História O céu é o meu lugar - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias One Piece
Tags Akuma No Mi, One Piece, Tripulação Do Ruivo
Visualizações 21
Palavras 846
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Luta, Mistério, Saga
Avisos: Álcool, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


~Oioi gente.

Eu pensei muito se iria deixar ela completa como uma história originaria, ou criar no universo de One Piece (como eu tinha pensado no começo de tudo), mas eu não aguentei e criei no universo de OP, eu acho que vá ficar melhor assim. Vocês não precisam assistir OP para entender (eu acho), mas irá ter spoilers, como eu irei botar entorno da tripulação do Shanks, você não irá receber muitos spoilers, porque a tripulação do Shanks ainda não foi muito mostrada no anime. E também lembrando que essa personagem foi criada por mim, toda essa história foi criada por mim, nem existe no anime.
Eu pensei também que essa história iria ser uma One-Shot, mas depois de mudar de novo o rumo da história, eu irei AO MENOS com 3 ou 4 eps, isso vai depender se vocês gostarem.
Obrigada por ler. Desculpem os erros ortográficos, é que eu sou bem nova nesse negócio de escrita. Chega de enrolação e vamos à leitura!
A sipnose foi criada pela letra da música da Priscilla Alcantara - Liberdade, logo, logo vocês irão entender o porque que eu botei.

Capítulo 1 - Primeiro


  Yumi-san... Yumi-san... Não vá... Não me deixe, Yumi-san... AJUDE-ME!

 Onde estou? Está tudo escuro e apertado... Não consigo me mexer... O que será que aconteceu? Não consigo ativar minha zoan... Será que devo usar minha Akuma no Mi? O que aconteceu com as minhas irmãs?

 Yumi-san estava conversando com um grupo de homens estranhos, eles usavam balões de vidros na cabeça.

  - Bem-vindos! O que desejam? – Ela gentilmente sorria para eles. Ela fez um gesto com a mão mostrando lugares para sentar.

  Eles sentavam enquanto conversavam com Yumi e minhas “irmãs”.

  - Tenryuubitos... Acho que vou embora daqui. – Vários clientes cochichavam se levantando e indo embora.

  Minhas irmãs tentaram conversar com os clientes, mas eles nem deram ouvidos. Minha irmã Kaina veio até mim.

  - Mahina, o que acha de ir para o seu quarto? Vamos cuidar disso hoje sozinhas, depois falo para Yumi. – Ela fez carinho em meus cabelos.

  Eu concordei saindo de lá, indo para a ponte perto do rio.

  - Yumi-san disse para não usar minha Akuma no mi, ela disse que eu não preciso disso... Mas... Eu quero voar, voar como aquela primeira vez...

   Ativei levemente minha Akuma no Mi, deixando apenas as minhas asas. Comecei a flutuar, abrindo minhas asas, comecei a voar perto das águas logo indo para o céu. Isso é incrível! Sinto-me tão bem...

  Voltei para ponte de olhos fechados com um sorriso em meus lábios.

  - I-incrível! – Me assustei ao ouvir aquele homem, o tal de ‘Tenryuubito’.

  Eu não sabia como sair daquela situação.

  - Bom... Não diga isso para ninguém. – Com olhos ameaçadores eu olhei para aquele homem.

  - Isso foi uma Akuma no Mi... Diga-me como se chama mulher.

  Por que ele acha que eu vou lhe dizer alguma coisa? Eu não estou trabalhando, então ele não é um cliente. Fechei os olhos antes de dizer, mas fui impedida ao ouvir um barulho no restaurante. Corri imediatamente deixando aquele homem sozinho.

  - Ei! Volte aqui! – Ele tentou me segurar sem sucesso.

  Entrei no restaurante, estava tudo quebrado. Fiquei “escondida” observando a cena, vi Yumi, minha senhora estava molhada e com vários restos de comida em seu cabelo. Apesar disso ela estava sorrindo.

  - Perdoe-nos, cliente.

  - O que irá fazer sobre isso? – A garota com balões na cabeça estava furiosa.

 - Keiko. – O outro Tenryuubito olhou para irmã em forma para ela se calar. Ele se aproximou de Kaina. – Eu gostei de você, ótimo, você será minha esposa.

  - Iremos leva-la. – O homem de roupa preta foi se aproximando da Kaina.

  Kaina estava apavorada. Por que elas estão agindo assim?

  - Me desculpe, cliente, mas não posso deixar que leve Kaina. – Yumi disse levando a atenção de todos. Ela tirou seu yukata, ela tinha outra roupa por baixo.

   Ela correu em direção aos  Tenryuubitos tirando uma desbanhando uma espada.

  - Ittoryuu. – Após fazer essa técnica, eles caíram no chão. Logo apontando a espada em direção da garota Tenryuubito.

  - C-com quem você pensa que está apontando essa espada? – ela estava super nervosa. – Chame os almirantes seus idiotas! – Ela chutou os seguranças.

   Eles saíram, Yumi apenas olhou para todos.

  - Meninas... Vocês precisam ir. – As minhas irmãs começaram a chorar.

  Logo ouvimos sons de várias pessoas, e os outros Tenryuubitos começaram a acordar. Eles também ouviram os sons e começaram a rir.

  - Você irá pagar, e ainda vamos levar vocês.

  Yumi olhou para todas, como um sinal para elas irem embora. Elas saíram apavoradas, mas eu não fui. Os marinheiros entraram no restaurante. Eles apontavam para Yumi-san....

- Ei, não a matem, eu quero que a levem. Não posso deixar uma morte tão fácil. – Os Tenryuubitos foram até os marinheiros.

  Eles colocaram algemas em seus pulsos. Por que ela não está reagindo? Por quê? Por quê? Ela olhava várias vezes para o lugar em que as meninas saíram... Será que...

  Eles saíram com a Yumi. Eles estavam indo para a ponte. Eu não conseguia sair do lugar, eu não estava acreditando no que estava acontecendo...

   Tentei correr o mais rápido possível para chegar lá, o barco já estava saindo. O que vai ser de mim sem a Yumi... Ela sempre cuidou de mim...

  Sem pensar duas vezes ativei minha Akuma no Mi, eu nunca tinha visto minhas asas de gavião ficar desse jeito.

  - YUMI-SAN! – Eu gritei tentando voar o mais rápido que conseguia, eu não consigo voar direito. – NÃO ME DEIXE! – lágrimas começaram a sair.

  Ela olhou surpresa, eu vi que ela também chorando. Eu cheguei perto do barco, estendi minha mão para ela.

  - Eu não posso... Perdoe-me por te deixar... Eu amo você e suas irmãs, nunca se esqueça.

    Após ela dizer isso, as algemas apitaram, e explodiu. Com essa explosão, o comandante que estava dirigindo se assustou e o barco se moveu de forma estranha fazendo todos no barco cair. Eu não tinha mais forças para ficar com minha zoan. Pousei no barco entrando em um baú...

 Comecei a chorar, isso tudo não podia ser apenas um sonho? Que acabasse quando eu acordasse... Eu nem sei como sair daqui...

  - Yumi...


Notas Finais


Então? O que acharam?
Eu fiz esse capítulo apenas para falar sobre o que aconteceu para ela estar lá dentro do baú.

Akuma no Mi também conhecido como Fruto do Diabo ou Fruta do Diabo é um fruto místico encontrado no mundo, que dá a pessoa que comer um deles um poder, dependendo do tipo e da variação do próprio fruto.

Os Nobres Mundiais, também conhecidos como Tenryūbito (Dragões Celestiais), são os descendentes direto de dezenove dos Vinte Reinos que estabeleceram o que é agora conhecido como o Governo Mundial.

Aqui eu não fiz uma versão muito ruim dos Tenryuubitos, mas eles são muito mal!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...