História O chefe bonitão - Capítulo 32


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Personagens Originais, Suho
Tags Chanbaek, Clichê, Comedia, Kimseuk, Reencontro
Visualizações 2.382
Palavras 10.542
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Festa, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olha quem voltou???? Depois de duas semanas...
Agora que está no meu período de estresse pelo ENEM, as regularidades de postagens podem ficar mais difíceis. Estou estudando em dobro na etapa final e preciso da colaboração de vocês!!
Espero que entendam!!
Enfim, voltando a história!
Agora voltaremos a história pela visão do nosso querido BYUN BAEKHYUN <3
Vamos ver o que se passou com ele???? VAMOS VER!!!
Capítulo grande, como falei no meu grupo de leitores, porque era preciso, capítulo denso em sentimentos <3 Com detalhes importantes <3
Presenças importantes!
ESPERO QUE GOSTEM E BOA LEITURA!
Links nas notas finais!!!
ps1: o que está em negrito é a gravação.

Capítulo 32 - Haruma e seu plano


Fanfic / Fanfiction O chefe bonitão - Capítulo 32 - Haruma e seu plano

Byun Baekhyun

Peraí. — Haruma ria descontroladamente. — Eu vou mijar nas calças!!! Conta de novo, Jay! Detalhe por detalhe, fala por fala. — estávamos sentados a mesa da casa do meu pai. — Isso é muito brilhante, Chanyeol deve estar subindo pelas paredes. Eu adoro ver isso! Eu pagaria uma fortuna para ter visto essa cena de camarote.

— Baekhyun, eu avisei que esse Haruma é uma terrível influência para você, olha isso! Eu conversei com o Chanyeol e eu vi o quanto ele está devastado e querendo resolver as coisas. — Kyungsoo levantou para ir tomar um pouco de água. — Esse plano doido do Haruma vai acabar com um tragédia, isso sim! — ele virou o copo de uma única vez, olhando com raiva para Haruma enquanto voltava para a mesa. — O Chanyeol está muito arrependido, mesmo que não acredite, você sabe que sim, porque você viu ele falando na televisão abrindo mão de tudo por você. — vejo Haruma segurar o pulso de Kyungsoo, puxando para cima do seu colo. Sabia que Kyung ficou puto, ele sempre estava brigando com ele.

— Kyungsoo, menos. Eu tenho um excelente plano, aguarde! — Kyungsoo levantou bruscamente subindo para seu quarto.

— Carinho, conte o plano novamente! Eu adoro escutar seus planos mirabolantes. — Jay pediu sentando no colo de Haruma.

— O que tinha que acontecer hoje foi o primeiro passo. Você fez um ótimo trabalho, Jay Jay. — ele deu um rápido selinho e eu ri em seguida. — Baekhyun, eu sei que não deve ter sido fácil para você, mas devo dizer que você já arrasou e tenho que te parabenizar por saber usar seu sex appeal ao seu favor. Chanyeol deve estar fazendo um buraco no chão de tanto andar de um lado para o outro em casa.

— Eu ainda estou um pouco indeciso se quero continuar com isso. — eu respondi com sinceridade.

— Não venha andar para trás agora, Sr.Kim Baekhyun. Eu quero o Chanyeol arrastando a porra da Lua na sua direção, eu quero que ele prove com sangue e suor que ele te ama de verdade e está disposto a fazer do possível ao impossível para te ver feliz para o resto da vida. Eu quero que ele reconquiste seu perdão. Eu quero ver até que ponto ele vai para reconquistar sua confiança e você não vai amarelar! Eu preciso ver com meus dois olhos se ele pode te ter ao lado dele de novo. — eu ri daquela reação. Haruma tem sido muito bom comigo esses tempos, ele é um bom amigo. — Jay, você foi ótimo. — ele pegou um copo com bebida. — Hoje foi o primeiro dia do plano perfeito do titio Haruma aqui para a glória de Baekhyun.

— É mesmo divo, meu lindo. — Jay saiu de cima do colo de Haruma, porque esse homem adorava gesticular enquanto fala.

— Plano um. — ele andava pela sala com um sorriso nos lábios. — Você, Kim Baekhyun, chefe de Park Chanyeol, terá a aproximação necessária para que mantenha os olhos sobre as ações desse grandão, além claro de ajudá-lo, porque você tem um bom coração da porra e não consegue vê-lo passando dificuldade. — eu ri e continuei acompanhando com o olhar. — Mas é sério que você já chegou chegando dizendo que iria contratá-lo e foda-se os acionistas?

— Sim. Eu tenho que ousar nas minhas decisões e não quero virar pau mandado na mão deles. Não tenho paciência para ser isso. — Haruma abriu um sorriso.

— Esse é meu Baekhyun que eu criei a base de leite em pó, estou emocionado. — ele voltou a sua expressão dramática. — Chanyeol precisa pensar que você é um novo Baekhyun, aquele que não se importa com ele, que se bloqueou de qualquer sentimento e que só está passando nessa vida para ter curtição. Obviamente, você também jogou umas verdades na cara dele, porque você é direto e sabemos disso. — ele colocou as mãos espalmadas na mesa. — Precisa agir como se nem se lembrasse da existência dele e que continuou sua vida normalmente depois de ter seu coração devastado por um homem, que se tornou um ativo poderoso que manda na porra toda.

— Cara, é muito estranho agir assim. Baekhyun ativo? — eu ri com força. — Eu não consigo não rir com isso. Tanto que depois que eu falei para o Chanyeol descer para garagem, eu tive que ir para o meu quarto dar umas boas risadas. Depois que ele foi embora, me deixando para trás com o conversível, eu também ri, porque ele nunca ficou com esse nível de ciúme. E eu estava com vontade de dar uma boa risada desde o momento que o Jay estava fazendo cosquinha no meu pescoço com a respiração dele.

— Esse carinha é engraçado, dava para ver o quanto ele estava morrendo por dentro por conta da minha manha com o Baekhyun, mas nunca pense que eu tenho olhos para outra pessoa que não seja você, meu Haruma. — Jay comentou e eu ri desses dois, e eu estava com dó, porque logo Jay seria descartado pelo Haruma também, porque ele é um filha da puta muito galinha.

— Chanyeol disse que não vai desistir de continuar te conquistando, ele vai lutar como um verdadeiro guerreiro, samurai honroso! — eu senti um peso no coração, pois quando ele me presou contra o carro, sua aproximação fez meu corpo tremer, o jeito que ele disse aquelas palavras foram o mesmo jeito que ele falava quando estava sério em alguma reunião. Sua seriedade quando queria alguma era assombrosa. Eu a via em seu olhar. — Baekhyun, você precisa continuar com isso, altivo como um macho alfa! Ele precisa mostrar que quer recuperar todos os seus sentimentos. Quero vê-lo colocar sangue nos olhos e garra para merecer meu bebê de volta.

— É muito estranho adotar essa postura, Haruma. Você precisa ver a expressão que Chanyeol tinha pelas coisas que eu dizia, ele sabe que o que eu mostrei a ele, não é o Baekhyun. — eu expliquei e disse a verdade. — Eu me pegando com um cara manhoso em um carro com ele olhando? Isso é muitoooo longe do que eu faria.

— O Kyungsoo conversou com ele, Chanyeol sabe o quanto está magoado com tudo o que aconteceu e ele não sabe o que se passa nessa sua cabecinha louca. Ele acha que você virou outra pessoa, porque simplesmente não quer mais ser usado, mas sim usar as pessoas, você se bloqueou para qualquer profundidade de sentimentos. Ele caiu que nem um patinho, porque senão não teria ficado puto com o jeito que você agiu. — Haruma sorriu para mim. — Nós que estamos convivendo mais com você, eu, Jerry, Kyungsoo, sabemos o quanto você foi machucado por ele e todos nós também sabemos como você ainda ama o Chanyeol, por mais que seu cérebro se recuse a acreditar. — ele ficou próximo de mim, colocando as mãos nos meus dois ombros. — E se você pensa em ser feliz algum dia com ele de novo, ele tem que mostrar a determinação para te conquistar de novo, porque para ele ter uma pessoa maravilhosa como você do seu lado, precisa lutar!

— Obrigado, Haruma. Você tem seu jeito distorcido de dizer as palavras certas. — coloquei a minha mão sobre a dele. — Eu vou continuar com isso, na medida do possível, porque está quase impossível não rir de um Baekhyun comedor. — voltei a rir. — Cara, isso é impossível de levar a sério!

— Use isso a seu favor, baby. — Haruma brincou, passando o dedo pelo meu queixo. — Eu sei que com esse seu rostinho de anjo, você pode levar Chanyeol a loucura. Eu quero te ver rígido, quero que continue com isso e veja o que Chanyeol fará para derreter o tal coração de gelo de Kim Baekhyun! — ele me abraçou pelas costas. — Eu já tive contato com vários tipos de pessoas, Baekhyun. Por isso, eu sei que pessoas como você estão cada vez mais difíceis de encontrar hoje em dia. Quero ter a certeza que estará em boas mãos, além, claro, de poder me divertir um pouco.

— Vou tomar um banho, porque seu mozão deixou seu perfume forte em mim e eu não consigo suportar. — levantei batendo a mão nos meus joelhos. Subi as escadarias suspirando e ao contrário de pegar o caminho do meu quarto, eu fui em direção ao quarto de Kyung.

— Posso entrar? — dei leves batidinhas na porta. Assim que ele autorizou, eu abri a porta e o encontrei sentado olhando a lua pela janela. — Está tudo bem, Kyung?

— Sim, Baek. — ele fez um sinal para que eu sentasse do seu lado. — Quer dizer, mais ou menos. — sentei e ele colocou a mão sobre minha coxa. — Eu não estou gostando do rumo que as coisas podem tomar, Baekhyun. Eu vi o jeito que o Chanyeol conversou comigo hoje, ele entrou em desespero quando eu disse aquelas coisas, você viu o que ele disse na televisão e também escutou a gravação que o Jerry fez. Sabe que ele foi ameaçado e você foi o que ele iria arriscar caso não cumprisse o que a avó dele disse. Ele confiou a história a mim hoje, ele me disse estar muito decepcionado por quebrar a promessa que fez a mim de te fazer feliz.

— Eu sei, Kyung. — eu deitei minha cabeça em seu colo. — Minha cabeça está uma confusão esses dias e hoje foi ápice de tudo. Quando eu o vi sentado na mesa de entrevista, meu coração parou e teve a mesma reação que todas as vezes ele tem quando vê Chanyeol. Ele bate mais forte e eu prendo minha respiração, porque é muito forte a energia que preenche o espaço quando ele está presente. — ele acariciava meus cabelos. — Chanyeol parece diferente, ele está cansado e parece também que ele quer gritar alguma coisa, dizer algo... A imagem que ele passa me deixa um pouco preocupado. No passado, ele foi a minha única opção e eu não quero vê-lo passar qualquer dificuldade agora que eu estou em condições de ajudar. Eu não conseguiria fazer isso nem com a pior das pessoas.

— Baekhyun, eu te conheço para saber que nunca faria isso. — ele olhava diretamente nos meus olhos. — Mas acha mesmo necessário fazer o que esse ser do Haruma está falando?

— Eu estou com medo de arriscar de novo, você sabe disso, mas esse sentimento sempre será mais forte que eu. Quando a gente ama alguém de verdade e constroi com ela uma história é muito difícil de esquecê-la. A Sra.Park estragou esse romance, por ganância de sempre ter mais, de proteger aquilo que logo desmoronaria, entrou em desespero e fez Chanyeol entrar em sua paranoia. — eu senti meus olhos lacrimejarem. — Ver agora, Chanyeol sem nada, ter tirado tudo aquilo de sua vida para tentar conseguir meu perdão, é doloroso. Eu não consigo ser frio desse jeito, obviamente eu disse algumas verdades quando o confrontei, mas ao mesmo tempo, eu estava com vontade de abraçá-lo, mas eu não posso ceder facilmente.

— E é por isso que está seguindo o plano mirabolante do doido do Haruma? — eu ri, essa implicância do Kyungsoo era engraçada. — Eu sei que o Chanyeol está disposto a te conquistar de novo, porque ele te ama, Baekhyun. Eu vi nos seus olhos.

— Eu sei que os sentimentos de Chanyeol nunca podem ser visto como uma simples brincadeira, mas ele já mostrou muitas faces, Kyung. Ele é um ótimo ator e eu tenho que medo que isso seja mais uma vez, uma atuação. Eu quero algo real, eu quero algo tangível. Eu preciso de uma prova que ele queira me fazer feliz e que a sinceridade e a verdade seja a primeira coisa que ele sempre veja quando pensar em mim e me ver.

— Eu sei que é uma pessoa curiosa e quer saber o que Chanyeol é capaz de fazer. — eu afirmei com a cabeça. — Está querendo ver o cavalheiro enfrentando a batalha diária contra o frio e calculista Kim Baekhyun!? — afirmei mais uma vez. — Eu estarei nisso até um ponto, se vocês dois não se acertarem, eu vou prendê-los em um cômodo até que conversem e se resolvam, que nem crianças do maternal.

— Tudo bem, mamãe. — escutei batidas na porta e assim que foi aberta vi que era meu pai. — Pai? Já chegou do trabalho!

— Sim, meu filho. Eu quero conversar com você. Tem um tempinho, não quero atrapalhar...

— Sim, eu estava de saída já. Boa noite, Kyungsoo.— levantei e o acompanhei até seu quarto. — O que está querendo falar comigo?

— Meu filho, eu sei que eu tenho muito o que conhecer de você, mas... — eu fechei a porta. — Eu senti que tem alguma coisa diferente nesse garoto que contratou hoje. Em nenhuma das entrevistas você ficou tão nervoso a ponto de olhar na cara do sujeito... Eu estou certo nos meus instintos?

— Sim, papai. — abaixei minha cabeça e suspirei. — Nós temos uma história um tanto quanto conturbada.

— Se é uma história conturbada, por que o contratou? — ele sentou em uma das poltronas dispostas no seu quarto.

— É um pouco complicado, meu coração pesou um pouco quando escutei o que ele falou. Eu tenho todas as razões para não acreditar em nenhuma das palavras que saiam da boca dele, mas de algum jeito, eu vi que as coisas que ele disse hoje, são verdade e eu não queria deixá-lo na berlinda, como ele já me tirou de lá uma vez, eu acho que devo isso a ele. — eu sentei na frente dele.

— A história de vocês dois é um romance, estou certo? — eu fiquei um tanto quanto receoso de contar a verdade. Ele ainda não sabia muito dessa particularidade. — Meu filho, não se preocupe. Eu nunca te julgaria, odeio julgamentos alheios. Prefiro que cada um cuide de sua própria vida, como seu pai, eu me preocupo com sua felicidade e acho que esse garoto tem uma grande importância nela.

— Sim, eu estive um relacionamento com ele, mas está acabado. Acabou de um jeito um pouco difícil e a questão de confiança entre nós dois é complicada. — ele segurou minhas mãos. — Ele foi importante para eu te conhecer e mais importante para eu estar no lugar que estou hoje.

— Eu sei que pode parecer inapropriado, mas poderia escutar a sua versão dos fatos, meu filho? Eu gostaria de saber como sua vida era antes de me encontrar e me encher dessa felicidade.

— Claro, papai.

Viagem para o Japão.

9 meses atrás.

— Pode ficar a vontade, Baekhyun. Minha casa é sua casa. — Jerry falou assim que depositamos as malas na entrada de sua casa. — Amanhã a ajudante de limpeza vai vir arrumar. Da última vez que estive aqui, eu não organizei e tive que trazer alguns sócios para uma pequena festa de comemoração. Desculpe!

— Não se importe com isso, eu estou muito satisfeito que esteja me deixando ficar aqui.

— Seu quarto fica no final do corredor à esquerda. — eu afirmei com a cabeça e comecei a caminhar para lá, eu estava muito cansado da viagem e meu corpo ainda precisava acostumar com o fuso horário. Eu deixei a mala em um canto e fui sentir um pouco da brisa pela janela de um quarto do lado. — Gostou da vista?

— Origado pelo que está fazendo, Jerry. Você é mesmo uma pessoa especial para mim, precisava mesmo desse apoio depois de tudo o aconteceu. — coloquei a mão em seu ombro abrindo um sorriso.

— Baekhyun, eu sei que tem muitas coisas acontecendo na sua cabeça nesse momento, mas eu queria conversar com você uma coisa importante outro dia, quando estiver com a cabeça mais vazia. Pode ser? Quando estiver pronto para falar sobre Chanyeol de novo. — eu respirei fundo.

— Eu acho que nunca estarei pronto para falar dele de novo, Jerry. Acho que meu corpo saturou de dizer e escutar esse nome, parece que ele se acostumou tanto aos toques de carinho, quanto as porradas por amar o dono desse nome. — eu comentei e ele sentou na cama ao meu lado. — Você insinuando o nome de Chanyeol em uma conversa? O que aconteceu?

— Você sabe que sempre sou verdadeiro com você, não é? — confirmei com a cabeça. — Chanyeol veio me ver antes que a gente viajasse. Ele estava no aeroporto hoje nos vendo embarcar. — eu estranhei e minha expressão mostrou isso. — Ele apareceu lá em casa e me convenceu de escutá-lo.

— Você o escutou? Por quê!? — levantei abruptamente. — Jerry, eu...

— Você sabe que sou justo em tudo o que faço e eu não consigo ser radical para qualquer lado, eu quero buscar um equilíbrio de tudo. Eu queria ver o que ele tinha a dizer e o que ele estava arriscando vindo até a minha casa naquele dia. — eu tentei me acalmar, mas já sentia minha mão tremer de ódio. — Sei que as palavras dele foram dolorosas, até para mim que não estive presente e só pude escutar pela sua boca, são dolorosas e ficaram marcadas. — eu voltei a sentar ao seu lado. — Eu me mantive na defensiva, mas eu vi nos olhos dele que ele poderia cometer uma loucura aquela noite se eu simplesmente tivesse fechado a porta na sua cara.

— O que ele tinha a dizer, Jerry? Qual papel ele usou dessa vez?

— Ele não atuou, eu tenho certeza, eu vi que eu poderia abaixar minha guarda quando ele veio me pedir perdão por toda a desconfiança que ele teve de mim no meu romance com a Chan Hee.

— Como pode estar tão certo disso?

— Ele estava indefeso, estava sem um pingo de esperança. Ele já tinha para si que eu nunca o perdoaria, ele só queria desabafar e nem o mais podre dos seres humanos, eu consigo deixar sem o direito da palavra. — eu fiquei calado depois disso. Eu sabia que Jerry era sensato e que fazia o que para ele transmitisse maior confiança. — Eu não peço que acredite em mim ou simplesmente perdoe o Chanyeol, mas quero que mantenha tanto as palavras que ele disse a você naquela noite como também o que ele disse a mim. — eu o encarei e olhei profundamente em seus olhos. — Você está em um novo país, pode viver como quem deseja, pode ser quem deseja ser, pode virar uma pessoa completamente nova, pode recomeçar do zero. Mas, eu quero que use essas palavras como motivação para isso.

— Motivação?

— Sim, uma motivação. — ele colocou sua mão sobre a minha. — As palavras podem gerar vários sentimentos em nosso peito e eu sei que as palavras de Chanyeol lhe causam ódio hoje em dia. Se você continuar acumulando isso dentro de você, não será benéfico, você só acumulará sentimentos negativos e só eles faram parte da sua vida, você não verá mais felicidade em nada por medo de ser enganado de novo.

— Como quer que eu aja? Tudo é tão difícil, eu não sei se consigo aliviar meu peito dessa dor incômoda que essas palavras me causaram. Eu não sei se simplesmente consigo esquecer e recomeçar do zero, porque tudo o que passamos é a nossa história.

— Eu não quero que esqueça, eu quero reflita por um momento o que deseja fazer a partir de hoje, sabe que apoiarei qualquer decisão que tomar, mas não tome uma decisão que o faça arrepender-se mais tarde. Você ainda ama Chanyeol... Não consegue negar isso, pois seu corpo nunca permitiria. — abaixei a cabeça derrotado. — Vocês tiveram sua história e a Sra.Park conseguiu destruir pela sua ganância e seu desejo de ser a melhor em tudo, custe o que custar. A sua felicidade é egoísta e nunca chegou a pensar a felicidade do seu neto, ao contrário disso bolou um plano para que vocês dois se enganassem e de qualquer jeito acabassem com algo bonito que eu vi sendo construído.

— Do que está falando? — ele tirou o celular do bolso.

— Escute isso, eu gravei uma parte da nossa conversa. Não quero que pense que estou inventando qualquer coisa. — ele abriu o celular no gravador e deu play.

— … Depois daquele acontecimento que você esteve no hotel, eu tenho feito tudo o que fosse preciso para conseguir esse endereço do pai do Baekhyun e que tudo fique bem. Prefiro fazer o que ela deseja, do que ver Baekhyun sofrer, essa é a moral da minha história. Entenda, Jerry. A felicidade do Baekhyun é muito importante para mim, eu só quero que ele tenha a probabilidade de ser feliz. Sem que alguém impeça esse caminho por minha culpa. Ele já sofreu demais nessa vida e eu prefiro que a culpa recaia sobre mim.

Wow! Sabe Chanyeol… Eu me acertei com sua irmã, viramos amigos de novo, porque sentimento é difícil de ser retomado de um momento rápido, mas só isso… Eu já estou tão feliz que meu sorriso está quase rasgando minhas bochechas. Eu passei anos com o ódio dela e o seu também recaindo sobre mim por culpa da sua avó também… E eu cheguei a uma conclusão… Não valeu nenhum pouco a pena eu ter sacrificado anos de um amor completo com a Chan Hee para que ela fosse feliz com seus sonhos que hoje eu sei que ela seria plenamente capaz de conseguir com ou sem ajuda de alguém, estando ao meu lado. Sua irmã é uma mulher forte e decidida. Tem uma bela personalidade forte e desafia que entra no seu caminho dela a tirá-la dali. Ameaçá-la de nada adiantaria, e tudo isso… Eu sei que o Baekhyun também possui.

Ele me contou pelas palavras dele o que tinha acontecido e consigo encaixar seus pensamentos em cada fala amargurada que ele teve. Eu sentia a frieza que ele dizia seu nome, porque parece que o coração dele petrificou. Byun Baekhyun desistiu de amar alguém, pois ele viu em você, como o amor pode ser destrutivo. E nunca mais ele deseja passar por isso.”

Eu traí sua confiança…

Sim, você traiu e no futuro você chegará a mesma coisa que eu: não valerá a pena. Levante-se! Agora fale o mais alto o quanto e por que você ama o Baekhyun! ALTO! AGORA!

EU AMO O BAEKHYUN MAIS DO QUE VOCÊ POSSA IMAGINAR!

FALE MAIS! E MAIS ALTO!

SEM QUERER VOCÊ APARECEU, BYUN BAEKHYUN E EU NÃO TE ESPERAVA! NÃO ESPERAVA REENCONTRAR O QUE HÁ MUITO HAVIA PERDIDO, OU MELHOR, QUE NUNCA TIVE! VOCÊ ME TROUXE DE VOLTA O BRILHO NO OLHAR, O SORRISO NOS LÁBIOS… MAS TAMBÉM O MEDO DE ME MACHUCAR E TE MACHUCAR. TE CULPO POR FAZER DESSE SENTIMENTO O MELHOR QUE EU JÁ SENTI, DE UM JEITO ESPECIAL VOCÊ ME FEZ QUERER TE PROVAR QUE O AMOR É UM SENTIMENTO QUE PODEMOS FAZER SER VERDADE, JUNTOS. VOCÊ FOI UMA DAS MELHORES COISAS QUE ACONTECERAM NA MINHA VIDA!!! EU TE AMO, PARA CARALHO!!!

VOCÊ ARRISCARIA SUA VIDA POR ELE? ENFRENTARIA QUALQUER AMEAÇA?

SIM!
 

— Eu sei que isso pode ser difícil... Baek.. Não chore. — ele segurou minhas bochechas que estavam molhadas. — O Chanyeol te ama de verdade, não foi atuação, ele foi o mais sincero possível em suas palavras, eu vi em suas lágrimas e no momento que ele estava completamente indefeso de qualquer coisa, não se importando de apanhar de mim... Eu soube naquele segundo que eu precisava que você escutasse essas palavras antes de tomar qualquer decisão em sua vida, por isso gravei. — ele limpou as minhas lágrimas. — Eu me perguntei naquele momento: Será que sem Chanyeol, Baekhyun poderia ser feliz?

— Ah! Jerry... — eu o abracei com força. — Obrigado por isso, cassete... Eu nem sei o que pensar...

— Só não deixe que qualquer pessoa interfira no que vocês dois devem resolver sozinhos.

— Eu vou deitar agora, respirar um pouco e pensar... Obrigado por tudo. — eu o abracei e dei um beijo em sua bochecha. — Sabe que te amo homem? — ele abriu um sorriso e levantou para sair. — Você é um anjo na vida de todos a sua volta.

Fui para o quarto indicado para que eu ficasse naquele tempo. Eu me joguei na cama e fiquei encarnado o teto. Essas palavras ecoavam no meu coração, mas ao mesmo tempo eu tinha medo de dar outro passo. Meu coração está pedindo um tempo e meu cérebro quer que eu use aquelas palavras amargas para seguir em frente e nunca mais sofrer. Meu coração sabe que sem Chanyeol, terá um grande vazio na minha vida, pois querendo ou não, ele foi um grande amor.

Eu odeio como tudo tem que acabar pela ganância dos outros, eu não serei idiota de não acreditar que a Sra.Park tenha feito alguma coisa a ele, como ela fez comigo, mas eu preciso de um tempo para digerir tudo e dar um rumo na minha vida. Quero ficar longe de tudo e de todos e pensar como seguir daqui a diante. Eu não posso viver simplesmente deixando o mar me levar, eu preciso tomar alguma atitude.

Eu vou passar um tempo aqui, no estrangeiro, local onde ninguém me conhece e eu posso ser quem eu quero ser, posso tomar uma nova identidade, posso decidir quem quero ser daqui para frente. Eu só quero ter um tempo que eu penso apenas em mim e não me preocupo com o que os outros fazem da vida, quero reaver sentimentos perdidos, quero dar uma nova chance para o autoconhecimento, quero parar de depender emocionalmente dos outros.

Quero começar uma nova vida.

Ainda não sei se Chanyeol fará parte dela, disso deixarei que o destino se encarregue, eu só quero ter a certeza de que qualquer decisão que eu tome futuramente, seja consciente e que meu emocional esteja pronto para suportar qualquer coisa. Por enquanto, só por alguns meses, eu quero paz, sem nenhuma confusão mental ou sentimental. Sem dúvidas ou medos, quero ter um momento para entender o que aconteceu e saber mais sobre mim.

Eu precisava clarear a minha mente e eu sabia que o tempo era a resposta para tudo.

Mas, essa gravação me fez pensar...

Qual atitude, Chanyeol tomaria com esse tempo?

 

Hoje

#

 

Eu terminei de contar ao meu pai o que aconteceu nesse começo de viagem e os fatos que nos levaram até ali. Ele só escutava, pacientemente o que eu contava, vendo a minha versão dos fatos e o jeito que eu me sentia em relação a tudo. À medida que eu contava, eu relembrava tudo o que passei com Chanyeol e ao mesmo estava vendo o quanto menos afetado eu estava ficando em contar os fatos. Eu não queria mais estar quebrado, eu decidi isso quando estava no Japão, eu não queria ser fraco emocionalmente.

A vida te faz ter muitos tombos para que fique chorando por cada um.

Se cada vez que eu sofresse, eu tivesse que desistir de tudo... O que seria a vida? Eu seria humano? Cometemos erros todos os dias, isso que nos torna humanos e não máquinas. Sentimentos nos faz mais fracos? Não! Eles nos tornam mais fortes para enfrentar muita porrada que vem pela frente até o dia que descansemos em paz.

Se tem uma coisa que eu acabei concluindo com essa viagem e com tudo o que eu pensei sobre tudo o que já aconteceu.

— E eu fiquei pensando nisso, papai. Se nada disso tivesse acontecido, talvez eu nunca tivesse te conhecido. Eu nunca teria me dado a oportunidade de ser feliz e eu nunca teria encontrado alguém que sempre esperou minha vinda. — ele abriu seu sorriso amarelo e colocou as mãos sobre as minhas. — Eu sempre penso que as coisas acontecem por uma razão e agora eu fico me perguntando o que ele está tramando para Chanyeol e eu.

— Meu filho, sabe de uma coisa? Eu fico pensando o que seria da minha vida se eu nunca tivesse te conhecido. Você me fez um homem mais feliz quando olhou aquela fotografia da sua mãe na minha carteira e perguntou quem era aquela mulher para mim. — eu abri um sorriso. Aquele dia foi o melhor da minha vida, recebendo um abraço caloroso desse homem a minha frente. — Sua mãe escondeu isso de mim, por toda minha vida eu pensei que era infértil, que eu nunca poderia dar a sua mãe o que ela mais queria, um filho.

— Querendo ou não, eu penso como ela está? Viver em um relacionamento abusivo, apenas por poder e status é deprimente e eu não queria isso para a mulher que me deu a vida. — me ajeitei. — Você ainda sente alguma coisa pela minha mãe?

— O amor que eu tive por ela não é algo que pode ser apagado como se fosse um simples romance adolescente. — ele passou a mão pelo meu cabelo. — Mas, focaremos em você hoje. Sabe o que eu tenho medo que aconteça com você? Que a vida consiga te amargurar, meu filho. Que você duvide de um amor puro e sincero que esse jovem pode dar a você, que tenha medo de arriscar e que perca a chance de viver uma história de amor que poucos têm a chance de viver.

— Eu sei que parece um tanto quanto estranho, mas eu quero ver o que Chanyeol faria por mim, o quanto ele está disposto a provar que me amou desde o momento que ele disse a mim. Que nenhum dos nossos beijos e carinhos tenham sido em vão e que tudo o que vivemos juntos não foi um simples momento, mas que ficou marcado com ferro em brasa e que ele está disposto a nunca deixar apagar.

— Ele tem de provar isso mesmo, eu concordo. Você é uma pessoa muito boa, um cara bonito com um coração de diamante. Ele tem que demonstrar que é uma pessoa que ao seu lado será capaz de passar qualquer dos momentos, sejam eles bons ou ruins. — ele levantou e foi para a grande janela. — Olhando por essa janela, sem nenhuma paisagem inebriante, fico pensando que dentro de cada uma das outras janelas existe um alguém que se lamenta, que reclama, que sofre, que está preocupado, que sente dor, que sente alegria, que ama, se apaixona, brinca, sorri, chora e alguém que olha para a minha janela e tem o mesmo pensamento.

“Por que em um mesmo mundo, onde as pessoas têm a mesma visão dos acontecimentos, cada um interpreta do jeito que quer, pois cada um é único e singular e expressar seus sentimentos é uma missão tão difícil que às vezes as pessoas preferem se calar a terem que explicar, algo inexplicável.”

— Você acha que ele conseguirá fazer isso? Provar com palavras que ele me ama?

— Olha Baekhyun, temos cientistas que buscam respostas para tudo, mas esquecem de esclarecer as dúvidas que todos tem dentro de si. Eles focam muito no externo ao ser humano e esquecem de que a maior batalha que travamos é com nossa própria essência. As pessoas querem entender tudo o que acontece, mas esquecem de si mesmos no meio do caminho. Esquece que em um mundo ligado à imagem e dinheiro, os humanos continuam a ser humanos, por mais que estejam cercados de máquinas que cada vez se assemelham mais com nossa figura. Nós temos falhas, temos sentimentos tão singulares que as vezes nem nós conseguimos entender.

“O nos separa dos animais que só pensam em sobrevivência é que precisamos viver em comunidade, pois precisamos de pessoas ao nosso lado que nos apoie em momentos de fraqueza, que nos mostre que a vida é muito mais que momentos, que nos faça ver que por mais pequena que pareça a luz no fim do túnel, nós devemos segui-la, que nos mostre que se cairmos uma vez podemos levantar e que, por fim, mostre e nos faça escutar um conjunto de vozes que se transforma em um hino e que é escutada por todos, pois estamos com a união de sentimentos, com a união daquilo que nos faz humanos, a nossa capacidade de amar, sem precisar explicar como sentimentos esse amor.”

Eu abri o maior dos meus sorrisos. Ele veio até mim e beijou o topo da minha cabeça.

— Eu estou pressentindo que esse jovem consegue muito mais do que você imagina. Eu já vou dormir, temos um dia cheio amanhã, o planejamento da festa para sua apresentação tem de ser apressada. Bem, falaremos disso amanhã. Boa noite, meu filho.

— Boa noite, pai.

Antes que eu fosse dormir, resolvi dar uma olhada nos e-mails de trabalho e responder alguns para ter um tempo livre amanhã. Escutei uma mensagem chegar ao meu celular e quando vi na tela era uma mensagem de Haruma.

Eu estou adorando isso aqui, o Chanyeol mandou uma mensagem revoltado para mim. Ele me pediu seu e-mail, agora não sei para quê. Confere a caixa de entrada.”

Ligando o computador, eu lembrei que no Japão, eles têm o kintsugi — a arte de remendar porcelanas preciosas com ouro. O resultado é uma peça que nitidamente foi quebrada, mas que é por isso mesmo que ficou bonita.

É um conceito que sempre me fascinou e eu vi pessoalmente para escutar uma senhora me contando sobre isso mostrando esse trabalho.

É comum as pessoas tentarem esconder suas cicatrizes, como se o mais leve dano provasse o quanto são fracas, eu era assim. Que acham que as cicatrizes são evidências da imperfeição, que elas valem menos, mostram erros e denotam vergonha.

A perfeição para sempre desfigurada.

Kintsugi faz o oposto. Ele diz: “Há beleza que nasce de tragédia. Vejam estas preciosas linhas, quebradas pela experiência.

Abri o email:

Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo, Te amo [...]

Continuei rolando a página, um tanto quanto chocado, e finalmente chego até a continuação da mensagem.

Caso não tenha entendido, escrevi “TE AMO” 274 vezes, uma para cada dia que fiquei longe de você. E, por favor, não pense que essa foi uma rápida declaração de copiar-e-colar. Digitei cada palavra, uma por uma, como penitência por ser otário demais para deixar bem claro o que sinto por você. Por ocultar aquilo que eu deveria ter deixado o mais evidente com esse Chanyeol sem carapaça alguma, nu de qualquer máscara.

Sei que você continua achando que sou um babaca de merda que não fui atrás de você por medo, por você achar que eu não te amava. Eu só quero deixar claro que eu sempre te amei, desde o momento que coloquei os olhos em você, porque existe sim ‘alma gêmea’ e eu sei que você é a minha, Baekhyun. Você me nocauteou quando eu te reencontrei depois de todo esse tempo, sem dizer uma única palavra. Eu te vi lá, nervoso com a minha presença, quando na verdade eu estava com a sua e nervoso pela sua opinião sobre mim.

Naquele momento, eu soube que eu queria te conquistar como eu não tinha tido coragem há anos. Não faço ideia de como ou por que você foi capaz de aguentar tanto por mim, não sei se mereço tamanho amor. Eu tentei fugir dos meus sentimentos, ocultá-los durante esse tempo para que o meu amor não te machucasse. E por conta disso, eu mereço todo esse sofrimento.

Passei tanto tempo tentando resolver as coisas me afastando, que precisei de outra pessoa para abrir meus olhos e ver que eu nunca andaria um milímetro em sua direção se eu não fizesse alguma coisa. Não consegui ver sozinho que, se eu parasse de ser um grande idiota inseguro por cinco minutos, daí talvez... só talvez... eu consegui voltar a estar ao seu lado.

Essa cena de hoje doeu tanto em mim... Te ver com outra pessoa foi doloroso, mas eu não posso te culpar de ter seguido com sua vida, eu não sei se prefiro ficar parado no tempo, no momento que estávamos apaixonados... Eu não sei...

Eu quero tanto ficar com você, quero te ter ao meu lado de novo, porque você torna meu mundo completo.

Por isso voltei para sua vida. Porque, por mais que eu achasse que você ficaria bem melhor sem mim, não sei se ficou, não quero aceitar que essa sua personalidade mostra que está melhor. Eu preciso de você. Eu estou vazio sem você.

Deixe a gente vencer essas inseguranças de um futuro incerto. Porque sei que você pensa que me amar de novo é um tiro no escuro e que suas chances são sombrias, mas me deixa dizer uma coisa: eu sou uma coisa real. Não consigo parar de te amar e eu não quero e não vou.

Ainda estou com um medo da porra de te magoar? Claro.

Mas tenho coragem suficiente de acreditar que o risco vale a pena.

Me deixe ajudá-lo a acreditar.

Eu te amo, e juro por Deus que não vou te magoar de novo.

Permita-me te amar de novo.

Eu te amo, e juro por Deus que não vou te magoar de novo.

Por favor.

Chanyeol.

Eu continuo encarando a tela por um longo tempo naquele nome, alternando entre rir e chorar.

Em algum ponto ali, o fogo da minha amargura soltou sua última faísca e morreu. A sensação é estranha, porque isso era o que me fazia seguir em frente quando nada mais fazia, e sem isso me sinto nu da pior forma. Suave e vulnerável, e mais frágil que vidro.

Chanyeol quer que eu acredite que é possível amá-lo de novo, mas, mesmo que eu tenha alguma coragem para isso, ela está enfurrujada e fora de uso. Não tenho certeza de que vou conseguir isso em vez de me fechar, mas está claro que ele não vai deixar que isso não aconteça.

Mais importante, sei que ele mesmo não se deixará perder.

 

#

 

Entrando no corredor do escritório vejo várias pessoas trabalhando avidamente por conta das últimas preparações para a festa de gala que meu pai queria me apresentar socialmente como seu filho. Eu estava ansioso por isso ao mesmo tempo que eu estava com medo de fazer alguma coisa errada.

Naquele dia, meu pai teria algumas reuniões espalhadas pela cidade e eu ficaria o dia inteiro com os preparativos da festa. Chegando na porta do escritório, eu escuto uma movimentação na minha sala, ninguém entrava lá antes do horário. Abrindo a estrutura de madeira, encontro Chanyeol derramando mel em um prato.

— Bom dia, Baekhyun. — ele olhou para mim abrindo um sorriso. — Creio que deva estar com fome. Liguei para Kyungsoo e ele me disse que não tomou café da manhã. Ele me passou seu cronograma e já organizei seus horários de acordo com as reuniões que tem antes da festa de gala amanhã à noite.

Chanyeol estava sem topete, um conjunto de terno preto muito bem cortado, sapatos bem lustrados e com seu inegável sorriso bonito no rosto, como se sua explosão de ontem tivesse sido esquecida.

Será que ele me perguntaria se eu li seu e-mail?

Lembre-se, Baekhyun. Você ainda está seguindo os planos do Haruma. Foco!

— Creio que deva mandar flores para a casa do Jay, deixe um lugar especial para ele na minha mesa da festa de amanhã. — continuei meus passos até a mesa e encontrei panquecas com mel no centro dela. — O que é isso?

— Eu sei que você gosta de panquecas com mel, então pedi que Alfie fizesse algumas para você. Ele fez e trouxe essa manhã com o maior dos gostos. — eu queria sorrir com aquela atitude de Alfie, mas me mantive sério.

— Eu não gosto mais disso. — procurei umas pastas nas minhas gavetas. — Adiante minha reunião em dez minutos, creio que assim essas pessoas vão começar a andar mais rápido nesse escritório.

— Eu já pedi que todos se encaminhem para a sala de reuniões, para que tenham pontualidade. Fiz isso para que pudesse tomar o café com calma, pois eles podem esperá-lo, mas você não sairá daqui até comer essa panqueca. Seus horários estão muito fechados e não terá tempo para almoçar devidamente. — Chanyeol foi até a porta e a fechou. — Além do mais, durante toda tarde e parte da noite existem alguns detalhes a serem decididos para a festa de amanhã, você pode acabar passando mal se não comer agora. Já aconteceu isso com você antes, não deixarei que aconteça de novo.

— Não precisa se preocupar com esse detalhe, eu como algo no caminho para o local alugado para a festa. — eu fiquei encostado na frente da minha mesa. Chanyeol pegou uma pasta de cima da mesa e colocou embaixo do braço caminhando em minha direção.

Ele foi se aproximando, aproximando, aproximando... Até que nossos rostos estavam muito próximos. Senti as mãos deles segurarem minhas bochechas e as apertarem. Eu abri um biquinho e minha respiração ficou um pouco mais lenta. Eu encarava Chanyeol, com seus olhos analisando os meus. Depois senti um treco melado nos meus lábios. Tive que mastigar e engolir, como amo as panquecas do Alfie.

— Assim é melhor. — senti o pedaço da panqueca nos meus lábios. Chanyeol deu alguns passos para trás com seu sorriso a mostra mais um vez. Odeio como esse simples gesto ainda causa arrepios pelo meu corpo. — Só com esse pedaço já fico mais satisfeito e...

— BAEKHYUN! — vi a porta ser aberta e meu irmão aparecer ao lado da minha mãe.

— Vocês não podem entrar aqui! — os seguranças do prédio apareceram, mas eu fiz sinal para que eles se retirassem.

— O que estão fazendo aqui? — perguntei olhando para a figura pálida da minha mãe. Ela não estava bem, era perceptível pela sua aparência abatida. Meu irmão também não estava me suas melhores condições. — O que passou com vocês?

— Eu não acredito que te encontramos! Você está tão lindo, meu filho... — minha mãe aproximou e colocou as mãos em minhas bochechas, depois fazendo carinho por todo meu rosto. — Você encontrou seu pai e...e...e... Eu não consigo acreditar que...

— Como ficaram sabendo disso? — perguntei.

— Ele ligou para mamãe, Baekhyun. — olhei para meu irmão. — Quando ele nos disse onde estava, queríamos te ver. Estamos passando por alguns problemas, mas queríamos saber se estava bem.

— O que está acontecendo com vocês dois, parecem abatidos. — eu encostei nos ombros dos dois.

— Mamãe pediu divórcio do nosso... meu pai... As coisas começaram a ficar complicadas a partir disso. Fui deserdado e mamãe não conseguiu mais ficar mais em casa, porque papai ficou violento por não aceitar o divórcio. Estamos morando em uma casa pequena em um bairro afastado da região central. — Byun Kang Joon abriu um sorriso fraco para mim. — Não viemos te pedir nada, só queríamos saber como você está, acho que está tudo ótimo a meu ver.

— Por favor, Smith. Peça que meu motorista levem-os para nossa casa. — meu pai apareceu na porta do meu escritório. — Olá, Nora. — ele caminhou em direção a minha mãe. Eu lembro que em uma fotografia que vi quando pequeno de uma paisagem do por do sol, existia esse Nora. Significava raio de sol. Esse era o apelido que ele dava a minha mãe, então. — Eu te liguei essa manhã e você veio mais rápido do que eu pensei que viria. Eu procurei saber da sua situação com o advogado do seu divórcio. Precisa ficar segura na minha casa até que tudo esteja finalizado.

— Kim Sung Hun... Você... Você...

— Deve estar surpreendida de me ver nessa situação. Digamos que eu não sou o jardineiro que pensou que eu fosse. — ele abriu um sorriso. — É melhor conversarmos em casa.

O ajudante do meu pai encaminhou os dois, mas antes minha mãe me deu um abraço, falando:

— Obrigada por ter falado aquilo comigo meu filho, você não sabe o alívio que estou no peito depois dessa decisão. Obrigada por tudo. — ela se afastou e começou a caminhar atrás do homem que era o braço direito do meu pai.

— Sua mãe parece mesmo abatida. — meu pai comentou vindo na minha direção. — Vamos conversar todos em casa, depois da festa, acredito que precisamos desse momento. Já estou indo para a reunião, gostaria de ver sua apresentação, meu filho. — eu abri um sorriso concordando.

Durante todo o dia, ficamos resolvendo os últimos detalhes e eu adorava pensar em cada um dos tipos de coisas. Experimentei a comida que seria servida durante todo o evento e repassaram para mim todos os movimentos que eu deveria fazer, obviamente, eu queria que fosse mais espontâneo, mas existiam regras a serem seguidas em um evento como esse, com todas as formalidades possíveis.

Chanyeol estava me acompanhando em tudo, era exemplar em qualquer coisa que fazia. Sua testa franzia em um momento de atenção, quando precisava escutar alguma informação importante. Anotava detalhes que precisariam estar no meu discurso que ele mesmo disse que escreveria. Ele continuava bonito com essa expressão séria quando resolvia alguma questão importante, ele agia como se aquilo fosse natural, não importando em qual posição ele estava.

Eu assisti no dia que ele renunciou tudo, seu cargo, o nome de sua família. Aquelas palavras foram duras, porque era a realidade, aquilo não tinha sido um teatro, afinal, Chanyeol ficou a minha frente pedindo por um emprego, ele não sumiu para viver uma outra vida rica escondido de todos. Todo esse tempo, ele ficou longe de tudo e de todos, vivendo a vida como uma pessoa normal, passando por situações que nunca precisavam ter acontecido caso seguisse o que sua avó tinha dito para que o fizesse.

Ele tinha feito isso por mim.

E dói saber disso. Fica cada vez mais difícil de encarar a realidade de que esse amor é mesmo verdade.

 

#

 

Meu pai ofereceu que meu irmão e minha mãe ficassem na nossa casa até que o processo do divórcio terminasse, porque o Sr.Byun estava procurando incessantemente a minha mãe para mudar de ideia, já que ele já estava começando a ‘ficar falado’ entre os conhecidos. Minha mãe estava com um pouco de medo, porque ela sabe da capacidade do Sr.Byun em cometer loucuras.

Hoje meu pai deixou que eu tirasse uma folga para me arrumar direito para a festa. Chanyeol viria me buscar, Jay iria comigo e encontraria com Haruma na festa. Alguns alfaiates e maquiadores vieram para cá para nos deixar impecáveis para o grande evento.

Eu ainda estava para vestir minha gravata e colocar o sobretudo preto pelo frio que a noite proporcionava. Tinham terminado de me maquiar quando vi Chanyeol entrando pela porta que a maquiadora tinha saído. Eu dei um grande suspiro e fechei minha expressão.

Vi Chanyeol caminhar com meu sobretudo dobrado em seu braço junto a gravata sobre seu ombro. Ele caminhava em minha direção e ele estava super arrumado. Seus olhos serenos e pacíficos estavam fixos em mim enquanto ele caminhava em minha direção. Eu estava de frente ao enorme espelho que existia na parede do meu quarto, eu virei para encarar minha imagem, fingindo pouco me importar com sua presença, enquanto todo meu corpo gritava pela sua energia que rodeava meus sentidos, principalmente o perfume marcante que ele usava essa noite.

Ele usava um conjunto de terno muito elegante. Em um tom grafite o paletó tinha quadro botões que estavam devidamente fechados. Uma gravata preta com listas cinzas e uma blusa social branca. Um lenço estava bem dobrado em sua lapela. Seu cabelo estava jogado em um topete lateral charmoso com pouco gel.

Ele foi se aproximando até que encostou em meus dois bíceps me virando para que ficasse olhando para ele. Seus olhos estavam fixos em mim, lentamente ele levou as mãos sobre minha pele até o local que ajeitaria a gravata.

— Creio que posso dar o nó da gravata sozinho. — coloquei as minhas mãos sobre as dele.

— Na verdade, como seu ajudante, devo ajudar em coisas pessoais também, e dar nó em sua gravata do jeito adequado é uma das minhas funções. — ele estava fazendo todos os movimentos de um jeito provocante, ele sabia que a porcaria de toques lentos em minha pele arrepiava todos os meus pelos. — E se essa é a única forma que eu terei de ficar ao seu lado e encostar em sua pele, farei com o maior dos prazeres. — aquele sorriso ‘derretedor de pernas’ estava ativo e eu sabia que eu teria que fazer meu jogo mais pesado. Ele dava o nó na gravata borboleta que eu usaria no smoking tradicional que eu usaria essa noite.

Meu corpo queria uma aproximação, ele reagia a qualquer instinto que Chanyeol demonstrasse a mim. Eu segurei a sua gravata e levantei um pouco meus pés, colocando meu nariz próximo ao seu pescoço, sentindo o delicioso perfume que ele usava, era amadeirado e delicioso.

— Você consegue mesmo dizer palavras bonitas quando quer, tentando me conquistar novamente dizendo coisas de algum filme hollywodiano que assistiu na madrugada passada. Devo dizer que palavras assim não funcionam mais comigo. — afastei um pouco colocando as mãos em seu peito. — Não serei mentiroso de dizer que não fica bonito em roupas formais, seria mais fácil se você não exigisse envolvimento emocional, poderíamos ter aquele momento que casais chamam de ‘deslize’. Apenas físico, sem nada emocional... — suas mãos seguraram meu pulso, afastando-as do seu peito.

— Por mais que a proposta seja tentadora, eu quero que quando enquanto eu estiver com você em uma cama, seus sentimentos saiam pelos seus lábios enquanto eu deixo um rastro dos meus beijos em seu pescoço. — ele deu um pequeno aperto em minha bochecha. — Não existe nada entre nós que não tenha envolvimento emocional, Baekhyun. Não quero que nem mesmo um simples bom dia não venha seguido de um eu te amo em seguida. — ele colocou o sobretudo sobre meus ombros. — Termine de vesti-lo, está frio. Vou te esperar na entrada. Jay disse que não irá com você.

— O que você disse a ele, Park Chanyeol!? — ele virou um pouco o rosto quando estava na porta.

— Disse que já tinha um acompanhante a altura para esta noite. — ele saiu sem dizer nenhuma palavra e eu me peguei sorrindo depois que ele fechou a porta.

MERDA! Por que é tão fácil ele me afetar assim!?

Quando abri a porta, encontrei um buquê de flores em uma das mesas de vidro que enfeitavam os corredores. Eram astromélias vermelhas em um vaso de vidro. Vi que tinha um envelope branco entre as pétalas.

Astromélias representam o vínculo forte entre duas pessoas, a saudade. Eu amo aquele homem, principalmente, o modo dele ser forte para proteger meu lado fraco.Acho que nossa história se baseia nessa frase.

Park Chanyeol.”

Eu guardei aquele envelope no bolso interno do meu paletó e fui para a entrada da mansão. Um Aston Martin estava estacionado na porta e Chanyeol estava escorado em uma das portas com as mãos no bolso olhando em minha direção.

— Entre, por favor. — eu parei antes de entrar. — Seu pai pediu que eu alugasse um bom carro para levá-lo até a festa, fique a vontade, por favor. — ele abriu a porta e colocou a mão na parte de cima da porta para que eu não batesse a minha cabeça.

— Seu esforço é mesmo impressionante, Park Chanyeol. — eu abri um sorriso que pareceu debochado externamente, mas eu estava explodindo por dentro.

Ele entrou no carro no banco do motorista e seguimos até o destino do local alugado para a festa. Uma multidão já estava parada na entrada, a viagem tinha sido silenciosa, era melhor assim. Existiam perguntas que Chanyeol poderia fazer que seriam difíceis de serem respondidas.

Lembrei do dia da primeira festa que fui como secretário de Chanyeol que eu quase não consegui trazer a joia para ele. Eu ri da lembrança em minha cabeça.

— Acredito que deva descer antes de mim, não seria adequado seu ajudante aparecer em uma foto do tapete vermelho. Procurarei uma vaga enquanto isso. — ele disse quando estacionou o carro em frente ao tapete vermelho que recebia os convidados.

Eu desci do veículo e os flashes das câmeras começaram a atacar, inicialmente nenhum dos repórteres sabia quem eu realmente era, já que meu pai fez o máximo para que meu nome e minha imagem não chegassem à mídia até que eu me adaptasse a empresa e ficássemos mais tempo próximos um do outro.

Caminhei pela passarela esbanjando um belo sorriso enquanto ia sendo fotografado. Tentei passar mais rapidamente para não ser pego em nenhuma entrevista. O lugar foi lindamente decorado e eu estava sem fôlego com a decoração de cores fortes e luzes bem focadas em locais estratégicos.

As mesas e cadeiras eram de madeira. As mesas estavam cobertas por panos roxos e a decoração das taças, flores. Guardanapos e pratos eram vermelhos, a cor da logo da empresa. O grande lugar estava lotado de convidados, as mesas estavam lotadas e dezenas de garçons passeavam pelos espaços oferecendo alguma bebida ou petisco.

Eu sabia que teria que ir até uma sala ao lado do palco montado para a ocasião. Chanyeol tinha montado o discurso adequado e me entregaria assim que nos encontrássemos novamente. Eu estava nervoso, eu tinha esquecido o sentimento de falar para um grande público. Esse não era um público qualquer, estava cheio de pessoas importantes: empresários, investidores, clientes importantes, acionistas, banqueiros...

Você consegue! Assuma a postura que deseja para esse momento. Você é Kim Baekhyun e fará seu melhor nessa noite, seu esforço será recompensado. Lembre que sempre existe uma pessoa na plateia que pode tranquilizar seu nervosismo.

Entrando na sala, começo a ficar nervoso sem a presença de Chanyeol. Já era para ele estar aqui. Fiquei olhando para meu relógio e andando de um lado para o outro. Meu pai apareceu e perguntou se já estava tudo pronto para eu ir para o palco, os convidados estavam prontos para me ver e ouvir meu discurso. Eu expliquei que Chanyeol não tinha aparecido e quando acabei...

— Desculpe a demora! — ele exclamou abrindo a porta com força. Chanyeol estava com um corte no canto inferior dos lábios, estava sangrando e ele limpou rapidamente, acho que para que eu não percebesse, mas de fato eu percebi. — Aqui está seu discurso. Eu preciso resolver umas coisas, eu já volto. Você consegue, Baekhyun. Sabe que é incrível em fazer tudo o que quiser. — o celular dele tocou e ele saiu em disparada.

— Aconteceu alguma coisa que não fui comunicado? — meu pai perguntou e eu também olhei para o assistente dele.

— Não, não aconteceu nada em relação a festa, senhor. — ergui uma sobrancelha.

— Bem, deixemos outros problemas para pensarmos depois. Meu filho, você está muito bonito e elegante, um verdadeiro Kim. — eu abri um sorriso. — Vai dar tudo certo, eu confio em você. Não importa o que aconteça essa noite, eu sei que você dará seu melhor. — ele beijou minha testa. — Estarei na terceira mesa a direita, caso precise de alguém para olhar, eu sempre faço isso. — ele sussurrou a última frase no meu ouvido.

— Tudo bem. — eu comecei a caminhar para fora da sala e fiquei preocupado com o que tinha acontecido com Chanyeol, mas eu não poderia pensar nisso agora.

À medida que eu comecei a subir no palco, eu acabei por erguer minha cabeça e eu iria me divertir naquele momento. Eu nunca pensei que teria essa oportunidade na minha vida, tê-la é excelente e eu tinha que aproveitar. Ajeitaram o microfone a minha frente e eu encarei todos enquanto câmeras já estavam miradas para mim.

— Boa noite a todos, eu sou Kim Baekhyun. Filho de Kim Sung Hun. — eu abri aquela pasta que continha o discurso, mas eu resolvi não usá-lo no final, eu sou uma pessoa espontânea demais para isso. — Eu quero agradecer a oportunidade de estar aqui podendo dizer essas palavras e me apresentar como filho desse homem maravilhoso e de coração de ouro que é meu pai. Muitas coisas que aconteceram no passado mostram como o reencontro pode ser um momento que muda completamente sua vida. — eu abri um sorriso só vendo flashes a minha frente. — Eu nunca pensei que poderia algum dia dizer a palavra com tanto gosto, mas hoje eu encho a boca para dizer. Muitas coisas acontecerão na minha vida para estar onde estou agora e tenho que agradecer muito por isso.

“ E mesmo não querendo admitir, a pessoa que mais tenho que agradecer por ter suportado todos os caminhos para virar o vice presidente de uma das filiais do meu pai e erguer minha cabeça para ser um alguém diferente é um homem chamado Park Chanyeol. Um dia ele me disse palavras muito amargas, palavras que machucaram e que me fizeram perceber que sempre que acha que estamos presos a um chão de concreto, ele ainda pode partir bem abaixo dos meus pés. Eu usei cada uma das coisas que ele disse para eu conseguir enfrentar muitas das pessoas que só entram na minha vida para me usar. Foram palavras assim que trouxeram um sentimento de fortaleza dentro de mim. E eu sempre espero ser uma pessoa que suporte um grande peso para meu pai. Por isso, eu tenho que agradecê-lo.”

Meus olhos seguiram pelos convidados, mas nada de Chanyeol.

Onde ele tinha ido?

— Eu farei o meu melhor para continuar orgulhando meu pai e fazendo meu melhor para continuar seu legado com o bom e justo trabalho que ele sempre teve e continuará tendo. Eu te amo, papai. — eu acenei para ele e fui retribuído.

— Você não é filho desse homem! — eu olhei para a porta do lugar e vi o Sr.Byun aparecer. Ao longe vejo Chanyeol sendo segurado por alguns homens. — Finalmente te encontrei, meu querido filho! — ele foi se aproximando, obviamente, todas as câmeras apontaram para o espetáculo em pessoa. — Não acredito que você foi enganado por esse homem que está estragando toda a nossa família, primeiro enchendo sua cabeça e agora da sua mãe. — eu apressei meus passos pelos corredores vazios para chegar próximo a ele.

— O que está fazendo aqui, homem? — perguntei, eu tentei desvencilhar para ir até Chanyeol que conseguiu se soltar dos dois homens que também caminharam e ficaram atrás do Sr.Byun. — Você não é bem visto aqui. Vá embora. — Chanyeol ficou próximo e eu vi que ele tinha machucado mais um pouco, ele lutou contra esses caras?

— O que esse homem falou com você? Meu filho, vamos embora daqui. Levem-no para o carro! Quero afastá-lo desse homem asqueroso! — ele segurou meu pulso.

— Solte o pulso do meu filho! — meu pai apareceu me puxando para próximo de si. — Vá embora. Sr.Byun, não cause um escândalo, porque sabe que está errado nessa história.

— Isso é um ultraje, tentando tirar a paternidade que eu tenho. — ele discutiu me segurando pelo braço, mas eu me soltei.

— ME SOLTA! DESDE QUANDO VOCÊ FOI UM PAI? — eu gritei com toda a raiva que eu tinha. — Quando que um homem que não ama nada além de status e dinheiro, pode se dizer um bom pai? Eu sempre fui um bastardo para você, você sempre me culpou pela falta de amor que minha mãe sempre te deu, porque você não merece o amor dessa mulher. — eu queria bater nele, mas me controlei. O lugar estava muito silencioso, todos estavam com a atenção focada em mim. Eu só queria desabafar e tirar tudo aquilo de dentro do meu peito, aquele nó da minha garganta. — Eu só posso chamar de pai aquela pessoa insubstituível na minha vida, aquela pessoa em que posso confiar minha vida, a pessoa que pode me ajudar até mesmo nos piores momentos, que arranca um sorriso de mim quando eu choro. Você... Nunca fez nada por mim, só o agradava quando eu não falava nada ou não te cobrava nada... — eu soltei um ruído de descrença. — Mesmo que esse homem não fosse o meu pai, eu o considero como um. Temos um exame que comprova isso, se precisa de um papel para isso, nós também temos. Eu não preciso disso, porque a partir do momento que a gente soube que formaria uma nova família, foi o suficiente para que eu o chamasse de meu pai. Eu poderia ter sido amado por toda minha vida, eu poderia ter sido feliz ao lado de pessoas que me amam, mas seu orgulho não permitiu isso.

Eu estava aliviado e abri um sorriso assim que terminei de falar tudo o que eu queria.

— Baekhyun, você está cometendo um erro falando essas coisas. — ele disse e quando virou as costas, uma confusão começou. Repórteres queriam escutar o que eu tinha a dizer sobre essa situação, o que ele tinha para dizer. Uma grande multidão começou a vir em minha direção.

Senti meu pulso ser segurado e eu comecei a ser puxado. Quando olhei quem era, Chanyeol quem me puxava para um canto. Ele não parava de correr.

— Para onde está me levando, Park Chanyeol!? Eu exijo saber.

— Vamos sair dessa confusão. — ele disse. Vi uma enorme porta ser empurrada e estarmos na porta dos fundos do espaço da festa. — Entra no carro. — vi um Jeep Vehicle Linep preto estacionado na porta. Ele abriu a porta e colocou o cinto de segurança em mim.

— Chanyeol, o quê...?

Ele entrou no veículo. Tirou uns óculos de sol escuro e colocou. Botou o cinto de segurança e abriu um sorriso para mim, ligando o carro.

— Chanyeol, trate de me dizer o que está acontecendo...

— Estou te sequestrando por três dias. — eu ergui uma sobrancelha. — Seu pai também me deu autorização, então tecnicamente você está sendo sequestrado, porque você não sabia dessa programação. — ele colocou a primeira e deu partida. — Vamos ter uma boa viagem.


Notas Finais


MUHAAHAHAHHAA GENTE, BAEK SEQUESTRADO PELO CHANNIE!!!!
E essas tretas!! Adorei escrever esse capítulo, porque foi intenso!!! SÉRIO MTOO BOM
E Baekhyun n mudou nada, eu saia que iam ficar revoltados no último capítulo, pq sempre buscamos fortes emoções em tudo!!! Sou dessas!!! Espero que tenham gostado e que estejam ansiosos para o próximo!!!
Um beijooo <3 <3
Carro Chanyeol levou o baek na festa:https://br.pinterest.com/pin/423971752416310576/
Carro Jeep:https://br.pinterest.com/pin/423971752416314086/
Jay: https://br.pinterest.com/pin/423971752416316183/
Decoração da festa: blob:https://web.whatsapp.com/261c75f1-0b17-4f90-9d18-87f2a4d869dd


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...