História O Caos Em Pessoa - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias Capitão América, Doutor Estranho, Homem de Ferro (Iron Man), Homem-Aranha, Homem-Formiga, O Incrível Hulk, Os Vingadores (The Avengers), Panic! At The Disco, Pantera Negra, Sebastian Stan, Thor, Viúva-Negra (Black Widow)
Personagens Anthony "Tony" Stark, Brendon Urie, Clint Barton (Gavião Arqueiro), Dallon Weekes, Dr. Bruce Banner (Hulk), Feiticeira Escarlate (Wanda Maximoff), James Buchanan "Bucky" Barnes, Loki, Maria Hill, Natasha Romanoff, Nick Fury, Pantera Negra (T'Challa), Personagens Originais, Peter Parker (Homem-Aranha), Sam Wilson (Falcão), Scott Lang (Homem-Formiga), Sharon Carter (Agente 13), Stephen Vincent Strange / Doutor Estranho, Steve Rogers, T'Challa (Pantera Negra), Thor, Visão, Wong
Tags Ariel Barnes, Drama, Revelaçoes, Soldado Invernal, Vingadores
Visualizações 79
Palavras 1.867
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Saga, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hello, people!

Eu sei que eu demorei, mas tenho um bom motivo para isso, e ele se chama trabalhos para fazer e entregar. Tá difícil, viu?

Bom, eu tenho uma pequena notícia para vocês: bom, eu vou começar a postar uma nova fanfic ainda essa semana (só não sei quando, exatamente). Se quiserem acompanhar ela quando ela aparecer, eu avisarei vocês.

Enfim, aqui está um capítulo fresquinho para vocês. Tenham uma boa leitura.

Capítulo 16 - Capítulo Dezesseis


Bucky parou de chorar após ver um grupo de Vigrots se aproximar. A tristeza desapareceu, e a raiva tomou conta de seu corpo, e o mesmo aconteceu com todos ali. Brendon projetou uma energia, mas Dallon o acalmou, segurando seu braço. Stephen respirou fundo, tentando se acalmar.

– Seus filhos de uma... – gritou Bucky se levantando e tentando correr até eles, mas Steve e Tony o seguraram. – Me deixem ir lá!

– E morrer? – perguntou Tony, quase socando Bucky para que ele parasse de tentar ir até lá. – Pense um pouco, Barnes! Acha que a Ariel ia querer isso para você? Ela se sacrificou por você... Morreu por você, para que, no final fizesse essa burrada?

Bucky olhou nos olhos de Tony, e viu que aquilo era verdade. Além de tudo, ele não queria que a morte da filha fosse em vão. Sendo assim, ele parou de tentar sair dos braços de Steve e de Tony.

O líder dos Vigrots se aproximou. Seus olhos avermelhados davam medo em qualquer um que o olhasse. A pele cinzenta e enrugada coberta por um tecido negro e que arrastava no chão. Ele olhou diretamente para cada um dos Vingadores.

– Quem é o líder de vocês? – perguntou ele com a voz rouca. A calma dele era bem visível, o que o tornava mais assustador do que antes. – Quem quer que seja, eu ordeno que se aproxime.

Tony olhou para Steve, que parecia estar completamente assustado com tudo aquilo.

– Você vai ou eu vou? – perguntou Tony com a voz baixa para Steve.

– Teria coragem de encarar ele? – perguntou Steve com o mesmo tom de voz. Tony assentiu. – Vá lá e nos represente. Eu sei que você consegue.

Tony olhou para o líder dos Vigrots e se aproximou dele em passos curtos, mas fortes. O líder dos Vigrots pareceu sorrir ao ver Tony se aproximar.

– E quem é você? – perguntou o líder dos Vigrots quando Tony parou.

– Tony Stark – respondeu Tony com convicção –, o líder dos Vingadores.

Um silêncio ensurdecedor surgiu no local. Steve olhava tudo aquilo sem piscar, assim como Bucky, que ainda acariciava os cabelos do corpo de Ariel, que ainda mantinha a sua temperatura natural.

– O que você quer? – perguntou Tony com a voz fraca. Ainda se recuperava das lágrimas que havia derramado minutos atrás.

– Vocês têm algo que queremos – respondeu o líder dos Vigrots. Ele olhou diretamente para Bucky. – Estão com alguém que estamos procurando há anos.

– E quem seria essa pessoa?

– James Barnes.

Tony se vira e olha automaticamente para Bucky, que pareceu se assustar ao ouvir seu nome. Todos os outros heróis também olharam para Bucky, que se encolheu junto ao corpo de Ariel.

O líder dos Vigrots olhou diretamente para Bucky, mas logo voltou seu olhar para Tony, como se esperasse a sua resposta.

– Nos entregue ele, e iremos embora – disse o líder dos Vigrots. Tony se virou para ele e o olhou com raiva.

– Vocês mataram várias pessoas inocentes... Mataram uma de nós... E ainda querem negociar? – perguntou Tony com a voz alta e grossa. – Acredite em mim, isso piora a sua situação.

– Isso mostra o que acontece quando não nos entregam o que queremos.

– E nós não vamos entregar ele para você.

O líder dos Vigrots sorriu maliciosamente.

– Então vocês irão sofrer por não terem nos entregado ele – disse o líder dos Vigrots. Ele deu as costas e voltou para o seu grupo. Tony também deu as costas e voltou para seu grupo.

– E agora, Sr. Stark? – perguntou Peter para Tony, que o olhou com medo.

– Teremos que lutar novamente – respondeu Tony. – Todos nós. Quem se responsabiliza por cuidar do corpo da Barnes? Porque, se sobrevivermos a isso, daremos à ela um funeral digno.

Todos assentiram. Sam tocou no ombro de Bucky, que se afastou um pouco para que o amigo pegasse o corpo de Ariel. Sam pegou o corpo da garota no colo e se afastou do grupo, indo para um lugar seguro. Ele entrou em um prédio e foi até um local seguro, onde ele deitou o corpo dela no chão com cuidado. Ele viu o ferimento que havia causado a sua morte, sentindo uma tristeza lhe invadir profundamente.

Sam teve a impressão de ter sentido o corpo de Ariel ter ficado mais pesado em certo momento. Ele foi até a janela para ver o que estava acontecendo lá fora, e viu os Vingadores correndo em direção aos Vigrots, que já estavam quase atacando de longe. Algo nele dizia que seria uma batalha sangrenta.

– S-sam? – uma voz sussurrou. Sam se virou devagar e olhou ao redor, não vendo ninguém.

Ao olhar para a porta, viu alguém ali. Era uma mulher, não muito alta. Dava pra ver os cabelos presos em uma trança para o lado, assim como dava para ver que ela usava roupas completamente escuras.

– Quem é você? – perguntou Sam com a voz baixa. Ele pôde ouvir a mulher rir baixinho.

– Sério que não me reconhece? – perguntou ela depois de rir. Ela saiu das sombras, se revelando, e Sam se assustou ao ver quem era, mas ele a reconheceu, mesmo com ela usando a máscara. – Por favor, não faça essa cara.

– Mas era pra você estar...

– Mais tarde eu explico – ela o interrompeu, retirando duas armas de coldres que tinham em suas calças. – Agora, se me der licença, tenho um grupo de Vigrots para matar – ela deu as costas e saiu do prédio, colocando os óculos para completar a sua antiga máscara.

 

 

 

***

 

 

 

Bucky atirava no máximo de Vigrots que conseguia, assim como Brendon tentava acertar o máximo que podia com suas esferas arroxeadas. Ele já sentia seus músculos cederem, e um corte que se encontrava em sua testa e em seu braço ajudavam nisso. Ele se escondeu atrás de uma caçamba de lixo e olhou para Bucky, que se escondeu junto dele.

– Não vou agüentar por tanto tempo – disse Brendon com a voz baixa.

– Nem eu vou agüentar tanto assim – disse Bucky. Ele deu uma olhada, e viu Wanda usando seus poderes em cinco Vigrots ao mesmo tempo. – Escute, nós dois estamos cansados e machucados. Quer lutar até o final?

– Eu nasci pra isso.

Os dois saíram do esconderijo e começaram a atacar da forma que podiam. Bucky conseguiu atirar em vários Vigrots, mas a sua munição acabou logo em seguida. Ele se escondeu novamente atrás da caçamba, olhando indiretamente para os Vigrots. Ele ouviu um barulho vindo de cima da caçamba, logo sendo acompanhado de cinco disparos.

– Precisa de munição, amigo? – perguntou uma voz vinda de cima da caçamba. Bucky automaticamente reconheceu essa voz. Ele subiu na caçamba quase que imediatamente, foi quando viu quem era a dona dessa voz.

Ela se virou, tirando a máscara e revelando seu rosto. Ariel Barnes estava viva.

– Sentiu minha falta? – perguntou Ariel entregando dois estojos cheios de bala para Bucky, que colocou-os nas suas pistolas.

– Muito, querida – respondeu ele sorrindo. Bucky a abraçou de lado. – Sentinela, não é?

– Isso mesmo. E você deve ser o Soldado Invernal.

– Exatamente.

Ariel se soltou de Bucky e pulou da caçamba, pousando no chão e olhando para os Vigrots.

– Ei, babacas! – Ariel gritou. Os Vigrots a olharam. – Olhem quem está viva e inteira!

Os Vigrots se aproximaram dela, e ela atirou em dois deles. Logo depois, ela atirou em mais três, e fez um sinal para Bucky ajudá-la, e ele atirou no Vigrot que iria acertá-la por trás. Alguns dos Vingadores olharam para o local de onde veio o tiro, e eles se surpreenderam ao verem que a Sentinela estava viva.

Depois de alguns minutos, a maior parte dos Vigrots já havia sido destruída. Brendon estava com o braço direito machucado, mas nada que um curativo resolvesse. Ele tocou no ferimento, sentindo a ardência aumentar, mas ele usou sua magia para curar o seu braço. Dallon se aproximou dele. Sua testa estava machucada, mas ele estava perfeitamente bem com aquilo.

 Está ferido? – perguntou Brendon com a voz baixa. – Quer dizer, além da testa.

– Estou bem, mas esse ferimento é apenas superficial – respondeu Dallon. – E seu braço?

– Estou me recuperando. Eu não sei o que aconteceu, mas eu senti uma energia mais forte dentro de mim durante a batalha. Era como se alguém tivesse me dado essa energia, se é que me entende.

Os dois foram se juntar aos outros heróis, que limpavam algumas partes de seus uniformes por conta do sangue que estava presente.

– Eu acho que eu estou delirando – murmurou Steve olhando para um lugar específico.

– Por que diz isso, Capitão? – perguntou Gwen com curiosidade.

Steve apontou para a avenida, e todos viraram o olhar. Lá estava Ariel, caminhando ao lado de Bucky. Ambos carregavam suas armas e também limpavam o sangue que se localizava em seus trajes. Os Vingadores ficaram todos assustados, como se estivessem vendo um fantasma na frente deles. Ela se aproximou em passos largos e sorriu para todos.

– Sentiram a minha falta? – perguntou Ariel com um pouco de sarcasmo presente em sua voz.

Brendon correu e abraçou-a com força, e ela retribuiu.

– Achei que tinha te perdido – disse ele com a voz chorosa.

– Não vai se livrar de mim tão cedo, maninho – disse ela. Os dois se afastaram do abraço. – Temos um problema para resolver com eles – ela apontou para o restante dos Vigrots.

Os dois irmãos seguiram até o centro da avenida, e o líder dos Vigrots fez o mesmo. Nenhum dos gêmeos se assustou ao ver aqueles olhos vermelhos. Eles pararam de andar e olharam diretamente para o líder dos Vigrots.

– Quem são vocês? – perguntou o líder dos Vigrots com a voz elevada e cheia de superioridade.

– Somos filhos de Theresa Gray – respondeu Ariel com a voz alta. Ela percebeu que o líder dos Vigrots ficou um tanto quanto surpreso. – O que vocês querem aqui na Terra?

– Queremos James Barnes. Ele cometeu um crime contra os Aureums.

– O que ele fez para vocês quererem ele à todo custo? – perguntou Brendon.

– Ele matou uma Aureum. A mãe de vocês.

Ariel e Brendon se olharam. Eles sabiam que aquilo não era verdade.

– Sinto muito em lhe dizer, mas ele não a matou – disse Ariel com um pouco de sarcasmo. – Eu vi Theresa Gray morrer. Ela morreu por causa de uma doença. E também eu tenho uma prova de que ele não a matou.

– E que prova seria esta? – perguntou o líder dos Vigrots.

– Está diante dela – respondeu Ariel apontando para ela e para Brendon. – James Barnes é nosso pai. Existe uma prova maior do que essa? Eu acho que não.

O líder dos Vigrots a olhou com raiva. Ele viu nela uma ameaça maior, mas não sabia exatamente como.

– Ele ainda é culpado – disse o líder dos Vigrots. – E nós iremos levar ele.

– Então teremos que impedir vocês – disse Brendon com um pequeno sorriso. Ele olhou para Ariel. – O que acha, maninha?

– Eu vou amar fazer isso! – disse Ariel com sarcasmo.

Ela fez um sinal com a cabeça, e os dois se afastaram, voltando ao seu grupo, o líder dos Vigrots voltou para o seu grupo também. Ariel olhou para os outros heróis.

– O que faremos? – perguntou ela baixinho.

– Só nos resta uma coisa a fazer – respondeu Stephen. Ele olhou para os Vigriots, e voltou seu olhar para Ariel. – Teremos que lutar.


Notas Finais


Bom, aqui estou eu no final de mais um capítulo. E a história está quase acabando. Não quero em despedir da Ariel e do Brendon ainda, mas sei que um dia terei que fazer isso.

Gostaram? Odiaram? Por favor, me digam. Aceito dicas, críticas e conselhos para melhorar a história.

Até o próximo capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...