História O Cálice do Desejo e a Divindade do Amor - III - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Saint Seiya
Personagens Afrodite de Peixes, Julian Solo, Kanon de Gêmeos, Mascára da Morte de Câncer, Miro de Escorpião, Mu de Áries, Poseidon, Saga de Gêmeos, Saori Kido (Athena), Shaka de Virgem, Sorento de Sirene
Tags Kanon X Atena, Kanon X Saori, Milo, Milo X Atena, Miro X Saori, Mu X Atena, Romance, Saga De Gêmeos X Saori, Saga X Atena, Saga X Saori, Saori X Kanon, Saori X Milo, Saori X Miro, Saori X Mu
Visualizações 127
Palavras 1.638
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Fantasia, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 8 - A Companhia


Fanfic / Fanfiction O Cálice do Desejo e a Divindade do Amor - III - Capítulo 8 - A Companhia

Mansão Kido

Na sala de estar, eu colocava o assunto em dias junto com o Afrodite, expliquei sobre os detalhes das escolhas do casamento que ele graças aos deuses adorou! Ele me contou da sua primeira vez que foi maravilhoso e especial, como nós dois já esperávamos que fosse, Mask era um doce com qualquer um, mas quando se tratava do Dite ele se superava!

(Afrodite) – E assim, como você, minhas roupas não sobrevivem aos ataques dele!

Sorri.

(Atena) – Pelo menos, vale apena cada peça rasgada.

Ele sorriu.

(Afrodite) – Sim, e como valem!

(Atena) – Estou tão feliz por vocês!

Nos abraçamos.

(Afrodite) – Obrigado, desejo a mesma felicidade que estou vivendo para você!

Encostei as costa no sofá e olhei para os olhos azuis-celestes de Dite.

(Atena) – Igual não tem como... tenho um relacionamento nada convencional Dite, mas não tenho do reclamar, sou muito feliz com meus amados!

Dite pegou na minha mão.

(Afrodite) – Você sabe melhor que ninguém, que eu a apoio em tudo que fizer não é?

Confirmei com a cabeça.

(Afrodite) – Nunca pensou em ter um relacionamento tradicional? Em casar-se e ter alguém para chamá-lo de seu e você ser somente dele?

Respirei fundo.

(Atena) – Uau! Para ser bem sincera, tem menos de dois meses que descobri sobre desejo, sexo, paixão e amor... não pensei nisso, e nitidamente pelo rumo da minha vida, são coisas que provavelmente eu não terei, Dite...

Dite sorriu para mim e alisou minha mão.

(Afrodite) – Querida, amo a todos os seus cavaleiros escolhidos, ou quase todos... mas, temo que esse tipo de relacionamento uma hora não seja o suficiente para vocês, e provavelmente levará ao rompimento, pense nisso, não quero vê-la sofrer, você fez muito por cada um de nós! E todos nós, sem exceção, só queremos a sua felicidade.

Não tem como eu não lembrar do que aconteceu com o Saga, ele me cobrou exatamente isso a algum tempo atrás, queria um relacionamento tradicional, mas não consigo me imaginar em um.

Respirei fundo.

(Atena) – Acredita que assim como aconteceu com o Saga, os outros podem me exigir um relacionamento tradicional?

(Afrodite) – Para ser bem sincero, eu não sei, só acho que é algo natural, quanto mais amamos, mais queremos esse amor para nós, e por isso acho que o sentimento de exclusividade deva aparecer com o tempo! É claro que são apenas suposições, desconheço algo parecido com o que você vive, mas não quero que sofra por não ter pensado nessas possibilidades!

Passei a mão nos cabelos em sinal de ansiedade.

(Atena) – Eu entendo, Dite, de verdade, sei que esses relacionamentos que eu criei, estão bom demais para ser verdade, mas eu não consigo me ver sem eles na minha vida, entende? Eu amo os quatro... e pensar que teria que escolher apenas um... eu simplesmente não conseguiria...

Dite passou a mão nos meus cabelos.

(Afrodite) – Me desculpe, não queria deixa-la assim, como eu disse são suposições, vamos torcer para tudo ocorra bem! Sabe que pode contar comigo, para tudo!

Sorri.

(Atena) – Sei sim, Dite e obrigada por isso!

(Afrodite) – Vamos mudar de assunto, que história é essa de que o meu marido atrapalhou você e o macho alfa no escritório? Claramente ele não tem o menor senso de sobrevivência!

Caí na gargalhada.

 

Área Externa da Mansão

Perto da piscina, sentados nas cadeiras brancas onde haviam jogado anteriormente, estavam Aiolia, Shura, Milo, Máscara da Morte e Kanon, estavam conversando e sorrindo.

(Kanon) – Porra! Você iria fazer isso comigo???

(Máscara da Morte) – Nonon, não leve para o lado pessoal, foi o Juan que teve a ideia e não eu!

(Shura) – Continua a história, Milo!

(Milo) – Beleza, eu fiquei paralisado quando percebi que era o Saga que estava lá e não o Kanon! O Saga na hora ficou puto da vida e queimou o cosmo para o Máscara da Morte e esse louco teve a brilhante ideia de apontar o dedo para ele e ameaçar jogar as ondas do inferno nele!

Gargalhadas e muitos risos em geral!

(Aiolia) – Que ideia é essa cara???? O Saga já pegou o meu golpe com uma mão só!!!

(Shura) – Isso é verdade!

(Máscara da Morte) – Não custava tentar, né!

(Kanon) – Claramente você tentava o suicídio!

Shura olhou para o Milo.

(Shura) – E como ele está vivo???

(Milo) – O Afrodite apareceu na hora e pediu para ele correr do Saga e ele saiu em disparada pelo corredor da mansão!

Mais gargalhadas.

(Kanon) – Mas o Saga o alcançaria facilmente, isso não explica como ele escapou!

(Milo) – Ele começou a gritar pela a Atena! Atenaaaaaaaaa!

Mais gargalhadas.

(Shura) – Só ela mesmo para conter ele! Ótima sacada!

(Kanon) – De burro você não tem nada, cara!

(Máscara da Morte) – São as vantagens de se ter um casamento de sucesso com uma deusa!

(Milo) – E para finalizar, o Afrodite desceu um monte de tapas no Máscara da Morte e o colocou para arrumar a bagunça que ele fez derrubando as coisas no corredor!

Mais gargalhadas.

Aiolia colocava a mão na barriga.

(Aiolia) – Cara, eu nunca ri tanto na vida, como agora!!!

(Shura) – Queria muito ter visto isso!!!

Máscara da Morte colocou a mão no ombro do Aiolia.

(Máscara da Morte) – Quase ter morrido, valeu a pena se isso te fez sorrir leãozinho!!

Aiolia colocou a mão sobre a mão do Máscara da Morte.

(Aiolia) – Obrigado, me acabei de rir, mas você tem que ter mais amor a sua vida cara!!!! Prefiro você vivo, amigo!

 

Mansão Kido

Depois de almoçarmos em plena harmonia no jardim, no meio da tarde, Máscara da Morte disse que queria assistir um filme com os dois amores da sua vida, e eu claramente disse sim! Ele escolheu o filme, fez as pipocas e trouxe as bebidas. Ele esticou o sofá para ter mais espaço para deitar. Dite estava sentado e ele se deitou entre as pernas dele deixando a cabeça apoiada no peitoral do amado, olhou para mim e sorriu.

(Máscara da Morte) – Tudo certo? Podemos começar?

Sorri.

(Atena) – Se importa se eu chamar o Mu para assistir comigo?

(Máscara da Morte) – Pode chamar o carneirinho, se quiser!

“(Atena) – Mu?”

“(Mu) – Sim, Atena?”

“(Atena) – Se importa em assistir a um filme comigo e os recém-casados da mansão?”

“(Mu) – Adoraria, assistir a um filme com você, meu anjo”

Mu apareceu na sala em segundos, trazendo o seu maravilhoso cheiro de lírios, vestia calça jeans clara e camiseta branca e olhou para mim e sorriu, e olhando para o Dite e Mask os cumprimentou.

(Mu) – Boa tarde, Afrodite e Máscara da Morte.

(Afrodite) – Oi, Mu, sente-se.

(Máscara da Morte) – E ai carneirinho, senta ai que vou dar o play.

Me levantei para esperar o Mu se sentar, ele se acomodou e eu olhei em seus olhos verdes-escuros e sorri, me aproximei do seu corpo e falei baixinho.

(Atena) – Posso ficar no seu colo?

Ele sorriu me mostrando a covinha no rosto que aparecia ao sorrir.

(Mu) – Adoraria que ficasse no meu colo.

Me aconcheguei me sentando entre as suas pernas e fiquei acomodada em seus braços, peguei uma mecha dos seus cabelos e inalei.

(Atena) – Obrigada.

Ganhei um beijo na testa.

Máscara da Morte deu o play e o filme começou.

(Afrodite) – Que filme escolheu, querido?

(Máscara da Morte) – Escolhi o mais longo que vi aqui, são 3 horas e 25 minutos!

Dite sorriu.

(Afrodite) – Escolheu pela duração?

(Máscara da Morte) – Sim, quero muito ficar assim nos seus braços amor! Mesmo que o filme seja horrível, já valeu a pena!

Dite deu um selinho no Máscara da Morte.

(Afrodite) – Tem razão, já valeu a pena, querido!

“(Mu) – Faço das palavras do Máscara da Morte as minhas! Serão as melhores três horas por tê-la em meus braços!”

Suspirei.

“(Atena) – Para mim também, porque estar nos seus braços é a melhor coisa do mundo, Mu!”

Durante o filme, eu deslizava a mão pelos braços fortes do Mu, pegava mechas do seu cabelo macio para inalar o cheiro maravilhoso de lírios. Mu deslizava o nariz pela a lateral do meu rosto e pescoço inalando o perfume da minha pele. Eu segurava o balde de pipocas e ele colocava as pipocas na minha boca.

Dite e eu caímos em lágrimas quando o ator principal morreu congelado por ter deixado a mocinha em cima de um pedaço de  madeira, e quando ela o chamou e ele não respondeu foi muito triste e a mocinha o soltou e vê-lo afundar no oceano foi demais.

(Afrodite) – Pelos deuses, por que ela não deixou ele subir? Nitidamente cabiam os dois!!!

(Máscara da Morte) – Ele não queria correr o risco de arriscar a vida dela, amor... eu faria a mesma coisa por você!

Dite o beijou na testa.

(Afrodite) – Não seja bobo! Para que eu ficaria aqui sem você?

Mu me abraçava mais forte nos momentos de emoção do filme e deslizava a mão nos meus cabelos.

Algo tão simples e extremamente aconchegante em assistir um filme abraçadinhos. Sentir o calor do corpo do Mu, sua pele macia, seu cheiro e seus cafunés, eram maravilhosos!

“(Atena) – Te amo, Mu!”

“(Mu) – Também te amo!”

Beijei a sua mão e ele a minha testa.

O final foi lindo, que bom que ela reencontrou o grande amor da vida dela.

Ouvimos batidas na porta e depois apareceu a dona Carmem, a governanta, informando que o jantar seria servido em instantes e se retirou.

Mask se levantou e pelo jeito também chorou.

(Máscara da Morte) – Temos que fazer isso mais vezes! Adorei!

(Atena)- Eu concordo!

(Afrodite) – Foi incrível, querido!

(Mu) – Sim, muito bom!

Mask pegou na mão do Dite e beijou.

(Máscara da Morte) – Não está mais chateado comigo, não é?  

Afrodite sorriu e se levantou.

(Afrodite) – Claro que não, meu amor!

Dite deu um selinho nele.

(Afrodite) - Se nos derem licença...

(Máscara da Morte) – Tchau minha deusa, tchau carneirinho.

Dite fechou a porta deixando o Mu e eu sozinhos na sala.

 


Notas Finais


Continua...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...