História O Chefe - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Deidara, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hanabi Hyuuga, Hidan, Hinata Hyuuga, Hyuuga Hiashi, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Kakuzu, Kiba Inuzuka, Kushina Uzumaki, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Temari, Tsunade Senju, Yamato
Tags Ecchi, Hentai, Hinakiba, Naruhina, Romance
Visualizações 76
Palavras 1.980
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - Capítulo 1


Duas semanas já havia se passado desde quando Hinata foi contratada pelo empresário Uzumaki Naruto. E ela poderia dizer que estava gostando do serviço. Não era cansativo ( pois como era estagiária, trabalhava apenas quatro horas por dia), o salário era bom e ainda sobrava bastante tempo para aproveitar o dia. 

Ela e Kiba não se tocaram mais desde aquele dia, até porque não tiveram oportunidade. Hinata ficava vermelha só de lembrar do ocorrido.

- Hinata, querida. - Sakura a chamou. - Quero que me ajude com uns emai-ls.

A morena assentiu e fez o que tinha que fazer. Sakura era uma boa chefe, era gentil e paciente, e isso deixava Hinata mais à vontade e com menos medo de fazer alguma burrada e levar um esporro.

Havia mais duas estagiárias ali, Yamanaka Ino e Temari, as duas eram muito amigas e eram super simpáticas com a moreninha.

Hina era a mais nova, tinha apenas dezoito anos, enquanto as outras duas tinham vinte. Já Sakura tinha vinte e seis, o que mais surpreendia as mais novas era o fato da rosada ter duas faculdades tão nova.

- Temari, o sr. Uzumaki está lhe chamando em sua sala. - Avisou Lee, um dos sócios.

A loira levantou sorridente e Hinata estranhou. Será que aconteceu alguma coisa? 

- Ela devia tomar cuidado. - Avisou Sakura. - O sr. Uzumaki é casado. 

Hinata arregalou os olhinhos e finalmente entendeu. Ouvia boatos de que o loiro era um verdadeiro canalha e que só as mais sortudas iam para a sala dele. Mas nunca tinha visto isso acontecer ao vivo.

A morena corou só de lembrar do dia que ficou cara a cara com ele. Achava ele tão bonito e charmoso, com aquela pose de mandão. Tratou de tirar esses pensamentos de sua cabeça, afinal tinha um ótimo companheiro consigo.


No seu horário de descanso, Kiba ia até o trabalho de sua namorada passar pelo menos uns quinze minutos com ela. Estava morrendo de saudades, não ficavam sozinhos há tempos e o único lugar que poderiam ter um pouco mais de privacidade era no estacionamento do serviço dela.

Quando deu seu horário, tomou um banho rápido no banheiro da oficina e se vestiu. Pegou seu skate e foi correndo até lá.

Hinata por outro lado, estava sentadinha no banco esperando seu amado. Não aguentava de ansiedade.

- Oi, meu amor. - Ele disse no ouvido dela.

- Que susto, Kiba! - Riu. 

Ele sorriu e se sentou ao lado dela. Colocou uma das mãos involuntariamente nas coxas dela, fazendo a outra se arrepeiar por inteiro.

Naruto observava a cena pela janela de sua sala, se remoendo por dentro. Não sabia o que estava acontecendo consigo, mas não conseguia parar de pensar naquela garota. E quando o via com aquele moleque sentia um ódio lhe subir à cabeça.

Ele estava ali ao lado dela, a tocando com suas mãos nojentas, e ela sorria. Estava gostando.

Naruto se sentia um merda. Porra! Eu sou um adulto, caralho. Eles são só um casal normal de adolescentes. 

Estava irado, não aguentava mais olhar aquilo. Precisava tomar uma atitude urgente.

No meu estacionamento não vai ter essas sacanagens! É a minha empresa! Eu que mando! E esse filho da puta não vai vir mais aqui.

Ele respirou fundo, molhou o rosto e tentou se recompor. Droga! Esse maldito sentimento estava voltando, essa obscessão. Odiava ser assim, mas não conseguia se controlar. Ela seria dele, querendo ou não.


Hinata subia as escadas sorridentes, estava feliz em saber que os pais de Kiba ficariam fora por um mês inteirinho. A moreninha já havia decidido que entregaria sua virgindade ao namorado, só estava esperando a hora certa.

- Hina, o Naruto está te chamando na sala dele. - Sakura disse com um tom preocupado, como se algo ruim tivesse acontecido.

Hinata sentiu seu coração parar por um instante. O que teria feito de errado?

Andou até a sala apreensiva, tremia com medo de ser demitida, com certeza saíria dali chorando. Bateu na porta e ouviu um "entre", e e pela voz dele, parecia zangado.

- Sente-se. - Pediu firme.

Ela se sentou e cruzou as pernas, nervosa. Naruto olhou fixamente para aquelas coxas gostosas e sorriu maliciosamente. Hinata notou e ficou desconfortável. Não me olhe assim, por favor.

- Sabe, Hinata. - Disse calmo. - Tem duas semanas que você entrou aqui, certo? 

Ela assentiu.

- E desde o segundo dia eu vejo você se agarrando com um macho ali no meu estacionamento. - Não poupou as palavras.

Hinata ficou tão vermelha e envergonhada que abaixou a cabeça, queria chorar. Seu chefe não poderia vê-la chorando, não mesmo.

- Aqui é uma empresa, Hinata, não um prostíbulo! - Cuspiu as palavras com ódio.

- M-me desculpe, senhor...

Ele até poderia ficar com pena da morena. Seus olhos estavam marejados e ela se segurava para não chorar. Queria vê-la chorando... ah como queria.

- Eu deveria assinar sua demissão agora. - Hinata arregalou os olhos.

- N-não, por favor! - Implorou. - E-eu preciso desse emprego, senhor.

- Você quer esse emprego? - Ele perguntou. - Por que?

- Eu...vou começar na faculdade semana que vem, senhor. - Explicou. - E meu pai...precisa de ajuda.

Ele pensou e pensou. Ela era gostosa demais e era uma puta oportunidade. Não demitiria ela de forma alguma, mas precisava pelo menos dar um sustinho.

- Saia da minha sala.


Hinata estava na casa do namorado chorando. Kiba não entendia uma palavra do que ela dizia, mas a consolava. Os dois estavam sentados no sofá da sala assistindo uns desenhos animados na televisão. E a morena só chorava baixinho, nem prestava atenção nos desenhos.

- Amor você está me deixando preocupado. - Ele falou. - Me explica exatamente o que houve.

- O meu chefe brigou comigo. - Falou baixinho. - Por causa de você.

- O que eu fiz? - Perguntou surpreso.

- Ele nos viu, Kiba... no estacionamento.

- Ah...

O moreno não sabia o que falar. Merda! Ele se sentia culpado, não queria prejudicar sua Hina.

- Meu chefe nos viu e me chamou na sala dele. - Explicou. - E agora vou ser demitida!

- Calma, mor. - Ele a abraçou.- As vezes ele só quis te assustar, prometo não ir mais lá. Ok?

Ela sorriu e beijou o namorado. Os dois se beijavam fervorosamente, Kiba em um impulso à botou em colo e depositou suas mãos brutas em seu bumbum branquinho, e apertou.

- Você quer relaxar, bebê? - Ele perguntou malicioso. - Eu te ajudo.

Ela sorriu tímida e assentiu. Já estava mais a vontade na presença do garoto e tinha realmente gostado dos seus toques.

- O-o que quer que eu faça? - Ela perguntou corada e os olhos dele brilharam.

- Você deixa eu escolher? - Mal podia acreditar, seus olhos brilharam. 

Ele pediu que ela ficasse totalmente nua à sua frente. E mesmo cheia de vergonha, ela o fez. Se levantou e deixou o vestido cair de seu corpo lentamente.

Kiba babava...

Ah aquele corpo! Era uma obra prima!

Olhou os seios redondinhos e rosados, a barriguinha saliente e com algumas leves dobrinhas, a cintura fina, o quadril largo junto das coxas gordinhas e macias. Ela era um anjo.

- Se ajoelha, Hina. - Pediu e ela o fez.

Pediu calmamente que ela abaixasse suas calças, e mesmo tímida, ela obedeceu. O membro duro e latejante pulou pra fora e parecia tão convitativo. Nunca havia visto um antes, e o de Kiba era tão bonito. Grande, grosso e com veias saltadas para fora.

O Inuzuka pegou seu membro na mão e bateu com ele no rostinho da namorada, apreciando a cena e fazendo Hinata fechar os olhinhos em deleite. Ele estava molhadinho e espalhava por toda a sua bochecha. Passava em sua boca, nariz, deixando a morena ansiosa. Até que por fim o colocou na boca dela.

- Você deixa eu tirar uma foto? - Ele perguntou.

Era arriscado, sabia disso. Por mais que confiasse em Kiba, sua vida poderia acabar se alguém visse aquela foto, principalmente se o seu pai visse. Mas deixou, só de saber que ele se tocaria olhando sua fotinha  ficava molhada. Mas ele não iria tirar apenas uma foto, ele tiraria várias e de brinde ainda faria um videozinho dela se esgasgando no pau dele. Hina era tão boazinha... deixaria o namorado se divertir.

- Meu amor, olha pra câmera. - Começou a filmar o rosto da namorada. - Abre a boquinha.

Ela chupava com vontade e Kiba gemia em deleite, a boca dela era muito gostosa, macia e quentinha. Lambia a glande do jeitinho que ele pedia e tentava ao máximo por tudo na boca, mas como sua boca era pequenininha, acabava se esgasgando.

O vídeo estava ficando ótimo, ele fazia questão de fazer com que a morena se esgasgasse só para ver as lágrimas saindo de seus olhos inocentes. 

- Boa menina, minha Hina. - Ele gemia. - Posso gozar na sua boca? - Ela assentiu. - Promete engolir tudinho?

Não deu nem tempo dela responder, pois logo em seguida ele gozou forte dentro de sua boca, e ela não teve escolha à não ser engolir tudo. Fez uma careta ao sentir o gosto amargo em sua língua.

- Você tá meladinha, anjo? - Perguntou ainda eufórico pelo orgasmo.

- E-eu...

- Me deixe ver, deita no sofá.

Ela obedeceu e deitou no sofá, abrindo as pernas e deixando sua bucetinha totalmente à mercê do namorado. E de fato, estava pingando. Brilhando de tesão.

- Eu vou te dar prazer, Hina. - Ele disse se ajeitando entre as pernas da garota. - Sou muito bom nisso.

E literalmente, caiu de boca. Lambendo tudo direitinho do jeito que ensinaram a ele. Deixando ela ainda mais melada, prontinha pra receber pau.  Mas se concentraria apenas em dar prazer a sua Hina e a fazer ela gozar como nunca.

Kiba se lambuzava naquela frutinha deliciosa, já sentia seu pau ficar duro, e os gemidinhos da morena tornava tudo melhor. Passou a dar mais atenção ao pequeno botãozinho da menina, venda ela se contorcer por inteira até gozar gostoso em sua boca.

- I-isso... foi gostoso. - Ela disse com o rosto vermelho, e Kiba riu.

- Vamos dormir que temos que acordar cedo amanhã. - Ele disse e assim fizeram.


Na manhã seguinte, Hinata acordou e não viu Kiba ao seu lado. Ele precisa sair mais cedo do que eu, eu devia ter acordado.

O moreno trabalha oito horas por dia em uma oficina mecânica, e ganha o dobro do salário da Hyuuga. Mas a maior parte de seu dinheiro ele guarda, pois sonha em casar com Hina. 

Ela levantou, tomou um banho demorado, passou seu hidratante e perfume favorito. Vestiu seu uniforme que considerava um tanto quanto indecente por conta daquele decote exagerado demais. Colocou seu salto, passou uma maquiagem leve e saiu em direção ao serviço.

Chegando lá, viu Ino e Temari cochichando algo, mas pararam imediatamente quando viram a morena. Hinata estranhou mas decidiu ignorar. Foi até o departamento, sentou em sua mesa e começou o trabalho. 

- Ta tudo bem, Hina? - Sakura perguntou já colocando alguns papéis na mesa da outra. - Preciso que resolva a questão da demissão desse funcionário.

- Eu vou demitir ele? - Perguntou assustada.

- Não! Calma. - Riu. - É a questão da saída dele. - Explicou achando graça no medo da outra.

Sakura notou o quão preocupada Hinata estava, e sabia que possivelmente era por conta do chefe.

- Hina, querida. - Chamou. - Vou te perguntar uma coisa e quero que seja sincesa comigo.

A morena estranhou, mas assentiu.

- O sr Uzumaki te tocou?

-N-não! - Respondeu rapidamente, quase gritando. 

-Bom, não é isso que estão dizendo por aí. 

Hinata quase esgasgoymu com a própria saliva. Estão insuando que eu fiz coisinhas com meu chefe?





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...