História O Cálice do Desejo e a Trindade Dourada - Capítulo 21


Escrita por:

Postado
Categorias Saint Seiya
Personagens Afrodite de Peixes, Julian Solo, Kanon de Gêmeos, Mascára da Morte de Câncer, Miro de Escorpião, Mu de Áries, Poseidon, Saga de Gêmeos, Saori Kido (Athena), Shaka de Virgem
Tags Atena, Cavaleiros, Milo, Romance, Saga, Saori
Visualizações 50
Palavras 3.353
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Fantasia, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Saga
Avisos: Heterossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 21 - A Discussão


Fanfic / Fanfiction O Cálice do Desejo e a Trindade Dourada - Capítulo 21 - A Discussão

 

Após passar pelas mãos mágicas de Afrodite, Descemos as escadas do andar superior para o térreo. Próximos da escada, me esperavam os três cavaleiros de ouro responsáveis pela minha segurança, dando um passo à frente, meu cavaleiro de 1,82m, vestido de smoking preto, que realçava seus cabelos lilás sobre a roupa, me olhava com seus lindo olhos verdes escuros realçados pelo negro dos cílios espessos, e com um meio sorriso no rosto, a beleza única de Mu era de arrancar suspiros, ele estendia a sua mão direita para que eu pegasse, respirei fundo, inalando seu perfume. Peguei sua mão oferecida a mim, o toque suave de sua pele era macio, ainda com o meio sorriso que eu amava, me perguntou:

(Mu) – Melhor?      

(Atena) – Sim, bem melhor, obrigada, Mu!

(Mu) – Vamos?

Acenei um sim com a cabeça. Colocando minha mão em seu braço, fomos direto para o mini auditório, onde todos já me aguardavam.

Passando pela porta, os três pararam e eu seguiria sozinha para o centro do palco. Todos os lugares estavam ocupados, e apesar de cheio, o silêncio reinava com a minha chegada. Respirei fundo novamente, para absorver mais uma vez o cheiro que me acalmava, não tinha como voltar a atrás, então segui para o palco.

(Atena) – Quero agradecer a presença de todos a este evento, espero poder passar em alguns minutos o nosso belo trabalho de anos de realização por toda a Grécia, e com o apoio de vocês, espalhar essas ações para o mundo.

As palavras fluíram, me lembrei de cada obstáculo que passamos para chegar no resultado final de cada projeto que deu certo, mostrava-lhes as fotos das cidades antes da nossa intervenção e depois dos projetos implantados, consegui passar a importância de cada um e principalmente o quanto eles eram autossustentáveis.

Ao final da apresentação eu já tinha, voluntários, doações das mais diversas e muitos parceiros que investiriam para aumentar o número de pessoas beneficiadas. Eu estava extasiada!

(Atena) – Agradeço mais uma vez a todos, e fico muito feliz em contar com ajuda de cada um de vocês. Convido-os a acompanhar pessoalmente cada um desses projetos, o que mostrei-lhes aqui, não se compara a felicidade que vocês poderão sentir em ver em cada rosto daqueles que foram beneficiados o sentimento de gratidão e de vocês o sentimento de missão cumprida com o próximo! Agora, convido-os a irem para o jardim e se acomodarem, o bufê será servido a poucos instantes, fiquem a vontade e muito obrigada!

Aguardei todos saírem pela grande porta de vidro que dava para o jardim. Respirei fundo, enfim, havia acabado! E foi um sucesso! Olhei para os três homens da minha vida, que estavam na porta de acesso pela casa e sorriam para mim, estavam orgulhosos. Fui na direção deles.

(Atena) – Quero um abraço triplo!!!

Obedecendo me abraçaram todos de uma vez!

(Milo) – Você arrasou nessa apresentação, Atena!!!

(Saga) – Foi realmente um sucesso a sua apresentação!!!

(Mu) – Apresentação maravilhosa, Atena, parabéns!!!

(Atena) – Obrigada, cavaleiros! Sem vocês isso não seria possível!

Já estava querendo me emocionar, me afastei deles, e abanei o meu rosto com as mãos, para que as lágrimas não se atrevessem a vim.

(Atena) – Chega de choro por hoje! Hora de comer, já estamos a duas horas do horário normal da nossa refeição, vocês devem estar famintos! Vamos!

Nos sentamos em uma mesa reservada para nós, no meu lado direito estava Milo, no esquerdo Mu e de frente Saga. Logo fomos servidos, com uma comida que só com o cheiro delicioso abria o apetite.

(Milo) – Hummmm, que comida deliciosa!

(Atena) – E o melhor Milo, é que podem repetir o quanto quiserem, pedi a quantidade suficiente para o triplo de pessoas aqui! Sei do tanto que precisam se alimentar, então, fiquem a vontade!

Milo sorriu para mim, com aquele sorriso puxado que é sua marca registrada, de menino travesso! Estava um arraso de smoking, não era à toa que eu o via sempre dando informações para algumas mulheres na sala, como culpá-las?

(Milo) – Você é perfeita, Atena!!!

Ganhei um beijo no rosto de Milo. E vi Saga mais uma vez queimar o cosmo.

(Atena) – Saga, não ouse machucar o Milo...

Saga afastou o seu prato de perto de si.

(Saga) – Me desculpe, Atena! Mas, perdi o apetite.

Respirei fundo, Saga não estava reagindo muito bem ao contato de Milo e Mu a mim, exatamente tudo o que eu NÃO queria.

Me levantei, os três se levantaram, olhei para Saga.

(Atena) – Milo e Mu, podem continuar a refeição de vocês – olhando para os olhos azuis agora chateados dele, continuei - e Saga eu quero que me acompanhe – como ele hesitou, falei firme - e isso é uma ORDEM!

Sem dizer uma só palavra ele me acompanhou, passamos por algumas mesas, onde algumas pessoas acenavam para mim e eu acenava de volta. Entramos dentro da mansão onde Dite organizava tudo, tenho que dar um prêmio para o meu peixinho, ele era um anjo!

Segui pelo corredor direito, e virei na segunda porta a direita, para entrar na biblioteca, abri a porta e acenei para que ele entrasse, passou por mim e então fechei a porta. Ficando de frente para a mesa de madeira maciça, pedi que ele se sentasse em uma das duas cadeiras, ele se sentou na cadeira a minha esquerda, eu encostei o bumbum na mesa, não queria sentar, fiquei de frente para ele. Olhei nos olhos azuis e com a voz extremamente calma perguntei:

(Atena) – Saga, qual o problema afinal?  E por favor, não me responda mais uma vez que não tem problema algum, porque está claro que temos um problema aqui, e quero saber qual é!

Desviando o olhar do meu, bateu o pé impaciente, se levantou e começou a andar de um lado para o outro, sabia que ele estava processando o que queria me dizer. Passou a mão nos seus cabelos, sinal de nervosismo que eu já conhecia. Parou e me olhou, respirou fundo, e ensaiando uma voz calma, me disse:

(Saga) – Atena, eu não sabia que depois de tudo o que passamos juntos, eu ficaria possessivo em relação a você, mas estou! E muito! Não aceito outro a tocando! Minha vontade é de arrancar qualquer um de perto de você! Eu achava que depois de tê-la, de enfim realizar todos os sonhos que eu achava impossível de se concretizarem, eu estaria liberto de você! Que você pararia de me assombrar!

Se aproximando de mim, colocou seus braços na mesa, um de cada lado do meu corpo, me prendendo no lugar e me olhando nos olhos, continuou.

(Saga) – Eu nunca estive tão enganado, Atena! Não faço outra coisa a não ser pensar em você! De relembrar cada momento em que ficamos juntos, e isso sim é o verdadeiro inferno na minha vida! O que estou passando agora, não se compara em nada com o que eu vivia antes de possuí-la!

Passou a mão em meus lábios, e respirou fundo.

(Saga) – Mas acho que no fundo eu sabia... no dia em que me chamou algo dentro mim me alertava para não aceitar, para não ceder, e eu fui fraco – Deu um murro na mesa - Maldita a hora em que cedi ao desejo de possuí-la!! E agora isso está me matando! Me consumindo!! Isso está acabando comigo!

Se afastou de mim e com tom de sarcasmo me disse:

(Saga) - Então, me desculpe, Atena, se não estou reagindo conforme a sua vontade!

Eu sabia que essa noite seria longa... doeu e doeu muito ouvir isso! Respirei fundo, a última coisa que eu queria era chorar! Mantendo o controle da voz falei:

(Atena) – Saga, eu garanto que a última coisa que eu esperava que você se sentisse era mal depois de ficarmos juntos! Ou pior, se arrependesse de ter ficado comigo ...

Falar essas palavras em voz alta não estava ajudando, mas segurei no meu máximo para a voz não tremer.

(Atena) – Eu pensei que tivesse sido clara quando o chamei para me ajudar naquela noite, e tenho que concordar com uma coisa, quando você me respondeu que não podia ficar comigo, eu deveria ter respeitado a sua opinião e não o fiz, porque eu queria muito ter você comigo, e não estava pronta para abrir mão de você, e fiz de tudo para conseguir mudar a sua opinião...

Droga de lágrimas! Saga, se aproximava de mim quando me viu chorar, fiz sinal para que parasse com a palma da mão aberta, eu conseguiria terminar de falar, chorando ou não!

(Atena) – Eu vivi o inferno que você me impôs, sem questionar, sem reclamar! Aceitei de bom grado tudo o que me fez passar, porque eu vi o seu sofrimento, vi o que EU estava fazendo com você, e achei justo o preço que me cobrou por todo o inferno que você vivia pelo o motivo de não tê-lo chamado antes!

Olhando nos olhos azuis de Saga, que estavam em conflito por eu estar chorando, continuei e disse claramente:

(Atena) – Saga, por VOCÊ eu engoli o meu orgulho, me puni, me ajoelhei por você, implorei pelo seu perdão, implorei para que me possuísse! Fui até a SUA casa, para mostrar o tanto que eu me importava com VOCÊ, queria eliminar o inferno que você vivia noite após noite naquele quarto!

Ficando um palmo perto dele disse firme:

(Atena) – E EU não me arrependo de NADA do que fiz por você! Porque ficar com você, lutar por você, foi de longe a melhor coisa da minha vida, Saga!

Enxuguei as lágrimas idiotas que caiam.

(Atena) – Agora, ouvir você dizer que você está vivendo um inferno PIOR do que aquele que você vivia antes de me possuir ... – fechei os olhos, precisava respirar – te ver assim, por minha causa, é demais para mim! Esse preço que você está me cobrando agora, eu não posso pagar, não me peça aquilo que eu não prometi, não é justo!

Droga de lágrimas insistentes!

Saga passava as mãos nos seus cabelos e me olhava sem saber o que fazer.

(Atena) – Saga, não vou cometer o mesmo erro que cometi com você naquela sala, ao IMPOR a minha vontade sobre a sua, eu o manipulei para que me aceitasse, eu precisava que você aceitasse. Eu pensei que você soubesse o tanto que você é importante para mim, o quão feliz você me deixa, o quão realizada eu fico em seus braços ... – respirei – porque você não consegue entender a importância de Mu e Milo na minha vida?

Me aproximei dele e segurei o seu rosto em minhas mãos, minha voz ainda estava embargada, mas conseguia falar.

(Atena) – Porque te ver assim infeliz, está acabando comigo!

Saga ia falar e eu pedi que não dissesse nada.

(Atena) – Você não tem que me responder isso agora, Saga. Quero que pense! Lembre-se de que assim como você, eu também os amo.

Passando pela porta para sair parei e disse:

(Atena) – Saga, caso não queira mais essa situação insuportável em que te coloquei, gostaria que soubesse que nem naquele dia e nem agora você será substituído... porque simplesmente não se substitui quem é insubstituível. Com licença.

Saí correndo em direção aos fundos da mansão, estava chorando e não queria que ninguém me visse nessa situação. Definitivamente, minha noite deveria estar só começando! Sentei no mesmo banco onde também eu chorava a pouco tempo antes, que ironia! Coloquei minhas duas mãos no rosto e chorei como nunca havia feito antes!

Saga

Retornando para a mesa perguntou:

(Saga) – Cadê a Atena?

(Milo) – Como assim cadê a Atena? VOCÊ estava com ela!

(Mu) – O que aconteceu com ela, Saga?

(Saga) – Você a viu?

(Mu) – Não, pergunto isso pelo cosmo dela! Ela está aflita!

Saga passou a mão pelos cabelos, e olhou para o céu.

(Saga) – Droga!!

Atena

Sentada abraçando os joelhos, ainda chorava, “maldita hora em que resolvi ceder a esses impulsos! É claro que isso nunca daria certo!!!”

Senti uma mão deslizar pelas minhas costas, não precisava olhar, sabia quem era, pelo cheiro de rosas.

(Afrodite) – Mas o que é que estão fazendo hoje com você??? Pelos deuses, não há maquiagem que resista a tantas lágrimas!!!

Ainda chorando olhei para o Dite, o abracei e ele retribuiu o gesto.

(Afrodite) – Deixa eu adivinhar, os motivos das suas lágrimas teriam haver com um ser extremamente possessivo e grosseiro?

Só confirmei balançando a cabeça.

(Afrodite) – Afff, eu disse para você que ele é assim, troca logo ele pelo irmão e pronto!

Tive que sorrir, só o Dite para fazer rir depois de tanto choro!

(Atena) – Ah, Dite! É tão complicado essa situação!!

(Afrodite) – Não vejo motivo para essa complicação de vocês dois! Vocês se querem e isso não basta?

(Atena) – Para ele não basta ... ele não aceita o Mu e o Milo na minha vida...como eu posso abrir mão do Milo? Se tudo começou com por causa dele? E o Mu, pelos deuses! Eu não o mereço! Ele é tudo o que eu preciso e não o mereço ao mesmo tempo!

(Afrodite) – Uau!! Realmente ai complica um pouco as coisas... e o que você vai fazer?

(Atena) – Como ele me disse que está vivendo um inferno com essa situação, eu o libertei de ficar comigo...

(Afrodite) – Minha nossa!!! E o que ele disse? Aceitou? Abriu mão de você?

(Atena) – Eu não sei Dite, eu não tinha emocional para ouvir a resposta dele agora! Só pedi que pensasse e tive que vim correndo para chorar o choro que segurei enquanto falava com ele...

Dite passava as mãos nos meus cabelos enquanto minha cabeça estava em seu peito, fechei meus olhos.

(Afrodite) – Olha, tem coisas que realmente não dá para forçar, e essa é uma delas, só te resta esperar que ele continue com você e aceite os outros dois!

Eu estava conseguindo enfim controlar o choro, apenas as lágrimas escorriam pelo meu rosto. Eu respirava fundo, tinha que retornar para o meu evento, e foi quando senti o cheiro maravilhoso de lírios, Mu se aproximava, cumprimentou o Afrodite e abaixando perto de mim, ficando na posição de reverência, colocou a mão no meu rosto, me fazendo olhar para ele.

(Mu) – Eu sabia que te encontraria aqui... não fica assim ... segure isso.

Me ofereceu um lenço, foi o suficiente para o choro retornar. Dite se levantou e Mu assumiu o seu lugar, eu nem conseguia falar.

(Afrodite) – Mocinha, vou te deixar em ótimas mãos, assim que se recompor me procure, vou ter que fazer milagres em você, novamente!!

Ainda bem que Mu respondeu por mim.

(Mu) – Obrigado, Afrodite! Cuidarei dela!

(Afrodite) – Sei que sim, Mu!

Afrodite nos deixou a sós.

Eu não queria estar outro lugar, nem em outros braços, Mu era tudo o que eu precisa. Passou a mão nas minhas costas e a outra deslizava pelos meus cabelos. Ainda soluçando tentei falar.

(Atena) – Eu... juro ... que ... não ... sou ... chorona ... assim...

(Mu) – Sei disso, Atena! Mas até os fortes precisam chorar e desabafar, e hoje foi o dia em que seu corpo escolheu para fazer isso, você estava sobrecarregada.

(Atena) – Corpo... idiota ....

(Mu) – Só precisa colocar tudo para fora, vai se sentir melhor, após o choro cessar, confie em mim.

(Atena) – Eu ... confio ... Mu

O abracei forte, como eu amava esse homem, tudo nele! Ele beijou o topo da minha cabeça, enquanto me acalentava em seus braços fortes. Suspirei, estava ficando calma novamente, como eu poderia abrir mão desse homem, na minha vida? Já me recompondo, me ergui me sentando, para olhá-lo, como ele era lindo e paciente para me aturar com tanto choro! Olhando em seus olhos verdes escuros  eu disse o que já deveria ter dito a muito tempo, ele merecia saber:

(Atena) – Eu te amo, Mu!

Ele fechou os olhos e o ouvi suspirar. Abriu seus olhos, tocou em meu rosto com sua mão e com um sorriso que mostrava sua covinha, me disse calmamente:

(Mu) – Eu também, te amo, Atena, sempre a amei!

Pelos deuses, como é bom ouvir isso! Parece que o corpo inteiro entrou em estado de paz imediatamente! Meu emocional hoje, não estava me ajudando em nada! Chorei, o que mais podia fazer?

(Atena) – Minha nossa, Mu! Eu não sabia que era tão bom ouvir você dizendo essas palavras!

Ainda acariciando o meu rosto, e com o sorriso mais lindo que ele poderia me dar, me disse:

(Mu)- Eu não queria ouvir mais nada nessa vida, que não fossem essas palavras ditas por você, Atena!

Encostei minha testa da dele:

(Atena)- Obrigada por fazer parte da minha vida, Mu!

(Mu) – Eu sempre serei grato por me permitir participar da sua vida, Atena!

Eu precisava de Mu como precisava do ar, olhando novamente para seu rosto, admirei o primeiro homem da minha vida, em todos os sentidos. Ele era perfeito! Tocando seus lábios com os meus, senti seu gosto doce em minha boca e ele me retribui o beijo, um beijo envolvente, que me fazia querer mais, e eu queria mais, deslizava minha língua na dele, buscando mais do seu sabor, queria saciar a falta desse beijo delicioso. Nossas cabeças viravam tentando achar o melhor jeito de saboreamos um ao outro. Meu corpo sentiu falta disso, do toque, do cheiro, do sabor dele, me implorava por mais dele.

Mu desconectou nosso beijo, e ambos estávamos ofegante, com a sua testa na minha, observei que várias pétalas voavam ao nosso redor, fazendo um lindo espetáculo, peguei uma pétala com a mão. Sorrindo me disse:

(Mu) – Atena ... preciso de um minuto.

Afrodite

(Afrodite) – Era só o que me faltava! Aonde pensa que vai?

(Saga) – Não te interessa!

(Afrodite) – É claro que em interessa, porque se está indo atrás dela, me interessa e muito! Porque não vou permitir que você vá lá e estrague tudo de novo! Ela não precisa de você agora!

Saga olhou com raiva para a Afrodite e disse entre os dentes:

(Saga) – Eu já te disse uma vez para você guardar sua opinião para si!

(Afrodite) – É verdade, mas nesse caso eu vou dizer assim mesmo, nesse momento o Mu está a consolando, e pelo que as flores estão me informando, eles estão indo muito bem obrigado! Ela chegou a soluçar de tanto que chorou! Está vendo essa marca no meu smoking? São lágrimas que ela derrubou por sua causa!

Saga mudou a expressão de raiva para preocupado na hora.

(Afrodite) – Eu já disse para ela que não entendo a relação de vocês dois, claramente a relação de vocês é tóxica, porque quanto mais vocês ficam juntos mais se machucam! E sinceramente, não consigo entender o seu papel na vida dela!

Afrodite aproximou de Saga e com o dedo apontado para ele disse:

(Afrodite) – Eu sei que você é vingativo, já me provou isso, mas não me importo com as consequências do que vou dizer agora, porque VOCÊ precisa ouvir umas verdades!

(Saga) – Calcule muito bem o que você vai me dizer Dite!

(Afrodite) – Tudo bem, só me escute claramente! Eu vi ela e o Milo juntos, são puro fogo! Ela nitidamente é envolvida sexualmente com ele e ele por sua vez se envolve nos desejos que ela tem por ele e se delicia com isso. Já com o Mu, claramente o envolvimento é profundo, emocional, ambos se completam nesse sentido e se entendem muito bem com essa relação. Agora, com você, não faz o menor sentido de você estar na vida dela, porque a função de sexo gostoso está com o Milo, a de reconfortar a alma e o coração dela é do Mu. Qual o seu papel nessa história? Machucá-la? Arrancar rios de lágrimas? Ser o macho dominante?

Saga estava perplexo com o que ouvia:

(Saga) – Afrodite, sai da minha frente!

(Afrodite) - Pois bem, ela está no jardim como pode perceber. Não sei o que dirá a ela, mas saiba que é a primeira e última vez que eu enxugo as lágrimas dela por sua causa! Passar bem! – Virou-se e saiu.

Saga respirou fundo, e ao sair pela porta dos fundos, viu várias pétalas voando próximos a Atena e Mu, e viu que ela sorria enquanto pegava uma pétala com a mão.

(Saga) – Mas que droga!!!

 

 


Notas Finais


Continua...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...