1. Spirit Fanfics >
  2. O chefe e sua secretária - Clace >
  3. 51

História O chefe e sua secretária - Clace - Capítulo 51


Escrita por:


Notas do Autor


nossa gente eu to chateadíssima q eu perdi uma borrachinha do meu fone :(

Capítulo 51 - 51


                   {P.V.O Clary}



 Entro na casa levando Jace comigo, que deixou a mala ao lado do sofá. Ao olhar para dentro da cozinha, toma um susto com uma pequena criaturinha que correu desleixadamente até seus pés. Era Rafael. Eu tinha me lembrado naquele instante, ele não conhecia Rafael.



  -- Mas...



  -- Esse é seu sobrinho, Rafa. - Afago a cabeça do pequeno.



  Ele franze o cenho confuso.



  -- O que?


 -- Mag e Alec adotaram. - Sorribpara eles. - Rafa é um amor.



  -- Ele é o meu sobrinho? - Jace se abaixa ao lado do garoto, que tinha curiosidade no olhar.


  -- Sim.  - Sorrio.



  -- Eu sou velho, meu Deus. - Ele passa a mão pelo cabelo e eu rio revirando os olhos.


 
  -- Ele é o seu tio. - Digo para Rafa.


  -- Tio? É..... o tio... Jace? - Ele fala desleixadamente. Era fofo, eu rio e Jace também.


  -- Sim, é o tio Jace.


  -- Vem cá. - Jace pega o pequeno no colo. Que riu e se agarrou ao pescoço do mesmo. - Vou mimar demais essa criaturinha.



  -- Nada de doces antes do almoço! - Magnus para um pouco ao lado. - O sobrinho é seu, mas ele é meu filho.



  Jace ri e cumprimenta Magnus com um abraço, passando Rafa para o colo do mesmo.



  -- Que bom que chegou! Finalmente! - Izzy o abraça desajeitadamente.



***


 
  -- Vem, Rafa! - Corro até perto dele, na quintal enorme dos meu pais. - Vamos entrar?


  -- Ah, não. Tiaaaaaaa. - Reclama com sua voz fina. Eu rio. - Vamos brincar.


  -- Agora?


  -- Sim! - Ele sai correndo pela grama. - Vem me pegar!


  Rio e saio correndo atrás dele. Aquela criança era rápida. Acelero e consigo pegá-la pelo ombro, me abaixando um pouco.


  -- Ahá! - O puxo do chão, pegando-o no colo. - Peguei.


  -- Ah! - Ele faz bico. - Vamoa brincar mais!


  -- Não dá, pequeno. - Ri deixando-o de volta no chão. - Almoça e depois a tia brinca mais com você, tá?


  Ele sorri desanimado e segue para dentro. Logo um ser loiro e alto sai da porta da cozinha para o quintal. Me observando ainda com sua roupa de chegada; jeans e uma camisa polo. Estava gato.


  -- O que a criança está fazendo aqui fora? - Ele pergunta.


  -- Ele já está entrando.


  -- Não estava falando dele.


  Eu reviro os olhos e mostro a língua. Jace riu, se aproximando.


  -- O que você estava fazendo aqui fora? - Ele segurou minha cintura, falando contra minha bochecha.


  -- Chamando o Rafa, e depois a gente brincou de pega-pega.


  -- Pega-pega? - Ele sorri malicioso. - Quero brincar também.


  Ri balançando a cabeça.


  -- Depois eu que sou a infantil!


  Me desvencilho dele e saio correndo.


  -- O que você está fazendo? - Ele ri me observando.


  -- Brincando. Você não vem? - Rio.


  Ele ri também e acelera na minha direção, corro rindo e olhando para trás. Tropeço em um brinquedo de Rafa e caio arfando na grama. Logo um sombra vem para cima de mim, ganhando peso. Prende meus pulsos ao lado da minha cabeça.


  -- Vamos brincar de pega-pega, agora? - Jace pergunta me dando um selinho.


  -- A gente não estava fazendo isso?


  -- Tsc, tsc. - Ele morde meu lábio inferior. - Vou te mostrar como se brinca de pega-pega.


  Ele beija minha boca implacavelmente, se deliciando com meu lábio superior e depois o inferior. Nossas línguas dançaram sensualmente dentro de nossas bocas,  deixando o beijo quente. Ele livra minhas mãos, agarrando minha cintura, ainda me beijando. Arranho sua nuca levemente.


  -- Hey! Crianças! - Ouço minha mãe, sentando ao lado de Jace na grama, que também estava arfando. - Vamos, está na hora de almoçar.


  -- Vem. - Me levanto e ele faz o mesmo. - Estou morta de fome.


  Entramos e seguimos para a pequena sala de jantar. Almoçamos dando risada o tempo todo. Cada um tinha uma história que alguém não sabia. Inclusive Izzy, que estava com três meses de gestação.


  -- Você já sabe o sexo do bebê? - Minha mãe perguntou a Iz.


  -- Sim. - A mesma sorriu. - O nome dela vai ser Sophie.


  -- Sophie. - Sorrio. - Que nome lindo.


  -- E dele vai ser Michael, para chamá-lo de Mike.


  -- Espera! - Magnus bate palmas. - São gêmeos?

  -- Sim! - A morena riu.


  -- Oh, Deus. - Alec e Jace exclamam juntos.


  Todos riem.


***


  -- Não quer ir na piscina? - Pergunto a Jace, vendo todos lá fora no quintal, se refrescando.


  -- Não. - Ele roça o nariz no meu pescoço. - Prefiro ficar com você, e olha que eu estava... cansado. - Ele disse distribuindo beijinhos pelo meu ombro. Estavamos praticamente deitados de conchinha no sofá.


  -- Estava?


  -- Uhum... - Ele morde o lóbulo da minha orelha.


  -- Estamos no sofá da sala dos meus pais. - Rio sentindo cócegas com sua respiração na minha nuca.


  Ele não responde, só me põe em cima dele. Me beijando avidamente.


  -- Que saudade de você. - Diz contra meus lábios.


  -- E dos outros? - Provoco.


  -- Também. Mais de você. Mas dos outros também. - Ri contra sua boca. - Vamos falar da gente.


  -- Hum... - Rompo o beijo fazendo carinho em seu rosto. - Vou ajudar meus pais a deixarem a casa limpa. Vou lavar a louça. - Lhe dou um selinho e me levanto. - Vai tomar um banho enquanto isso.


  Ele assente se espreguiçando enquanto eu seguia para a cozinha.


                      {P.V.O Izzy}


  -- Rafa! Cuidado! - Magnus exclama pegando o filho por trás, ajudando o menino a aprender a nadar.


  -- Vai afoga-lo daqui a pouco. - Alec riu sentado ao meu lado na beirada da piscina.


  -- Quer dar um mergulho, amor? - Simon disse dentro d'agua.


  -- Daqui a pouco. - Dou um beijo em sua testa e ele acaricia minha barriga.


  -- Acho que eles querem nadar. - Ele brinca.


  Rio com Alec.


  -- Nunca me senti mais feliz e relaxado. - Meu irmão fecha os olhos aproveitando o sol.


  -- Quem diria. - Encosto minha cabeça em seu ombro. - Você é pai e tio agora.


  -- Sou. - Sinto ele sorrir. - Gosto disso.


  -- Acho que todos gostam.



                     {P.V.O Jace}


  --  O senhor pode tomar sol? - Clary me pergunta. Me sento na cadeira de praia que tinha perto da piscina.


  -- Por que não poderia? - Franzo o cenho.


  -- Por causa da sua dor de cabeça.


  Suspirei ajeitando meu cabelo para trás.


  -- Você disse que foi no médico, e fez exames. - Ela se sentou ao meu lado. Vendo a família mais afastada. Eles não sabiam disso.


  -- E fui. - Disse.


  -- Não me contou, sabe o motivo dessa dor?


  -- Basicamente... - Mordo a boca me lembrando do que o médico havia falado. - É uma artéria que passa perto do cérebro e que ficava "inchada" por estresse, ansiedade, preocupação e nervosismo. E ela tinha risco de estourar e isso causava dor.


  -- Oh, Jace. - Clary me dá um beijo carinhoso na testa. - Está tomando remédio certo?


  -- Estou.


  -- É só o medicamento? Que é para tomar?


  -- Tenho que evitar ficar estressado e ansioso.


  -- Ok. - Ela me dá um selinho e sorri.


  -- Vai cuidar de mim?


  Ela riu.


  -- Vou sim.


                     {P.V.O Magnus}


  -- Jocelyn e Luke foram ótimos cedendo o um quarto de visitas para nossa pequena família. - Sorri para Alec e o meu filho.


  -- Nunca pensei em ser tão feliz. - Alexander fez carinho nos cabelos de Rafael, que dormia tranquilo em seu colo.

  -- Eu também. - Lhe dei um selinho e dei um beijo na testa do meu filho.


  -- Venha com seu outro pai, anjinho. - Peguei Rafa que cochilava e o deitei no meio da cama. Me acomodei ao lado direito, Alexander se acomodou do esquerdo. E assim dormimos tranquilos e felizes.


                    {P.V.O Clary}


  Eu e Jace assistíamos TV com Luke. Quando minha mãe desceu as escadas.


  -- Vem, Luke. Vamos deitar, está tarde.


  -- A Clary vai. - Meu pai respondeu, a essa altura, o considerava meu pai.


  -- Eu durmo no sofá cama com Jace. - Sorri de canto para ele.


  -- Durma com sua mãe. - Ele semicerrou os olhos.


  -- Luke. - Jocelyn riu. - Chega de dar uma de pai. Deixe eles.


  -- Hum. - Ele se levantou, fitando Jace  - Estou de olho.


  O loiro ao meu lado engoliu em seco e afundou no sofá.


  Ri balançando a cabeça, enquanto meus pais subiam as escadas, rumo a seu quarto.


  -- Vamos transformar isso em uma cama. - Me levanto e Jace também. Puxamos a parte inferior o sofá, a deixando maior. - Vou pegar os edredons e travesseiros.


  Corri até o armário embaixo da escada e peguei um lençol, um edredom e dois travesseiros. Voltei para a sala. Eu e o loiro arrumamos tudo rapidamente e nos deitamos, ainda assistindo o filme.


                    {P.V.O Jace}


  Já era de madrugada. A sala estava apenas iluminada com a luz que vinha do filme, que tinha acabado. Vejo Clary de soslaio. Ela dormia tranquila deitada no meu peito.


  Sorrio e beijo sua testa.


  -- Boa noite, amor.
 


Notas Finais


gente vcs tão desanimadinhos nos coments
Q q aconteceu? :((


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...