daqui então fica com isso.

Ele me entregou sua arma, se levantou bem rápido e se virou para não mostrar seu rosto triste. Todos foram para o portal de saída, Matheus do primeiro, Marcos segundo e Isabelle ficou por último, antes de passar pelo portal, cruzou seu olhar com o meu como um último olhar de despedida e então atravessou, o portal ficou ali, aberto para o nada, portais tem um tempo até se fecharem, e quando se fecham não tem como sair mais, isso garante que monstros não saiam sempre. 

Os monstros começaram a bater na portão, olhei para a lâmina da espada que estava na minha mão, meu rosto estava com as marcas que iam ficando mais fortes, respirei com dificuldade e coloquei a ponta da espada no chão e me levantei utilizando todas as forças que eu tinha, enquanto eu estava em pé o poder veio novamente até mim, eu não conseguia absorve-lo por conta da corrupção, ele estava diante de mim mas eu não poderia fazer nada.

Levi: -Eu só queria que tudo isso terminasse normal é conseguisse pegar você 

O portão foi aberto pelos mortos, eles começaram a entrar, eram muitos, se eu conseguisse tocar em algum seria sorte, então entrou o mago, os mortos então pararam e ficaram atrás dele, ele olhou para mim e levantou seu cajado em minha direção, três chamas negras rodearam o cristal do seu cajado e então ele lançou uma flecha que  atravessou a bolha de energia que estava diante de mim e em seguida atravessou meu peito, essa agora doeu, doeu o bastante pra me fazer cuspir sangue, soltei a espada imediatamente e cai sentado novamente, o poder começou a me rodear e eu o absorvi, minha visão começou a ficar turva e a última coisa que lembrei foi do rosto da minha mãe então levei a minha mão no pingente que ela me deu.

Levi: -Agora você vem? Coisa idiota desculpa... M...Mãe

Fechei meus olhos lentamente até perder a consciência. 

"Poder da pedra utilizado"

"Poder adquirido"

"Poder impossibilitado de ser utilizado"

"Poder corrompido"

"Erro no sistema de poderes"

"Poder com erro"

"Primeira habilidade corrompida  ▓▓"

"Utilizar mesmo assim?"

"Sim/Não"

"5 segundos restantes"

-O quê? Estou morto? 

Ao olhar para os lados não via nada além de escuridão

"4 segundos restantes"

-Que droga é essa? 

"3 segundos restantes"

-O que é isso?! 

"2 segundos restantes"

Tá legal! Eu aceito isso

"Habilidades aceitas, sua nova classe de poder é ▓"

"Classe corrompida"

"Portador da classe com níveis críticos de vida, habilidade de emergência serão ativadas"

-Habilidades de emergência? Afinal de contas o que é isso?! Que tipo de brincadeira é essa

"Corrupção absorvida"

Eu abri meus olhos novamente, eu já não estava cansado, meu braço já não estava com as marcas e meu corpo parecia que tinha recuperado toda vitalidade

-Mas o que?

Olhei para minha mão em busca das marcas mas não tinha da nada mesmo, lembrei dos inimigos ao olhar pra cima de novo eles estavam diante de mim mas agora não estavam parados, os mortos vivos partiram para cima.

Levantei rápido sem dificuldades e peguei a espada, não sei se isso faria diferença mas eles haviam me cercado já, não tinha como correr para o portal mais.

Eu senti meu braço se mexer sozinho, minhas pernas se mexeram sozinhas, já não tinha controle sobre mim mesmo, isso era pra ser normal?

Minha mão se abriu jogando a espada fora, ainda com a mão aberta uma adaga negra se formou, uma fumaça negra começou a sair da arma, eu estava em posição de batalha, senti meu corpo ficar leve o suficiente pra planar por ali, minhas pernas se preparam e meus braços ficaram em posição de ataque. Não vou fazer isso né? Em uma fração de segundos cruzei com vários e vários inimigos passando a lâmina no pescoço de cada um, o corte era tão limpo e rápido que nem mesmo os inimigos percebiam, a única coisa que ficava para trás era a sombra da lâmina, vários mortos caíram no chão e desapareceram, eu olhei pras minhas mãos totalmente espantado.

-Eu fiz isso?

Meu corpo se preparou de novo e cruzei o salão várias vezes, em todas elas derrubando mais e mais deles, sempre como um raio deixando apenas o fantasma da lâmina até sobrar somente o mago.

Ele começou a jogar várias e várias flechas negras, era fácil desviar de todas, pareciam que estavam lentas agora, o que aconteceu comigo? 

Magias eram jogadas em minha direção mas eram fáceis para desviar agora, então meu corpo mais uma vez partiu para cima, as flechas foram jogadas em direção a mim mas com a adaga eram cortadas ao meio ou apenas batiam na lâmina e eram desviadas.

Em alguns segundos eu estava próximo o bastante do mago para dar o golpe final mas ele utilizou uma explosão para me afastar, isso seria um problema, pulei para longe, a explosão era forte de mais para chegar perto, em minha outra mão surgiu uma nova arma, uma nova adaga, virei as lâminas para baixo e me preparei novamente e parti para cima.

Cruzei de novo todas as flechas mas agora era mais fácil por conta de duas armas, quando cheguei próximo o suficiente mirei em seus calcanhares e joguei as duas lâminas em cada um dos calcanhares, foi mais rápido que a habilidade de explosão, ele quase caiu mas se apoio em seu cajado, soltou um rugido e ativou a explosão de novo, mas agora estava ainda mais fácil.

"Habilidade dança da morte podem ser utlizadas agora"

-Habilidade dança da morte

Foi o que meus lábios disseram antes de uma névoa negra cobrir todo o local, mas eu conseguia ver tudo o que estava diante de mim, conseguia ver claramente cada ponto daquela sala, mas o mago parecia desesperado e cego então várias lâminas de várias partes da névoa começaram a ser disparadas, viam de todos os lados, eram cravadas em todos os pontos do corpo do mago, uma das facas cruzaram a névoa e quebram a pedra do seu cajado, ele estava inútil agora, magos sem seus catalisadores eram fortes, mas precisavam de tempo para lançar suas magias sem eles. Então eu desapareci em meio a névoa, ela serviu como um portal, quando reapareci estava diante do mago, segurei forte minha adaga e antes que ele fizesse algo cortei sua cabeça fora. 

A nova desapareceu em seguida, as armas desapareceram também, meu corpo era meu novamente, pisquei várias vezes e cai ajoelhado ali enquanto apoiava as duas mãos no chão, minha respiração estava ofegante mas eu não me sentia fraco, então aquela frase apareceu diante de mim novamente

"Portador com vida acima de 80%"

"Habilidade de emergência desativada"

Eu tentei ignorar pois o portal já deveria estar quase no ponto de fechar, levantei rápido e corri para ele, ele realmente estava pronto para fechar, corri o bastante e consegui atravessar. Do outro lado ele havia sido aberto atrás da torre, eu deitei alí mesmo agradecendo por estar vivo até ouvir alguém gritando, não demorou pra várias pessoas virem até mim.

Desconhecido: -Voce é o garoto que estava na torre de nível 4?!

Levi: -Torre de nível 4?

Desconhecidos: Deve ser ele

Eles me ajudaram a levantar e me levaram até os outros grupos, havia mais gente ali do que antes de entrarmos.

-Levi?! 

Gritou uma voz no meio das pessoas

Uma pessoa saiu da multidão de gente que tava ali, era a Isabelle, em seguida saíram Marcos e Matheus

Todos eles me abraçaram forte a ponto de machucar

Levi: -Gente... vocês tão me deixando sem ar

Isabelle: -C-como? Como você saiu de lá

Ela tocou no meu rosto virando-o de um lado e do outro procurando as marcas e virou meu braço em seguida mas não encontrou nada

Isabelle: Como isso é possível? Espera, como você saiu de lá? Precisamos levar você pra um caçador suporte imediatamente

Levi: -Não precisa, eu tô bem não tá vendo?

Isabelle: -Precisamos teevar até um suporte do mesmo jeito

Marcos e Matheus pularam em mim chorando como duas crianças.

Marcos: -Pensamos que havíamos te perdido, mas a gente sabia que você era forte o suficiente pra sair de lá 

Matheus: -Ficamos torcendo pra você sair de lá 

Um caminho foi aberto e um caçador surgiu do meio das pessoas, ele parecia ser importante, ele se aproximou a olhou em minha direção.

Desconhecido: -Vocês são os jovens que adentraram a uma torre de nível 4?

Levi: -Nivel 4? Como assim?

O espanto foi visível no rosto de vários e vários caçadores e pre caçadores que estavam ali, afinal de contas essa torre era para iniciantes não para caçadores profissionais.

Desconhecido: -Precisamos conversar um pouco.




Notas Finais


História incompleta por enquanto, caso tenha alcance ou eu tenha tempo estarei fazendo sua atualização.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...