História O Cálice do Desejo e a Trindade Dourada - I - Capítulo 22


Escrita por:

Postado
Categorias Saint Seiya
Personagens Afrodite de Peixes, Kanon de Gêmeos, Mascára da Morte de Câncer, Miro de Escorpião, Mu de Áries, Saga de Gêmeos, Saori Kido (Athena), Shaka de Virgem
Tags Afrodite X Máscara, Kanon X Atena, Milo, Milo X Saori, Miro X Atena, Miro X Saori, Mu X Atena, Mu X Saori, Romance, Saga, Saga De Gêmeos X Atena, Saga De Gêmeos X Saori, Saga X Atena, Saga X Saori, Saori X Saga
Visualizações 130
Palavras 1.894
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Fantasia, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 22 - As Flores


Fanfic / Fanfiction O Cálice do Desejo e a Trindade Dourada - I - Capítulo 22 - As Flores

 

Olhando as pétalas voando, eu sorria, que cena linda! Peguei algumas voando no ar! Esse efeito foi criado por Mu, quando ele se concentrava em mim somente, seu poder de levitação atingia os objetos leves do lugar, adorava isso nele! Incrível!

(Atena) – Que lindo Mu! Adoro quando faz isso! Sei que está concentrado apenas em mim, no nosso momento juntos!

Sorriu com o novo sorriso que fazia sua covinha aparecer. Lindo!

(Mu) – Sim, como eu disse, é difícil me concentrar em outra coisa a não ser você!

Com a concentração voltando ao normal, as pétalas caiam e não mais levitavam. Encostando sua mão macia em meu rosto, me disse:

(Mu) – Fico feliz que voltou a sorrir!

Encostei minha mão na sua e encostando meu rosto em sua mão, fechei os olhos.

(Atena) – Esse é o efeito que você causa em mim, Mu! Não tem como eu não me sentir bem ... você me deixa feliz!

Mu suspirou.

(Mu) – E eu faço qualquer coisa para te ver assim, Atena!

Abri meus olhos e nos olhamos sem trocar uma só palavra, não era necessário, ele estava feliz e eu estava feliz!

Saga

Desistindo da ideia de falar com Atena, Saga resolveu ir para a frente da mansão, e quando cruzava, a porta de entrada, se encontrou com o Milo vindo em sua direção.

(Milo) – Saga, achou a Atena?

Sem olhar para o Milo, continuou andando para a saída, respondeu:

(Saga) – Sim, ela está com o Mu agora!

(Milo) – E ela está bem?

(Saga) – Pelo que eu soube, ela não poderia estar melhor!

(Milo) – Ei, o que você tem? Vocês brigaram?

Saga parou. Olhou diretamente, para Milo.

(Saga) – Você a ama?

(Milo) – Porra!... É claro que sim! Eu sempre fui apaixonado por ela, cara! Como não se apaixonar? Ela é perfeita! Ela é linda! Inteligente! Gostosa! Eu te disse, no dia em que ela nos chamou, que parecia um sonho! ... agora lembrei que você me disse naquele dia que parecia um pesadelo para você!

(Saga) – Exatamente a mesma coisa que eu penso agora!

Saga continuou andando e descia as escadas da porta de entrada indo em direção ao jardim, longe dos convidados, Milo continuava andando ao seu lado.

(Milo) – Eu não entendo como isso pode ser um pesadelo para você?

(Saga) – Sério? Você não se importa que tenha outras pessoas envolvidas?

(Milo) – Ah, tá! Esse é o seu problema então!

Milo sorriu.

(Milo) - É claro que não me importo! Ela foi muito clara quando nos chamou, e tecnicamente nossa função é servir e protegê-la! Então somos um time de três, com o mesmo objetivo aqui, que nada mais é que tentar dar o nosso melhor para que ela se sinta feliz!

Andando pelo jardim, continuaram a conversar.

(Saga) – Você fala como se fosse fácil! Não se pergunta porque ela te escolheu?

(Milo) – Mas é fácil, Saga! Pensa comigo, poderia ter sido qualquer outro cavaleiro de ouro para atender esse chamado, correto? Poderia ser todos os cavaleiros de ouro também, ou de prata, ou de bronze, sei lá! Mas fomos nós, os três, você, Mu e eu, os escolhidos! E para eu estar nesta lista, tenho algo que os outros não tem, e isso é o suficiente para mim! Assim como você, tem alguma coisa que a fez te escolher e não a outro cavaleiro!

Saga parou no meio do jardim, olhou para o céu e passou as mãos nos cabelos.

(Saga) – Eu não consigo racionar como você, Milo!

(Milo) – Eu até te entendo, Saga, de verdade! Se eu olhar pelos seus olhos, você está disputando a Atena, como se nós fossemos os seus rivais, como se você precisasse lutar para garantir o seu lugar ao lado dela, ou como se a qualquer momento você deixasse de merecer esta posição que ela te deu.

Milo colocou a mão no ombro de Saga.

(Milo) – Cara, agora essa é a parte fácil que você não entende! O lugar que ela escolheu para você ocupar na vida dela é unicamente seu! Eu não o substituo, nem o Mu! A minha parte, você não vai conseguir tomar de mim e nem o Mu! Entende? Porque lutar por algo que já é seu? Ou lutar pelo que é do outro?

Milo ficou de frente para Saga e colocou as duas mãos em cada ombro do cavaleiro de gêmeos.

(Milo) – Saga, eu não sei como é a Atena com você, mas de uma coisa eu tenho certeza, é que quando ela está com você, ela está com você! Ela se envolve, se entrega para você, não é?

Saga confirmou com a cabeça.

(Milo) – Porra! Qual o problema então? Se ela se entrega completamente para você, se você se entrega completamente para ela! Ou seja, naquele momento não existe Mu ou eu, ela é completamente sua e de mais ninguém!

Milo de saída deu uns tapinhas nas costas de Saga e sorriu.

(Milo) – Cara, vou te deixar sozinho, sei que é muita coisa para você processar, e espero que vocês se entendam, como eu disse, ela te escolheu por algum motivo, e com certeza você fará falta na vida dela, e a ideia é justamente completá-la!

Saga sozinho, fechou os olhos e respirou fundo.

Atena

Eu o puxava para adentrar no meio do jardim, rodeado de flores lindas e de várias espécies, parei na parte que tinha muita grama e era a parte mais florida do jardim ao redor, como uma praça verde, onde as cores das flores ali eram predominantemente em tons de vermelho.

Eu sentei na grama, e o puxei para sentar-se comigo, ficamos pertinho um do outro, meu joelho esquerdo tocava o seu joelho direito. Eu olhava ao redor, encantada com tantas flores belas.

(Atena)- Amo esse lugar do jardim, é simplesmente lindo!

(Mu) – Sim, muito bonito!

Mu, olhando em meus olhos, se virou para o outro lado do jardim, ergueu sua mão esquerda em direção a uma rosa, se concentrou, e em poucos segundos a rosa branca começou a vim em nossa direção e em outros poucos segundos, a rosa estava na palma da sua mão e ele a entregou para mim.

(Mu) – Para você, Atena!

Peguei a flor, estava encantada com o gesto dele. Esse homem não existia.

(Atena) – Muito obrigada, Mu. Isso foi incrível! Tudo em você é incrível!

Coloquei a flor atrás da orelha. Mu me olhava.

(Mu) – Ficou linda em você, Atena!

Sorri.

Eu queria me movimentar, ficar mais perto dele, mas o vestido não me ajudava. Dando as costa para Mu, e colocando todo o meu cabelo para frente, pedi.

(Atena) – Poderia desabotoar o meu vestido, por favor?

Ouvi um suspiro dele.

(Mu) – É claro.

Mu se aproximou colocando as duas pernas ao lado do meu corpo. E começou a desabotoar os botões da parte de cima, que começavam no pescoço, e desciam para até o final da coluna. Sem a menor pressa, Mu abria um a um dos botões. Eu sentia seus dedos macios tocando a minha pele e seu nariz percorria cada parte que ele livrava do tecido. Após chegar ao final, ele deslizou sua mão abrindo o tecido das costas, subiu até o ombro e deslizou o tecido pelos meus braços. Sua mão descia junto com o tecido para que eu tirasse as mangas e seus lábios macios traçavam um trilha  de beijos das costas até o meu pescoço, me fazendo ter arrepios. Tirei as mangas.

Enquanto ele beijava minha orelha, suas mãos desceram para a parte da frente do vestido, e ele baixou o tecido, deixando meus seios nus expostos. Ainda de costas para Mu, virei meu rosto para alcançar seus lábios e ele me beijou, me fazendo desfrutar do sabor doce de sua boca, me deu um beijo envolvente, que fez minha mão esquerda subir e colocar atrás do seu pescoço, buscando mais do seu sabor. Suas mãos passaram para os meus seios, e seu toque, me fez gemer.

Tirei o restante do vestido e me virei ficando de joelhos de frente para Mu, que estava com roupa demais. Seus olhos percorriam meu corpo completamente nu e os olhos verdes escuros se dilataram.

(Mu) – Você é muito linda...

De joelhos, eu me aproximei dele, e voltei a beijá-lo, minhas mãos tiraram o paletó, abriam os botões da sua camisa, abri seu cinto e sentia sua ereção sob a calça. Estávamos ofegantes. Mu tirou o restante da roupa ficando completamente nu. Ele era lindo! A visão do seu corpo nu, fez meu corpo esquentar além do que já estava. Suspirei.

(Atena) – Você é muito lindo, Mu de áries...

Estendendo o paletó sobre a grama, Mu voltou a ficar de frente para mim, e segurou meu rosto em suas mãos, me beijando, um beijo que eletrizou meu corpo, ele buscava minha língua, deslizando sobre a minha boca e eu fazia o mesmo, queria mais. Me deitando com cuidado sobre o paletó na grama, Mu desconectou o nosso beijo e desceu uma trilha de beijos até os meus seios, sugando cada um, me fazendo arquear em direção a sua boca. Sua mão deslizou por entre as minhas pernas e ele massageava meu feixe de nervos, enquanto dava atenção com a boca aos seios, meu corpo remexia diante do seu toque delicioso, senti seus dedos escorregando para dentro de mim, gemi na hora. Mu suspirou, ao perceber o quão molhada eu estava para recebê-lo.

(Mu) – Atena...

(Atena) – Mu...

Mu direcionou sua ereção para a minha entrada e deslizava para cima e para baixo me fazendo arquear. Ele então introduziu aos poucos a sua ereção, que delícia! Eu queria mais, e arqueei meus quadris em busca de mais, fazendo Mu deslizar completamente para dentro de mim. Gememos juntos. Mu ofegava ao gemer meu nome.

(Mu) – Atena ...

Eu sei que ele precisava de uns segundos para se concentrar, mas eu não daria esse tempo, não tinha nada aqui que pudesse fazer um grande estrago se levitasse e caísse! Puxei seu pescoço, e exigi um beijo te tirar o fôlego e ele retribuiu a altura, ele entendeu a mensagem de não ter pausa. E deslizava devagar mas com muita intensidade dentro mim, fazendo meu corpo se preparar para o meu momento de êxtase! Eu gemia em seus lábios.

Mu segurou meus quadris, e aumentou a intensidade e a velocidade das suas investidas. Seu cheiro maravilhoso se intensificou conforme transpirava. Sua boca sugava a minha, e nossos quadris, acharam um ritmo delicioso. Meu corpo exigia a liberdade, e Mu percebendo o sinal do meu corpo, mudou a inclinação das investidas, atingindo mais fundo e gerando a fricção nos meus nervos sensíveis, foi o suficiente para que eu gozasse, meu corpo liberou a descarga elétrica, fazendo meus músculos o pressionarem.

(Mu) – Atena...

Mu gozou dentro de mim e vi uma chuva de pétalas vermelhas caírem sobre nós, que cena linda! Impressionante como ele fazia isso!

Encostando seu rosto em meu pescoço, respirávamos com dificuldade. Eu deslizava minha mão sobre o seu cabelo.

(Atena) – Que saudades Mu ... você é incrível!

Ainda com o rosto no meu pescoço, disse baixinho:

(Mu) – Você é perfeita, Atena!

Inalava sua fragrância de lírios e sussurrei:

(Atena) – Eu te amo Mu!

Tirando seu rosto do meu pescoço, me olhou sorrindo:

(Mu) – Também te amo Atena!

Me beijou, um beijo doce e calmo.

As pétalas ainda caiam sobre nós, conforme Mu se recuperava, elas desciam fazendo um espetáculo de beleza, igual a ele!


Notas Finais


Continua...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...