História O céu que eu queria ver um dia... - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Esperança de uma flor que morre


Ah, essa sensação. De ter todos os sonhos destruídos e descobrir que sua vida até o momento foi uma mentira. Eu sei bem como é isso.

Desde que descobri a verdade passei a rolar por um desfiladeiro de decepções, e tudo  o que podia fazer era chorar e gritar. Encarei meu destino com lágrimas nos olhos até que me deram uma oportunidade de viver.

Krone. Chamou a minha mama. Você pode escolher morrer como seus irmãos e se tornar alimento para os demônios...ou pode abdicar da sua liberdade e se tornar uma mama como eu.

Eu não lembro qual foi meu raciocínio, mas fui atacada por um turbilhão de pensamentos.

E meus amigos?

Estou sozinha?

Mama não me amava de verdade?

Não há alguém me esperando lá fora?

Eu vou morrer!

Eu não quero morrer.

Esse pensamento me manteve viva deste então 

Os treinamentos que me machucavam começaram e eu não queria treinar - eu não quero morrer.

Para sobreviver eu teria que matar minha oponente. Não posso, é um ser humano! - eu não quero morrer.

Percebi que para sobreviver neste mundo são os outros por mim. Ou eu ou eles, é cada um por si.

E eu não quero morrer.

Por isso, quando me chamaram para ser irmã no gracefield fiquei muito feliz, se não poderia ter uma vida normal, ao menos fingiria ter uma, vida normal, ao menos fingiria ter uma, estaria cercada de crianças que me amariam com todas as forças e as guiaria para crescerem como mamas ou morrerem como produtos de altíssima qualidade.

Mas não foi o que aconteceu.

Isabella não permitia que eu fosse necessária, e eu não gostei disso.

Por isso ajudei as crianças. Por isso trai a confiança dos demônios. As crianças queriam ver o céu do lado de fora - exatamente como eu quando era menor.

E aquilo me inrritou.

Por que eles podiam e eu não? Mas não era hora disso. Ver o céu do outro lado fora um sonho, mas o pisoteei ao buscar ser uma mama.

Eu ganhei a confiança das crianças e parecia estár tudo dando certo... Mas Isabella me descobriu.

Por trás de carta de mama eu sabia a sua verdadeiras intenções... Mas não podia fazer nada 

Agora, aqui estou. O finalmente vejo o que sempre quis.

Enquanto a flor cravada em meu peito suga meu sangue e vou perdendo a consciência só posso desejar boa sorte as crianças enquanto sinto a vida se esvair...

...observando o tão desejado céu do mundo externo.







Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...