História O Chefe - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Madara Uchiha
Tags Imagine Madara, Imagine Naruto, Imagine Uchihas, Madara, Madara Uchiha, Sasuke, Uchiha Madara, Uchiha Sasuke, Uchihas
Visualizações 17
Palavras 1.703
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Luta, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ultimamente os capítulos estão ficando bem curtos. Daqui pra frente vou tentar escrever um pouco mais. Boa leitura!

Capítulo 5 - Ela é a minha mulher


Fanfic / Fanfiction O Chefe - Capítulo 5 - Ela é a minha mulher

Ayame on

Médico- SENHORITA AYAMEEEE!

Me virei com um pequeno sorriso no rosto. Pensei que ele tinha voltado a vida. Mas nem tudo é com nós queremos.

A- O que foi?

Médico- Assine aqui. Se for constatado oficialmente que o Senhor Uchiha Madara morreu, a senhora será responsável por ele.

A- Desmancho totalmente o pequeno sorriso que eu continha em meu rosto- Ok. Pronto!

Médico- Sinto muito senhora Ayame. O senhor Madara praticamente já chegou morto aqui. Me desculpe...

A- Sem problemas- Forço um sorriso.

Sem problemas foi a única coisa que me veio a cabeça. Tem muito problema. E a empresa dele? A casa, os carros os materiais? Muitos problemas. Parece que não tem mais jeito. Agora que me caiu a ficha; Ele realmente morreu. E pensar que eu achava ele um idiota, otário, tudo de ruim. Ah como eu queria que ele estivesse vivo pra mim o dizer o quanto eu o amo.

Chego na casa dele (Sim ele me deu uma cópia da chave da casa dele. Ele confiava muito em mim.) Destruída, chorando novamente. Ali tudo lembrava dele. Tudo tinha o cheiro dele. Eu fui para o quarto do mesmo, deitei-me na cama.

A- Se eu tivesse sido um pouco mais forte, se eu não dependesse totalmente de você meu amor, você estaria vivo aqui comigo...- Começo a chorar novamente, e assim adormeço.

~Sonho~

Xx- Ayame.- Uma voz me chama.- Ayame! 

Aquela voz. Impossível!

A- hã? Q-quem é você?- pergunto me levantando em um lugar claro. Era tão claro que eu não conseguia abrir os olhos

Xx- Eles me trancaram dentro de uma espécie de congelador, para poderem fazer meu funeral... Eu vou morrer.

A- Finalmente eu consigo abrir os olhos e vejo Madara me olhando.- Madara?- Me aproximo lentamente.- Madara!- Falo sorrindo correndo em direção à ele.

M- Você está bem?- Falou sorrindo sem mostrar os dentes.

A- E-eu estou bem!- Eu estava chorando muito não conseguia falar direito.

M- Não temos tempo. Ayame... Eu amo vo...- Acordo com meu telefone a tocar. Era exatamente 3:46 da manhã.

Era Minato. O braço direito de Madara.

Minato- AYAME... AYAME POR FAVOR ME FALE QUE É MENTIRA!- Ele estava desesperado.

A- Não Minato. Não é mentira. Ele morreu mesmo.- Falo deprimida

M- Ah então eu...- Deu uma pausa. Ele começou a chorar.- Eu vou avisar o pess...

A- Não minato- O interrompi.- Ele não pode ter morrido tão fácil assim. EU NAO ACREDITO QUE ELE MORREU! ELE É UCHIHA MADARA! ELE NAO PODE ESTAR MORTO- Falo com o último pingo de esperança que tinha.

Minato- Ok então... Qualquer coisa, me liga. Tchau.

A- Tchau...

O que o Madara quis dizer sobre congelador?- Penso por uns segundos- É claro!

Escovo os dentes, lavo o rosto e pego minha bolsa.

~No hospital~

-Gracias!- Falo agradecendo aos deuses pelo hospital estar aberto. (Autora: TODO HOSPITAL É ABERTO 24 HORAS DUUUR. menos o da minha cidade kkkk!)

A- Falo com a atendente.- Moça eu quero ver a sala em que os corpos ficam antes dos funerais!

Mulher- Nós não permitimos a entrada de pessoas que não sejam os funcionários.

A- Ah por favor! Isso aqui é uma emergência! Tem um corpo vivo lá dentro!

Mulher- Moça isso é impossível. Cada corpo foi checado. Todos estão sem vida, você não entende?

A- Mas...- Fui interrompida.

Minato- Deixe-a entrar, Kushina.

Kushina- Mas...- Minato a interrompeu.

Minato- AGORA!

Kushina- Sim senhor...- Falou revirando os olhos.

Dou um risinho abafado e dou uma piscadela para o Minato e ele pisca de volta.

Kushina- Aqui Senhores. Essa é a sala. Só não toquem nos corp...- Nós escutamos uma voz abafada pedindo socorro.

Madara.

Corro por todos os corredores. Procurando o lugar de onde veio a voz. 

A- Aqui, número 322. (autora: PEGUEM ESSA REFERÊNCIA OTÁRIOS! quem não entender eu explico dps)

Abro e vejo ele. Pele pálida e gélida. Ele estava literalmente quase MORTO.

M- P-por f-fav-vor m-me dêem u-uma cois-sa quent-te...- Falou fechando os olhos.

NÃO! EU NAO VOU TE PERDER OUTRA VEZ! 

Minato- AJUDEM ELE POR FAVOR! Eu vou pegar uma manta, tenho duas no meu carro!- Falou e logo saiu correndo.

Procuro na minha bolsa e acho uma sopa enlatada, que eu sempre levo nos bicos de babá, doméstica, etc. Sempre fico com fome.

A- Por favor onde tem um fogão? RAPIDO!

Kushina- Siga reto e vira a esquerda tem uma cozinha onde nós tomamos café.

Chego lá, coloco a sopa na maior temperatura. 

~2 min~

Nem consigo encostar a mão na sopa. Tive que pegar em um pano que tinha lá.

Chego lá, Madara está tremendo e continua com a pele pálida e o vejo enrolado em 2 mantas. 

Entrego a sopa pra ele, ele toma rapidamente, cara, ninguém iria conseguir tocar um dedo ali.

Ele tenta levantar, mas eu não deixo.

A- Você não vai levantar. Espere um pouco até você se aquecer de novo.

~10min~

Madara já estava novo em folha, já tinha colocado roupas e estava meio gélido mas a cor tinha voltado. 

Ele se levantou, e eu me encostei na parede e fechei os olhos buscando sono, quando sinto braços me rodeando.

Me assusto com o toque repentino.

M- Eu não sei o que seria de mim sem você!- Chega perto do meu ouvido- Eu amo você, Ayame.- E aperta o abraço.

A- Começo a chorar com o que ele falou. Ele disse exatamente o que eu falei a ele quando eu o vi "Morto".- Você me assustou...

M- Não vai me chamar de idiota? -Falou em sussurro e depois rindo.

A- Não... Por que...- Fico meio receosa de falar.

M- Por que...?

A- Por que... Eu... Amo... Você.- Fechei os olhos esperando a risada debochada de quem estava rindo com o que eu acabei de falar.

De repente eu sinto sua boca quente me beijando. Sua língua entrelaçando na minha. Nos separamos por falta de ar. Ele sorri pra mim e me abraça mais forte ainda. 

M- Eu também amo você.- Diz sorrindo.

Minato- NOVO CASAL DA AREAAAAA! MADAYAME EU SHIPPO!- Fala Minato pegando Kushina pela cintura, e ela fica corada.

A- Gente para!- Fico corada.

M- Se você- Aponta pro Minato- Zoar ela - Aponta pra mim.- Mais uma vez. Você MORRE.- Faz um sinal de corte no pescoço pra ele.

Minato- Calma M-madara, foi só uma brincadeirinha!- Fala fazendo sinal de rendição.

Kushina- O senhor sente dores?- Se referindo ao tiro.

M- Me sinto desconfortável, mas nada que eu não consiga aguentar- Ri.

Havia uma sutura (tipo uma costura galerinha) aonde ele levou um tiro.

Depois disso, Kushina receitou remédios para Madara, e nós 3 fomos embora, menos a Kushina, ela teria que terminar o horário dela. Ela é tipo que uma peguete do Minato.

~Em Casa~

Madara on

Depois da "Meia morte" que tive, cheguei em casa destruído. Pois eu fiquei um dia sem comer alguma coisa, só aquela sopa mesmo.

M- Ai ai- Falo me jogando na cama.

A- Você quer que eu faça alguma coisa pra comer?

M- Não, deixa que eu faço.- Eu jamais mandaria ela fazer alguma coisa, ela deve ter ficado muito nervosa e cansada.

Me levanto e vou até a cozinha e encontro o cara que me deu um tiro. 

M- O que você quer aqui?- Falo sério.

Dessa vez ele estava brincando com uma faca afiadíssima.

Xx- Vim matar você mais uma vez, pois a primeira vez não deu certo. Agora eu acerto.- Se levantou e correu na minha direção.

Quando eu fui me mexer, o lugar onde levei um tiro deu uma pontada e eu caí no chão. Quando ele foi pra cima de mim, a Ayame voa na cara dele com a mão fechada em punho.

A- Dessa vez você não vai tirar ele de mim SHANNARO!- E começou a desferir uma sessão de socos na cara dele.

A- Você... Não vai... Tirar ele... De mim...- A cada interrupção ela dava um soco nele até que ele tenta usar a faca contra ela. 

Ela segura a faca com uma mão, mesmo que a mão ao contato com a faca fosse machucada.E a outra ela desferia mais socos nele. Até que ele não fala mais nada, e desmaia.

A- Meu trabalho está feito.- Sai com um lindo sorriso no rosto.

Ela me ajudou a levantar e perguntou se eu estava bem. Que força é aquela?

M- Eu estou bem, obrigado.

A- Deixa eu fazer as coisas aqui, porque você tentou e nao deu certo.- Riu.

M- Eu te ajudo. Você está com a mão machucada. Vai se machucar ainda mais.

A- Como você vai trabalhar amanhã nesse estado?

M- O Minato vai assumir pra mim.- Eu ligo a televisão, e logo após, escuto pessoas gritando em frente a minha casa.

~Noticiário~

Jornalista- Uchiha Madara, famoso por ser chefe da empresa mais famosa de langeries do país, vêm a falência na noite desta quarta-feira ás 9:43. Uma mulher cujo nome Ayame está sendo reconhecida como companheira dele. Não se sabe exatamente o que ela é realmente dele.

Jornalista2- Agora vamos ao vivo na frente da mansão de Uchiha Madara, onde a recém companheira dele mora.

Pessoas começam a bater na minha porta e a tocar a campainha.

M- Ayame, vem aqui.- Falo baixinho.- Você vai fazer o seguinte...

Conto tudo pra ela e subo pro quarto rindo.

Ayame on

Depois que Madara me contou o plano, eu ri, e depois me fingi e saí na porta com a cara de choro.

Jornalista- Como foi saber que o seu companheiro havia falecido? 

Ai eu comecei a contar e blá blá blá.

Até que umas meninas começaram a me difamar.

Menina aleatória- Você matou o MEU madarinha! Você vai ver sua vadia!

Menina aleatória²- Sua vagabunda, você deixou o MEU Madara morrer sua cachorra!

E várias difamações contra mim. 

Do nada uma menina veio correndo em cima de mim pra me bater.

Até que...

Madara on

Eu adorei essa minha ideia. Estava escutando tudo, quando eu escuto:

- Você matou o MEU madarinha! Você vai ver sua vadia!

- Sua vagabunda, você deixou o MEU Madara morrer sua cachorra!

E começou a xingar ela. MINHA MULHER.

Tirei a camisa, pois quase não dava pra ver a sutura, desci com raiva, e vi uma menina voando na cara dela.

Rapidamente eu cheguei atrás de Ayame, coloquei meus braços em cima dos ombros de Ayame e segurei o pulso da garota que iria bater nela.

Todos se chocaram. Alguns começaram a chorar, outros a gritar e outrAs a babar pelo meu corpo. Já estou acostumado.

M- Escutem. Esta daqui- Aponta pra mim- É a minha mulher. Quem ousar difamar, xingar, agredir ou qualquer outra coisa, eu vou atrás dessa pessoa até no inferno se for preciso, e vou punir severamente. Estão entendidos? Agora vão embora! Deixem-nos viver em paz!- Fechei a porta.

A- Uau. 

M- O que foi?

A- Pra que isso tudo?

M- Porque você é a minha mulher.



Notas Finais


DEIXE O LAIKE KEKEKEK


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...