História O Casamento Prometido (ABO) - Capítulo 16


Escrita por:

Visualizações 39
Palavras 1.662
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, Lemon, Literatura Feminina, Luta, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Desculpem algum erro de ortografia

BOA LEITURA!

Capítulo 16 - Quatorze


 

- meu filhos! como cresceram, estão tão bonitos - diz a rainha Raissa.

- mãe não precisa disso, a senhora nos viu à alguns meses - diz o alfa mais velho enquanto era apertado pela a mulher.

- também senti sua falta mãe - diz o ruivo risonho da atitude da mãe.

- espero que vocês tenham virados homem de verdade - diz o rei Gabriel olhando para os dois com seriedade - andem venham dar um abraço no pai de vocês - diz o mesmo abrindo os braços pros dois rapazes.

- também sentimos sua falta - diz o moreno rindo.

- espero que você tenha mudado mesmo - diz o rei olhando nos olhos do rapaz.

- A ele mudou bastante, ao ponto de nossos últimos dias não brigar com August, que por mim estava mais insuportável que o normal - se intromete o alfa mais novo risonho.

- acho bom entrarmos para o castelo, aliás vocês precisam descansar a viagem de londres para cá foi longa - fala a ômega caminhando na frente.

        Logo os rapazes são recebidos pela a sociedade de Ateulium com saudações e reverências; ao entrarem cumprimetaram alguns criados, principalmente Henrique que antes não tinha respeito com eles estava os cumprimentado.

- pedi para a beta preparar o banho de vocês - diz a rainha saindo do quarto onde ambos estavam.

- tudo bem - respondem.

      Depois do banho de ambos, foram para a sala de banquete,onde foram servidos podendo ter o proveito de sua refeições preferidas. Depois de uma noite longa de conversas fora, cada um se didigiu ao seu quarto para ter uma boa noite de sono.

       Na manhã seguinte, após se vestirem e tomarem o café da manhã; se dirigem a capela para a sua missa. assim que saem, Henrique é chamado por seu pai para conversar, enquanto isso Miguel vai para biblioteca a fim de escrever uma carta para Elisabeth, informando que havia voltado para seu reino.

        O rei ao entrar em sua sala senta em sua cadeira e o mais novo faz o mesmo ao adentrar o local.

- bom, o porque o senhor me chamou? -pergunta o moreno se ajeitando na cadeira.

- quero conversar sobre você, sobre os ocorridos em Londres e...sobre o baile que vai haver em Deleon daqui à alguns dias - dita o rei. Henrique já começa a pensa em tudo que havia passado, as brigas com August.

- falando em baile, o senhor sabia que August foi convidado - fala o moreno lembrando de sua última discussão com o alfa citado.

- August? August de Ezinah? convidado por quem? - pergunta o rei transtornado.

- oras por quem, por Jaspe, parece que aquela ômega é louca, ela mandou o convite para ele alguns dias antes de sairmos de lá - responde furioso, lembrando do que estava escrito.

- mas como soube disso, como Guilherme pode deixar ela fazer isso - fala ainda perplexo com a notícia.

- August é insuportável, ele quer ser mais que eu, então veio dizendo que Jaspe o convidou para o baile - o jovem revira os olhos ao dizer.

- então quer dizer que é verdade sobre suas brigas com ele, por causa de Jaspe? - pergunta o rei, fazendo o rapaz se sentir incomodado por estarem falando sobre isso. o mesmo vira seu rosto demonstrando estar incomodado fazendo seu pai sorrir - pode contar para mim.

- eu não briguei por causa dela, ele me provocou, ele acha que as princesas de Deleon são bobas e aliás Elisabeth se casará com Miguel isso está mais que óbvio para todos, até mesmo para o senhor.

- eu sei que eles trocam cartas constantemente, o próprio Guilherme comentou comigo, mas August lhe provocou como exatamente? estou curioso a respeito disso - fala fazendo o alfa revirar olhos novamente.

- ele esfregou na minha cara que nenhuma princesa irá me querer, sendo ser mentira, mas continuando dizia me por ser um idiota e impetulente, como a própria Jaspe dizia de mim, ou ainda deve dizer - revira novamente os olhos - mas não importa irei pedir desculpas a ela quando formos, era isso que o senhor queria escutar, não era?

- na verdade sim, esperei esses anos todos para escutar isso, eu sei que você mudou, dá pra perceber no jeito que fala e espero que se porte bem no baile, e não ouse falar asneira para nenhuma das princesas - diz sério.

- só não prometo que irei me controlar a dar uns socos em August - sorri com um ar vingativo.

- não invente de fazer nada Henrique, se ele lhe provocar deixe-o falar sozinho e recue.

- vai ser difícil, majestade, pois aquele ser merecia estar preso em um calabouço e não preste a estar no trono de algum reino.

- eu acho que essa sua raiva dele, é outra coisa, aliás ele sabe seu ponto fraco - diz o rei com um sorriso de canto - você não faz a mínima não é? - fala percebendo a cara confusa do rapaz - depois irá perceber, mas até lá tome juízo.

- se o senhor diz - faz reverência e saiu da sala indo atrás de seu irmão o encontrando na biblioteca.

- o que faz aqui? - pergunta vendo o ruivo sentado á mesa.

- o que você acha? fazendo uma carta para Elisabeth, avisando que cheguei - responde o mais novo escrevendo.

- ah...desde quando vocês precisam disso? já à cortejou? já estão casados? -questiona o mais velho sério, tirando sarro do irmão.

- não, mas farei isso tudo, assim que vê ela novamente, por que está me questionando desse jeito, estou fazendo errado? - pergunta olhando para Henrique preocupado.

- não, só que você realmente é um bobo apaixonado - diz rindo do irmão sentando ao seu lado.

- e o que papai queria conversar com você? -pergunta curioso.

- saber se realmente me transformei no que ele queria - sorrir - eu tenho certeza que ele preferia você reinando depois dele e não a mim.

- eu acho que não, ele só queria que você parasse de ser um egoísta - diz o mais novo terminando a carta.

- tanto faz, ele pediu pra não fazer besteira e não falar asneira no baile.

- já entendi o que ele quis dizer - rir - acho mais fácil, você discutir com ela somente pelo o olhar.

- é... vamos montar a cavalo, quero andar vê o quanto as coisas mudou.

- vamos - os dois se levantam e saem rumo ao estábulo.

           Ao chegarem no estábulo, encontrou o alfa que cuidava dos animais do reino.

- irão cavalgar? - pergunta ao reparar os rapazes chegando.

- sim, vir atrás do meu parceiro - sorri Henrique.

- realmente é você Henrique? toda vez que o senhor voltar, estar cada vez mais diferente - fala o homem surpreso.

- meu irmãozinho cresceu, foi isso - diz o alfa mais novo risonho.

- pelo que eu saiba o irmãozinho é você, pois eu sou o mais velho - diz sério,logo tornando a rir.

- vamos pegar os cavalos - caminha o senhor a frente - saibam que eles foram bem cuidados, os dois tomaram o último banho ontem.  Os dois vão até seus cavalos fazendo um leve carinho.

- que saudades amigão, espero que esteja bem disposto, pois andaremos juntos bastante esses dias - Henrique fala acarinhando o pelo marrom do animal.

- vamos ganhar bastantes corridas juntos né pelinho - diz o ruivo fazendo o mesmo que o irmão.

 

                                 ----------------------------------------------------

        

No reino de Deleon a única coisa que se ouve é sobre os preparativos para o baile, a cada dia as jovens experimentam as comidas que seria servido no dia, e vestia vestidos diferentes para decidir qual seria o melhor.

As duas ômegas estavam na sala de visitas olhando alguns tecidos, quando chega uma carta de Ateulium, fazendo Elisabeth abrir um sorriso com os olhos brilhando, assim que pega a mesma senta se onde estava e começa a ler.

 


"Não fique brava, já estou em Ateulium de volta,
ainda não posso ir para ir, pois cheguei a poucos
dias, estou descansando e resolvendo
algumas coisas que meu pai colocou para eu fazer;
logo nos veremos no baile 
você terá surpresas, até"
Miguel de Ateulium

 


 

- ah,tão fofo - suspira a garota de cabelo preto.

- muito cortejador, sinto inveja de você Elisabeth, Miguel estar perdidamente apaixonado por você, enquanto eu não consigo nem um alfa sequer -  lamenta.

         Pois a cada dia que se aproximava do baile, a ômega se afastava do beta que era tão apaixonada, pois sabia que aquela seria a melhor opção, para que ambos sofressem menos. Elisabeth por saber pelo o que irmã passava já iria falar, sendo interrompida pela a irmã.

- o que acha de caminharmos um pouco? - pergunta a mais velha preocupada.

- vamos.

            Depois de terminarem as escolhas dos tecidos das duas, se levantam e começam a caminhar por dentro do reino de Deleon.

- você anda tão tristonha, que até mamãe já percebeu - comenta a mais velha.

- eu sei, eu tento Beth, mas é tão difícil, quando o vejo a minha vontade é de pegar minhas coisas e fugir com ele - responde a morena com a face entristecida.

- espero que esse baile te anime - fala fazendo a outra olhar para si indicando que aquilo não aconteceria.

- se está tentando me animar, esta impossível - responde um pouco irritada.

- eu ainda fico curiosa, porque convidou August? estou com medo de acontecer alguma desgraça.

- estava com raiva, prefiro August do que a Henrique que sempre me odiou, se antes já não gostava de mim, agora é que não gosta - fala a garota revirando os olhos.

- então você se esforçaria a gostar dele?

- eu não disse isso, nos odiamos e pronto e August disse que manterá paz entre nossos reinos.

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...