História O Chefe - Jikook (a!u) - Capítulo 29


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Personagens Originais
Tags Gay, Hoseok, Hot, Jhope, Jikook, Jimin, Jungkook, Lemon, Livro, Taegi, Taehyung, Taeyoonseok, Vhope, Yaoi
Visualizações 368
Palavras 2.559
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), FemmeSlash, Ficção, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Annyon!
Quero me desculpar pela demora, mas dessa vez nada me impede de publicar os capítulos normalmente :) (autora costuma demorar para pub, certo?! kkkk)
Depois de um tempinho trouxe esse amado capítulo e espero que gostem :)
Não sei se ficou bom, então gostaria que avaliassem ou dissessem o que acharam nos comentários <3
BOA LEITURA!!!

Capítulo 29 - Hot


> JIMIN <

Qual é o problema do Jungkook?

Qual foi a necessidade daquilo tudo?

Não, eu não fiquei magoado com o que Jae disse, mas fiquei confuso e precisava de uma explicação. Não me importo se antes ele realmente tenha sido assim, mas o que importa realmente é o agora. Importa as promessas que ele me fez, e eu acredito nelas. Eu percebi a sua frustração com tudo aquilo, eu não sei o que Jungkook tem contra Jae, mas sei que é algo sério o bastante para deixa-lo assim.

Ele foi grosso e estupido, me puxando de certa forma e todos ao redor estavam olhando. Eu tentava falar com ele, tentava me aproximar, mas ele me ignorava e resmungava alguma coisa. Eu já estava farto e não teria que aguentá-lo daquela maneira, me tratando mal ou me ignorando.

Ele precisava de um tempo sozinho, apenas para reconhecer o que ele fez. Eu já estava com raiva daquilo, que culpa tive?

Ele realmente não tinha que ter me tratado daquela maneira.

[...]

Chego em meu apartamento e ao ligar o celular, vejo as ligações e mensagens de Jungkook.

As ignoro e deito na cama.

Comecei a pensar no acaso do Jungkook ter sido mulherengo, ele teria a coragem de fazer isso novamente?

De fato, com Cynthia foi diferente. Nós não estávamos namorando oficialmente, e obviamente, tudo que aconteceu não foi propositalmente da parte do Jungkook.

E então, ele irá se desculpar ou vai ficar se lamentando de ciúmes?

Eu não irei retornar as ligações e muito menos mandar mensagens, ele simplesmente não pensa antes de agir ou falar.

[...]

Antes de acordar, ouço batidas na porta e o som da campainha.

Vou até a porta e abro a mesma.

[...]

 

 

> JUNGKOOK <

Subo imediatamente as escadas e pego o elevador, chegando logo no andar do seu apartamento.

Toco a campainha, mas não tenho respostas, alguns minutos depois Jimin abre a porta, logo me olhando com uma cara feia.

- O que você quer aqui? – Ele diz.

- Vim falar com você.

- Ah, não estou afim de conversar. Tchau – Ele tenta fechar a porta, mas seguro a mesma, o impedindo de fechar.

- Jimin, por favor. – Ele bufa, abrindo a porta novamente.

- Diga logo. – Ele diz impaciente.

- Posso entrar pelo menos?

- Aish... – Ele deixa espaço para eu entrar. Adentro o ap, logo vendo o cômodo arrumado e perfumado.

Me sento no sofá, Jimin senta logo em seguida.

- É sério Jimin, eu realmente não queria te tratar daquele jeito... Me perdoe, eu estava com raiva. – Digo pegando sua mão, a acariciando.

- Certo, mas que culpa eu tenho? Você por acaso pensa no que faz? Não pensa como eu fico?

- Eu penso em você sim, mas na hora eu só pensava no que Jae disse. – Percebo a raiva em seu rosto, e vejo que o magoei internamente.

- Só porque o Jae ia me chamar para sair? Haha, você acha mesmo que eu iria sair com ele, Jungkook?

- Não Jimin, mas fiquei com medo de te magoar e vim te pedir desculpas.

- Eu confio em você Jungkook, e mesmo com as palavras dele, eu não acredito que você seria infiel a mim. Só não gostei do modo como me tratou, como se eu fosse sua propriedade, me puxando a força. Você viu que todos estavam olhando?

- Pouco me importa se estavam olhando, e sim, você é meu e apenas meu. Não deixarei ninguém te chamar para sair, ou te tocar como eu toco. Desculpa se eu te machuquei, por favor.

- Gostaria de te perdoar, mas pense bem antes de fazer algo, principalmente comigo.

O puxo para um abraço, vendo o loiro ceder aos poucos.

- É estranho ver você me abraçando assim, me abrace com vontade, como você faz... – Digo sorrindo na curva entre o ombro e o pescoço do menor.

Logo em seguida o loiro pula em meu colo, me deitando no sofá e me abraçando forte.

- Que droga, eu não consigo resistir a você Jungkook. – Ele diz me olhando, segurando com uma de suas mãos o meu rosto e a outra contornava meus lábios com o dedo, passando em cima levemente.

- Não resista, Jimin.

O aproximo com a minha mão em sua nuca, induzindo um beijo.

Logo em seguida ele aproxima nossos rostos, encostando nossas testas e me encarando.

O beijo foi calmo a princípio, mas foi se aprofundando na medida que nos aproximávamos.

Sua bunda rebolava vagarosamente em minhas coxas, enquanto sua língua adentrava minha boca e controlava o beijo. Afundo minhas mãos por baixo da blusa e seguro sua cintura, acariciando a mesma enquanto ele rebolava agora em meu membro.

Nossas bocas se separaram e eu tirei sua blusa, deixando à mostra sua pele pálida leitosa, minha boca ansiando para marca-lo.

Jimin se inclinou e me beijou de novo, agora com uma intensidade diferente e com movimentos desesperados. Suas mãos foram para os meus cabelos, os apertando com força e em seguida mordendo minha boca.

- Quero que venha aqui no quarto comigo. – Ele diz depois de se afastar.

O loiro sai do meu colo, me puxando pelas mãos e me levando até o seu quarto.

- Deita na cama, vou pegar uma coisinha.

O olho de relance e deito na cama, observando o loiro pegar algo em seu guarda-roupa.

- Jungkookie-ah, fecha os olhos! – Ele diz com sua vozinha doce, escondendo o que pegou atrás de suas costas.

O olho novamente, estranhando o que pediu. Fecho os olhos e percebo ele se aproximar, ele pega as minhas mãos, e as prende em algo na cabeceira da cama.

- O-o que é isso? – Abro os olhos e o vejo com um sorriso safado no rosto, observando a algema prendendo minhas mãos na cabeceira.

- Eu já estava querendo usá-las há um tempo... Hoje eu terei o controle do seu corpo, hoje comandarei as provocações. – Ele diz sentando em minhas coxas novamente, abrindo minha calça e a tirando juntamente com a box.

- Jimin me solta.

- Não Jungkookie, você vai gostar.

Ele se retira das minhas coxas, ficando em minha frente e tirando suas roupas de maneira sensual, me olhando com certa intensidade. Eu observava tudo em completo desejo de ir imediatamente até seu corpo, o pegá-lo com força e marca-lo até ficar roxo.

Ele vem até mim novamente, seu corpo esbelto nu, se aproximando do meu. O loiro senta em meu quadril, fazendo movimentos por cima do meu membro, enquanto beijava meu pescoço e seguia o caminho até o meu umbigo, dando uma forte mordida seguida de uma lambida.

- J-jimin...

- Quietinho. – Ele se inclina e vai até o meu pescoço, o mordendo com força, beijando a região em seguida.

Gemi em frustração.

Eu não sei se poderia aguentar àquelas provocações, Jimin é o único que consegue ter posse de mim, posse do meu corpo. Eu queria toca-lo, queria segurar suas nádegas com força até meus dedos ficarem marcados ali, queria marcar seu corpo com chupões por toda a região.

Mas aquelas malditas algemas...

Em seguida ele me olha, mordendo os lábios devagar, me provocando.

Seus dois joelhos apoiados na cama, ao lado do meu quadril, enquanto ele sentava lentamente, rebolando. Suas mãos estavam apoiadas em meu tórax. Ele gemia alto, sentindo meu membro roçar em sua entrada.

Ele volta a me beijar desesperadamente. Tomo posse de sua boca, enfiando a língua e mordendo seus lábios, contornando-os com a língua em seguida.

Nos separamos em busca de ar, enquanto ele descia as lambidas até o osso de meu quadril, deixando ali uma mordida, ouvindo meu gemido rouco.

- Jimin, me solta.

Digo ríspido, mas o loiro me ignora e continua o caminho, passando a língua por toda a extensão de meu membro antes de colocar na boca e começar os movimentos.

Jimin começou a empurrar a boca, indo mais fundo, até onde podia. Estoco em sua boca, inclinando o quadril em busca de mais, enquanto o loiro empurrava indo e voltando, ouvindo os meus gemidos de prazer.

Gemi mais alto quando cheguei ao ápice, tentando soltar das algemas freneticamente.

Queria agarrar seus cabelos com força e guiar os movimentos profundamente, mas as algemas não cediam.

Jimin deu uma longa sugada, colocando as mãos, dando uma última chupada na ponta.

Fecho os olhos em delírio apenas para sentir a sensação de prazer se alastrar em meu corpo, enquanto Jimin me masturbava agora vagarosamente.

A lentidão era extremamente torturante, mas era gostosa a sensação. Abro os olhos e Jimin me observava com desejo e cautela, prendendo seus olhos em meu corpo, aumentando os movimentos.

- Ji...min... – Gemi seu nome ao chegar no limite, o líquido se desmanchando na mão do menor, que não ansiou em abocanhar novamente e lamber a extensão.

Fecho os olhos com mais força, a respiração descompassada podia ser ouvida no quarto, enquanto Jimin se acomodava em meu quadril.

Ele passa suas unhas curtas subindo pelo meu tórax até minha clavícula, onde estava meio ferida pelo acontecimento anterior. Ele passa a unha ali, beijando em seguida.

Jimin levanta as mãos, subindo meus braços até minhas mãos e entrelaçando sua mão na minha quando se inclinou para me beijar.

Ele apenas sela nossos lábios, os deixando grudados por um tempo, enquanto me encarava com um olhar diferente, podia perceber que havia algo mais naquilo tudo.

Jimin sentia meu membro roçar em sua entrada e gemia em minha boca, me levando a loucura.

- Eu preciso sentir você dentro de mim.

Ele diz e morde meu lábio inferior, lambendo em seguida.

- Eu quero tocar em você. – Digo com a voz rouca – Quero passar a mão pelo seu corpo e te marcar enquanto te fodo.

Jimin gemeu com as palavras antes de se acomodar em meu quadril e segurar meu membro, logo afundando e sentindo o invadir.

- Por favor...

Eu estava perdendo o controle, isso me deixava frustrado. Tudo que não passava era a vontade de tocá-lo, marca-lo com minhas mãos enquanto o fodo.

- Hoje é a minha vez de provocar.

Jimin falou, sorrindo safado, adentrando toda a minha extensão em sua entrada, repetindo os movimentos.

Ele retira o membro e brinca com a entrada, apenas para enfiá-lo todo novamente e gemer meu nome, tornando os movimentos mais rápidos.

Inclino o quadril e o estoco, vendo o loiro arquear as costas, jogando a cabeça para trás e gemendo longamente. Abaixo o quadril, retirando o membro quase todo de dentro de Jimin e ele desce seu quadril de encontro ao meu, sentando em meu colo. Ele geme novamente, sentindo ir profundamente dentro de si.

A cada movimento do quadril a penetração parecia ir mais fundo. Os movimentos começaram lentos a princípio, ele apenas rebolava em meu colo, logo intensificando.

- Mais rápido.

Inclino para frente, o loiro se acomoda em meu colo, apoiando suas mãos mais fortemente em meu tórax, enquanto aumentava os movimentos.

- E-estou no meu l-limite...

Jimin falou entre gemidos, enquanto subi o meu quadril ao mesmo tempo que Jimin desceu, batendo em seu local certo. O loiro desceu suas mãos pelo próprio membro, jogando o quadril para frente, ainda enterrado pelo meu membro. Arqueei as costas, ouvindo os gemidos longos do loiro, o observando no próprio ápice.

O observo por um tempo, respirando pesadamente e seu peito subindo e descendo. Toda a pele pálida meio avermelhada, as gotas de suor escorrendo pela testa, molhando alguns fios de seu cabelo que ali estavam. As costas arqueadas enquanto ele gemia meu nome e contraiu ao meu redor, me desfiz em sua entrada, empurrando uma última vez mais profundo dentro do menor, fechando os olhos.

Jimin caiu, deitado em cima de mim, ofegante. Nossas peles suadas se misturavam na medida que buscávamos ar.

- Vai me soltar agora?

Ouço a risada fraca de Jimin.

- Hmmm, será?

Ele levanta, sentando em meu colo ainda com meu membro dentro de si, sorrindo fraco.

- Eu poderia fazer tantas coisas ainda...

- Agora, Jimin. – Ele continua rindo, pega a chave na escrivaninha ao lado da cama, me soltando em seguida.

Ele solta as algemas e põe em cima da escrivaninha junto com as chaves. Vejo que meu pulso tinha marcas vermelhas pela força ao tentar me soltar e Jimin tinha um sorriso de satisfação no rosto.

Ele ainda estava em meu colo, me observando com um olhar diferente, sorrindo ao observar cada parte. Ele leva suas mãos até meu rosto, acariciando o mesmo e contornando meus lábios com os dedos. O loiro sobe as mãos até o meu cabelo bagunçado, o penteando para trás. Ele desce suas mãos até os meus ombros, se inclinando e aproximando nossos rostos, colando as testas e me encarando com uma de suas mãos rodeando minha bochecha.

Seguro sua cintura firmemente, ouvindo o gemido do ruivo e o viro para trás, ficando por cima. Passo minhas mãos pelo seu corpo enquanto o loiro mantinha seus olhos fechados, se deliciando com meus toques. Passo minhas mãos pela curva de sua cintura até suas coxas, as apertando e deixando um chupão e uma lambida, vendo a região se avermelhar aos poucos.

Suas coxas estavam entre meu quadril, o rodeando enquanto eu permanecia dentro de si. Subo beijos e lambidas até seu pescoço, tocando seu corpo em uma leve carícia. Deposito um beijo em sua bochecha e nossos olhares se encontram. No olhar do Jimin tinha algo mais que apenas desejo, eu podia enxergar aquilo. Envolvia paixão, mas era irreconhecível seu olhar, era algo alucinante, viciante e além de tudo era perfeito.

Toco o seu rosto acariciando-o, vendo o sorriso luminoso do menor. Selo nossos lábios em um beijo calmo, apenas enlaçando as línguas em uma carícia. Jimin se move em baixo de mim, apertando meu quadril com suas coxas insinuando que eu mova dentro de si.

Ele estava tão entregue a mim e eu não resisto, movimento meu quadril e o estocando lentamente, ouvindo o menor gemer abafado com sua cabeça encostada em meu pescoço. Vou até seus lábios e volto a beijá-lo com cautela, uma de minhas mãos estava segurando sua coxa e a outra acariciava o rostinho corado do loiro. Movimento os quadris com mais intensidade, ouvindo os gemidos mais altos do menor, logo o levando ao ápice. Empurro profundamente e ouço um gemido agudo ao bater em seu ponto, o estoco fortemente de novo e caio em seu corpo.

Suas pernas fraquejaram por um momento, ele tomba sua cabeça para trás com a respiração pesada e a boca entreaberta. O suor escorria pela sua testa. Seus olhos estavam fechados e ele estava com um mínimo sorriso no rosto.

Seu pescoço estava marcado e em uma de suas coxas tinha as marcas dos meus dedos. Ele estava simplesmente perfeito ali. A pele nua e pálida, seus olhos fechados e um mínimo sorriso com a boca entreaberta, deixando escapar o ar.

Me aconchego em seu corpo, encostando minha cabeça em seu peito. Logo sinto o cansaço se alastrar pelos músculos. Sinto a mão do loiro acariciar meu rosto, em seguida sobe para os meus cabelos e ali começa um cafuné.

Sua mão livre fazia leves carícias pelo meu ombro e descia até o braço, fazendo o mesmo percurso com suas unhas curtinhas arrepiando minha pele.

E foi ali.

Ali que eu percebi que eu tinha o meu tudo.

 

 

 

Continua...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


É isso amores <3
Não deixem de ler minhas one-shots e outras fanfics da minha pg, ok?
Durmam bem <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...